30 de julho de 2012

TH - Syrah 2009

Nome: TH
Safra: 2009
País: Chile
Região: Maipo
Produtor: Undurraga

Uvas/Corte: Syrah 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente presenteado pela Abflug
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: 2012
Degustado em: 6 de junho de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Pizzas Domino's
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Havíamos provado um outro syrah dias atrás. Meu cérebro não costuma ocupar seu espaço de memória com gostos de vinhos, mas, por acaso, eu ainda me lembrava das características do EQ. Influenciada por isso, acabei comparando os dois vinhos e este ficou um pouco atrás. Claro, são produções diferentes, vinícolas diferentes e bobagem a minha fazer isso. Injusto até, pois este TH é um vinho bem bom. Cumpriu muito bem o papel de acompanhar uma pizza, algo que nem todo vinho consegue. Fazia um tempão que não pedíamos pizza em casa. Desde que o Claudio aprendeu com o Emerson a fazer pizzas, temos produzido as nossas em casa mesmo.
Nota: 89.0, com sinal de mais, como o Claudio costuma fazer

Comentário do Claudio
Rótulo: 
Segue a identidade visual da linha Terroir Hunters que é interessante: pegadas que seguem para um X, indicando o local exato do melhor terroir, conceito da linha.
Exame visual: Rubi leve e límpido.
Exame olfativo: Fruta vermelha em destaque com notas de pimentas preta
Exame gustativo: Mais um vinho que provamos do interessante projeto Terroir Hunters desta vinícola. Esta linha busca apresentar diversos terroirs chilenos através de vinhos de pequena produção, sempre buscando a melhor uva para cada região. Este Syrah é da região do Maipo e mostrou um vinho muito rico em fruta na boca. Bem vivo com notas de frutas como amoras maduras. Um vinho agradável, sem exageros e que evoluiu bem na taça. Seu final de boca poderia ser um pouco mais longo. Ainda pode evoluir um pouco na garrafa.
Nota: 87,0 +

29 de julho de 2012

Alto de la Ballena Reserva - Cabernet Franc 2007

Nome: Alto de la Ballena
Safra: 2007
País: Uruguai
Região: Maldonado
Produtor: Alto de la Ballena

Uvas/Corte: Cabernet Franc 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça com logomarca gravada
Numeração da garrafa: - / 2.600
Preço: Gentilmente presenteado pelo Alvaro dono da vinícola.
Onde foi comprado: Na vinícola, no Uruguai
Quando foi comprado: 3 de janeiro de 2012
Degustado em: 04 de junho de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Bruschettas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Se cosechó la uva en su momento óptimo de madurez, cosecha manual en cajas de 15 kg.
Se realizó una maceración pre fermentativa en frio de dos días y luego se sembraron levaduras para la fermentación. Una vez terminada se realizó una maceración post fermentativa para extraer todos los componentes de la uva; luego del prensado se sembraron bacterias lácticas para la fermentación maloláctica. A continuación el vino pasó a barricas de roble francés donde se realizó una crianza por 14 meses.
Fue embotellado preservando sus cualidades naturales por lo que se puede encontrar sedimento.
Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Achei este vinho bem gostoso, mas mais complicadinho de se gostar à primeira vista. É preciso ir se acostumando com ele aos poucos, para poder apreciá-lo direito. Já nossas bruschettas estavam bem descomplicadas de se gostar.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Toda a programação visual da vinícola é muito equilibrada e bem feita. Destaque para o detalhe para o rabo da baleia no rótulo.
Exame visual: Grená, vivo e transparente.
Exame olfativo: Início com um pouco de álcool, que desaparece com o tempo, bem vivo com notas de frutas misturadas com caramelo, provavelmente vindo da barrica. Um vinho muito perfumado.
Exame gustativo: Ganhamos este vinho do dono da vinícola, Alvaro Lorenzo, durante nossa visita ao Uruguai. Ele havia comentado que eu iria gostar deste vinho. Bastante intenso em boca. Em seu primeiro ataque, notas de frutas, que passa para algo vegetal no final. Boa expressão da cepa. Ainda pode evoluir mais um pouco na garrafa. De estilo moderno como os outros vinhos da vinícola, a madeira aparece bem integrada neste Cabernet Franc. Depois de um tempo na taça ele evolui e muda um pouco aparecendo alguma coisa achocolatada em boca. Um bom vinho e vale ficar de olho na evolução dos vinhos desta vinícola.
Nota: 87,0+

27 de julho de 2012

Os ótimos vinhos do enólogo-roqueiro Marcelo Pelleriti


No final de maio, fui convidado pelo amigo e sócio da importadora curitibana Mundosur, Avelino Zanetti, para um jantar. O enólogo argentino Marcelo Pelleriti estaria aqui no Rio e aproveitaria a oportunidade para apresentar os seus vinhos.
Confesso que fui para o jantar na Cavist de Ipanema sem nenhuma expectativa, pois não conhecia o trabalho deste enólogo. Nada melhor no mundo do vinho que ter boas surpresas. E foi o que aconteceu neste jantar!
Marcelo Pelleriti estava acompanhado da esposa e de sua filhinha. Simpático, de bom papo, aos poucos foi nos contando um pouco de sua história enquanto degustávamos os vinhos. Ele trabalhou com Michel Roland e hoje é o enólogo-chefe da Bodega Monteviejo, além disto, há nove anos trabalha no Chateau La Violette e no Chateau le Gay em Bordeaux. Outra paixão de Marcelo é o rock. Paralelo ao seu trabalho no mundo do vinho, toca guitarra em uma banda de rock, apresenta um programa de rádio e organiza o festival Monteviejo Wine Rock, que possivelmente virá ao Brasil no próximo ano.
Os vinhos que degustamos fazem parte do projeto pessoal do enólogo. Ele produz 4 vinhos, de produção pequena e limitada. São vinhos de muita personalidade, como pudemos comprovar. 
Vamos a eles:
- O primeiro vinho da noite foi o branco da uva Torrontés, o Sol Fa Sol. Um Torrontés muito elegante, nariz sem exageros e com notas minerais aparecendo. Boa untuosidade em boca e evoluiu muito bem na taça. Muito interessante este branco.
- Na sequência provamos o primeiro Malbec, também Sol Fa Sol. Uma grande surpresa. Um Malbec de entrada com muita personalidade e estilo. Um Malbec com muita textura em boca e um paladar bem distinto. Muito bem feito e que vale ser provado. Parece um vinho mais caro do que é.
- Subimos um degrau e provamos um Reserva Malbec. Também com muita personalidade e características bem distintas. Ganhamos mais complexidade, taninos redondos. Um vinho envolvente em boca. Muito bom.
- O último vinho apresentado foi o Pelleriti Selection Reserve. O vinho top do enólogo e que realmente é cativante. Belíssimo vinho, que em pouco tempo será lembrado como um dos vinhos tops argentinos. Complexidade, elegância, potência. Tudo junto em um estilo peculiar. Belíssimo vinho. Ainda não está disponível no Brasil, mas, segundo a importadora, em breve estará por aqui.
Vale destacar os rótulos dos vinhos. Todos são inspirados em violões, ligando mais uma vez o rock ao vinho. Vinhos com ótima qualidade e preços justos. A noite, que já estava excelente, não parou por aí. O Marcelo resolveu visitar a loja de vinhos e nos trouxe uma garrafa do primeiro vinho que ele fez na França: um Chateau le Gay 2002, excelente Bordeaux que dispensa comentários.
Foi uma noite excelente com um bom papo sobre vinho e rock, boas surpresas com os vinhos do Marcelo e a oportunidade de rever o amigo Avelino. Pretendo provar novamente os vinhos!

26 de julho de 2012

EQ - Syrah 2007

Nome: EQ
Safra: 2007
País: Chile
Região: San Antonio
Produtor: Matetic

Uvas/Corte: Syrah 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça com logomarca gravada
Numeração da garrafa: -
Preço: 15.000 pesos
Onde foi comprado: Na vinícola, no Chile
Quando foi comprado: 5 de dezembro de 2008
Degustado em: 01 de junho de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Fondue de queijo
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do ProdutorVino de color violeta oscuro, casi negro. Los aromas característicos del Syrah se van abriendo y expresando elegantemente, aparecen notas a especias como la pimienta, frutas como la guinda negra y la mora, notas a carne, jamón, tierra húmeda, hojas de boldo y violetas, todo entremezclado en una sorprendente complejidad. En la boca es concentrado, los taninos son firmes pero redondos, vino balanceado, fresco y de larga persistencia. Se sugiere decantar y llevar a 18ºC antes de servir. Se recomienda para acompañar carnes de caza mayor como ciervo o jabalí, también cordero y quesos maduros de intenso sabor.

