28 de fevereiro de 2015

Yali Wetland Reserva, um gostoso Sauvignon Blanc chileno

Nome: Yali Wetland Reserva
Safra: 2013
País: Chile
Região: Valle de Casablanca
Produtor: Viña Ventisquero

Uvas/Corte: 100% Sauvignon Blanc
Teor alcoólico: 12.6%
Rolha: Rosca
Preço: -

Onde foi comprado: Gentilmente nos enviado pelo importador, Domno
Quando foi comprado: Fevereiro de 2015
Degustado em:  21 de fevereiro de 2015
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Peixe e batatas assados
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Aging potential: Drink now or within 3 years. Colour: crystalline, with pale green highlights. Aroma: complex and elegant nose of fresh lime, grapefruit, pineapple and pear, rounded off by delicate floral notes. Palate: elegant with well-balanced acidity, citrus and tropical fruit nuances appear on the long finish. Food Pairing: Ideal serving temperature: 10-12° C. This wine is delicious as an aperitif, but its freshness also pairs well with salads, shellfish, ceviches and fish.


Impressões da Rafaela
Apesar de toda a minha implicância com a Sauvignon Blanc, devo admitir que gostei bastante deste vinho. Ele tem aquele gosto herbáceo, o azedinho no retrogosto, mas também consegue ser bastante refrescante. Talvez tenha sido porque seguimos a dica do amigo Cris, de servi-lo geladinho, mas não passando do ponto. Acompanhou bem nosso jantar. No final da tarde sugeri ao Claudio que fôssemos ao supermercado comprar um pedaço de peixe e algumas batatas. Ele topou e menos de uma hora depois estávamos com nosso jantar delicioso servido na varanda. O dia foi quente, mas a noite estava bem agradável. Foi mais um dia de estudos. Espero realmente ver resultados no futuro, pois trocar praticamente todos os sábados de aventuras lá fora por estudo não é moleza - para a cabeça e para o corpo.


Comentário do Claudio
Os vinhos Yali estão lançando o novo design dos rótulos (muito equilibrado e bem feito). Recebemos esta garrafa da importadora para provar a nova safra. Um Sauvignon Blanc chileno, da região de Casablanca, de boa acidez, leve, descomplicado e agradável. Em boca mostrou equilíbrio, notas verdes sem exageros e algo picante em seu final. Foi muito bem com nosso peixe. Uma boa opção para se beber em um dia quente. Bom vinho.

24 de fevereiro de 2015

Espumante delicioso: Luiz Argenta Brut Rosé

Nome: LA Brut Rosé
Safra: -
País: Brasil
Região: Serra Gaúcha, Flores da Cunha
Produtor: Luiz Argenta

Uvas/Corte:  100% Pinot Noir
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Preço: R$ 48

Onde foi comprado: Tumelero Bebidas, em Caxias do Sul
Quando foi comprado: Janeiro de 2015
Degustado em:  20 de fevereiro de 2015
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizzas caseiras
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Cor: Rosa Tênue.  Perlage: Borbulhas finas, intensas e persistentes. Aroma: Aromas complexos e delicados que lembram principalmente, morango, cerejas e flores. Sabor: É agradável e fino, apresenta uma ótima estrutura, o açúcar e a acidez estão perfeitamente equilibrados, com boa persistência.



Impressões da Rafaela
Quando estiver em dúvida sobre qual espumante comprar e tiver entre as opções este Luiz Argenta não pense mais de um segundo: pegue-o! Eu fiquei muito bem-impressionada com a qualidade. O espumante é delicado, cor linda e sabor delicioso. Voltaria a bebê-lo com toda certeza. Este dia foi especialmente quente no Rio e nada melhor do que um espumante de alta qualidade para terminar bem o dia. Adorei!

Comentário do Claudio

A bonita vinícola Luiz Argenta de Flores da Cunha tem um cuidado especial com o design de seus produtos e principalmente as garrafas de seus vinhos. Compramos este espumante em nossa última passagem por Caxias. Além da bela garrafa, este espumante se mostrou de excelente qualidade. Muito bem feito, elegante e de boa complexidade em boca. Sabores intensos bem característicos da Pinot Noir. Boa cremosidade e acidez marcante formam o belo conjunto deste espumante. A garrafa vai fácil e quando você se dá conta o espumante já acabou. Belo produto.

22 de fevereiro de 2015

Cabernet Sauvignon da Aracuri para encerrar em alto astral o Carnaval

Nome: Aracuri
Safra: 2008
País: Brasil
Região: Muitos Capões, nos Campos de Cima da Serra
Produtor: Aracuri Vinhos Finos

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Garrafa nº: 8057 de 17 mil
Preço: Gentilmente nos oferecido pela Paula
Degustado em:  17 de fevereiro de 2015
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Crepes de queijo feitos em casa
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Perfil Sensorial: aromas complexos e elegantes, destacando-se cassis e ameixa, com notas de pimenta preta, que se repetem no paladar. Vinho estruturado com taninos macios e acidez equilibrada.

