25 de setembro de 2013

No verão de Paris, piquenique, cinema e Domaine de Montcalmès - 2010

Nome: Domaine de Montcalmès
Safra: 2010
País: França
Região: Coteaux du Languedoc
Produtor: Domaine de Montcalmès
Importador: -

Uvas/Corte: Syrah, Grenache, Mourvèdre  
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Le Vin au Vert, em Montmartre, com o simpático Sebastian
Quando foi comprado: 2 de agosto de 2013
Degustado em: 2 de agosto de 2013
Onde bebeu: Parc de La Villette
Harmonizado com: Queijos e baguette
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Impressões da Rafaela
À noite, nosso plano era ir ao cinema ao ar livre no Parque La Vilette. Lá fomos nós, com nossos queijos, baguettes e um vinhozinho. Levamos nossas taças e acho que os franceses devem ter achado engraçado. Todo mundo estava bebendo vinho em copos de plástico. Foi uma experiência muito boa. O cinema é montado em um grande espaço gramado. Todo mundo estende suas toalhas ou cangas e organiza piqueniques. Tudo na maior tranquilidade, sem ninguém incomodar o outro. No final, havia um ventinho e o filme não foi exibido, mas valeu muito a pena ter ido mesmo assim. Acabamos nosso vinho e lá pelas 22h voltamos para o hotel.

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Os europeus aproveitam muito o verão. Em Paris não é diferente: muitos eventos acontecem na cidade principalmente ao ar livre. Um destes eventos é o Cinema Plain Air no parque de La Villette. É um programa muito bacana. Os parisienses chegam no grande gramado do parque no final do dia, ainda com a luz do sol. Todos levam comidas, bebidas, vinhos e de maneira muito organizada fazem uma grande confraternização antes de anoitecer e iniciar a projeção do filme. Compramos uma baguette, quatro tipos de queijos e uma água San Pelegrino. Havia comprado este vinho para trazer ao Brasil por indicação do Sebastien em sua loja Le Vin au Vert. É um vinho bio, de bom preço, que o Sebastien havia me dito ser um vinho muito elegante. Quando cheguei no hotel com o vinho, percebi que estava vazando pela rolha. Resolvemos abrir esta garrafa durante o piquenique para ver se não havia sido afetado pelo vazamento. O clima em La Villette estava perfeito, abrimos o vinho e que belo vinho! Muito prazeroso, muito elegante, taninos finos, final longo e de boa complexidade. Combinou muito bem com nossos queijos e com o clima que estava no parque. Infelizmente por uma previsão de ventos, a projeção foi cancelada. Não vimos o filme, mas o programa foi muito bacana.
Nota:-

17 de setembro de 2013

Participe da 20ª Harmonização Virtual!

Em setembro de 2007, Gourmandise e Le Vin au Blog publicaram a primeira das 19 harmonizações virtuais que viriam a realizar nos três anos seguintes. Apesar da vontade de repetir a experiência, longo período se passou sem que conseguíssemos driblar a falta de tempo. 

Meio por acaso, no começo deste mês, nos demos conta de que a primeira harmonização estava prestes a completar seis anos, resolvemos então comemorar organizando a 20ª edição.

Smørrebrød foi o prato escolhido pelo Gourmandise para harmonizar com Champagne, bebida sugerida pelo Le Vin au Blog. 

A base para os Smørrebrøds é o pão escuro, cuja receita já foi testada pelo Gourmandise. Sobre o pão, os dinamarqueses costumam colocar as coberturas que mais os agradam, seja atum, tomate, carne ou qualquer outro sabor. 

Quanto à bebida, a indicação é harmonizar os Smørrebrøds com um Champagne. O Le Vin au Blog não escolheu um especificamente. Cada participante poderá decidir sobre qual Champagne comprar e ver como ele se comporta com a cobertura escolhida para seu smørrebrød. Como o tema da Confraria de Enoblogs para outubro era Champagne, resolvemos aproveitar a sugestão do Daniel Perches, do Vinhos de Corte.