Comentário da Rafaela

Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Simples avaliação: vinho maravilhoso! E especial por que nos lembrar de nossa viagem a Santiago, no Chile. Para acompanhar compramos este founde de queijo da marca Campo Lindo pela primeira vez. O gosto é bom, mas não gostamos da maneira como ele se comportou. Ele é mais consistente e acaba fazendo com que tenhamos de ficar controlando a temperatura, para não queimar. E vai rápido demais, pois vai ficando denso rapidamente. Nesta noite, fomos visitar o Lucas, filho fofinho da Carol e do Marcelo. Para ficar aqui registrado, o pequeno vascaíno nasceu no dia 31.05.2012, no Hospital Panamericano, na Tijuca.
Nota: 92.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Bonita e marcante garrafa. A linha EQ (equilíbrio) consegue trazer o conceito para sua identidade visual.
Exame visual: Rubi denso, escuro.
Exame olfativo: Vinho de nariz muito intenso, algo que lembra embutidos e defumados misturados a frutas como cereja. Muito presente, complexo e interessante. Evolui para notas de especiarias.
Exame gustativo: Compramos este vinho durante nossa visita à vinícola em 2008. O local é muito bonito e a vinícola muito bem estruturada. A Syrah é uma das principais cepas cultivadas na vinícola na região de San Antonio, próxima ao Pacífico. É um vinho muito bom. Logo na primeira prova você percebe a qualidade do vinho com um sabor muito rico e complexo. Notas clássicas características da cepa como especiarias e algo picante. Bom corpo, taninos finos, um vinho de sabor limpo. Madeira perfeitamente integrada, final com alguma nota de chocolate e muito longo em boca. É um vinho de muito bem feito e muito prazeroso, que você lamenta quando a garrafa acaba . Altamente recomendado.
Nota: 92.0

24 de julho de 2012

Encostas de Penalva 2009 - Dão / Decero Petit Verdot 2009

Nome: Encostas de Penalva / Decero
Safra: 2009 / 2009
País: Portugal/ Argentina
Região: Dão / Agrelo
Produtor: Adega Cooperativa De Penalva do Castelo/ Finca Decero
Importador: -

Uvas/Corte: Touriga Nacional, Aragonês, Jean / Petit Verdot
Teor alcoólico: 12,5% / 14,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido pelo Rodrigo / -
Onde foi comprado: - / Winery em Buenos Aires
Quando foi comprado: - / Dezembro 2011
Degustado em: 25 de maio de 2012
Onde Bebeu: Casa da Tati e do Rodrigo
Harmonizado com: Saladinha variada com palmito, queijos, massa com molho vermelho e cogumelos
Com quem: Claudio, Rafaela, Tatiana e Rodrigo

Comentário do Produtor
Vinho de cor rubi, com aroma a frutos maduros, aveludado, macio, equilibrado com um final de boca persistente.
Petit Verdot forma parte de nuestro vino ícono cada año, donde nosotros seleccionamos algunas excepcionales parcelas para elaborar este “Mini Edición”. La cosecha 2009 es particularmente rica en aromas de arándanos mostrando gran complejidad y concentración. Esto demuestra el potencial de nuestro Viñedo Remolinos para elaborar Petit Verdot.

Comentário da Rafaela
Rótulo: 

Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Vencemos a preguiça de sair de casa quando Tati mandou uma mensagem sugerindo que fizéssemos alguma coisa. Estávamos em dúvida sobre onde ir, quando ela e Rodrigo sugeriram que fôssemos a Copacabana, no apartamento que ficam quando estão aqui no Rio. Foi muito legal. Eles prepararam uma salada muito gostosa e uma massinha com molho vermelho das melhores. Para completar ainda tinha cogumelos, que eu adoro. Estava tudo muito bom! Adoramos. Os vinhos acompanharam muito bem a comida e a conversa.
Nota: -


Comentário do Claudio
Rótulo: 

Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Noite muito agradável na companhia da Tatiana e do Rodrigo que nos receberam na casa deles aqui no Rio. Bebemos dois vinhos nesta noite para acompanhar a salada e a massa que eles prepararam. Começamos por um português do Dão, o Encostas de Penalva. É um vinho de corpo leve, em boca é agradável e descomplicado. Fácil de se beber. Um vinho que vai agradar e acompanha bem pratos leves. Na sequência abrimos um Petit Verdot argentino que tínhamos levado. Na virada do ano, quando estávamos em Buenos Aires, resolvi comprar vinhos para trazer para casa que não conhecia ou não tinha referência. Foi o casa deste Decero. Ao contrário do primeiro vinho, este tinha muita força e muita cor. São características desta cepa, mas este ainda estava com ainda mais extração e fruta. É um bom vinho, deve ser aberto com mais alguns anos de vida e acompanhado por uma comida com muita estrutura para acompanhar todo o seu peso. Foi uma ótima noite!
Nota: -

Open House Marcelo e Carol

Nome: Obelisco Frisante / Folha do Meio / Santa Valha / Encostas de Estremoz /Alata Vista Terroir Selection
Safra: - 
País: Portugal / Portugal / Portugal / Portugal / Argentina
Região:  - / Alentejo / Trás os Montes / Alentejo / Mendoza
Produtor: Ad. Coop. Almeirim /  Terrenus Veritae Quinta de Sobreiró de Cima /Encostas de Estremoz / Alta Vista

Uvas/Corte: Moscatel Graúdo e Fernão Pires / Trincadeira, Alicante Bouschet e Aragonez Touriga Nacional e Tinta Roriz / Alicante Bouschet / Malbec
Teor alcoólico: -
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 19 de maio de 2012
Onde Bebeu: Casa da Carol e do Marcelo, na Vila da Penha, no Rio
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio, Rafaela, Carol, Marcelo, Raquel, Ricardo, Tito, Carlinhos, Marcinha, Pedro, Miguel e Paula

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Fomos conhecer a casa do Marcelo e da Carol e aproveitamos também para realizar o chá de fraldas do Lucas, que deve chegar agora em junho. O apartamento ficou lindo, adoramos. A Carol é uma ótima cozinheira, estava tudo maravilhoso. Foi uma legítima noite portuguesa, preparada em detalhes. Rimos muito vendo o vídeo do casamento, rimos de nós mesmos, das dancinhas dos meninos, das brincadeiras perigosas e do susto que passamos - quando os desastrados derrubaram a noiva! Foi uma ótima noite. Torcemos para que o Lucas chegue com tranquilidade.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo: 

Exame visual: 
Exame olfativo:
Exame gustativo: Noite de muitos vinhos portugueses e boa conversa na casa da Carol e do Marcelo. Como não podia deixar de ser, em casa de portugueses, muita comida boa e uma seleção de vinhos da terrinha. Nesta noite não fizemos anotações, mas vale o registro do belo jantar e da companhia dos amigos!
Nota: 

19 de julho de 2012

Gérard Bertrand Naturalys - Merlot 2009


Nome: Gérard Bertrand Naturalys / La Mision
Safra: 2009 / 2011
País: França / Chile
Região: Pays D'OC -Languedoc / Maipo
Produtor: Gérard Bertrand / William Fèvre
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 100% / Chardonnay 100%
Teor alcoólico: 13% / 13,3%
Rolha: Cortiça / rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: 7 euros / R$ 18,80
Onde foi comprado: Galerias Lafayette, em Paris / Supermercado Zona Sul em Botafogo
Quando foi comprado: Julho de 2011 / 23 de maio
Degustado em: 23 de maio de 2012
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Risoto de mussarela de búfala e manjericão
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Précurseur en Languedoc, Gérard Bertrand a compris l’évolution de la consommation vers des vins d’expression, équilibrés et élégants. En offrant des Grands vins à un juste prix son succès est immédiat. Les vins de Prestige Gérard Bertrand deviennent rapidement la référence qualitative auprès des professionnels.

Comentário da Rafaela
Rótulo: 

Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Depois de muito pensar sobre o que fazer nesta noite de quarta-feira, tomamos a decisão de fazer um risoto em casa. Fomos então ao super para comprar os ingredientes. Minha resposta à pergunta do Claudio sobre qual vinho escolher para fazer o risoto é sempre a mesma: o mais barato. Ele raramente obedece. Sempre quer trazer algo diferente para fazer uma provinha enquanto cozinha. Eu acabei provando apenas um golinho. Para acompanhar o risotto, escolhemos este francês, que comprei ano passado ao passar por Paris antes de ir para a Alemanha. Como sempre, Claudio havia me dado uma lista de sugestões, mas (assim como ele não me ouve no supermercado aqui) resolvi escolher alguns por conta própria. Este vinho chamou minha atenção por ser um vinho orgânico. O preço também era convidativo. Ele me pareceu mais "limpo" que os demais vinhos que bebemos. Sou impressionável, então quando sei que é orgânico, já penso que será mais leve que os demais. Bom, não foi diferente desta vez. Foi bem com nosso risoto.
Nota: -


Comentário do Claudio
Rótulo: 

Exame visual: Rubi vivo e transparente / Amarelo bem claro
Exame olfativo: No nariz a impressão inicial é que tem algo de errado, mas é o estilo do vinho. Abre um pouco para fruta leve, ficando mais atraente. / leve álcool aparente.
Exame gustativo: Este é aquele tipo de vinho francês que vai trazer uma experiência na boca diferente dos vinhos que bebemos com maior frequência. Estilo diferente, com paladar de algo terroso, de corpo leve e notas que puxam para algo mais salgado. Em boca, ele é franco, aberto com características bem próprias, gostei do estilo e da experiência. Foi bem com o risoto. Antes provei um pouco do vinho branco que compramos para cozinhar. É um vinho chileno de entrada, simples, mas bem feito e agradável. Boa intensidade na boca, notas como doce de abacaxi em caldas e no seu final leve amargor aparece, sem atrapalhar. Um vinho que não faz feio pelo seu preço e que foi bem com queijo.
Nota: -

17 de julho de 2012

Jean Bousquet Reserva - Pinot Noir 2010

Nome: Jean Bousquet
Safra: 2010
País: Argentina
Região: Mendoza, Tupungato
Produtor: Jean Bousquet

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 14,4%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Diretamente da importadora Abflug
Quando foi comprado: 8 de maio de 2012
Degustado em: 18 de maio de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Queijos fundido, provolone, prima donna, embutido, patê francês e pães
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Color | Color rojo rubí intenso con tonos violetas.
Nariz | Aromas complejos recordando a cerezas y ciruelas con notas de café,
tabaco y de tostado.
Boca | Cuerpo medio. Acidez bien equilibrada típica del Pinot Noir que se
desarrolla en un paladar dulce y redondo hasta terminar en un final largo.
Maridaje Culinario | Carnes rojas, embutidos, pato y condimentos picantes

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Pensamos em ir jantar fora, mas de repente bateu uma preguiça de trocar de roupa e encarar o frio que estava lá fora. Resolvemos então ir apenas no supermercado aqui perto de casa e encontrar algo interessante para comermos. No caminho, sob chuva, decidimo-nos por uns queijos. Escolhemos alguns e voltamos felizes. Foi uma ótima noite em casa. Vinho bom vai sem se perceber e não foi diferente desta vez. Até brinquei que deveríamos abrir outro quando chegou ao fim.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo: 
Um rótulo de estilo clássico e bem feito. Simples e equilibrado.
Exame visual: Rubi vivo e transparente.
Exame olfativo: Notas de cereja e morango, bem ao estilo da cepa.
Exame gustativo: Segunda vez que degusto este vinho e assim como outros vinhos desta mesma vinícola, é um vinho muito bem feito, equilibrado e fácil de se gostar e de beber. É um ótimo Pinot Noir, com boa presença em boca de fruta, de paladar limpo e muito equilibrado. Estilo mais elegante, Um vinho orgânico que vale provar e de ótimo custo. A garrafa termina rápido e te deixa com vontade de beber mais um pouco. Recomendo.
Nota: 88.0 +

2 de julho de 2012

Da'divas - Pinot Noir 2011

Nome: Da'divas
Safra: 2011
País: Brasil
Região: Encruzilhada do Sul - RS
Produtor: Lidio Carraro
Importador: -