Impressões da Rafaela

Gostamos muito deste cabernet, sempre uma escolha satisfatória. Não sei bem como explicar, mas ele é leve, porém com gosto marcante. Vai muito bem com comidas que não tenham sabor muito intenso. O dia foi passado praticamente em casa, estudando. Saímos apenas para um almoço do tipo ostentação no restaurante Lima. Ah, sim, já que estávamos por ali, fomos à Cobal, onde o Claudio comeu seu docinho preferido e aproveitou para comprar mais farinhas - afinal, em casa de padeiro, não pode faltar farinha de trigo!

Comentário do Claudio

Um cabernet leve, agradável e que vai bem com a comida. Um vinho da safra 2008, uma das primeiras safras da jovem vinícola da região dos Campos de Cima da Serra. Temos acompanhado a evolução dos vinhos desta região e por ser da safra 2008 mostra o potencial da região. Um bom Cabernet, fácil de se gostar e que foi bem com nossos crepes. Como venho falando, vale ficar de olho nos vinho da vinícola e dos vinhos desta região.

21 de fevereiro de 2015

Um pouco de "Catarsís" neste carnaval

Nome: Catarsís
Safra: 2011
País: Uruguai
Região: Atlantida
Produtor: Viñedo de los Vientos

Uvas/Corte: 70% Cabernet Sauvignon e 30% tannat
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: Cortiça
Preço: Recebemos pelo clube W
Onde foi comprado: Wine.com
Degustado em:16 de fevereiro de 2015
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pães e queijos
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Sobre o nome: Catarsís (catarse) é uma experiência ou sentimento de purificação espiritual, trazido por uma experiência emocional intensa. Elaborado artesanalmente usando técnicas de vinificação antigas.

Impressões da Rafaela
Depois de tudo que preparamos nos últimos dias, nesta noite resolvemos comer o que sobrou de todas as outras receitas. Esquentamos alguns pães que o Claudio havia preparado nos últimos dias, cortamos tomatinhos (que sobraram do molho de tomate para a massa), separamos os queijos gruyère e ementhal (que compramos para os crepes), pegamos a garrafa de azeite Garzón (aberto para fazer a massa da pizza) e estava pronta a festa. Para acompanhar tudo isso, Claudio resgatou este vinho lá do fundo da adega. Foi uma boa escolha para finalizar o dia - passado em casa à frente do computador.

Comentário do Claudio
Recebi este vinho, produzido pela interessante vinícola uruguaia Viñedo de los Vientos, pelo clube W em junho de 2012. Na época, li alguns comentários nem sempre positivos de outras pessoas que também receberam o vinho. Resolvi deixar um tempinho na adega para ver como ele reagiria. Vinho de sabor intenso, estilo elegante e até uma certa rusticidade, o que me agrada. Vivo em boca, é o tipo de vinho que cresce com a comida, ficando bem mais interessante. Final de boca poderia ser mais longo e presente. De qualquer maneira foi um vinho que me agradou por seu estilo.

20 de fevereiro de 2015

Vai para Punta del Este? Veja onde comprar vinhos por lá

Em nossas últimas férias viajamos para Punta del Este. Durante os 10 dias que passamos lá provamos muitos vinhos uruguaios. Claudio visitou as lojas de vinhos algumas vezes antes de decidir quais garrafas traríamos para casa. Não há muitas opções de lojas em Punta, mas as que existem são boas. A seguir, as colocamos por ordem de preferência, adicionando alguns comentários.

1) Vinos del Mundo - Los Alpes y Boulevard Artigas parada 7 (Há outra em Ruta 10 km 182,5 Jose Ignacio, 11700, Punta del Este) - a melhor loja de vinhos de Punta. Boa seleção e variedade de vinhos uruguaios. Conversei com um dos donos, que me contou um pouco sobre o processo de seleção dos rótulos que entram na loja. Bom atendimento. Vale conhecer.

2) Gorlero Wine Shop - Av. Gorlero entre calles 30 y 31, Península - Pequena loja na principal rua de comércio do centro de Punta. As opções não são muitas, mas você pode encontrar alguns vinhos uruguaios com preço excelente. Passeando pela Av. Gorlero, dê um pulo lá.

3) Grand Cru - Av. Roosevelt y Parada 7, local 001, Torre Amadeus - Filial da importadora Grand Cru, tem grande variedade de vinhos importados. Com relação a vinhos uruguaios a oferta é relativamente boa, com alguns vinhos de pequenas vinícolas.

