21 de outubro de 2013

Quorum I - Norton

Nome: Quorum
Safra: 2002 (malbec) - 2005 (merlot) - 2006 (petit verdot)
País: Argentina
Região: Luján de Cuyo, Mendoza
Produtor: Bodega Norton
Importador: Não é importado para o Brasil

Uvas/Corte: Malbec 60%, Merlot 22% e Petit Verdot 18%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: De cortiça, tamanho médio com logomarca gravada.
Numeração da garrafa: -
Preço: 169 pesos
Onde foi comprado: em Buenos Aires
Quando foi comprado: Dezembro de 2012
Degustado em: 27 de agosto de2013
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Quorum es elaborado a partir de una cuidada selección de diferentes cosechas y variedades por parte de nuestro enólogo.Cada cosecha posee cualidades distintivas, y la combinación de las misamas junto con sus estilos y variedades conforman un vino completo, armónico y único.

Impressões da Rafaela
Este post está sendo feito dois meses depois que este vinho foi bebido. Tento evitar este tipo de situação, mas nem sempre é possível atualizar o blog da maneira como gostaríamos. Eu gosto de escrever sobre o que ocorreu de importante para nós no dia em que bebemos o vinho que nomeia o post e fico bem frustrado com situações como esta em que não me lembro nem do que aconteceu tampouco do vinho. O bloquinho sempre ajuda nessas horas, mas há dias em que simplesmente não faço anotação alguma e aí fica difícil escrever. Acho uma pena, pois o blog é o registro de nossos dias e acaba ficando um vazio.

Comentário do Claudio
Exame gustativo: Em nossa última passagem por Buenos Aires, encontrei este vinho em uma pequena loja durante nossas caminhadas pela capital argentina. Em 2007, quando estivemos por lá, compramos uma garrafa, que provamos em 2008 e da qual gostei muito (veja nossas impressões aqui). Um corte de três uvas e três safras diferentes. Na época, avaliei que o vinho poderia ser guardado por mais alguns anos. Assim, quando vi este vinho lá em Buenos Aires no ano passado, resolvi comprar uma garrafa. A Norton não exporta este vinho para o Brasil, a única maneira de encontrá-lo é lá na Argentina. Quando o comprei, achei que parecia não ter sido armazenado em boas condições, mas mesmo assim resolvi arriscar. Infelizmente, ao abri-lo, claramente notei que não estava em suas melhores condições. Dava para perceber todo o seu potencial, mas, muito provavelmente em função de ter sido mal armazenado, ele estava fora de seu padrão. Azar!
Nota: -

Nenhum comentário: