1 de julho de 2013

Domaine du Grós Noré 2003: praticando o desapego na #cbe

Nome: Domaine du Grós Noré #cbe
Safra: 2003
País: França
Região: Bandol
Produtor: Alain Pascal
Importador: -

Uvas/Corte: Mourvedre 80%, Grenache 15% e Cinsault 5%
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Cave des Abbesses, em Montmarte, Paris, França
Quando foi comprado: Julho de 2011
Degustado em: 22 de junho de 2013
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa ao molho bolognese
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: Rubi envelhecido, com bastante depósito
Exame olfativo: Muito cheiroso. Quando o Claudio o abriu na cozinha, eu senti um aroma na mesa da sala, onde estava estudando
Exame gustativo: E não é que o vinho escolhido para a degustação da Confraria Brasileira de Enoblogs neste mês foi justamente um comprado por mim? Em 2011, viajei à Alemanha para um curso e na ida passei alguns dias em Paris. Claudio me deu uma lista enorme de vinhos e de regiões. Minha missão era encontrar alguns desses vinhos. Como para este caso julguei que meu conhecimento não era suficiente, pedi ajuda ao moço que atende nesta simpática loja de Montmartre, em Paris. Ele ficou empolgado com a lista. Expliquei quais eram as regiões de meu interesse e quanto queria gastar em cada garrafa. Todos os vinhos já degustados desta compra foram especiais. O vinho é tão redondo, tão bom que minha forma pouco letrada não dá conta de descrevê-lo. É um vinho muito gostoso, sem arestas, perfumado, com sabor intenso. Foi uma boa compra!
Nota: 93.0

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: Rubi Pouco brilhante.
Exame olfativo: Uma mistura de pimenta preta com alguma fruta intensa que não descobri o quê.
Exame gustativo: Desde que visitamos Bandol, fiquei fã dos vinhos da região. Quando estivemos lá, compramos duas garrafas. Em uma outra oportunidade, a Rafaela trouxe da França esta garrafa que escolhemos para ser o vinho do mês. Uma característica dos vinhos desta região é que eles têm grande potencial de guarda e não devem ser abertos com poucos anos de vida. Então são vinhos que dependendo da safra que você comprar, vão viver alguns anos na sua adega. Mas o prazer ao abrir uma garrafa destas será garantido... Mas quando abrir? Faltava um empurrãozinho para tomar coragem e sacar um "queridinho" da adega. Então, nada melhor que desapegar com o vinhos do mês da Confraria Brasileira de Enoblogs. Ficamos na dúvida entre esta garrafa e um Almaviva 2002... Escolhemos o francês. Este Bandol, do alto dos seus 10 anos, apresentou estar em excelente forma. Muito envolvente e bastante complexo: apresentou em boca uma mistura muito interessante de terra, temperos, pimenta e também fruta madura, como groselha. Sabor se concentra na garganta e seu final é muito longo. Taninos domados, boa intensidade, acidez na medida. Um vinho realmente marcante. Quem ainda não conhece os vinhos desta região, fica a dica. Temos mais duas garrafas na adega, mas temos ainda que esperar mais algum tempo... Belo vinho!
Nota: 92,0+

Um comentário:

blogdovinho.com disse...

Uma bela história da compra do vinho e ótimo tema escolhido! Parabéns!
Abraco,

Alessandra