4) Devoto -  Av. Roosevelt y P.10 - Supermercado com boa oferta de vinhos uruguaios. Grande variedade de vinhos das linhas de entrada e também dos vinhos de alta gama. Antes de comprar os seus vinhos, vale dar um pulo no Devoto - onde também se pode encontrar outros ótimos produtos uruguaios, como doce de leite Lapataia e alfajor De las Sierras de Minas.

5) Tienda Inglesa - Av. Roosevelt y P.7, Punta Shopping - Outro supermercado que tem o mesmo perfil do Devoto. Você irá encontrar algumas variações na oferta de vinícolas.

6) Disco - El Estrecho - A seção de vinhos deste supermercado é menor do que a dos outros dois. Existem 2 lojas, a que fica na península é melhor para vinhos.

7) Existe ainda uma loja de vinhos em Punta Ballena, na rodovia Interbalnearia, mas infelizmente não anotamos o nome. É uma loja pequena, mas foi onde vi os vinhos uruguaios mais desconhecidos. Se você gosta de descobrir rótulos diferentes, visite esta loja.

E, finalmente, se você chegou pelo aeroporto de Montevidéu, reserve um tempinho para olhar os vinhos do Freeshop. Boas opções, safras antigas, vinhos exclusivos e bons preços. Vale deixar para comprar ali alguns vinhos.

Aproveite Punta del Este, beba bons vinhos e boas compras!

18 de fevereiro de 2015

Espumante para acompanhar nosso bloco particular de Carnaval: Casa Portuguesa Brut Rosé

Nome: Casa Portuguesa Brut Rosé
País: Brasil
Região: Campos de Cima da Serra, Muitos Capões/RS
Produtor: Vinícola Fazenda Santa Rita

Uvas/Corte: 60% Chardonnay e 40% Pinot Noir
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Preço: R$ 36
Onde foi comprado: Supermercado Bortolon, em Vacaria/RS
Quando foi comprado: 30 de janeiro de 2015
Degustado em:  15 de fevereiro de 2015
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Nossa quase feijoada de Carnaval
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do produtor: 
Elaborado a partir de 60% de uvas Chardonnay e 40% Pinot Noir cultivadas na região de Campos de Cima da Serra. Com um cuidadoso processo de seleção de uvas em campo este espumante de origina com um processo de prensagem direta das mesmas a baixa pressão e com rendimento máximo de 50% de mosto flor. O que confere um espumante de uma atrativa e elegante cor rosa brilhante com um fino delicado e intenso perlage, que forma uma coroa cremosa duradoura e persistente. De aromas sutis de frutos frescos como pitanga e amoras tem-se um espumante cremoso fino delicado e sobre tudo fresco de longo final. Ideal para apreciar só ou acompanhar culinária tahi e japonesa, frutos do mar como camarões, saladas de mexilhões, ostras frescas ou ao vapor, peixes como mero e atum, risoto de frutos do mar e paellas. Deguste entre 6 a 8 graus.

Impressões da Rafaela
Nosso bloco de Carnaval neste ano está apenas concentrando... em casa. Nesses últimos dias, a cozinha tem esquentado as caçarolas como há muito não fazia. Hoje mesmo iríamos fazer apenas um feijãozinho, mas logo surgiu uma linguicinha na comissão de frente, seguida por uma couve rodadinha como uma baiana e logo estava se formando uma feijoadinha - só faltou a laranja. Para acompanhar a nossa quase-feijoada resolvemos abrir algo leve e refrescante. Claudio escolheu este espumante comprado em nossa última viagem a Vacaria. É um espumante bem leve, descomplicado e que faz uma espuma danada (cremoso, como explica o Claudio). É um espumante que vai acompanhar muito bem comemorações descontraídas. Depois da feijoada, saímos para fazer uma caminhada até o Parque Lage, no Jardim Botânico. Afinal, à noite ainda teríamos pizzas!

Comentário do Claudio
Todas as vezes que vamos a Vacaria procuramos as novidades dos vinhos feitos na região (Campos de Cima da Serra). Este espumante da Fazenda Santa Rita, feito com a consultoria do enólogo uruguaio Alejandro Cardozo, foi escolhido para escoltar nossa pequena feijoada de Carnaval. Recém-lançado, a proposta deste espumante é ser da linha de entrada da vinícola, que tem planejamento de produzir mais 5 espumantes diferentes, de todas as gamas. Feito pelo método Charmat é uma espumante fresco e direto. De corpo leve, correta acidez e de sabor intenso, é um gostoso espumante que funcionou bem para acompanhar a feijoada. De bela cor salmão clarinho, destaque para a intensa espuma e a cremosidade em boca. Mais um bom trabalho do enólogo Alejandro e mais um produto para mostrar o potencial da região.

