29 de outubro de 2012

Carlos Reynolds 2009 / Inniskillin Vidal 2008

Nome: Carlos Reynolds / Inniskillin
Safra: 2009 / 2008
País: Portugal / Canada
Região: Alentejo / Niagara Peninsula
Produtor: Julian Cueller Reynolds / Inniskillin Wines
Importador: Clube W / -

Uvas/Corte: Aragonês 40%, Trincadeira 40% e Alicante Bouschet 20% / Vidal
Teor alcoólico: 13,5% / 9%
Rolha: Cortiça / Rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 40 / Geltimente presenteado pela Regina Helena
Onde foi comprado: Clube W / Na vinícola no Canadá
Quando foi comprado: Agosto 2012
Degustado em: 12 de outubro de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Massa Veronese com molho de tomates, mussarela de búfala e manjericão
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
De cor granada com grande poder aromático onde se destaca um aroma florais misturados com compotas de frutas vermelhas. Na boca é elegante e muito fácil de beber, o que o torna um vinho ideal
para o quotidiano.
Tasting Notes
The nobility of this vintage shines with an alluring assortment of fresh tangerine, papaya and lychee. These exquisite fruit flavours, combined with invigorating acidity offer multi-layers of balanced pleasure.


Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Gostei muito deste vinho. Ele é tão amigável. Muito fácil de beber, fácil de gostar. Passei o feriado trabalhando, um pouco fora de casa, um pouco em casa. No final do dia, com o friozinho, resolvemos fazer uma comidinha em casa. Massa ou risoto. No final, como tínhamos mais ingredientes para fazer uma massa, optamos por uma com molho de tomate, manjericão e mussarela de búfala. Receitinha básica, mas especial. Ficou triboa. Em seguida, preparamos bananas assadas no forno com mel. Queríamos provar um dos icewines que a mãe do Claudio trouxe do Canadá. É um vinho doce, mas muito doce. Eu costumo gostar da doçura dos vinhos de sobremesa, mas confesso que achei este um pouco doce demais. É de uma uva que eu nunca tinha ouvido falar: a vidal.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Valoriza o logo, bem gráfico e marcante pelo ícone da coroa.
Exame visual: Rubi denso.
Exame olfativo: É um nariz bastante agradável, uma boa mistura de frutas com especiarias e talvez algo defumado. Interessante.
Exame gustativo: Na véspera do último Encontro de Vinhos Off, tive a oportunidade de conhecer Nelson Martins em um jantar, enólogo da vinícola Carlos Reynolds. Nesta oportunidade, provei todos os vinhos Reynolds e saí com uma boa impressão deles. Para minha surpresa, a Wine colocou dois vinhos desta vinícola no Clube W. Este foi a primeira garrafa que abrimos deste que é o vinho de entrada da vinícola. É um alentejano interessantíssimo. Um vinho muito agradável, equilibrado e bem feito. Em boca, uma boa mistura de frutas e final de boca com leve toque apimentado. Vinho gastronômico, que pede uma comida para acompanhar. É sem dúvida uma ótima compra, vinho que irá agradar. Para fechar a noite resolvemos abrir uma garrafinha que ganhamos de um Icewine. Minha mãe trouxe do Canadá e aproveitamos esta noite para abri-lo. Feito da uva Vidal, a qual eu não conhecia, é um vinho de grande intensidade e presença em boca. Com muita potência, mas aliada à elegância, o que dá uma bela personalidade ao vinho. Tem um perfil de calda de algum doce de fruta em compota, sem ser enjoativo. Muito gostoso, vale provar.
Nota: 88.0 + / 90.0

24 de outubro de 2012

Naiara - Malbec 2009

Nome: Naiara
Safra: 2009
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Naiara Wines
Importador: Vinho Sul

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 12,9%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 45
Onde foi comprado: Winet Club
Quando foi comprado: Outubro 2012
Degustado em: 11 de outubro de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Pizza Domino's
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Cor vermelha intensa. Aromas de cassis e cerejas maduras,e matizes de menta e eucalipto.
Taninos suaves, maduros e integrados com aromas de frutos maduros e notas de especiarias.
Redondo e de boa concentração, balanço e amplitude. Fineza em seu perdurável final.
Combinações sugeridas:
Una combinação ideal para carnes vermelhas, massas e queixos.


Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Gostei deste vinho, é gostoso, levinho, aliás, bem mais leve do que os malbecs argentinos que estamos acostumados. A chuvinha que começou a cair nesta véspera de feriado nos inspirou a ficar em casa. Resolvemos pedir uma pizza. Normalmente pedimos Domino's. Sempre chegava quentinha e gostosa, mas desde que tiraram a regra de entrega em 30 minutos as pizzas têm chegado frias. Sempre precisamos esquentar no forno antes de comê-las. É um pouco frustrante. Começamos a pensar na versão 2013 de nosso bloquinho Le Vin au Blog.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Garrafa com rótulo escuro, vem com um tag, além do uso de dourado. Tipologia poderia ser mais trabalhada.
Exame visual: Rubi vivo e translúcido.
Exame olfativo: Nariz de boa intensidade, com frutas escuras sem excessos. Boa característica da cepa.
Exame gustativo: Este Malbec foi um dos vinhos que recebemos do Winetclub. Um bom vinho argentino, bem feito, redondo, um vinho que busca um estilo um pouco mais elegante. Me pareceu um bom vinho para acompanhar comida. Boa fruta misturado com leves notas apimentadas. Uma boa opção de Malbec que não conhecia, mas que apresentou um bom conjunto.
Nota: 87.0 +

23 de outubro de 2012

Les Pensées de Pallus 2006 - Chinon

Nome: Les Pensées de Pallus
Safra: 20
País: França
Região: Vale do Loire
Produtor: Domaine de Pallus
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Franc 100%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: 12,80 euros
Onde foi comprado: Galeria Kaufhof, em Munique, na Alemanha
Quando foi comprado: 17 de setembro de 2010 
Degustado em: 5 de outubro de 2012
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pão caseiro, pão árabe, queijos e frios
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Quando eu acho que meu paladar evoluiu, aparece um vinho para enviar minha certeza por água abaixo. Foi o caso deste vinho do Loire. Ô vinhozinho difícil. Bem que tentei, mas não deu. Não consegui gostar dele. Achei amargo, forte demais, agressivo. Infelizmente, não foi uma boa experiência para mim. Com este vinho, abrimos a temporada de degustações na varanda, algo que adoramos fazer, mas acabamos sempre esquecendo. No inverno, porque venta demais, no verão porque fica quente demais. Tomara que a primavera mantenha-se assim, agradável, e possamos aproveitar este pedacinho tão agradável da casa.
Nota: Preferi não dar nota para não ser injusta.

Comentário do Claudio
Rótulo: Simples e muito bem equilibrado.
Exame visual: -
Exame olfativo: Nariz muito intenso, bem característico da cepa e estilo velho mundo.
Exame gustativo: Se você leu primeiro os comentários da Rafaela, vai ver agora que minhas impressões foram opostas. Gostei bastante deste vinho. Ele é um clássico Cabernet Franc do Loire, muito característico e com todas as características da cepa apresentada de forma bem intensa. Para quem gosta de Cabernet Franc é um prato cheio. De corpo médio leve, boa presença com notas vegetal/apimentada misturado com algo de fruta e alguma coisa de especiarias. Vale deixar ele um pouco no decanter para respirar. Bom final de boca. É um vinho interessante e muito característico. Gostei.
Nota: 90,0 +

22 de outubro de 2012

Callejon del Crimen - Merlot 2007

Nome: Callejon del Crimen Gran Vino de Finca
Safra: 2007
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Finca La Luz
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça, longa e com logotipo gravado.
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Winery, Buenos Aires
Quando foi comprado: Dezembro de 2011
Degustado em: 15 de setembro de 2012
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa com molho de tomates e linguicinha
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Color rojo violáceo con reflejos rubíes. De nariz delicada, donde sobresalen aromas a mermeladas de frutos rojos y un suave toque de especias. En boca se supone algo dulce y con cuerpo medio, agradable acidez, se perciben taninos muy suaves y redondos que ofrecen un final agradable y largo

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este vinho parece que me levou a Buenos Aires. O gosto dele me lembrou alguns dos nossos jantares na cidade, mesmo que esta tenha sido a primeira vez que o provamos. Ele foi comprado durante nossa passagem por Buenos Aires em dezembro passado. Claudio procurava algo diferente. Foi uma boa escolha. Ele fica melhor quando está na temperatura certa, ou seja, mais refrescado. É  impressionante como vinho bom a gente bebe sem perceber.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Com personalidade. Simple, explora uma foto p&B e bordas irregulares. Pequena ilustração de uma coruja completa o conjunto.
Exame visual: Bordo vivo.
Exame olfativo: Nariz bem característico de outros vinhos argentinos degustados. Não é frutado e aparece um pouco notas de carvalho e baunilha.
Exame gustativo: Na última vez que estivemos na Argentina, procurei escolher vinhos que não conhecia para comprar. Um deles foi este Merlot. Não costumamos achar muitos merlots argentinos, por isto acabei escolhendo esta garrafa. Primeiro ataque em boca passa a sensação de algum outro vinho argentino já provado. Vinho de corpo médio, boa presença em boca e final um pouco curto. Agradável, tem um estilo um pouco velho mundo, um mistura de fruta com algo de especiarias, cresce bastante com um tempo em taça. Não é um super vinho, mas bem interessante.
Nota: 88.0+

21 de outubro de 2012

Altosur - Malbec 2009

Nome: Altosur
Safra: 2009
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Finca Sophenia
Importador: -

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Pizza Park/Spagueteria, na Cobal Humaitá, no Rio
Quando foi comprado: 27 de setembro de 2012
Degustado em: 27 de setembro de 2012
Onde Bebeu: Pizza Park/Spagueteria, na Cobal Humaitá, no Rio
Harmonizado com: Massas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
De atractivos rojos con tonos violetas. En nariz intensos frutos maduros, cereza, moras y ciruelas frescas combinadas con notas especiadas y florales. En boca sus dulces y redondos taninos aumentan la sensación de frutosidad y equilibrio. Buena intensidad, concentración y persistencia.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Esta semana foi bastante pesada, com acontecimentos muito tristes. Quando a quinta-feira chegou, decidimos ir comer ali na Cobal. Como o prato de massa parecia bem apetitoso, resolvemos pedir uma meia garrafa para acompanhar. O vinho é bastante simples e nem sei se gostei muito. Enquanto jantávamos, ficamos lembrando que há alguns anos, eu dei este mesmo vinho de páscoa para o Claudio. Na época, gastar R$ 30 em um vinho era algo não muito comum. Quem poderia imaginar que hoje eu aceito ser um pouco menos pão-dura. Talvez meu paladar também tenha evoluído nos últimos tempos.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Minimalista, moderno e limpo. Estilo que marca.
Exame visual:
Exame olfativo: Nariz intenso que evolui depois de aberto, notas de fritas maduras.
Exame gustativo: Fomos comer uma massa na Cobal do Humaitá. A noite estava com um friozinho e frio + massa, sempre acaba pedindo um vinho. Escolhemos uma meia garrafa deste Malbec argentino. Se apresentou um vinho bem simples e sem grandes atrativos. Cumpriu o papel de acompanhar a massa e o frio, sem maiores atrativos.
Nota: 85.0

20 de outubro de 2012

Massaya Classic 2009/ Maycas del Limari Reserva Pinot Noir 2011/ Rayun Reserva 2010

Nome: Massaya Classic / Maycas del Limari / Rayun
Safra: 2009 / 2011 / 2010
País: Líbano / Chile / Chile
Região: Valée de la Békaa / Valle del Limari / Valle del Elqui
Produtor: Massaya / Maycas del Limari / Geo Wines
Importador: Au Vin Import / Wine / Vinho Sul

Uvas/Corte: Cinsault 60%, Cabernet Sauvignon 20% e Syrah 20% / Pinot Noir 100% / Carmenére 65% e Syrah 35%
Teor alcoólico: 15% / 14% / 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 45 / R$ 40 / R$ 45
Onde foi comprado: Winet Club / Clube W / Winet Club
Quando foi comprado: 2012
Degustado em: 22 de setembro de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Salgadinhos árabes
Com quem: Claudio, Rafaela, Tatiana, Rodrigo, Marie, Paula, Miguel, Ricardo, Raquel, Tito, Marcelo, Carol e Lucas

Comentário do Produtor
This is a 65% Carménère - 35% Syrah blend, were the Carménère gives an
elegant softness with ripe tannins and great volume. The Syrah complements
the blend with freshness and unique aromas of red fruits.  The wine shows
great balance and character, expressing well the terroir of this valley.


Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Para fechar as comemorações de meu aniversário, recebemos alguns amigos aqui em casa para um brinde. Na hora do almoço, havíamos almoçado com a família no Cirandinha, onde a família é atendida pelo mesmo garçom há mais de 40 anos, o Itamar. Ele é uma figura! Para a noite, compramos uns salgadinhos, fizemos um pão, separamos estes vinhos e estava pronta a festinha. Os três vinhos compramos de clubes de vinhos. O Winet Club é de nosso amigo querido Deco Rossi, do Enodeco. Provei uma taça de cada um. O primeiro, já havia provado no Encontro de Vinhos realizado aqui no Rio em março passado. Gostei muito, é leve na medida certa. Confesso que não lembro detalhes dos outros dois (novidade!), mas sei que estavam muito bons. O Rayun achei bem forte, mas bom. Esta foi a segunda vez que bebi um Maycas del Limari. E fico com os olhos cheios de lágrimas só de olhar para a garrafa. É que ela me faz pensar em um senhor tão interessante, atencioso, gentil e com um humor bem peculiar. A garrafa me fez lembrar do padrinho do Claudio, o "dindo", como o Claudio o chamava, que faleceu no mês passado. Em dezembro de 2009, abrimos uma garrafa desta vinícola. Era um vinho que estava entre os guardados do "dindo" no sítio em Secretário. Ele, Guilherme, era sempre tão carinhoso conosco. Apesar de me deixar triste, esta é uma lembrança boa.
Nota: -


Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Noite agradável e de bons vinhos. Continuando as comemorações do aniversário da Rafaela, alguns amigos vieram aqui em casa e acabamos abrindo três garrafas, as quais, por acaso, vieram de clubes de vinhos que estamos participando atualmente, o Winet Club e o Clube W. Começamos a noite com um vinho que já provei algumas vezes e que todos costumam gostam, o libanês Massaya Classic. Conheci este vinho no Encontro de Vinhos realizado aqui no Rio. Todos que provavam as novidades libanesas gostavam. É um vinho jovem, com personalidade, versátil e interessante, a garrafa foi rapidamente esvaziada, vinho que vale ser provado. Na sequência, abrimos um belo Pinot Noir chileno. Provamos um vinho da Maycas del Limari pela primeira vez na companhia de meu padrinho, que, infelizmente, nos deixou no início deste mês. Foi um excelente Cabernet Sauvignon, que nos fez despertarmos para este produtor. Desta vez, provamos um interessante Pinot Noir, vinho com boa característica da cepa, boa presença em boca, notas leves de embutido com frutas vermelhas leves, conjunto agradável e equilibrado. Um bom vinho para o meu paladar. Pra finalizar a noite, passamos para outro vinho chileno, só que desta vez um vinho com muito força e concentração. Bastante intensidade em boca neste corte de Syrah com Carmenère. É um bom vinho, que deve ir melhor com uma comida que sustente toda sua presença e força.
Nota: -

16 de outubro de 2012

Cuvée Troisgois Côte Roanaisse - 2011

Nome: Cuvée Troisgois Côte Roanaisse
Safra: 2011
País: França
Região: Vale do Loire
Produtor: Domaine Roberto Sérol
Importador: -

Uvas/Corte: Gamay 100%
Teor alcoólico: 12%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 89,00
Onde foi comprado: CT Trattorie, no Rio
Quando foi comprado: 20 de setembro de 2012
Degustado em: 20 de setembro de 2012
Onde Bebeu: CT Trattorie, no Rio
Harmonizado com: Gnocchi de la Meme Forte e Polpetone CT Trattorie
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Tasting : The robe is garnet red with a brilliant intensity. Aromas of very ripe red and black fruit, in conjunction with spicier aromas (pepper and clove).

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: O dia do meu aniversário é sempre especial! E este 20 de setembro não foi diferente. Ganhei festinha dos colegas de aula, flores do meu chefe, mais presentes do que poderia esperar e ainda me permiti andar de táxi da universidade até o trabalho. Para completar um dia perfeito, fomos jantar na CT Trattorie. Eu havia escolhido outro italiano para comemorar, mas nas últimas semanas resolvi trocar pelo restaurante do Claude Troisgois, que agora arrumou uma origem italiana. Confesso que tenho uma implicância gratuita com o Claude, mas tive de dar o braço a torcer. A comida do restaurante é a melhor comida italiana que já comi aqui no Rio. O nhoque que escolhi estava simplesmente perfeito. Voltaria fácil lá! Adorei! Escolhemos o vinho da casa, que é produzido no Loire para os restaurantes da família Troisgois.  Gostei bastante, foi apenas mais um belo detalhe no meu dia tão especial.
Nota: 89.0


Comentário do Claudio
Rótulo: Rótulo de muito equilíbrio dentro de sua simplicidade.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Aniversário da Rafaela e resolvemos jantar em um dos restaurantes do Chef Claude Troisgros aqui no Rio, o CT Trattorie. Este é o restaurante 'italiano' do chef francês. E a experiência valeu. O ambiente é agradável e logo o restaurante ficou cheio. O cardápio não é extenso, com algumas releituras de pratos italianos clássicos, serviço cordial e eficiente. Escolhemos os dois pratos que estavam indicados comos as especialidades da casa. Comi um excelente polpetone que espero repetir. Ao olhar a carta de vinhos, resolvi também ficar com o vinho 'da casa', ou melhor, o vinho que e produzido para o restaurante da família Troisgros na França. Um Gamay produzido no Vale do Loire, leve, agradável, leve fruta, seguindo o estilo velho mundo. Um vinho que me pareceu muito versátil, um tinto que combina bem com nosso clima. Gostei. Acho que a Rafaela curtiu a comemoração do aniversário dela!
Nota: -

15 de outubro de 2012

Orus Rosé Pas Dosé - 2010

Nome: Orus Rosé Pas Dosé
Safra: 2010
País: Brasil
Região: Garibaldi
Produtor: Adolfo Lona
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay,  Pinot Noir e Merlot
Teor alcoólico: 12,3%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 93,00
Onde foi comprado: Por intermédio do Beto, do Papodevinho
Quando foi comprado: 055/608
Degustado em: 18 de setembro de 2012
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa ao alho e oleo
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
No dia 7 de dezembro, fizemos o lançamento de nosso espumante ORUS Rosé Pas Dosé, elaborado pela método tradicional ou champenoise e com ausência total de açúcares, o que equivale ao Nature. A produção deste pequeno lote de ORUS é feito em homenagem os clientes que nos privilegiam com sua preferência e possibilitam o crescimento constante de nosso carro-chefe o Brut Rosé Adolfo Lona. O lote de 608 garrafas anuais resulta de um volume de 500 litros que será a quantidade que irá caracterizar este produto durante toda sua trajetória. O ciclo de produção é de 12 + 12 meses, ou seja doze meses maturando sobre as leveduras onde ganha a complexidade aromática e gustativa que o tempo possibilita devido a autólises das leveduras e doze meses envelhecendo com a rolha definitiva quando ganha sutileza, elegância e potencia. O assemblage é uma mistura de vinhos de 3 variedades, Chardonnay, que participa com seu frescor, Pinot Noir em rosado que agrega força, e uma pequena parcela de Merlot em rosado, que complementa com elegância e ameniza a acidez. A cor é a típica dos rosados feitos pelo método tradicional, rosada laranja clara lembrando casca de cebola, seu aroma é intenso, complexo e convidativo e o gosto é longo, marcante e potente. É um espumante que dignifica o Rio Grande do Sul e nos deixa muito orgulhosos.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Ainda faltavam dois dias para o meu aniversário, mas achamos que já dava para começar as comemorações. :) Não poderia ter começado melhor. Este espumante é especial, de alta qualidade. Gostamos muito. Ele acompanhou o prato sem se destacar mais do que deveria. Foi perfeito!
Nota: 92.0

Comentário do Claudio
Rótulo: 
O rótulo é feito em uma aplicação de metal gravada. Pendurada na garrafa, há uma etiqueta com a numeração e informações sobre o produto. Logo de cara, percebe-se que é um produto diferenciado.
Exame visual: Bela cor, um suave salmão, lembrando um pouco casca de cebola. A cor deste espumante é realmente marcante.
Exame olfativo: Muito interessante. Notas levemente doces, algo de tostado, amêndoas. Nariz complexo e interessante.
Exame gustativo: Já tivemos a oportunidade de provar Orus em outros momentos. O principal deles foi no início do ano, sentado nas areias da praia de Ipanema na companhia do produtor, nosso amigo Adolfo Lona (já comentada aqui no blog). No final do ano passado, tinha comprado esta garrafa e estávamos esperando uma oportunidade para abri-la. Resolvemos iniciar dias antes o aniversário da Rafaela e estava criado o motivo para abrir o Orus. Mais uma vez ele se mostrou um excelente espumante. Bom corpo, boa presença em boca, ótima acidez, final de boca firme: todos os elementos no lugar certo para compor um grande espumante. Em boca, leve cremosidade e sabor intenso. Um espumante muito prazeroso. Já está saindo a nova e limitadíssima safra do Orus. Parabéns ao Adolfo pelo belo trabalho.
Nota: 91.0

de Ladoucette - Pouilly-Fumé 2008

Nome: de Ladoucette
Safra: 2008
País: França
Região: Pouilly-Fumè / Loire
Produtor: de Ladoucette
Importador: -

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc 100%
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: 23 euros
Onde foi comprado: Galerias Lafayette
Quando foi comprado: Julho de 2011
Degustado em: 15 de setembro de 2012
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Comida thai
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Vinho muito bom, com ótima acidez. Combinou muito bem om a comida thai. É um vinho refrescante e foi ótimo para fechar um sábado de atividades na rua e de estudos. Gostei muito!
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Estilo antigo e tradicional, com letras góticas e brasão.
Exame visual: Dourado bem clarinho.
Exame olfativo: Nariz muito agradável, complexo e de difícil definição. Algo como maçã ou pera talvez. Final levemente doce.
Exame gustativo: Sempre é um grande prazer beber um bom vinho branco do Vale do Loire. Este Pouilly Fumé não foge à regra e é um excelente vinho, que traz muito prazer em beber. Em boca, ele é muito elegante, corpo leve/médio e muito complexo. Notas de frutas cítricas e leve toque vegetal, tem algo de cremoso em boca. Os Sauvignon Blancs franceses são únicos, bem distintos de vinhos desta mesma cepa de outras partes do mundo. Ótimo vinho, dá vontade de beber um pouco mais. Está pronto para ser degustado.
Nota: 91,0 +

14 de outubro de 2012

Degustação Bodega Mi Terruño

A degustação Mi Terruño foi realizada no dia 14 de setembro na Confraria Carioca, loja de vinhos localizada no Casa e Gourmet Shopping (até bem pouco tempo chamava-se Plaza Shopping).

Comentário da Rafaela
Já faz algum tempo que conhecemos o Avelino, que é colorado e gaúcho como eu. Desta vez, ele veio ao Rio para organizar a degustação da vinícola argentina Mi Terruño. Estava presente a simpática enóloga Eugenia Baigorria, com quem conversei sobre origens italianas, estilos de se vestir adotados por cariocas e argentinos e outros assuntos. Foi uma noite bem agradável.

Comentário do Claudio
Recebi um convite do meu amigo Avelino Zanetti para participar de uma apresentação dos vinhos da Bodega Mi Terruño, que são importados pela Mundosur, sua importadora de Curitiba. A apresentação dos vinhos foi em uma sexta-feira, na ótima loja Confraria Carioca do também amigo Duda Zagari que vende os vinhos da Mundosur aqui no Rio. Com a presença da simpática enóloga da vinícola, a jovem Eugenia Baigorria, apresentação foi bem concorrida, a loja ficou cheia e movimentada. Não consegui ficar perto para ouvir a história da vinícola e acabei provando muito rapidamente os vinhos (bem feitos e que quero provar novamente com calma). Apenas no final da apresentação conversamos um pouco e provamos um interessantíssimo malbec, top da vinícola, rico em aroma e sabor, bastante fruta. Um ótimo vinho. Vale ficar de olho nos produtos desta vinícola.

8 de outubro de 2012

Martínez Lacuesta Crianza 2006


Nome: Martínez Lacuesta
Safra: 2006
País: Espanha
Região: Rioja
Produtor: Martínez Lacuesta
Importador: -

Uvas/Corte: Tempranillo, Graziano e Mazuelo
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Pouco menos de R$ 100
Onde foi comprado: Restaurante eñe, em São Conrado, no Rio
Quando foi comprado: 13 de setembro de 2012
Degustado em: 13 de setembro de 2012
Onde Bebeu: Restaurante eñe, em São Conrado, no Rio
Harmonizado com: Menu degustação
Com quem: Claudio, Rafaela, Miguel e Paula

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Já havíamos vivenciado esta experiência do menu degustação do eñe em janeiro do ano passado. Como da outra vez, fomos porque compramos um cupom no Peixe Urbano pela metade do preço. Atualmente, o menu de oito pratos está custando R$ 185, um pouco caro para nossos padrões. Pela metade, acho que vale a pena o investimento. A comida é saborosa. Pode assustar quem tem medo de provar coisas que não conhece, ainda mais que só se fica sabendo dos pratos na hora em que chegam à mesa. Eu não sou a pessoa mais aberta do mundo quando se trata de experimentar comidas diferentes, mas acho que vale a pena tentar vencer essas pequenas barreiras. Os pratos estavam muito bons e o vinho que escolhemos para acompanhar também estava delicioso. Adorei. Tem um estilo que me agrada muito, bem manso e fácil de gostar. Recomendo.
Nota: 89.0


Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Fomos jantar o menu degustação do restaurante espanhol Eñe. O restaurante é muito bacana e o menu, com 8 pratos, todos escolhidos pelo chef, é muito interessante. Para acompanhar a noite escolhi um vinho que não conhecia e não tinha nenhuma referência. Este Rioja se mostrou uma boa surpresa. Já bastante evoluído, se você tiver uma garrafa deste vinho na adega abra logo, mostrava sinais de já ter atingido o seu máximo. De qualquer modo o vinho apresentou-se elegante, taninos domados, bem estilo velho mundo e com um bom final de boca. Não brigou em nenhum momento com os diferentes pratos degustados. No geral foi um vinho que agradou. Gostaria de provar uma safra mais nova deste vinho para ver se segue este mesmo estilo ou se um par de anos fazem muita diferença para ele. Um bom vinho que vale ser conhecido.
Nota: -

6 de outubro de 2012

Domaine Jean Bousquet - Malbec 2010

Nome: Domaine Jean Bousquet
Safra: 2010
País: Argentina
Região: Vale de Tupungato
Produtor: Vinícola Jean Bousquet
Importador: Abflug

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Direto da importadora Abflug
Quando foi comprado: -
Degustado em: 11 de setembro de 2012
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizzas da Domino's
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Color | Violeta oscuro, casi negro típico de los mejores Malbec de Argentina.
Nariz | Aromas ricos intensos de mora con notas de grosella, pimienta verde, 
y grosella negra.
Boca | Aromas de ciruelas maduras y de chocolate con una entrada en 
boca suave y elegante. Estructura excelente y final largo.
Maridaje Culinario | Ideal con carne roja, salsas, quesos y pastas


Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Depois de três semanas fora de casa, aos poucos, tudo vai se ajustando e a vida vai voltando ao ritmo normal. Pedimos uma pizza - vieram duas na promoção de terça da Domino's, que agora não tem mais a garantia dos 30 minutos na entrega e a pizza chega bem fria - e resolvemos abrir esta meia garrafa para acompanhar. O vinho, como sempre, estava delicioso. É equilibrado. Meia garrafa é o tamanho perfeito para uma terça à noite.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo: 
Exame visual:
Exame olfativo: 
Exame gustativo: Já degustamos este vinho em uma outra oportunidade (leia aqui) e mais uma vez ele se mostrou uma ótima compra. É um malbec do estilo que gosto, redondo e sem fruta ou madeira em excesso. É o vinho de entrada da vinícola, mas é muito superior que vinho de entrada de outras vinícolas. Vinho para ter em casa. Nesta garrafa notas de ameixa e groselha em boca. Foi bem com a pizza. Quem não conhece, vale provar os vinhos deste produtor.
Nota: -

5 de outubro de 2012

Veuve Clicquot Ponsardin Brut

Nome: Veuve Clicquot
Safra: 2010
País: França
Região: Champagne
Produtor: Veuve Clicquot
Importador: -

Uvas/Corte: Pinot Noir,  Chardonnay,  Pinot Meunier
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 8 de setembro de 2012
Onde Bebeu: Casamento da Sabrina e do José Rodrigo, em Cordisburgo/MG
Harmonizado com: Muitas, mas muitas mesmo, comidinhas deliciosas
Com quem: Claudio, Rafaela e mais umas 400 pessoas

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Desde maio estamos, ou ainda antes, estamos nos preparando para este casamento. Só que em cima da hora, quase não deu para eu ir... Mesmo com o coração apertado (por deixar minha mãe, que estava doente), valeu muito a pena ter ido a Cordisburgo. A festa de casamento dos queridos Sabrina e José Rodrigo foi maravilhosa, para dizer o mínimo. Eles pensaram em todos os detalhes! Está definitivamente entre os top três casamentos que já fui na vida - e nos top três dos que mais me diverti. Foi tudo perfeito. As músicas, as comidas, as companhias... Adoramos! E ainda conheci mais um pedacinho de Minas Gerais, estado com o qual me identifico bastante. Tomara que voltemos logo a Cordisburgo! Aproveitamos que estávamos lá e que ganhamos carona do João e da Paola, para conhecer a Gruta de Maquiné e a Casa de Guimarães Rosa. Em relação ao champagne, devo dizer que é realmente muito boa! Não bebi muitos champagnes na vida, mas entre os que bebi, este é o meu preferido.
Nota: 95.0


Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Não há nada melhor que celebrar momentos especiais junto dos amigos. E não há bebida mais perfeita para esses momentos que o Champagne. Assim foi celebrado o casamento dos grandes amigos Sabrina e José Rodrigo, no interior de Minas Gerais, em uma festa memorável, ao ar livre e com muitas, eu disse muitas, taças de Veuve Clicquot. Harmonização perfeita do Champagne com a noite, o clima, o momento e os amigos.
Nota: -

3 de outubro de 2012

Rubizzo - Chianti Colli Senesi 2010

Nome: Rubizzo
Safra: 2010
País: Itália
Região: Chianti
Produtor: Rocca delle Macie
Importador: -

Uvas/Corte: Sangiovese, com um pouquinho de merlot
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Café Carandaí, no Rio
Quando foi comprado: 4 de setembro de 2012
Degustado em: 4 de setembro de 2012
Onde Bebeu: Café Carandaí, no Rio
Harmonizado com: Sanduíche de ciabatta com queijo da canastra e salame
Com quem: Claudio

Comentário do Produtor
Alla fine degli anni ’70 un vino come il Rubizzo era sicuramente una rivoluzione per il gusto chiantigiano abituato a vini che basavano il loro nerbo su una struttura prevalentemente acida, poco adatti all’invecchiamento e più scarichi nel colore.Italo voleva un vino che avesse una maggiore complessità aromatica, più morbidezza e sostanze coloranti, ma allo stesso tempo una bevibilità e piacevolezza che lo rendessero adatto a qualsiasi palato e situazione.
In qualche modo il Rubizzo è stato un precursore di un gusto che successivamente è diventato molto comune tra aziende e consumatori. E’ il vino che ha accompagnato la storia Rocca delle Macìe cambiando ed evolvendosi con lei.

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual:
Exame olfativo: Nariz um pouco fechado, que mistura um pouco de fruta com algo de estrebaria.
Exame gustativo: Estava passando pelo Jardim Botânico e o trânsito estava terrível. Lembrei-me que estava querendo conhecer o café aberto na Casa Carandaí. Resolvi então parar e lanchar por ali mesmo antes de voltar para casa. O café fica nos fundos da casa, um local que não é muito grande, com uma cozinha aberta e decoração bem simpática, com diversas garrafas de vinhos ícones compondo o ambiente. Resolvi pedir o excelente sanduíche de ciabatta com salame e queijo da Serra da Canastra (foto). Como estava uma noite fria, resolvi pedir uma taça de vinho. A casa oferece alguns vinhos em taça que ficam escritos na parede-quadro negro. Escolhi este Chianti que achei que iria bem com meu sanduíche. E realmente foi. É um Chianti simples e correto, de estilo velho mundo, com seu final levemente oxidado, tânico e que tem aquele perfil gastronômico. Uma boa opção para ser servida em taça e deve funcionar bem com uma massa com molho de tomate. Corpo médio, um vinho simples de final relativamente curto, mas de conjunto agradável. Combinou com o dia e com o lanche. Quem ainda não conhece, vale dar um pulo na Casa Carandaí, a qual tem no segundo piso uma boa loja de vinhos. Único ponto negativo é que fui informado que não poderia comprar um vinho ali na loja e degustar no café... Certamente, o local ficaria muito mais atraente se fosse permitido fazer isto (#ficaadica).
Nota: -

Degustação de vinhos do Noroeste Argentino

No dia 23 de Agosto, participei do evento: "Experimente o Noroeste Argentino, descubra as suas paisagens e desfrute os seu sabores", realizado no Consulado Geral da Argentina, na Praia de Botafogo, aqui no Rio. Foi um evento interessante que reunia no mesmo lugar exposição fotográfica, apresentação de um grupo de música típica, degustação de deliciosas empanadas, alguns produtos gourmet produzidos na região e cerca de oito vinícolas mostrando seus vinhos. Uma evento bem argentino, que reuniu a comunidade argentina no Rio e outros convidados. 
Provei muitos vinhos, em geral vinhos bem feitos e com personalidade própria, principalmente da região de Salta. Vinhedos de altitude, acima de 1750 metros de uma região de mesma latitude que a cidade de São Paulo. As vinícolas estão se apresentando em bloco, procurando compradores e importadores para os vinhos, que já estão sendo vendidos em um rede de supermercados de Belo Horizonte. Provei vinhos das uvas Torrontés, Cabernet Sauvignon e Malbec. Em geral, ótimos vinhos para o dia a dia, Malbec diferentes e interessantes. Achei que os vinhos desta região está procurando um estilo próprio, tentando fugir do que se faz em Mendoza e com um bom potencial. Alguns vinhos provados: Siete Vacas Reserva, Patriarca Bodegas Posse, Desvario, Finca La Punilla, Gata Flora, Vasija Secreta, Tukma. Interessante.
Comi ótimas empanadas, deliciosas!