23 de junho de 2013

Provei todos os Toro Loco em jantar da Wine





















No dia 5 de maio, estive o dia inteiro em São Paulo em reuniões de trabalho. Depois do longo dia, resolvemos jantar e por acaso escolhemos comer uma carne no North Grill, restaurante que fica no bairro da Vila Nova Conceição. Ao chegar ao restaurante, avistei alguns amigos blogueiros e uma equipe da Wine. Descobri naquela hora que estava ocorrendo um jantar de apresentação dos vinhos Toro Loco. Gentilmente a equipe da Wine nos convidou para fazer parte do jantar e a provar os vinhos. Assim, meio que por acaso, tive a oportunidade de provar Toro Loco 2011, o fenômeno de vendas, seu irmão mais novo, o Toro Loco 2012, e a novidade, o Toro Loco Crianza 2010.

Para abrir a noite, foi servido outro campeão de vendas: o Champagne Montaudon Brut. Um corte clássico da região, com Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier. Este é uma excelente opção para quem quer beber um Chanpagne por menos de R$ 100. Boa cremosidade e boa acidez, um Champagne correto e imbatível em preço.

A degustação seguiu muito bem comandada pelo sommelier da Wine, o Manuel Luz, e provamos os 3 exemplares do Toro Loco. Este vinho foi um fenômeno de vendas mundial. Para quem não se lembra, este fenômeno se deu depois do Toro Loco ganhar a mídia especializada e não especializada por ter conquistado uma medalha de prata na tradicional International Wine & Spirits Competition e por ser um vinho barato. Criou-se um burburinho em torno deste vinho e muita gente queria provar o "vinho campeão"ou o "vinho que ganhou um concurso internacional custando pouco". Muita gente que regularmente não consome vinho queria comprar e provar o tão falado Toro Loco. A Wine, importou 300 mil garrafas e acertadamente posicionou o preço em cerca de R$ 25. Sucesso absoluto de vendas.

O Toro Loco, como já comentei aqui no blog, é um vinho muito bem feito e oferece ótima qualidade pelo preço. É uma boa opção de compra e principalmente aproximou muita gente para o mundo do vinho com um produto correto. Não é o "melhor vinho do mundo" e nem é esta a proposta. Muitas pessoas que bebem vinho regularmente podem ter se decepcionado por ter ido provar o vinho com uma expectativa muito alta em função da mídia. Se você não for com esta expectativa, é um vinho que vai funcionar bem.

Provamos as duas safras, a badalada 2011 e a 2012. É interessante beber assim, pois você tem a possibilidade de comparação. Existem diferenças e, para o meu paladar, a 2011 estava melhor. O 2012 pareceu mais frutado e um pouco menos interessante. Porém, para a grande maioria, essas diferenças não serão perceptíveis. Continua sendo um vinho correto e boa opção pelo seu preço.

E finalmente, provamos a novidade trazida pela Wine, o Toro Loco Crianza. O Crianza, passa por madeira, o que agrega ao vinho um pouco mais de corpo e estrutura. Seu perfil é o mesmo só que algumas notas de couro e leve madeira e um pouco mais de complexidade. Acho que vale provar. Se preço também é atraente: R$ 35.

As carnes servidas pelo North Grill estavam ótimas como de costume e a noite foi muito agradável depois de um longo dia de trabalho.

Um comentário:

Nilson disse...

Tem cada uma...Blogueiros estilo coca cola inundam a web com patrocínios esdrúxulos e vão alimentando a ânsia dos iniciantes e desavisados por conhecimento e informação no maravilhoso mundo do vinho, porém o fazem de forma manipuladora e estéril. Vinho é alma, história, cultura e paixão, elementos estes que passam longe daqui e destes Toro Malo..