17 de fevereiro de 2015

Ótima escolha do nosso amigo Cris: Perlita Malbec-Syrah 2011

Nome: Perlita
Safra: 2011
País: Argentina
Região: Mendoza, Valle de Uco
Produtor: Bodega DiamAndes

Uvas/Corte: 80% Malbec e 20% Syrah
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: Cortiça
Onde foi comprado: Presenteado pelo Cristiano Orlandi, do blog Vivendo Vinhos, ao Claudio por ter vencido o bolão da Copa de 2014
Degustado em: 13 de fevereiro de 2015
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Massa e molho de tomate caseiros
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do produtor: 
Perlita by DiamAndes es un Corte original de dos magníficos cepajes: el Malbec y el Syrah. La tipicidad del Malbec argentino combinada con la untuosidad del Syrah lo convierten en un vino muy agradable, amplio y rico. La tipicidad del viñedo de bodega DiamAndes le confiere una dimensión única al aportar frescor y equilibrio a ambos. El Corte resulta muy elegante! En boca desarrolla sabores a fruta madura y taninos muy suaves pero intensos. Sedoso y aterciopelado, termina con un bello final. Perlita by DiamAndes seducirá a los amantes de las aves salvajes y las carnes asadas, tanto blancas o como rojas.

Impressões da Rafaela
Sou muito agradecida ao Cris por ter escolhido este vinho para presentear o Claudio no bolão da Copa. É do tipo de vinho que me agrada muito. Eu poderia beber uns 5 litros. Ele tem uma pegada mais frutada, mais macio, adorável! Como está um calor dos infernos, resolvemos fazer o jantar na sala com ar condicionado. Foi uma maravilha de jantar. Estamos curtindo este carnaval passado em casa. Só meus estudos é que não estão rendendo como esperado, mas não se pode ter tudo. Pelo menos estou descansando bastante a cabeça.

Comentário do Claudio
Mais um vinho que ganhei no bolão que fizemos com alguns blogueiros de vinho na Copa. Este foi enviado pelo amigo Cristiano Orlandi. Escolhemos este vinho para acompanhar a nossa massa caseira com molho de tomates, mas o vinho tinha uma força maior do que a do nosso prato. É um vinho muito bem feito, clássico estilo de vinho argentino, com muita fruta e intensidade em boca. Cor violeta vivo, em boca mostrou notas de fruta em compota e leve toque da madeira. A Malbec se mostrou mais presente com a Syrah, aportando notas de especiarias e leve pimenta. Final de boca também é intenso apresentando uma nota verde. Um vinho de estilo moderno que vai agradar.

16 de fevereiro de 2015

Celebrando a vida com o sempre excelente Orus de Adolfo Lona

Nome: Orus
País: Brasil
Região: Garibaldi/RS
Produtor: Adolfo Lona

Uvas/Corte: Chardonnay, Pinot e Merlot em rosado
Teor alcoólico: 12,2%
Rolha: Cortiça
Onde foi comprado: Gentilmente nos presenteado por Adolfo Lona
Degustado em:  12 de fevereiro de 2015
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Peru e legumes assados no forno
Com quem: Claudio e Rafaela


Impressões da Rafaela
Depois de 12 dias sem bebermos vinhos, resolvemos comemorar a ótima recuperação do Claudio - que passou por uma cirurgia no nariz - com o excelente vinho do seu Adolfo Lona. Eu adoro o Orus e já estava de olho há tempos naquela garrafa guardada na geladeira. Chegou a grande oportunidade. Foi muito bom, como sempre.

Comentário do Claudio
Escolhi um espumante especial para celebrar o sucesso da cirurgia que tive que fazer no nariz. Como a ideia era fazer um brinde especial à família e aos amigos por toda atenção e carinho, nada melhor que um espumante feito por um amigo, Adolfo Lona. Já bebemos o Orus, espumante top que o Lona só produz cerca de 800 garrafas por safra, em outras oportunidades. Ele sempre mostra toda a sua qualidade, a qual sem dúvida o coloca entre os melhores do Brasil. É um espumante que carrega a personalidade do Lona. É muito equilibrado, tem excelente cremosidade, notas de fermentação com amêndoas e boa acidez. É um espumante de ótima complexidade e com belo potencial de envelhecimento. Um clássico!

14 de fevereiro de 2015

Passeio entre as videiras da Aracuri em Muitos Capões/RS


Nome: Aracuri Brut / Aracuri Pinot Noir
Safra: 2013 / 2014
País: Brasil
Região: Campos de Cima da Serra, Muitos Capões/RS
Produtor: Aracuri

Uvas/Corte: Pinot Noir 100% / Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 12% / 12,5%
Rolha: Cortiça
Onde foi comprado: Gentilmente nos presenteado pela Paula Schenatto, enóloga da Aracuri
Degustado em: 31 de janeiro de 2015
Onde bebeu: Casa da mãe da Rafaela
Harmonizado com: Porco assado, arroz, farofa, salada e maionese, além de cassata e pudim
Com quem: Claudio, Rafaela, Luci e Paula

Comentário do produtor:
Blanc de Noir: coloração amarelo dourado. Apresenta perlage fina, constante e elegante. No nariz se destacam os aromas da fermentação com notas tostadas e de frutas secas. No paladar é cremoso, com toque mineral e tostado. Além de volume de boca e acidez equilibrada.
Pinot Noir: aromas intensos e elegantes, destacando-se frutas vermelhas com notas de cacau. Paladar complexo e equilibrado com acidez vibrante. Harmonização: carnes leves; molho funghi; molhos pouco condimentados; queijos leves.

Impressões da Rafaela
Ao viajar para Vacaria, pensamos logo em provar alguns vinhos da região. A ideia era ir a uma pizzaria na sexta-feira à noite e vermos o que nos oferecia a carta. No final da tarde, porém, passamos por um imprevisto. Bem na hora em que fomos comprar carne para o churrasco que faríamos no sábado, o supermercado estava sendo assaltado. A história tem bastante detalhes, mas resumindo: a sexta-feira à noite foi em casa mesmo, com o Claudio com o nariz inchado depois de levar um soco ou uma coronhada no nariz. A mãe fez uma jantinha e ficamos quietos no nosso canto. Como o Claudio acordou bem disposto, mantivemos o passeio agendado com a Paula Schenatto, enóloga da Aracuri, e fomos conhecer os vinhedos em Muitos Capões. Aproveitamos também para dar uma voltinha lá no sítio. Depois do passeio, voltamos à Vacaria para almoçar. A mãe fez um porco no forno à lenha. Para acompanhar a comida, abrimos o espumante chardonnay, de que gostamos muito, e o pinot, também muito bom. Foi um ótimo sábado em boa companhia. Paula até começou a aprender frivolité com a mãe.

Comentário do Claudio
Quando marcamos a nossa viagem para Vacaria, entrei em contato com a Paula, enóloga da Aracuri e descobrimos que ela também estaria na região. Marcamos de nos encontrar e o passeio começou com uma visita às parreiras da vinícola, em Muitos Capões. Já havíamos passado por ali em outras oportunidades, voltando do sítio. Desta vez a Paula nos mostrou as diferentes variedades que já estão próximas de serem colhidas. Durante aquela semana as uvas para fazer o vinho base para espumante já tinham sido colhidas. Foi um passeio muito agradável e depois passamos pelo sítio da mãe da Rafaela. De volta para a cidade, almoçamos um belo porco feito no forno à lenha e para acompanhar a Paula levou alguns vinhos da Aracuri. O primeiro que provamos foi o espumante Collector, um blanc de noir feito com 100% de uvas Pinot Noir pelo método tradicional. Ele tem uma bela cor dourada intensa, com boa perlage. É um espumante de muita personalidade e de boa estrutura. Se mostrou muito gastronômico e harmonizou perfeitamente com o nosso porco. Com boa cremosidade e boa complexidade, é um espumante de respeito. Depois passamos para o recém-lançado Pinot Noir da safra 2014. A Pinot Noir se mostrou muito bem adaptada à região dos Campos de Cima da Serra, com altitude e frio. Os resultados dos vinhos com esta cepa são bem promissores. Este 2014 não foi diferente: ainda jovem, mostrou ótimas qualidades do Pinot. Vale comprar algumas garrafas e ir observando a evolução. Sobrou um pouquinho de vinho do almoço na garrafa e a noite resolvi prová-lo novamente. O tempo em contato com o oxigênio fez muito bem ao vinho também. Foi um dia muito divertido!

13 de fevereiro de 2015

Tem suco no blog: 29 - Sunny Days da Miolo

Suco de uva integral Miolo Sunny Days
Suco de uva tinto integral (sem adição de açúcar, sem conservantes)
Vinícola Miolo, Vale dos Vinhedos/RS
Tumelero Bebidas (R$ 12, 1l)
Uvas Bordô e Isabel

Já havíamos visto este suco no supermercado, mas o preço nos impediu de comprá-lo - no Zona Sul, no Rio, custa R$ 23! Tivemos então uma boa surpresa ao encontrá-lo em Caxias do Sul pela metade do preço. A Miolo era uma das grandes vinícolas brasileiras que até então não investiam em suco de uva. O suco é bom, mas baseados em outros sucos que já provamos, ele se mostrou um suco que tem o foco em volume, um suco comercial, para o dia a dia. Um suco correto, mas que não vai te marcar.

11 de fevereiro de 2015

Encontro de Vinhos no Rio de Janeiro: 5 de março, das 14h às 22h, no Clube Fluminense



O Rio de Janeiro vai receber no dia 5 de março de 2015 a 4ª edição do Encontro de Vinhos, feira organizada pelos amigos blogueiros Daniel Perches e Beto Duarte. Desta vez, o Encontro de Vinhos será no belo e imponente Salão Nobre do Clube Fluminense, em Laranjeiras - local que por si só já vale a visita.

Participarão 35 expositores apresentando mais de 200 rótulos, entre eles os Top 5 do Encontro.

O Clube Fluminense fica na Rua Álvaro Chaves, 41, quase esquina com a Rua Pinheiro Machado, pertinho do Palácio Guanabara. O Encontro de Vinhos ocorrerá das 14h às 22h. Os ingressos, que custam R$ 80, podem ser comprados antecipadamente pelo site www.encontrodevinhos.com.br/ingressos/ (a R$ 70).

Nós estaremos lá!

10 de fevereiro de 2015

Tem suco no blog: 28 - Terragnolo

Suco de uva integral Terragnolo
Suco de uva tinto integral (sem adição de açúcar, sem conservantes, orgânico)
Vinícola Terragnolo, Vale dos Vinhedos/RS
Di Paolo, Serra Gaúcha (R$ 9, 500ml) - Se comprado diretamente na vinícola, R$ 6
Uva Concord

Fazia tempo que não provávamos um suco de uva tão bom! Em nosso última viagem ao Rio Grande do Sul, paramos no restaurante Di Paolo para comer um galetinho e resolvemos pedir este suco para acompanhar a comida italiana. Foi uma ótima decisão. Suco encorpado, equilibrado, doçura na medida, de muita qualidade e especialmente delicioso. De todos os que já provamos, este foi um dos melhores. Suco muito bem feito que recomendamos fortemente.

9 de fevereiro de 2015

Brinde com espumante Laurentia Rosé Brut no Bar do Gomes, em Porto Alegre

Nome: Laurentia Rosé Brut
País: Brasil
Região: Barra do Ribeiro/RS
Produtor: Laurentia

Uvas/Corte: 50% Merlot, 25% cabernet franc e 25% nebbiolo
Teor alcoólico: 12%
Rolha: Cortiça
Preço: R$ 52
Quando foi comprado: 29 de janeiro de 2015
Onde foi comprado: Bar do Gomes, no Moinhos de Vento, em Porto Alegre/RS
Degustado em: 29 de janeiro de 2015
Onde bebeu: Bar do Gomes
Harmonizado com: Harumaki, montadinhos de cogumelos e batatas bravas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Análise Visual: Cor rosé de intensidade meia.Análise Olfativa: Delicado um pouco floral lembrando mais a rosas, frutas vermelhas (framboesa) com um leve tostado no final. Análise Gustativa: Acidez marcante e equilibrada, tem uma estrutura macia com um perlage fino e persistente. Harmonização: Carnes brancas leves, massas não apimentadas. Como aperitivo com queijos ou a qualquer hora.

Impressões da Rafaela
Fomos convidados para a comemoração dos 60 anos de casamento dos meus padrinhos, Nenê e Sueli. Tão logo recebi o convite, já comecei a organizar nossa ida ao Rio Grande do Sul. Como o tempo é sempre curto quando viajamos para lá, decidimos ir ainda na quinta-feira, assim poderíamos dar uma saidinha em Porto Alegre antes de partirmos para Vacaria. Depois de algumas pesquisas, escolhemos o Bar do Gomes, que fica bem na área em que sempre gostamos de passear e de nos hospedar, a do bairro Moinhos de Vento. O Bar do Gomes é relativamente novo, mas atende como se tivesse anos de prática. Gostamos de tudo. Para acompanhar algumas das opções do cardápio, escolhemos este rosé, que tinha uma ótima marcação de preço - pelo menos diante do que estamos acostumados a ver aqui no Rio. Gostei muito da escolha, assim como do ambiente do Bar do Gomes.

