26 de junho de 2014

Pietro Marini Malbec 2008, o vinho que a Rafaela ganhou do Gil para abrir quando quisesse

Nome: Pietro Marini
Safra: 2008
País: Argentina
Região: Valle de Cafayate, Salta
Produtor: Bodega el Transito
Importador: Porto Mediterrâneo

Uvas/Corte: Malbec
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Sintética
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente presenteado à Rafaela pelo Gil
Quando foi comprado: -
Degustado em: 10 de abril de 2014
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizzas caseiras
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Brillante y de color intenso desarrolla tonos violáceos que anticipan su expresión en nariz, donde presenta aromas a frutos rojos, con recuerdos de ciruelas secas y algunas notas especiadas que recuerdan el clavo de olor. Como varietal expresa exquisitamente la riqueza que le aporta la altura, presentando en boca taninos dulces y redondos. Armónico y equilibrado se prolonga y persiste en boca, gracias a una equilibrada acidez.

Impressões da Rafaela
Ganhei este vinho do Gil na última vez em que estive em Uberlândia. De tanto me ouvir reclamar que eu tinha que "pedir permissão" ao Claudio para abrir um vinho quando estava sozinha em casa, Gil me disse que eu teria então meu próprio vinho, para abrir quando eu bem entendesse. Aconteceu, no final das contas, de eu abri-lo junto com o Claudio, o que, segundo o Gil, me dava então o direito de abrir um outro vinho - no caso, qualquer um de nossa adega. Vamos ver se isso vai dar certo algum dia. A verdade é que eu não gosto de beber vinho quando estou sozinha. Vinho para mim é uma bebida para ser compartilhada, para ser bebida com amigos, acompanhando uma boa conversa. Este vinho foi bem com nossas pizzas caseiras, feitas com farinha 00, molho de tomates feito em casa e mussarela de búfala de boa qualidade. Obrigada, Gil!

Comentário do Claudio
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este malbec da região de Salta na Argentina foi um presente do amigo Gil para a Rafaela. O vinho ficou guardado na adega por algum tempo. Pareceu-me que deveríamos tê-lo aberto antes, pois tinha características de um vinho jovem, para ser bebido com um ou dois anos de vida. Em boca, mostrou uma boa fruta, misturado com algo de especiarias e um pouco de pimenta. Paladar interessante, que deveria estar muito melhor dois ou três anos atrás. Funcionou bem com a pizza. Não conhecia esta vinícola, sobre a qual o Gil sempre falou bem, e fiquei com vontade de provar outros vinhos de lá.

Nenhum comentário: