11 de janeiro de 2013

Espumantes em festa de final de ano

Quando: 15 de dezembro de 2012

Onde: Em volta da piscina da casa da Joy, no Leblon

Com quem: Claudio, Rafaela, Roberta, Karla, Joy, Victoria, Gilberto, Julia, Tatiana, Vitor, Simone, Monica, Flavia, Marcelo, Ana e Jorge


Vinhos degustados:
Vallontano Brut; Amadeu Brut Rosé; Amadeu Brut; Adolfo Lona Rosé; Viapiana 192 Brut

Onde foi Comprado: Vallontano na Mistral e os demais na Cadeg

Comentário da Rafaela
O encontro começou logo depois das três. Cariocas almoçam no meio da tarde aos fins de semana. Apesar dos tantos anos morando no Rio, ainda estranho um pouco essa decisão, mas já a entendo melhor. Afinal, no sábado e no domingo é bom não ter horário para levantar, tampouco para tomar café, o que acaba empurrando o almoço para mais tarde, depois da praia ou de uma manhã bem aproveitada. Neste dia, confesso, até gostei do horário. Na noite anterior, havíamos nos encontrado com meus colegas do mestrado e a esbórnia foi total. Beber espumante era a última coisa que queria para aquele sábado. E foi mais ou menos assim. Das 12 garrafas abertas, creio que bebi umas duas taças apenas. No resto do tempo, usei e abusei do bebedouro. O local da festa não podia ter sido melhor e os colegas de sala (dos professores) do Claudio são bem bacanas. Achei que me sentiria meio deslocada, mas todos fizeram com que me sentisse integrada. Aproveitei para colocar a conversa em dia com a Julia e para brincar um pouco com o Toddy, o simpático cachorro da Joy, que adora um guardanapo e não perde oportunidades, especialmente quando um pedaço de quiche está dando sopa bem no cantinho da mesa. O almoço seguiu até o final da tarde com ótimas entradinhas, destaque para a salada caprese e para um risoto muito gostoso feito por um príncipe (Stimmt, oder, Tatiana?!)! Foi uma ótima experiência, apesar de ter deixado passar a chance de provar bons espumantes. Que venha a próximo!

Comentário do Claudio
Você já deve ter ouvido falar nas seguintes expressões: "Espumante para ser bebido em volta da piscina" e "Espumante combina com o calor" ou ainda "Espumante é para celebrar com os amigos". Na tarde do dia 15 de dezembro, pudemos comprovar na prática essas expressões e cunhar mais uma, "Espumante traz alegria para as festas". Há algum tempo, colegas professores do Departamento de Artes e Design da PUC-RJ (sim, eu também dou aulas por lá!) comentavam sobre tentar organizar um encontro. No final do ano passado, a ideia tomou corpo e gentilmente a Joy ofereceu a sua casa para marcarmos o encontro. De pronto, sugeri que a bebida do evento fosse espumante. Todos aceitaram e me conferiram a missão de fazer a seleção e a compra das garrafas. Sabia que algumas pessoas não bebiam espumantes com regularidade, então procurei escolher alguns rótulos que eu já tivesse provado, de bom custo e que fossem em geral frescos e fáceis de agradar. Garrafas compradas, geladas, era hora de colocar à prova a seleção escolhida.
Partimos para o lindo apartamento da Joy, que nos fez nos sentirmos em casa. Cada um levou ou preparou coisas gostosas para comermos e assim a festa estava feita. Servimos primeiro o Vallontano Brut (já comentado aqui no blog), espumante feito pelo método Charmat longo, de muita boa qualidade, fresco e elegante, um espumante que recomendo. Partimos para os dois espumantes da família Geisse: primeiro o Amadeu Brut rosé (leia). Já tinha provado este espumante de bonita cor com feijoada (aqui) e desta vez o provamos com uma excelente entrada, uma salada caprese preparada pela Simone. Um bela harmonização que pretendo repetir e mostrou toda a versatilidade deste Rosé.
A esta altura da festa, os espumantes já tinham surpreendido alguns convidados que ou não curtiam rosés ou não conheciam muitos rótulos brasileiros. Seguimos para o ótimo Amadeu Brut, que considero uma ótima compra (já comentado), excelente qualidade para seu valor. Depois, partimos para outro espumante que gosto muito, o rosé do amigo Adolfo Lona (veja), espumante também feito pelo método Charmat, elegante em boca. Esse espumante figura em diversas cartas de vinhos de restaurantes cariocas. A tarde foi passando e as garrafas acabando. O último rótulo da seleção foi um Viapiana, não sei se as pessoas lembram dele, mas um espumante de acidez marcante que recomendo para acompanhar um prato com um pouco mais de gordura.
Foi um encontro muito divertido, saboroso e agradável. Espero repetir a dose em breve!

Um comentário:

Joy Till disse...

claudio e rafaela, foi um prazer recebê-los!!
parabéns pela bela seleção, usamos suas referências e repetimos o amadeu brut e rosé em outro encontro aqui. todos adoraram :)