Comemore conosco os seis anos da primeira harmonização virtual! 
Para receber a receita, basta escrever para gourmandisebr(at)gmail.com ou para levinaublog(at)gmail.com.

Moules et frites com Gilles de Beauvau Haute Expression - Muscadet Sévre et Maine 2010

Nome: Gilles de Beauvau - Haute Expression
Safra: 2010
País: França
Região: Loire
Produtor: Vignobles Sourice, Boussay, Clisson
Importador: -

Uvas/Corte: -
Teor alcoólico: 12%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: 10 euros
Onde foi comprado: Léon de Bruxelles, Bastille
Quando foi comprado: 2 de agosto de 2013
Degustado em: 2 de agosto de 2013
Onde bebeu: Léon de Bruxelles
Harmonizado com: Moules et frites
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Impressões da Rafaela
Começamos o dia seguinte, comprando croissants e um suco para tomarmos nosso café no Jardim de Luxemburgo. Como adoramos esse parque. Também, ele é lindo! E superbem cuidado. Como eu ainda não conhecia, desta vez fomos passear na biblioteca de Paris. Ela tem uma arquitetura moderna, foi inaugurada nos anos 1980. Ficamos bem impressionados. Vimos uma exposição de fotografias muito interessante, de um cientista que viajou o mundo nos anos 1960. Havia fotos até do Rio. Passeio realizado, fomos comer Moules et frites de novo. Descobri faz alguns anos, e adoro. Mais tarde, tentamos visitar o Museu Picasso, mas descobrimos que abrirá somente no ano que vem. Ok, teremos que voltar.

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Uma coisa que gosto de comer é moules et frites! Em Paris a oferta de lugares oferecendo mexilhões é grande. Um porto seguro para quem quer provar o prato é a rede de restaurantes Léon de Bruxelles. Boas opções, bem feito e a preços razoáveis. Resolvemos almoçar novamente lá e para acompanhar um Muscadet sempre vai bem. A carta de vinhos é pequena, mas acho que foi bem selecionada para casar bem com os mexilhões e as fritas. Este Muscadet é bem característico, vinho correto, sem grandes surpresas, mas que acompanha bem o prato. Mais um almoço muito bom em Paris. Depois seguimos para uma caminhada pelo Marais com direito a macarons Pierre Hermé.

14 de setembro de 2013

Para o calor de Paris, um rosé da Provence: La Cave de St. Tropez 2012

Nome: La Cave de St. Tropez
Safra: 2012
País: França
Região: Provence
Produtor: Romain Désbatides
Importador: -

Uvas/Corte: -
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: 15 euros (500ml)
Onde foi comprado: Le Marchè
Quando foi comprado: 1º de agosto de 2013
Degustado em: 1º de agosto de 2013
Onde bebeu: Restaurante Le Marchè, na Praça St. Catarine, em Paris
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
La Grande Réserve reflète par sa finesse toute l’originalité de notre terroir et la subtilité de notre savoir-faire, véritable fleuron des Vignobles de Saint-Tropez.

Impressões da Rafaela
Nesta primeira manhã em Paris, aproveitamos para fazer as últimas compras planejadas. Claudio queria comprar mais alguns vinhos; eu, cremes e dois vestidos. Nos separamos e cada um foi resolver suas compras. Nos encontramos no meio da tarde no Marais, onde resolvemos comer o famoso falafel. Acabamos escolhendo a loja errada, não a famosa L'As du Fallafel, mas o falafel estava delicioso mesmo assim. Adorei! Para comer com calma, nos sentamos em uma pracinha velha conhecida, onde fica o restaurante que escolheríamos para jantar novamente, o Le Marchè. Antes do jantar, caminhamos do hotel até o Marais, passando pela catedral de Notre-Dame e curtindo um belo pôr do sol. O jantar foi bem agradável. O vinho era bom, simples, mas gostoso. Na volta ao hotel, passamos pela "praia" montada à beira do Sena. Muito legal a ideia. Os franceses, assim como os europeus de outros países, aproveitam mesmo o verão.

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Na primeira vez que fui à Paris, fiquei hospedado em um hotel na praça St. Catarine. Sempre que volto a Paris gosto de passar por lá. Escolhemos jantar em um dos restaurantes da praça e acabamos voltando ao Le Marché. Chegamos lá depois de ver o belíssimo fim do dia e o pôr do sol nos arredores do Sena. Foi um dia lindo de calor, o que nos inspirou a pedir esta garrafa de 500 ml (ótimo tamanho) deste rosé da Provence. Cumpriu bem a função de acompanhar nosso jantar. Um rosé refrescante e agradável. Valeu a escolha.

12 de setembro de 2013

Jantar em Paris com um belo branco do Loire: Domaine Philippe Gilbert Menetou-Salon - 2011

Nome: Domaine Philippe Gilbert Menetou-Salon
Safra: 2011
País: França
Região: Menetou-Salono
Produtor: Domaine Philippe Gilbert
Importador: -

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: 27 euros
Onde foi comprado: La Rosa Blu, em Paris
Quando foi comprado: 31 de julho de 2013
Degustado em: 31 de julho de 2013
Onde bebeu: La Rosa Blu, em Paris
Harmonizado com: Salada de camarões, acelga, salsa e coentro / brochete de magret du canard, tofu, linguiça tailandesa e arroz selvagem
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Impressões da Rafaela
Para fazer uma viagem tranquila até o aeroporto de Roma, deixamos Sorano bem cedo. Ainda tínhamos de devolver o carro, conferir o peso das malas, almoçar... No final, tudo foi mais rápido do que o planejado. Deu tempo para almoçarmos com calma, passear pelas lojinhas e observar os muitos brasileiros que estavam esperado o voo para voltar ao Brasil. No avião, dois grupos de excursões de brasileiros sentaram perto de nós, no fundo do avião. Se caísse, ia virar capa de todos os jornais do Brasil (desculpem aí, mas às vezes tenho esses pensamentos esquisitos). Ao nosso lado, estava um simpático mineiro, o Ronan, acompanhado de seu próprio grupo, os três filhos. Conversamos bastante, o que tornou a viagem mais rápida e agradável. Chegando a Paris, seguimos direto para o hotel. Já era um pouco tarde, mas pegamos aberto o restaurante que o Claudio havia gostado bastante nos primeiros dias de viagem. O proprietário era bem simpático e Claudio travou uma conversa com ele em uma mistura de francês, inglês, italiano... Nesta noite, conhecemos o dono de uma loja de vinhos, a qual o Claudio visitou no dia seguinte. O vinho estava muito bom.

Comentário do Claudio
Rótulo: 
Exame visual: -
Exame olfativo: 
Exame gustativo: Depois da nossa excelente temporada na Toscana, voltamos para Paris para passar mais alguns dias antes de nossa volta ao Brasil. Chegando em Paris, resolvemos jantar em um restaurante que havia visto nos primeiros dias da viagem. O restaurante me chamou a atenção por servir vinhos em taça e ter uma estante com vinhos muito bem selecionados à venda. Na entrada, estavam expostas duas resenhas que me pareciam falar bem do restaurante. Lugar escolhido, a segunda missão era escolher qual vinho provaríamos. Pensei em escolher um branco ou um Champagne. Estava quase escolhendo um branco do Loire, quando o dono do restaurante veio e me indicou este aqui, que era até mais barato. Ele me disse que o vinho era muito bom. Aceitei a dica e que bela dica! Um vinho excelente de uma região do Loire que não conhecia. Vinho biodinâmico, de bom corpo, evoluiu muito taça. Muita fruta em boca, algo tropical com uma mistura muito rica e interessante de maracujá, pêssego e pera. Vinho muito prazeroso, de boa complexidade e muita elegância. Acompanhou muito bem nosso jantar em nossa volta à capital francesa.
Nota: 88.0

