9 de julho de 2013

Degustação promovida pela SBAV com Adriano Miolo

Na noite de 24 de junho de 2013, participamos da degustação da Miolo promovida pela Sociedade Brasileira de Amigos do Vinho (SBAV) aqui do Rio. Quem nos convidou foi o Affonso Nunes, atual presidente da SBAV. A palestra/degustação foi realizada pelo Adriano Miolo, que procurou apresentar um vinho de seis regiões selecionadas, nas quais a Miolo mantém vinhedos.  

Vinhos degustados:
1. Bueno Cuvée Prestige (50% Chardonnay, 50% Pinot Noir)
2. Alvarinho, da Campanha/RS
3. RAR Collezione (Viognier), dos Campos de Cima da Serra/RS
4. Testardi, do Vale do São Francisco/BA
5. Merlot Terroir, do Vale dos Vinhedos/RS
6. Vinhas Velhas Tannat, de Santana do Livramento/RS

Comentário da Rafaela
A degustação promovida pela SBAV foi interessante. Adriano Miolo deu uma miniaula sobre as principais regiões produtoras de vinho do Brasil, o que é sempre bom recapitular. Fiz algumas anotações sobre os vinhos. Tão logo chegamos, foi-nos servida uma taça de Cattacini Extra Brut, um espumante produzido nos Vale dos Vinhedos. Confesso que entre este e o espumante do Galvão Bueno, gostei mais deste. O espumante Bueno apresentou perlage bem fininha, nariz cítrico e tinha cor amarela clara. Logo depois que você bebe um golinho, fica um gosto de maçã verde na boca. O vinho que mais gostei na noite foi o segundo, o Alvarinho, que vinho gostoso! Superperfumado e um gosto de doce de pera na boca. O terceiro, RAR, tinha um leve gosto de tostado e um cheiro de pão fresco. Indo para os tintos, não sei se eu estava de má vontade, mas nem um me chamou a atenção. O Testardi, talvez por ser mesmo muito cabeça dura, passava pela boca e sumia. Depois disso, também, a degustação deu uma acelerada, a fome começou a ficar grande e eu perdi a concentração. De todos, compraria o Alvarinho sem titubear.

Comentário do Claudio
Participamos de uma palestra/degustação organizada pela SBAV com a presença de Adriano Miolo, um dos donos da vinícola Miolo, uma da maiores vinícolas brasileiras e com presença em diversas áreas produtoras no Brasil. A palestra era exatamente sobre a diferença entre as diversas regiões produtoras e tivemos a oportunidade de provar vinhos dos diferentes projetos da Miolo. Fomos recebidos no restaurante com um espumante fresco, de boa acidez, o Cattacini Extra Brut, agradável e apenas com o final um pouco curto. Na sequência, o primeiro vinho apresentado pelo Adriano foi o espumante que leva o nome do apresentador Galvão Bueno. Perlage fina, um espumante delicado e elegante, com claras notas cítricas e algo de maçã verde e mineral. Depois do espumante, provamos 2 vinhos brancos:  um Alvarinho da Campanha e um Viognier dos Campos de Cima da Serra. O Alvarinho apresentou um nariz muito intenso e perfumado, lembra algo de doce de pera em compota. Em boca, está bastante vivo, final poderia ser mais longo e apresentava leve amargor que não atrapalhou o conjunto. O Viognier estava mais fechado no nariz, apresentou uma boa acidez e boa estrutura. Também achei que poderia ter um final mais longo. Primeiro tinto da noite foi um Syrah fermentado em barrica do Vale do São Francisco. Este vinho é a tentativa da Miolo de produzir um vinho de alta qualidade. O resultado é interessante, um Syrah com especiarias misturado com frutas maduras, final de boca curto, mas foi bem com o jantar que comemos depois. Provamos depois o ícone Merlot Terroir, vinho do Vale dos Vinhedos, que já apresentou bons resultados em safras passadas. É um bom merlot, bem feito, mas achei que está um pouco jovem ainda, com madeira aparente, mais algum tempo de garrafa fará bem a ele. O último vinho apresentado foi o que fez mais sucesso durante a degustação, um Tannat de Santana do Livramento, vinhedo que pertencia à Vinícola Almadén, a qual recentemente foi comprada pela Miolo. Este Tannat é feito de uvas de algumas vinhas velhas da propriedade. O resultado é um vinho com o nariz ainda fechado com taninos firmes, final de boca intenso, e que pede um bom prato de comida. Este vinho ainda tem potencial para evoluir. Muito interessante o resultado. Depois da palestra, jantamos no restaurante, podendo provar os vinhos com a comida.

Um comentário:

Felipe disse...

Poxa, perdi a oportunidade de conhecer vocês... Estava lá também.

Abraços.