20 de maio de 2015

Vou ali na França e já volto

Saint Emilion

Neste ano, porque muitas colegas de trabalho iriam tirar férias em julho, Claudio e eu decidimos deixar as férias grandes para o final do ano. Ou seja, nada de viagens distantes até dezembro.

Lá por abril, recebi um e-mail da Lufthansa com uma promoção imperdível. E-mail marketing sempre se traveste de promoção imperdível, mesmo quando não é. Bom, mas neste caso realmente era uma promoção bastante boa - exatamente o que eu estava precisando naquele momento.

Pensei durante algumas horas e tomei a decisão de comprar uma passagem para Paris para visitar a Milena, que estava fazendo doutorado-sanduíche na cidade e dar uma passeadinha.

Claudio ficou um pouco triste, porque em maio não poderia viajar, mas "se é algo que você quer realmente fazer, vá em frente". Como estou no meio de um doutorado, poder mesmo, eu não poderia viajar, mas uns 15 dias de férias para a cabeça não fariam mal.

Além de rever Milena e Rodrigo em Paris, aproveitei para ir a Bordeaux e também para passar um dia em Saint Emilion. Depois, reencontrei o casal de amigos em Saint Malo, de onde iríamos visitar o Mont Saint Michel. Na volta a Paris, realizei o antigo desejo de conhecer Chartres.

Durante a estadia na França, a maior parte das refeições foi acompanhada por uma tacinha de vinho. Vinhos "sem nome", mas deliciosos. Esta é uma das alegrias de se estar na França, mesmo nos lugares mais simples, sempre é possível tomar uma taça de bom vinho junto com a comida. O preço de uma taça de vinho por lá é parecido com os praticados no Brasil, normalmente a partir de 4 euros.

Nos dias em que passeei junto com a Milena, sempre pedimos uma garrafa de vinho para acompanhar a refeição e a conversa. Na maior parte das vezes conversamos tanto que esqueci de anotar o nome do vinho. Nenhum desagradou. Os vinhos escolhidos cumpriram seu papel: acompanhar o encontro, a conversa e a comida, sem incomodar, mas também sem querer dominar a conversa.

Rever fotos da França atiça ainda mais a vontade de retornar em breve.

Estação de trem de Saint Emilion
A caminho de Saint Emilion. Da estação de trem até a cidade são uns bons 10 minutos de caminhada



  

Loja de vinhos, em Saint Emilion

Ah, se elas sobrevivessem à viagem. E se fosse permitido...

Ruazinha de Saint Emilion

Saint Emilion

Saint Emilion vista da torre do castelo

Centrinho de Saint Emilion





Nenhum comentário: