18 de março de 2013

Feijoada e cervejas no carnaval do VPT Farm

Nome: Cave Geisse Nature / Mythos
Safra: -
País: Brasil / Portugal
Região: Vale dos Vinhedos / Ribatejo
Produtor: Cave Geisse / Casal da Coelheira
Importador: -

Uvas/Corte: -
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 10 de fevereiro de 2013
Onde bebeu: VPT Farm, em Catalão/GO
Harmonizado com: Feijoada
Com quem: Claudio, Rafaela, Gil, Érika, Cristiano, Valdirene, Vanessa, Alexandre, Paulo, Carol, Antônia

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Depois deste dia, prometi a mim mesma nunca mais misturar cerveja com feijoada. Ao longo da tarde, parece que você se transforma em uma jiboia que comeu um elefante. Não é uma sensação muito agradável. Devo dizer, porém, que as cervejas nos apresentadas pelo Paulo estavam muito boas, especialmente a Deus e a Delirium Tremens.
Nota: -

Comentário do Claudio
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Domingo de carnaval e o menu para o almoço estava resolvido: feijoada. Missão dada ao Paulo, que preparou uma feijoada de primeira linha. Paulo também é um apreciador de cervejas especiais e durante o almoço ele abriu diversas cervejas, muitas das quais eu não conhecia. Enquanto eles provavam a cerveja, fiquei degustando um Cave Geisse Nature, que estava muito bom e foi bem com a feijoada. Os espumantes da Geisse são muito amigáveis em boca, com cremosidade, acidez na medida certa. Este não foi diferente. Espumante de grande qualidade, que vale ser provado. Abrimos também um alentejano, o Mythos. Vinho que tinha notas amadeiradas em seu nariz. Em boca, uma boa fruta, fácil de beber e com final um pouco curto. Não foi tão bem com a feijoada quanto o espumante. Bom, quando a degustação de cerveja chegou em duas específicas, parei com os vinhos para provar. Primeiro foi a Delirium Tremens, que gostei bastante. Tipo de cerveja que eu gosto, com muita personalidade. A segunda provada, também muito interessante, foi a badalada Deus que também gostei muito. Foi uma feijoada em altíssimo estilo!
Nota: -

17 de março de 2013

Melipal Reserve - Malbec 2007 / T.H. - Pinot Noir 2010 /Quinta do Judeu - 2007 / Ghemme Dessilani 2003 no VPT Farm

Nome: Melipal Reserve / T.H. /Quinta do Judeu / Ghemme
Safra: 2007 / 2010 / 2007 / 2003
País: Argentina / Chile / Portugal / Itália
Região: Mendoza / Leyda / Douro / Ghemme
Produtor: / Nazarenas Vineyard / Undurraga / Dessilani
Importador: - / Abflug / Porto Mediterrâneo  / Mercovinho

Uvas/Corte: Malbec / Pinot Noir / - / Nebbiolo
Teor alcoólico: - / 13,5% / 14,5% / -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente oferecido por Deco Rossi, do blog Enodeco/Gentilmente presenteado pela Abflug
Quando foi comprado: -
Degustado em: 9 de fevereiro de 2013
Onde bebeu: VPT Farm
Harmonizado com: Carne de porco e massa caseira com molho de tomate e/ou molho de cogumelos
Com quem: Claudio, Rafaela, Gil, Érika, Cristiano, Valdirene, Vanessa, Alexandre, Paulo, Carol, Antônia

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Depois de um almoço acompanhado de espumantes e de uma bela dormida à tarde, partimos para um segundo tempo, acompanhado de massa caseira e uma ótima carne de porco feita no forno pela Érika. Estavam deliciosas. A noite foi de tintos, começando pelo viajado Melipal. Este vinho foi comprado pelo Deco e levado para o Rio em março passado, quando esteve aqui para o Encontro de Vinhos. Acabamos não o bebendo na época e começou então um périplo pela região sudeste. Do Rio foi levado para Uberlândia em abril, depois para Campinas em junho, voltando finalmente agora para Uberlândia e Catalão. Sei lá se foi por viajar muito ou pela idade, mas o vinho não estava mais tão bom. Estava com gosto de palha de aço. Na sequência, algo mais delicado, um pinot noir, bem mais harmonioso. Para fechar a noite, um pouquinho do português, que estava também bom. Claudio ainda provou mais um.
Nota: -

Comentário do Claudio
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Depois de descansar dos espumantes da tarde, abrimos os serviços do jantar com um vinho que nos havia sido presenteado pelo Deco. Como a Rafaela descreveu, este vinho viajou muito e quando o abrimos, os efeitos dessas viagens foram notados, o vinho não estava em suas melhores condições. Partimos para o sempre agradável e e interessante pinot noir do projeto Terroir Hunters. Este pinot estava muito bom, boa expressão da cepa, elegante e delicado e com final de boca bem marcante. Jantar ficando pronto, um lombinho de porco e uma massa caseira, partimos para um vinho português do Douro. Um bom vinho, bem característico da região, com muita expressão em boca e início um pouco alcoólico. Para fechar a noite, bebemos um italiano que foi levado pelo Cristiano, já evoluído, um Ghemme 2003. Clássico estilo velho mundo, prazeroso, como os bons vinhos italianos são. Não conhecia este vinho e gostei bastante. Assim fechamos nosso sábado de carnaval e ainda tinha muito por vir.
Nota: -