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: 13.073/13.500
Preço: -
Onde foi comprado: Vinícola Lidio Carrato, em Bento Gonçalves
Quando foi comprado: 6 de janeiro de 2012
Degustado em: 14 de maio de 2012
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Comidinha do Orienthai
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Terras de Encruzilhada do Sul - RS
Aroma sedutor de rosas, violetas e frutas do bosque, como morango, framboesa, cereja, amora, groselha, notas de especiarias e frutas secas. Vivaz e equilibrado. Envolvente, complexo e macio. Um vinho para apaixonar-se.

Comentário da Rafaela
Exame visual:
 -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este começo de semana não foi nada fácil, pois os trabalhos de aula começaram a pesar. Nesta terça-feira, depois de horas tentando entender a teoria dos sistemas autorreferenciados, de Niklas Luhmann, eu achei que tinha direito a abrir um vinho. Ainda mais que estava friozinho e com chuva lá fora. Claudio topou e sugeriu este ótimo Da'divas, da Lidio Carraro. Trata-se de um vinho leve e gostoso. Havíamos bebido um chardonnay pouco tempo atrás e comparando achei aquele mais evoluído que este. Talvez teria sido melhor se tivéssemos esperado mais um pouco. Apesar dessa primeira impressão, depois de um tempo aberto, o vinho melhorou consideravelmente.  
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
 Simples, equilibrado, mas com personalidade.
Exame visual: Bonita cor, claro, típico de Pinot Noir. Tons leves de cereja.
Exame olfativo: Nariz se abre depois de um tempo aberto. Notas delicadas com algo de cereja e notas leves de algo mais doce.
Exame gustativo: A safra 2010 deste vinho tinha me impressionado bastante. Provei mais de uma vez e a qualidade do vinho era clara. Na virada do ano quando passamos rapidamente pelo Vale dos Vinhedos, fiz questão de dar um pulo até a vinícola onde fomos recebidos pela Patrícia e pelo Giuliano. Eles me falaram que a safra 2011 deste Pinot estava ótima e que a expectativa era de se ter um Dadivas ainda melhor. Comprei a garrafa e eles me aconselharam a esperar alguns meses antes de abrir. Assim feito, abrimos este Pinot para acompanhar a nossa comida Thai. É um bom Pinot, mas esperaria mais um pouco para abrir. O 2010 me pareceu mais pronto, redondo e envolvente que o 2011. Este 2011 evolui bem na taça. Em boca notas claras de cerejas, corpo leve, final um pouco mais curto, acidez correta. Acho que vale esperar para degustar este vinho, acredito que vá evoluir bastante. Se achar o 2010, compre! 
Nota: 86.0 +

Salton Talento 2006 / Aliança Reserva 2008 - Dão

Nome: Salton Talento / Aliança
Safra: 2006 / 2008
País: Brasil / Portugal
Região: Vale dos Vinhedos / Dão
Produtor: Salton / Aliança - Vinhos de Portugal

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon, Merlot e Tannat  / Tinta-Roriz, Jaen e Touriga Nacional
Teor alcoólico: 13% / 13,5%
Rolha: Cortiça / Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: - / Gentilmente trazido pela Marie
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 12 de maio de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Pizzas variadas
Com quem: Claudio, Rafaela, Regina Helena, Marie, d. Márcia, Mauro e Marcela

Comentário do Produtor
Límpido com coloração roxo intenso com bouquet que lembra ameixa e uvas passas, pequenos frutos negros (cassis, amora, mirtilo e framboesa), algo de violeta, chocolate, cogumelo, nozes. Seu sabor é penetrante canforado, com taninos macios, sedosos e marcantes. Excelente retrogosto de frutas e grande permanência do sabor no paladar.

Immediately juicy with lots of bramble fruits and polished aromatics. Underlying savoury and herbal character with silky, supple black fruit. Soft tannins with hints of pine and vanilla on the elegant finish.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Na semana anterior, havíamos feito pizzas para nossos amigos Cris, Val e Milena. Ao publicarmos uma foto no facebook, a mãe do Claudio resolveu se pronuciar. Como assim, todo mundo experimentando as pizzas feitas por ele, menos ela, a mãe do chef. Reclamação feita, reclamação registrada e solução providenciada. Na segunda-feira mesmo ela recebeu um convite para vir jantar aqui em casa no sábado seguinte. Aproveitamos e chamamos também a Marcela e o Mauro, além de nossas amigas d. Márcia e Marie. Gostamos muito da companhia e foi uma noite bem agradável, na qual aproveitamos para comemorar o aniversário do Mauro e também iniciar as comemorações do dia das mães, que seria continuada no dia seguinte com almoço na casa da Marcela e do Mauro - aliás, a moqueca estava deliciosa!
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Mais uma noite com pizzas aqui em casa. Para acompanhar, escolhi o Talento. Tinha pensado em deixar esta garrafa fechada por algum tempo na adega, mas achei que ela poderia ir bem com as pizzas e realmente foi. Já degustamos o Talento outras vezes e é, sem dúvida, um bom vinho, bem feito. Este 2006 não fugiu a regra. Todos gostaram. Depois partimos para um agradável vinho português que a Marie gentilmente trouxe para a noite. Também foi bem com as pizzas. Foi uma noite muito agradável.
Nota: -

Circuito Brasileiro de Degustação 2012

No dia 15 de maio, participamos do Circuito Brasileiro de Degustação, que novamente foi realizado no Iate Clube, ali na Urca.


Comentário da Rafaela
Como estava tendo aula neste dia ali na UFRJ e o Iate Clube fica praticamente do lado, acabei chegando bem cedo ao circuito brasileiro de degustação. Chegar a uma feira quando ela ainda está meio vazia é a melhor coisa do mundo. Primeiro porque os expositores ainda estão bem animados para dar todas as explicações, segundo porque as pessoas ainda não beberam muito e se comportam de maneira mais civilizada, terceiro porque fica mais fácil circular com uma taça quando há menos gente. Claudio chegaria só mais tarde. Eu provei um bom vinho da Dezem, que eu não conhecia, outro da Kranz, lá de Treze Tílias. Aí resolvi espiar o que estava rolando de palestra. A mocinha da porta me deixou entrar sem questionar e havia ainda um lugar me esperando nas mesas de degustação. Sempre me divirto ouvindo os comentários das pessoas sobre vinhos, parecem que estão lendo aquelas revistas especializadas: "mineralidade, bem evoluído, um quê de frutas vermelhas, forte gosto de carvalho... e por aí vai". Queria ter provado o espumante Gold da Valduga, mas quando fui ao estande ele já havia acabado. No mesmo dia ocorreu um evento no Aprazível, uma pena que não deu para ir. Seria bom ter visto/tido as duas experiências.


Comentário do Claudio
O dia 15 de maio foi muito agitado aqui no Rio com relação aos vinhos brasileiros. No meio do fogo cruzado dos debates nas redes sociais sobre o pedido de Salvaguardas para o Vinho Brasileiro, dois eventos aconteceram quase que simultaneamente: o Circuito Brasileiro de Degustação, promovido pelo Ibravin e um evento no restaurante Aprazível, do amigo Pedro Ermeto, que reuniu diversos pequenos produtores brasileiros que se posicionaram contra as salvaguardas. Eu sou contra a Salvaguardas e acho que não é este o caminho para o vinho brasileiro. Apoio o aumento da base de consumo, a divulgação da cultura do vinho e a desoneração de todo e qualquer vinho. Salvaguarda pode virar um grande tiro no pé para os produtos nacionais. Minha vontade neste dia era ir aos dois eventos e assim ouvir os produtores presentes diretamente e assim tentar entender todos os lados e opiniões sobre o tema. Infelizmente fiquei preso no trabalho até o início da noite o que me impediu de ir até o Aprazível. Apenas fui no final do evento do Iate Clube para encontrar com a Rafaela. Alguns produtores participaram dos dois eventos. Vamos ver o que será resolvido com relação ao pedido e torcendo para que todos os lados resolvam pensar em uma unica direção, o do aumento da base de consumo e da redução de impostos para o vinho.

