1 de novembro de 2013

Wines of Chile promove evento para mostrar a diversidade dos seus vinhos

No dia 23 de outubro, uma bela tarde de sol no Rio, a Wines of Chile promoveu um evento muito bem organizado no restaurante Vieira Souto, de frente para a praia de Ipanema, para apresentar a diversidade na produção de vinhos daquele país. Marcelo Copello comandou uma pequena palestra e a degustação de 8 vinhos de diferentes regiões chilenas.

Recentemente, o Chile reclassificou suas regiões produtoras com as seguintes sub-denominações:

- Andes - região com grande amplitude térmica. Vinhos com mais estrutura, região dos vinhos mais clássicos do Chile.

- Vales Centrais - região mais quente, produção de tintos e brancos, vinhos encorpados

- Região do Pacífico - recebe forte influência do oceano e suas correntes frias. Região onde o amadurecimento da uva é mais lento. Vinhos com maior frescor e ótima região para produção de Pinot Noir e Sauvignon Blanc.

Provamos na sequência 8 vinhos nos quais a diversidade chilena ficou bem evidente. Foram 8 tintos, sendo que 4 da uva Pinot Noir. Seguem os comentários sobre os vinhos provados:
Arboleda Pinot Noir 2012, Região Aconcágua - Nariz com fruta limpa e de boa intensidade, em boca perfil mais leve e fresco, boa elegância e acidez, final de médio e com boa característica da cepa. R$ 150
Cool Coast Pinot Noir 2012 -Casa Silva, Costa Colchagua - Um vinho mais sério em boca e o que mostrou maior evolução na taça. Merece e deve ser aberto com uma hora de antecedência. Muito equilibrado, perfil velho mundo. Aquele típico vinho que pede mais uma taça. Deve crescer também com comida. Belo vinho. R$ 100
Echeverria Pinot Noir Reserva 2011, Curicó Valley - Vinho de uma região um pouco mais quente que acaba refletindo no estilo do vinho: mais intenso, taninos mais macios, um pouco de madeira. Minha primeira impressão em boca foi ótima, mas com o tempo foi se apagando na taça. R$ 150
Herú Pinot Noir 2010, Vale Casablanca - Pinot Noir da linha de alta gama da Ventisqueiro. Vinho de pequena produção, mais estrutura, notas de frutas maduras e toque de madeira. Sem dúvida um grande vinho, muito bem feito e que pede comida. R$ 150
Memorias 2008, Vale do Maipo - Pirque - Um belo corte de Cabernet Sauvignon com Carmenere. Um vinho que traz muita potência em boca, mas com elegância. Boa presença em boca, intenso, acidez equilibra o conjunto. Um vinho que vai agradar. R$ 160

Viña Maipo Limited Edition Syrah 2008, Vale de Maipo - O vinho de perfil mais moderno da degustação, com muito corpo, muita extração da fruta. Para quem gosta do estilo vai certamente gostar dest. É um vinho bem feito, mas seu estilo não me cativou. R$ 188

Yali Carmenere 2010, Vale de Maipo - Um clássico Carmenere chileno com aquela típica mistura em boca de fruta com notas vegetais e algo de chocolate. Também não é o meu estilo favorito. R$ 82,

Terrunyo Carmenere 2009, Vale do Cachapal - Para fechar a degustação um grande vinho. Carmenere de perfil diferente do anterior, menos vegetal, taninos macios e redondos, notas de chocolates com muito volume sem perder a elegância. Boa complexidade. Um bom vinho que ainda vai crescer.

Foi um painel muito interessante. Podemos provar um pequeno exemplo entre diversos vinhos que o Chile produz. Muitos estilo e muita diversidade em cada região fazem do Chile um verdadeiro parque de diversão pra qualquer apreciador de vinhos. Após a palestra, foi servido um coquetel no segundo andar do Viera Souto com a bela vista para a praia de Ipanema. Podemos provar novamente os vinhos com diversas comidinhas gostosas do restaurante.

Um belo evento, bem organizado e instrutivo. O vinho que para mim melhor harmonizou com a discontraída tarde foi o Cool Coast.

Nenhum comentário: