31 de dezembro de 2012

Feliz 2013!

Que 2013 seja repleto de momentos felizes para brindar com os amigos! 

Um excelente ano para todos os leitores do Le Vin au Blog!

Tsarine Brut Rosé Champagne no café da manhã

Nome: Tsarine Brut Rosé
Safra: -
País: França
Região: Champagne
Produtor: Tsarine
Importador: -

Uvas/Corte: 34% Chardonnay, 33% Pinot Meunier, 33% Pinot Noir 
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa:
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente oferecido pelo Emerson
Quando foi comprado: -
Degustado em: 16 de novembro de 2012
Onde Bebeu: La Byciclette
Harmonizado com: café da manhã do La Byciclette
Com quem: Claudio, Emerson, Anna, Cris, Val, Alexandre e Vanessa

Comentário do Produtor
Draped in ruby silk, a fine stream of fine bubbles envelops this rosé champagne. 
Like some magical alchemy, aromas of wild strawberry, wheat and blackcurrant buds awaken the instinct of our senses. On the palate, body and finesse combine in red berry and cream notes. Gentleness and pleasure come together as one


Comentário do Claudio
Rótulo: Destaque para o vidro todo trabalhado da garrafa. Um estilo antigo que não agrada a todos, mas é bem marcante.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Que tal beber um champagne na presença dos amigos em um café da manhã ao lado do Jardim Botânico? E, além disso, acompanhado de excelentes pães, croissants, geleias e afins marcando o início das comemorações do seu aniversário? Pois é, no último dia 16 de novembro foi exatamente isso que fizemos. Aproveitando as visitas que estavam no Rio, surgiu a ideia de abrir um champagne em pleno café da manhã no La Bicyclette. O Tsarine se mostrou um agradável champagne, que harmonizou muito bem com os pães e tanto com a geleia quanto com o salmão defumado que pedimos e principalmente com o clima agradável, entre amigos, daquela manhã. Recomendo a experiência!
Nota: -

29 de dezembro de 2012

130 / Casa Valduga Blush / Viapiana 192 anos Brut / Tabalí Reserva Especial 2005/ Mission Hill Icewine Riesling 2009

Nome: 130 / Casa Valduga Blush / Viapiana / Tabalí / Mission Hill
Safra: - / 2009 / - / 2005 / 2009
País: Brasil / Brasil / Brasil / Chile / Canadá
Região: Vale dos Vinhedos / Vale dos Vinhedos / Flores da Cunha / Valle del Limari / Okanagan Valley
Produtor: Casa Valduga / Casa Valduga / Viapiana / Tabalí / Mission Hill Family State
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay e Pinot Noir / Chardonnay e Pinot Noir / - / Cabernet Sauvignon 50%, Shiraz 45% e Merlot 5% / Riesling
Teor alcoólico: 13% / 13% / 12% / 14,5% / 8,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Cadeg e presenteados pelos amigos Cris e Alexandre
Quando foi comprado: -
Degustado em: 15 de novembro de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Pão de queijo, salada, linguiças, bolo de carne, massa com pesto, pão caseiro
Com quem: Claudio, Rafaela, Vanessa, Alexandre, Emerson, Anna, Cristiano, Valdirene

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Com tantas visitas legais em casa, é claro que não fiquei prestando atenção aos vinhos! Notei, porém, que para mim foi servidas apenas uma tacinha de 130. Logo eu, Alexandre, tinha que ficar por última? Tudo bem, depois tudo se acertou. Aproveite para comer uma saladinha, pois ainda tinha que entrar em um vestido na noite seguinte. Os amigos foram chegando aos poucos. Cris e Val chegaram ainda de manhã e conseguimos pegar ainda o café da manhã da Casa da Tatá. Depois, fomos até a casa da mãe do Claudio, onde deixamos as malas do Cris e da Val. Em seguida, pensamos em ir no Chico e Alaíde, mas estava lotado. Aí, acabamos no mediano Belmonte do Leblon. Antes de virmos para casa, passamos na Cobal. Em casa, ficamos esperando as visitas que estavam chegando ao Galeão. Com todos reunidos, passamos algumas horas agradáveis, planejando o fim do mundo e o que fazer no dia seguinte.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo: 
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Noite de muitos vinhos e amigos. Nesse feriadão, recebemos visitas e para a chegada deles resolvemos preparar algumas coisinhas em casa e abrir alguns vinhos. Começamos pelo sempre bom espumante 130 da Casa Valduga, velho conhecido aqui no blog. Os últimos 130 que bebemos apresentaram concentração de sabor maior que os antigos. Provavelmente fruto da nova prensa que a Valduga passou a utilizar. Passamos para o segundo espumante, o rosé da Casa Valduga, o Blush. Belo espumante, muito equilibrado e agradável em boca. Vale muito provar. Terceiro espumante da noite foi um que ainda não conhecia, o Viapiana 192 anos Brut. Um espumante de ótimo preço e muito agradável. Vale ressaltar que é um espumante com acidez muito marcada e pode desagradar alguns, mas com uma comida um pouco mais gordurosa irá muito bem. Em seguida, abrimos um ótimo tinto que o Cristiano trouxe. Esta vinícola sempre faz bons vinhos do interessante vale do Limari. Este não foi diferente: taninos redondos, vinho que preenche a boca e muito agradável. Para finalizar, um Icewine canadense, que estava delicioso, muito equilibrado, doce, sem ser enjoativo, acidez presente, delicado e elegante. Muito bom. Foi uma noite muito agradável, um bom começo para o que viria nos próximos dias.
Nota: -

