19 de janeiro de 2015

Catamayor Tannat 2011, um vinho que não faz muito feliz

Nome: Catamayor Reserva de Família
Safra: 2011
País: Uruguai
Região: San Jose
Produtor: Bodegas Castillo Viejo

Uvas/Corte: Tannat
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Preço: 480 pesos
Onde foi comprado: El Palenque, em Punta del Este
Quando foi comprado: 2 de janeiro de 2015
Degustado em: 2 de janeiro de 2015
Onde bebeu: El Palenque, em Punta del Este
Harmonizado com: Cordeiro e frango na parilla
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Rojo con tonalidades violáceas, frutos rojos, frutos pasificados, chocolate amargo, acompañan en justa medida a dulces notas de roble tostado, boca intensa larga y equilibrada.

Impressões da Rafaela
Combinamos de resolver coisas práticas neste último dia em Punta, como colocar postais no correio, dar uma olhada nas lojinhas do Centro e, depois, quem sabe, ir à praia. Ainda bem que combinamos fazer outras coisas, pois ir à praia naquele dia estava meio difícil por causa do vento. Decidimos então dar um pulo em José Ignácio. Quando estávamos perto do La Huella, ouvi alguém chamar meu nome e quando olhei eram duas contemporâneas minhas de colégio: Januza e Karine, lá de Esmeralda. Foi engraçado, pois Punta não é exatamente um lugar pequeno. Logo depois voltamos ao centro, fizemos umas últimas comprinhas de doce de leite Lapataia e fomos arrumar nossas malas e nos prepararmos para o tão esperado jantar no El Palenque. Na hora de pedir o vinho, Claudio confundiu dois nomes com "reserva de família" e ao invés do Carrau o garçom acabou trazendo este Catamayor. Pressionado, Claudio disse que ele poderia abrir aquele mesmo. Aprendemos uma lição: nunca escolha um vinho sob pressão! A comida estava boa, assim como a sobremesa depois, mas o vinho deixou bastante a desejar, infelizmente. Posso ser injusta, mas espero demorar para beber o próximo Catamayor.

Comentário do Claudio
Fomos jantar no El Palenque, tradicional restaurante de parrilla com loja em Montevidéu e esta em Punta. Pedi uma suculenta e deliciosa picanha de cordeiro que estava muito bem assada. Na hora de escolher o vinho eu acabei fazendo uma confusão. Estava vendo um vinho da Carrau, mas por engano acabei falando e apontando na carta um outro vinho para o garçom. Quando ele chegou com o vinho vi que tinha pedido errado, mas não pedi para trocar e resolvi arriscar este Tannat Reserva de Família. Infelizmente era um estilo de vinho que não curto muito e que não queria beber. Um vinho com visual tintoso, mas em boca se mostrou um tanto magro. Notas de frutas não bem resolvidas misturadas com notas químicas. Final de boca curto e de um estilo que não me agradou. A bela picanha ficou sem companhia à altura. Não fomos felizes na nossa tentativa de arriscar na escolha do vinho.

Nenhum comentário: