29 de outubro de 2016

Prunotto Barolo 2005

Nome: Prunotto
Safra: 2005
País: Itália
Região: Barolo
Produtor: Prunotto

Uvas/Corte: Barolo
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Onde foi comprado: Verona, na Itália
Quando foi comprado: Setembro 2010
Degustado em: 8 de outubro de 2015
Onde Bebeu: Policarpo, no Humaitá, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Massa com ragú e polpetone com arroz à piemontese
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Garnet in colour and on the nose, wide and complex with hints of violet and forest fruit aromas. On the palate, full and velvety and well balanced. Due to its structure and characteristics, it is a perfect match for meat and game dishes, and tasty cheeses. Ideal serving temperature 17°C

Impressões da Rafaela
Este foi um dia muito feliz, pois terminei um processo que estava em andamento há sete anos, pelo menos. Creio que até mais, pois já havia iniciado a espera ainda em Florianópolis. Desde este dia sou uma cidadã italiana. O passaporte só posso pedir depois de seis meses, depois que meu registro tiver sido feito no meu Comune na Itália, mas para quem já esperou tanto, seis meses não são nada (* Como os posts anteriores, este também está beeem atrasado, agora já tenho meu passaporte italiano e até já ousei em duas viagem :)). Ainda mais que nos próximos seis meses estarei muiiiito ocupada terminando meu doutorado. Assim, resolvemos comemorar em um restaurante italiano. Eu escolhi ir no Policarpo, uma cantina pequenininha e com comida saborosa aqui no Humaitá. Foi uma ótima escolha. A massa que escolhi estava deliciosa. O Barolo, infelizmente, já tinha perdido o vigor, mas ainda assim foi bom relembrar onde o compramos. Na viagem realizada à Itália em 2010, visitamos a cidade dos meus antepassados e foi um momento bem importante para mim. Na prática, minha vida segue igual, mas dá uma enorme satisfação transferir a pasta da cidadania de "projetos em andamento" para o status "projetos concluídos". Alegria de uma seguidora do método GTD. :)

Comentários do Claudio
Gosto de esperar os vinhos envelhecerem um pouco para beber. A grande dúvida é quanto tempo esperar para abrir uma garrafa? Será que está na hora certa de abrir? Sempre é difícil saber, mas as vezes uso uma dica dada pelo meu amigo e blogueiro Alexandre Frias: em torno de 10 anos de vida, abra a garrafa. Foi o que fizemos com este Barolo que havíamos comprado na Itália. O vinho estava na adega aqui de casa e a expectativa era boa. O mundo do vinho sempre nos reserva surpresas, infelizmente as vezes não tão agradáveis. O vinho apresentou leves sinais que estava bouchonné e consequentemente estava longe de sua forma ideal. De toda forma o jantar valeu para comemorar a cidadania italiana da Rafaela.

28 de outubro de 2016

Festa dos 25 de reunificação da Alemanha

Nome: Schloss Friedwald
País: Alemanha
Região: Pflaz

Uvas/Corte: Graueburgunder
Rolha: Cortiça

Comprado em: Gentilmente oferecido na recepção do Consulado Alemão
Quando foi degustado: 2 de outubro de 2015
Degustado em: Residência do Cônsul Geral da Alemanha no Rio de Janeiro, em Santa Teresa
Harmonizado com: Comidinhas alemãs

Com quem: Claudio e Rafaela

Impressões da Rafaela

Todo 3 de outubro, ou em data perto disso, há uma festa na residência do cônsul geral da Alemanha no Rio de Janeiro. O castelinho em Santa Teresa se abre para receber a comunidade alemã na cidade e alguns agregados, como Claudio e eu. Como trabalho em uma organização alemã, sempre sou convidada. Fazia alguns anos que não íamos, mas neste ano como a festa era especial - 25 anos de reunificação da Alemanha -, fiquei animada para ir (*desculpem aí, queridos leitores, mas as postagens estão tão atrasadas, que já faz 26 agora). Como a festa é realizada no jardim, mesmo quando há muita gente não fica apertada. Bebemos este vinho branco para acompanhar as comidinhas alemãs pelo Il Piccolo Café, que apesar do nome faz comida alemã. Foi um programa divertido.

Comentário do Claudio
As festas organizadas pelo cônsul da Alemanha para comemorar a data nacional em sua bela casa em Santa Teresa no Rio são sempre bem animadas e temos a chance de comer alguma comida 
típica alemã, o que gosto muito. Para minha sorte sempre tem um ou dois vinhos alemães sendo servidos. Desta vez resolvi beber um branco, da uva Pinot Gris (Graueburgunder).  Um vinho de boa acidez, leve, fácil de beber e de gostar, bem feito. Um vinho bem escolhido para a festa. Vale destacar que a Alemanha sempre nos surpreende com excelentes vinhos brancos.

22 de outubro de 2016

Salton Evidence Brut #winebar

Nome: Salton Evidence Brut
País: Brasil
Região: Tuiuty
Produtor: Salton

Uvas/Corte: Chardonnay e Pinot Noir
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Onde foi comprado: Gentilmente nos presenteado pela vinícola no âmbito do projeto Winebar

Degustado em: 27 de setembro de 2015
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Comida Thai

Com quem: Claudio e Rafaela

Impressões da Rafaela
Gostoso, mas não o meu preferido. Bom para acompanhar sem compromissos um almoço de domingo, especialmente o primeiro almoço na varanda depois de longo inverno. No final deste dia fomos ao Rock in Rio. Eu realizei um sonho antigo, que era assistir a pelo menos um dia de festival. Escolhi a noite em que o A-ha faria show e não me arrependi. Mesmo com toda chuvarada que caiu na cidade do rock, foi uma experiência fantástica! Repetiria!

Comentário do Claudio
Com novo rótulo, o espumante Evidence da Salton se mostrou bastante agradável. Em boca, sabor intenso, acidez correta. Um espumante fácil de se beber, bem feito e de bom custo. Um espumante sem erro, versátil. Vale provar.

Excelente vinho uruguaio: Mburucuyá Assemblage Collection - Edición Limitada

Nome: Mburucuyá Assemblage Collection - Edición Limitada
Safra: 2011
País: Uruguai
Região: Canelones
Produtor: Antigua Bodega Stagnari

Uvas/Corte: Syrah, cabernet franc, merlot, tannat e sangiovese
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça

Comprado em: Janeiro de 2015
Onde compramos: Vinos del Mundo, em Punta del Este, Uruguai
Quando foi degustado: 4 de outubro de 2015
Degustado em: Bottega del Vino, no Leblon, Rio de Janeiro
Harmonizado com: Pera (glaçada com gorgonzola, nozes e salada verde), p
eito de peru recheado (tornedor de peru com fricaseé de batatinha e cogumelos) e tiramisú / Bruschetta (com tomate, mussarela e pesto de manjericão), filleto (medalhão de file com 5 pimentas e gratin de batata) e mil folhas de creme e calda de frutas
Com quem: Claudio e Rafaela

Impressões da Rafaela

O dia amanheceu nublado e não demorou para cair uma chuvinha fina. Claudio foi correr na academia e eu fiquei escrevendo sobre as minhas hemerotecas. Quando ele voltou resolvemos ir almoçar no Leblon. Queríamos aproveitar duas promoções que estavam rolando no Rio: a Restaurante Week e o Rio Rolha Zero, que faz parte do Rio Wine and Food Festival. A escolha não poderia ter sido melhor. A Bottega do Vinho é excelente. Os pratos estavam deliciosos, assim como o clima. O vinho acompanhou o almoço de forma magistral. Creio que na próxima viagem ao Uruguai iremos comprar mais uma garrafa. Ótima compra.

Comentário do Claudio
Uma excelente surpresa. Comprei este vinho em Punta del Este. Fiquei bastante curioso com o corte de cinco uvas. Como era de um produtor tradicional, resolvi comprar para provar. Quando fui pagar o vendedor me falou: "Este vinho é um 'Chateauneuf du Pape' uruguaio". Sempre fico com um pé atrás com afirmações deste tipo, mas ao menos serviu para deixar com curiosidade. Aproveitamos o Rio Rolha Zero para levá-lo à
 Bottega del Vino e prová-lo. Como dito, foi uma excelente surpresa. Um vinho muito bem feito, seguindo um estilo mais velho mundo, muito equilibrado e ainda com potencial de envelhecimento. Boa acidez, taninos finos, bom final de boca. Um vinho muito interessante e marcante. Gostaria de ter mais uma garrafa dele para ver seu envelhecimento.