10 de setembro de 2013

Tem suco no blog: 9 - Sinuelo

Suco de uva integral Sinuelo
Suco de uva integral (100% uva, sem conservantes, sem adição de açúcar e sem corantes)
Vinícola Sinuelo, São Marcos/RS
1l, R$ 8,70 (no Supermercado Guanabara)

Para quem nasceu na região da Serra Gaúcha ou dos Campos de Cima da Serra, a marca Sinuelo é referência antiga. Pelo menos no meu (Rafaela) caso é assim. Lembro-me de quando íamos a Caxias do Sul. No caminho invariavelmente parávamos para comprar um garrafão de suco. E como era bom aquele sabor. Sendo assim, eu tinha grande expectativa em relação a este suco de uva Sinuelo. Fazia muitos anos que não o bebia. Para minha felicidade, ele continua muito bom. Ele é menos denso do que a maioria dos sucos que provamos ultimamente, mas o sabor é muito bom. Também é um pouco mais barato que os demais. Com certeza compraremos novamente.
Recomendamos.

4 de setembro de 2013

Roggiano - Morellino di Scansano 2011 em nossa última noite na Toscana

Nome: Roggiano
Safra: 2011
País: Itália
Região: Scansano
Produtor: Vignaioli Morellino di Scansano
Importador: -

Uvas/Corte: Sangiovese (principalmente clone Morellino) 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: 12 euros
Onde foi comprado: Pizzaria Il Sileno
Quando foi comprado: 30 de julho de 2013
Degustado em: 30de julho de 2013
Onde bebeu: Pizzaria Il Sileno, Sovana, Toscana
Harmonizado com: Pizzas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Rosso rubino carico. Al naso i sentori fruttati si susseguono e s’intrecciano a quelli floreali: marasca, viola, frutti di bosco, prugna, insieme ad accenti di spezie. Spicca la piacevolezza fruttata in un assaggio di appagante complessità. È secco, caldo, dotato di tannini eleganti, morbido e di lunga persistenza.

Impressões da Rafaela
Último dia de passeios na Toscana. Depois de passar a noite em Piombino, pegamos a estrada para Sorano. No caminho, passamos em Pitigliano, onde almoçamos muito bem. Depois de uma rápida volta pela cidade toda de pedra, que fica no alto de uma montanha, rumamos para Sorano. Nosso hotel ficava em uma fortaleza do século XI. Instalados, resolvemos visitar Sovana, cidadezinha ao lado da nossa. Claudio leu num blog que esta era mais florida e animada. Resolvemos nos despedir da Itália comendo uma pizza. Escolhi este vinho da região, o qual era ótimo. Simples e harmonioso, combinou perfeitamente com o belo final de tarde, a ótima comida e o clima de Sovana. Depois, voltamos para nossa fortaleza. Na manhã seguinte, devolveríamos o carro em Fiumicino e partiríamos para o finalzinho da férias, em Paris. Quem sabe um dia voltamos para a bela Toscana. Sentiremos saudades com certeza.

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Nosso giro pela Toscana estava chegando ao fim. Nesta última noite fomaos para a pequeníssima e agradável cidade de Sovana. Escolhemos uma pizzaria que tinha aquele clima familiar, um local simples, mas gostoso, com uma bela vista para o anoitecer, ao lado de uma parreira. Pedimos uma pizza e resolvemos pedir algum vinho da região. Foi uma boa pedida e harmonizou com o clima do restaurante e com nossa gostosa pizza. Vinho produzido por uma cooperativa, boa fruta em boca, de boa intensidade, bem feito. Um típico vinho italiano. Depois do jantar, caminhamos novamente pela única e principal rua da cidade. Entrei em uma loja de vinhos e fica aqui uma dica para quem gosta de vinhos com mais alguns anos de vida: nesta loja encontrei os principais rótulos da Toscana (e também alguns de outras regiões da Itália) com 10, 15, 20 anos de vida. E o melhor, por preços compatíveis de safras atuais, uma verdadeira tentação! Assim, terminamos o nosso passeio pela linda e saborosa Toscana.
Nota: -

2 de setembro de 2013

Em Bolgheri, um almoço com o Guidalberto - 2011

Nome: Guidalberto
Safra: 2011
País: ltália
Região: Castagneto Carducci, Bolgheri
Produtor: Tenuta San Guido
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 60%, Merlot 40%
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Osteria Tognoni
Quando foi comprado: 29 de julho de  2013
Degustado em: 29 de julho de 2013
Onde bebeu: Osteria Tognoni, em Bolgheri
Harmonizado com: Massas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Colore rosso rubino intenso e profumi lunghi e persistenti. Al palato si distingue per la sua grande struttura, ottima acidità e grande equilibrio. L’ eleganza e la finezza dei tannini ne rendono piacevole il finale.

Impressões da Rafaela
Saímos cedo do hotel, em direção a Piombino. Pensávamos em conhecer a Iha de Elba. O tempo, porém, amanheceu bem feio. No caminho, resolvemos passar em Pisa. Claudio ainda não conhecia. Depois, pegamos a via litorânea para descermos até Piombino. Nesta hora, começou a chover. Mudamos os planos, decidindo parar em Bolgheri para o almoço. Para chegar, percorremos a longa estrada ladeada por ciprestes. Linda! A cidade é bem pequenininha. A chuva forte incentivava um almoço longo. Fomos nesta ótima osteria, mistura de loja com restaurante. A comida é ótima. Claudio escolheu este ótimo vinho. Um dos três melhores da viagem! Comemos com tanta calma, que quando saímos já estava um belo dia de sol de novo. Passeamos por Bolgheri e rumamos para a praia de San Vicenzo. Sei lá, todas praias são tão lindas no Brasil que fica difícil ficar deslumbrado com essas praias daqui. Esta era péssima. Suja, areia nojenta. Terminamos o dia em Piombino, cidadezinha de praia, em nosso hotel saído do passado. À noite, todo mundo vai para as ruas para uma caminhadinha. Nada como a vida tranquila à beira-mar.
Nota: 93.0

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: 
Exame olfativo: Muito intenso e de boa complexidade com notas de algo embutido misturado com frutas. Interessante.
Exame gustativo: Iríamos visitar a ilha de Elba neste dia, porém o tempo não ajudou muito e acabamos indo almoçar na pequena e charmosa Bolgheri. Para quem não sabe, esta é a região onde é produzido o famoso Sassicaia pela Tenuta San Guido. Escolhemos nosso restaurante que na entrada possuia uma loja de vinhos com uma infinidade de bons rótulos a venda. Perguntei ao garçom que me informou que bastava eu escolher qualquer vinho da prateleira e poderia beber com meu almoço pelo preço que estava marcado. Depois de pensar um pouco a nossa escolha foi neste que é o segundo vinho da vinícola, o "irmão mais novo" do Sassicaia. Que bela escolha! Feito com um corte bordalês de Cabernet Sauvignon e Merlot, o Guildaberto 2011 é um vinho que tem muitos anos de vida pela frente, mas já estava muito agradável para se beber. É um vinho que tem muita estrutura, mas marcado pelo traço da elegância. Vinho com muita complexidade, rico em boca e que evolui muito na taça. Em boca, taninos firmes, muitas camadas passando por frutas maduras, notas tostadas e algo de chocolate. Bela acidez, final de boca marcante. Um vinho de muita elegância, sem dúvida um grande vinho. Valeu muito termos desviado de nosso roteiro original, não visitamos Elba, mas fomos recompensados com um belo almoço. Depois do almoço caminhamos pela tranquila e pequena Bolgheri, onde provei um delicioso Gelato!
Nota: 92.0 +