28 de dezembro de 2012

Voyeur Carpe Noctem 2008

Nome: Voyeur Carpe Noctem
Safra: 2008
País: Portugal
Região: Península de Setúbal
Produtor: Wine with Spirits
Importador: -

Uvas/Corte:  Castelão 48%, Touriga Nacional 28% e Touriga França 24%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: 02897
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente nos enviado pelo Winebar
Quando foi comprado: -
Degustado em: 13 de outubro de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Founde de queijo
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
No trânsito, no escritório, pela janela do seu quarto? De certeza que em alguma ocasião alguém tinha os olhos postos em si. Ninguém lhe tocou, mas foi alvo de desejo sem saber.
À sua frente tem um objecto de prazer. Olhe bem... Não resista à provocação! Toque, sinta, cheire e beba. Não vai ter muitos momentos assim. 

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Vinho gostoso, bem fácil de beber, frutado na medida certa. Não destoou do founde. Muito bom! Nesta terça-feira, cheguei um tanto tarde em casa e o Claudio já havia até participado do Winebar com este vinho. Ainda não sabia o que jantaríamos, mas felizmente Claudio viu que tínhamos um founde, quase vencendo, na geladeira e decidiu que seria aquilo mesmo. Quando fazemos essas degustações em casa, eu me torno um perigo. Ou saio convidando pessoas para encontros ou faço revelações. Nesta noite, acabei contando para o Claudio que os últimos dos 40 presentes de aniversário que ele ganhou estavam relacionados. Pronto, foi o que bastou para ele criar muitas expectativas.

Comentário do Claudio
Rótulo: Um QR code que te leva para um filme interessante sobre o conceito do vinho. Diferente, inovador. Vale conhecer.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Mais uma edição do Winebar e desta vez com novidades: não só nos foi apresentado um vinho, mas um conceito. A Wine With Spirits, empresa portuguesa que cria conceitos de vinhos e como bem diz em seu site,"que procura, acima de tudo, fazer com que as pessoas consumam vinho não em função das características técnicas que o vinho tem, mas em função das emoções que sentem"... Um approach à comercialização de vinhos totalmente diferente, uma vez que não vende só vinho mas sim "emoções engarrafas". Assim, com uma abordagem única e uma série de vinhos com nomes inusitados, a Abflug, importadora de vinhos, passou a distribuir alguns vinhos desta linha. Um deles é este Voyeur. É um vinho moderno tanto na abordagem quanto na boca. Vinho com boa extração, muita fruta madura e firme em boca. Notas doces em seu ataque inicial e algo um pouco apimentado em seu final, algo como ameixa preta madura com notas de pimenta preta. Vinho com perfil que deve agradar muita gente, arredondado pela madeira. Como profissionalmente trabalho com construções de marca, é muito interessante ver um projeto como o Wine With Spirits.
Nota: -

27 de dezembro de 2012

ReD - Cabernet Sauvignon e Merlot

Nome: Routhier & Darricarrère - ReD
Safra: -
País: Brasil
Região: Rosário do Sul
Produtor: Routhier & Darricarrère 
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon e Merlot
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 57
Onde foi comprado: Zot Gastrobar, em Copacabana, no Rio
Quando foi comprado: 10 de novembro de 2012
Degustado em: 10 de novembro de 2012
Onde Bebeu: Zot Gastrobar, em Copacabana, no Rio
Harmonizado com: Tábua de frios, brandade de bacalhau
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Em 1972 Jean Daniel Darricarrère, veio do Uruguay e começou sua história no Brasil.  Aqui ele comprou uma Kombi, apelidada de Col, diminutivo de caracol, por sentir que era sua casa enquanto rodava o país. Junto com o irmão Pierre conheceram as belas praias do país.Brasil e foram conquistados pelos atrativos do país. Jean Daniel e Pierre Darricarrère são proprietários da Vinhedo Routhier e Darricarrère e homenageiam o espírito ousado e aventureiro, que marca a juventude.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Faltando poucos dias para nossas visitas chegarem e para realizarmos o almoço de seis anos do blog, decidimos ir conferir o Zot de perto. Já havíamos estado lá em outra ocasião, mas queríamos ver se acertávamos os detalhes pessoalmente. Claudio havia pedido orçamentos em diferentes lugares, mas achamos que ali ficaríamos instalados do jeito que gostaríamos. Enquanto conversávamos com o Márcio, proprietário do Zot junto com a esposa Andrea, pedimos uma tábua de entradas. São seis opções muito saborosas (berinjela, queijo de cabra, tomate, salsicha, queijo com creme de aceto balsâmico e presunto de parma). Íamos pedir um vinho, mas Márcio nos ofereceu algumas taças deste novo vinho, o ReD. Foi uma ótima surpresa, o vinho é leve e delicioso. Vale provar. Mais tarde, comemos ainda uma brandade de bacalhau. Fantástica!

Comentário do Claudio
Rótulo: Divertido desenho da Kombi. Combina com o espírito do vinho.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Ótima surpresa vinda da Campanha Gaúcha. Estávamos no Zot, ótimo Gastrobar em Copacabana, dos amigos Marcio e Andrea, e ele nos ofereceu uma taça deste vinho, de garrafa divertida e descontraída. Tinha lido na internet alguns bons comentários sobre o vinho  e estava curioso para provar. É um vinho jovem, leve e elegante. Vinho fácil de se beber, sem nenhuma aresta e que vai fácil. Perfeito para acompanhar entradas leves, um vinho que pede este tipo de comida. Vinho muito agradável e bem feito. Uma opção de ótimo preço e para quem quer fugir de vinhos pesados e frutadões. Dentro da sua proposta de ser um vinho descomplicado e jovem, assim como seu rótulo. Vale provare ficar de olho nos vinhos desta jovem vinícola.
Nota: -

5 de dezembro de 2012

Bougros Chablis Grand Cru - Thierry Laffay 2007

Nome: Bougros Chablis Grand Cru
Safra: 2007
País: França
Região: Chablis
Produtor: Thierry Laffay
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay 100%
Teor alcoólico: 12,9%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Na vinícola, em Chablis
Quando foi comprado: Setembro de 2010
Degustado em: 9 de novembro de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Salmão com legumes e salada
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Nesta noite, fiz salmão pela primeira vez na vida. Claudio estava em um compromisso de trabalho e demorou bastante para chegar em casa. Então, tive de fazer algo que até então nunca tinha feito: ir ao supermercado escolher eu mesma um pedaço de salmão e depois prepará-lo. Até que não ficou dos piores. Este vinho foi uma ótima surpresa. Claudio havia me avisado de que se tratava de um ótimo vinho, mas não imaginei que seria tão bom assim! Perfeito com nosso prato. No meio "de boca", como me corrigiu o Claudio, senti um gosto docinho. Não é um vinho fácil de ser encontrado por aqui, mas se algum dia alguém for a Chablis, recomendo fortemente comprar uma garrafa.
Nota: 93.0

Comentário do Claudio
Rótulo: 
Exame visual: amarelo bem clarinho.
Exame olfativo: Complexo, rico, com notas frutadas misturada com toques minerais.
Exame gustativo: Bbeber um chardonnay de qualquer parte do mundo é uma coisa, beber um bom Chablis é outra completamente diferente. Um Chablis é sempre um prazer e este Bougros que compramos diretamente do produtor quando estivemos por lá, não foge à regra. Em boca apresenta ótimas características dos vinhos daquela região, boa complexidade, notas frutadas e em seu final marcado pela acidez e mineralidade intensa. Boa presença em boca. Um vinho muito elegante e complexo que foi muito bem com o nosso salmão preparado pela Rafaela. temos que voltar em Chablis para comprar outros vinhos.
Nota: 91.0 +

Vollereaux Brut - Champagne no Winebar

Nome: Champagne Vollereaux
Safra: Uvas das colheitas de 2005 + 2006 + 2007
País: França
Região: Champagne
Produtor: Vollereaux
Importador: Chez France

Uvas/Corte: Chardonnay, Pinot Noir, Meunier
Teor alcoólico: 12%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 131, 00 no site da importadora
Onde foi comprado: Gentilmente enviada pelo WineBar
Quando foi comprado: Outubro de 2012
Degustado em: 06 de novembro de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Quiche de cebola
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
O clássico champagne da Maison Vollereaux é o resultado da mescla das três variedades de castas da Champagne, cada uma contribuindo maravilhosamente para conferir refinamento e elegância a esse vinho delicado e frutado. Três anos de envelhecimento conferem a ele um excelente nível de consistência e qualidade.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Tenho um compromisso toda terça no final da tarde. Como não poderia estar às 20h em casa, Claudio assistiu o WineBar, mas esperou até eu chegar para abrirmos este champagne. Compraria fácil este espumante se fosse fazer um casamento ou uma grande festa. É fácil de se beber, fresco, leve, ideal também para acompanhar refeições descompromissadas. 
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo: Um rótulo simples e clássico.
Exame visual: Perlage fina e intensa.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Depois de algum tempo, voltou em grande estilo o Winebar, iniciativa dos amigos Daniel Perches e Alexandre Frias. Desta vez foram apresentados os Champagnes Vollereaux. Colocando os post em dia aqui no blog, vamos começar falando um pouco sobre o Brut. É um Champagne bem interessante, de boa relação custo/benefício (lembrando que é difícil achar Champagnes de baixo custo), e muito bem feito. É um espumante leve, fácil de se beber, com algumas notas cítricas aparecendo, algo mais para fruta que para cremosidade. Boa acidez que lhe confere este caratér fresco e leve. É um espumante festivo, que irá bem em uma comemoração com amigos, ou em festas maiores.
Nota: -

3 de dezembro de 2012

Achaval Ferrer - Cabernet Franc 2005 #cbe



















Nome:
Achaval Ferrer Cabernet Franc
Safra: 2005
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Achaval Ferrer
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Franc 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: 220 pesos
Onde foi comprado: Vinícola Achaval Ferrer, em Mendoza
Quando foi comprado: 19 de dezembro de 2008
Degustado em: 25 de novembro de 2012
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Bruschettas caprese
Com quem: Rafaela e Claudio

Comentário do Produtor
Alc. 13,5%. Del viñedo Diamante. Para una botella usan tres plantas de vid. La fermentación maloláctica es en las barricas francesas, donde pasa 12 meses.
Rojo carmín granate con algo de evolución y de profundidad media-alta.
Aromas florales (violetas) y fruta. Intensidad media-alta.
En boca es franco y de alta acidez. Mucha fruta y la madera muy bien puesta. Muy equilibrado y elegante.

RPC Muy Mala. El vino es muy rico y seguramente con buen tiempo en copa o decanter, ganará en complejidades. El precio es el impedimento para disfrutarlo seguido.


Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este era um dos vinhos mais antigos que tínhamos em casa, quero dizer, um que havíamos comprado há mais tempo. Lembro bem do dia em que o comprei, em Mendoza, depois de ser tão bem recebida pelo Nicolas na Achaval Ferrer. Lembro-me de ter gostado muito deste vinho, mas queria mesmo era ter comprado um Finca Altamira. Acabei escolhendo este por estar mais dentro do meu orçamento. Não sei se hoje, mais acostumada a gastar um pouco mais com vinhos, se teria me jogado no outro um mais caro. Trata-se de um vinho diferente, não muito recomendado para iniciantes. Neste dia, completamos sete anos de namoro. Então aproveitamos para abrir um vinho especial, como este. O vinho apresentava bastante depósito. Durante minha visita a Mendoza, bebi uma tacinha deste vinho. Naquele post, Alexandre do blog Diário de Baco deixou um comentário, dizendo que ainda gostava de vinhos frutadões (E aí, Alê, ainda gosta?). Quando li este comentário para o Claudio, ele me disse que este não é um vinho frutadão. Tudo bem, mas tem bem um gostinho de frutas vermelhas.
Nota: 90.0

Comentário da Rafaela
Rótulo: Segue padrão clássico da vinícola.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Aproveitamos o tema do mês da Confraria Brasileira de Enoblogs, escolhido pelo amigo Deco Rossi, para abrir um dos vinhos que estava há mais tempo em nossa adega. Gosto muito dos vinhos feitos de Cabernet Franc e estava muito curioso para provar este vinho. Achaval Ferrer produz alguns dos melhores vinhos argentinos e também este pouco conhecido Cabernet Franc. Foi comprado diretamente na vinícola durante visita que a Rafaela fez em 2008. Um vinho com 7 anos de vida que ainda mostra um bom potencial para envelhecer. Cresceu depois de um tempo que deixamos no decanter respirando. Vivo em seu ataque inicial, predomínio de fruta madura em boca com notas vegetais e algo de defumado no final de boca. Um Cabernet Franc de ótima qualidade, amigável, de boa acidez. Gostei bastante e recomendo.
Nota: 90.0 +