Comentário do Claudio
Aproveitamos a nossa rápida passagem por Porto Alegre para conhecer o Bar do Gomes. Já tinha lido boas indicações sobre o bar que acabou sendo uma excelente escolha. Lugar agradável, boa comida e o mais interessante uma seleção de bons vinhos e espumantes a preços justos. Pareceu-me que o bar fez uma parceria com algumas vinícolas. Dos espumantes que estavam nesta lista me interessei por um que não conhecia, o Laurentia Rosé Brut. Não havíamos provado nem um vinho desta vinícola e nossa primeira experiência com este espumante foi das melhores. Feito com um corte nada usual, Merlot, Cabernet Franc e Nebbiolo, ele se mostrou um espumante com muita personalidade. Em boca, notas frutadas, boa acidez e muito equilíbrio. Espumante muito elegante e bem feito. Bela surpresa. Acompanhou muito bem as comidinhas e o clima agradável do Bar do Gomes na noite porto-alegrense.

8 de fevereiro de 2015

Depois da degustação de águas minerais no Parque de São Lourenço, provamos o Aurora 80 Anos

Nome: Aurora 80 Anos
Safra: 2008
País: Brasil
Região: Bento Gonçalves
Produtor: Vinícola Aurora

Uvas/Corte: 60% Cabernet Sauvignon, 20% Cabernet Franc e 20% Merlot
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Onde foi comprado: Ganhamos da Aurora
Degustado em: 24 de janeiro de 2015
Onde bebeu: Hotel Brasil, em São Lourenço/MG
Harmonizado com: Diversos pratos caseiros
Com quem: Claudio, Rafaela, Mauro, Marcela e Regina Helena

Impressões da Rafaela
Na noite anterior chegamos a dar uma voltinha pelo centro de São Lourenço, mas foi neste sábado que conhecemos melhor a cidade. Saímos logo cedo para dar uma olhada no comércio e visitarmos a igreja. Depois de fazermos uma fezinha em duas lotéricas, seguimos para o Parque das Águas de São Lourenço, onde há nove fontes de águas minerais. Provamos todas elas. São sete tipos diferentes de águas minerais, cada uma com características e propriedades particulares. Há desde água contra problemas diuréticos até algumas para prevenir depressão. O parque é bem cuidado e muito agradável para passear. Lá encontramos os demais componentes de nosso grupo. Depois do almoço gostoso no Hotel Brasil, fomos dar mais uma volta no parque. Eu queria muito fazer uma massagem no spa que fica dentro do parque, mas os horários estavam todos já cheios. Ficará para uma próxima. Aproveitamos para brincar com os gatos do parque, beber mais algumas águas e simplesmente conversar à sombra das muitas árvores. O parque foi criado nos anos 1930 e ganhou notoriedade pela qualidade de suas águas. Agora a água mineral é engarrafada pelo Nestlé, que comprou os direitos há alguns anos. No finalzinho do dia ainda passeamos mais um pouco pelo calçadão. À noite, para acompanhar nosso jantar no hotel, abrimos este Aurora 80 Anos, outro bom vinho brasileiro.

Comentário do Claudio
Ganhei esta garrafa em uma visita que fiz, junto com outros blogueiros, à Cooperativa Vinícola Aurora em junho de 2011. Resolvi guardá-la por algum tempo. Durante a visita provamos o vinho feito em comemoração aos 75 anos da cooperativa e achei que este 80 anos poderia ganhar com um tempo de garrafa. Separando os vinhos para levar para São Lourenço, me lembrei desta garrafa e, com 7 anos de vida, achei que já era hora de provar. Depois de passear durante o dia pelo cidade e pelo agradável Parque das Águas Minerais em São Lourenço fomos jantar no restaurante do Hotel Brasil. Gostei do estilo deste vinho. Perfil mais gastronômico, com notas de terra, couro e frutas escuras, se mostrou muito equilibrado, estilo mais elegante, mais próximo do velho mundo, vinho de característica próxima ao que acho que os tintos brasileiros da Serra gaúcha podem oferecer. Gostei e fiquei com vontade prová-lo novamente, procurando uma boa harmonização.

7 de fevereiro de 2015

Em São Lourenço acompanhados pelo Salton Septimum 2009 #winebar

Nome: Salton Septimum
Safra: 2009
País: Brasil
Região: Campanha Gaúcha
Produtor: Vinícola Salton

Uvas/Corte: Tannat, Ancelota, Merlot, Cabernet Franc, Teroldego, Cabernet Sauvignon e Marselan
Teor alcoólico: 13 %
Rolha: Cortiça
Numeração: 790 / 7547
Onde foi comprado: Gentilmente nos enviado pelo Winebar
Degustado em: Hotel Brasil, em São Lourenço/MG
Harmonizado com: Diversos pratos com gosto de comida caseira
Com quem: Claudio, Rafaela, Mauro, Marcela e Regina Helena

Comentário do Produtor
Profundo e brilhante na sua coloração, demonstra matizes bordô e rubi. Seu aroma expressa a complexidade da integração de sete castas, em equilíbrio com as mais legítimas características do carvalho. Neste conjunto se distinguem caracteres de frutos secos, notas balsâmicas, frutas vermelhas e negras maduras, além de toques de baunilha e especiarias. No paladar, apresenta um sabor igualmente complexo e estruturado com uma veludada adstringência, devido a seus taninos redondos, e um acentuado final de boca.

Impressões da Rafaela
Desde que conheço a mãe do Claudio, todos os anos ela passa uma temporada em São Lourenço, cidade mineira onde se encontram diferentes fontes de água mineral, cada uma com propriedades particulares. Neste ano, deu tudo certo para passarmos um fim de semana junto com ela e as amigas no Hotel Brasil, um dos empreendimentos mais antigos de São Lourenço. Não conseguimos sair muito cedo do Rio e acabamos chegando para o jantar. Quer dizer, chegamos depois do jantar que ocorre todas as noites no restaurante do hotel, mas na salinha ao lado nos esperavam diversos pratos, inclusive um arroz com feijão bem temperadinho. Claudio e eu decidimos levar dois vinhos para beber no fim de semana. O primeiro aberto foi este Salton, vinho redondinho, de que gostei muito. Logo após o jantar, houve ainda um show em um salão do hotel e a noite de queijos e vinhos.

Comentário do Claudio
Um ótimo vinho feito pela Salton. Recebemos este vinho para uma edição do Winebar. Não tivemos a oportunidade de abri-lo na data da transmissão e resolvemos guardá-lo por alguns meses. Fomos passar o fim de semana na cidade mineira de São Lourenço, famosa por sua fontes de águas minerais. Ficamos hospedados no Hotel Brasil, tradicional hotel que fica ao lado do parque das águas, hotel que meu bisavós e avós frequentavam. Resolvi levar duas garrafas de vinho para bebermos durante o fim de semana e a primeira que abrimos, no dia em que chegamos, foi este Salton. Vinho muito bem feito, de estilo moderno, mas sem exageros de extração de fruta ou madeira. Vinho redondo, de bom corpo, bem equilibrado, taninos macios e leve acidez. Um bom vinho, que vale ser provado, para abrir o passeio em São Lourenço.

1 de fevereiro de 2015

Existe Sauvignon Blanc e existe Pouilly-Fumé #cbe

Nome: Pouilly-Fumé
Safra: 2011
País: França
Região: Pouilly-Fumé
Produtor: Farl Domaine du Bouchot

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Preço: 10,7 euros
Onde foi comprado: Cave des Abbesses, em Paris
Quando foi comprado: Julho de 2013
Degustado em: 17de janeiro de 2015
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Ravioli de gorgonzola feito em casa
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Tasting notes: Pale green to yellow with golden glints, this Pouilly-Fumé has a well-balanced, very aromatic, fruity and floral nose. It delivers a good finish, typical of this appellation. Perfect balance between freshness and roundness.

Impressões da Rafaela
Eu ando meio implicante com a sauvignon blanc, o excesso de gosto herbáceo me incomoda bastante. Apesar de toda tipicidade deste vinho, consegui perceber o quanto ele é bem feito. Acho que a partir de agora, já avisei o Claudio, sauvignon blanc só se for Pouilly-Fumé. :) Este foi um bom sábado, com comprinhas na feira orgânica, rápida passagem pelo comércio de Botafogo e algumas horas de leitura. Hoje testamos o molde que compramos em Montevidéu para fazermos ravioli. Aprovado! Este verão está sendo o melhor de todos!

Comentário do Claudio
Exame visual: Dourado claro
Exame olfativo: Nariz bem intenso e bem característico da cepa. Destaque para notas de maracujá.
Exame gustativo: Quando o Alexandre passou o tema do mês da Confraria Brasileira de Enoblogs, fui ver na adega o que tínhamos em casa da uva Sauvignon Blanc. Encontrei uma garrafa de um vinho chileno e este Pouilly-Fumé. A Rafaela anda implicando com esta uva, quando os vinhos apresentam notas vegetais muito intensas, assim resolvi escolher o francês para observar a opinião dela. Ultimamente tenho apreciado muito os vinhos brancos franceses. Elegância, complexidade, pureza, mineralidade fazem os vinhos brancos da França únicos. Com este não foi diferente. Belo vinho do Loire, com muita tipicidade, mas com muita elegância, sem os exageros dos vinhos desta cepa que vemos em alguns representantes do novo mundo. Em boca, um vinho limpo, com muita acidez, notas de maracujá e notas verdes. Vinho de cultura biológica, tem um final de boca longo e marcante. Ótima experiência de mais um vinho certeiro que compramos em Paris na ótima Cave des Abbesses em Paris.