Dedicato Prosecco

Nome: Dedicato Prosecco
Safra: -
País: Itália
Região: Verona, Vêneto
Produtor: -

Uvas/Corte: -
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido pelos pais do Bernardo, Cris e Flávio
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 12 de maio de 2012
Onde Bebeu: Hotel Porto Bay, em Copacabana, no Rio
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio, Rafaela, Cris, Flávio, Bernardo e familiares

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Bernardo nasceu em 4 de maio. Consegui visitá-lo rapidamente na maternidade no dia seguinte, mas Claudio acabou não podendo ir, pois estávamos com visitas. Por isso, foi uma alegria quando Cris nos ligou para convidar para o batizado, abrindo uma exceção na restrita lista de convidados. Fomos felizes acompanhar a cerimônia judaica de batizado do pequeno. Esperamos revê-los em breve.
Nota: -

1 de julho de 2012

T.H. - Carignan 2009 #cbe

Nome: T.H.
Safra: 2009
País: Chile
Região: Maule
Produtor: Undurraga

Uvas/Corte: Carignan 100%
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente oferecido pela importadora Abflug
Quando foi comprado: -
Degustado em: 30 de junho de 2012
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Salada e massa a Carbonara
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Tivemos apenas boas surpresas com esses vinhos T.H. Este mesmo revelou-se bem gostoso, com forte gosto de morango, sendo intenso, mas ao mesmo tempo leve e agradável. Gostei que ele harmonizou muito bem com o prato de massa que o Claudio preparou, com molho carbonara. Foi um jantar bem agradável, que começou com uma saladinha das minhas. Aprendi com minha amiga Érika que para evitar comer demais num jantar, o ideal é comer uma salada antes. Assim damos uma enganada no estômago. Dito e feito. Nem repeti a massa, o que deixou o Claudio um pouco triste, achando que eu nem tinha gostado da massa - mas eu gostei muito. Este sábado foi de bastante atividade. Começamos o dia indo a uma festa alemã na Escola Corcovado, onde estudam os dois filhos de um casal de amigos nossos, o Miguel e a Paula. Foi uma manhã e começo de tarde bem legais. Saindo dali, voltamos pela rua de compras de Botafogo e fomos chamados para dentro das lojas. Compramos várias coisinhas que estavam faltando aqui em casa - lâmpadas, pilhas e afins. Chegando em casa, eu resolvi descansar um pouco antes do jantar. Nem sei se foi uma decisão acertada, pois deveria estar estudando, terminando a pilha de trabalhos que tenho que entregar nesta semana. Bom, agora já foi e devo confessar que a dormidinha estava triboa.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo: 
Segue a identidade visual da linha Terroir Hunters que é interessante: pegadas que seguem para um X, indicando o local exato do melhor terroir, conceito da linha.
Exame visual: Violeta com boa intensidade.
Exame olfativo: Bom nariz, com frutas vermelhas como morango e leve nota picante como pimenta preta.
Exame gustativo: Uva Carignan foi a escolha do amigo Daneil Perches para ser o tema do mês da Confraria Brasileira de Enoblogs, em sua 70ª edição. Foi uma boa chance para degustar este vinho da linha Terroir Hunters que estava em nossa adega. Uma semana antes, provei este vinho às cegas na degustação do Top 5 do Encontro de Vinhos em Campinas. Este garrafa ficou em terceiro lugar na degustação e foi um dos meus vinhos mais pontuados. Agora degustando com calma pudemos confirmar as virtudes desta garrafa. Deixamos por cerca de 40 minutos no Decanter e provamos em duas temperaturas diferentes. Um vinho moderno, muito bem feito, boa entrada em boca com bastante fruta e leve nota de alguma especiaria. Bom corpo, boa intensidade, sem ser "over". Taninos firmes, boa acidez, final de boa presença aparecendo uma nota leve vegetal em seu fim. Vinho muito interessante, que foi bem com a nossa massa à Carbonara e que é uma ótima pedida para quem quer provar um vinho desta cepa. Recomendo.
Nota: 90.0

Herdade do Pinheiro Reserva 2004


Nome: Herdade do Pinheiro Reserva
Safra: 2004
País: Portugal
Região: Alentejo
Produtor: Herdade do Pinheiro

Uvas/Corte: Aragonez 50%, Trincadeira 25%, Touriga Nacional 25%
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 49
Onde foi comprado: Loja de vinhos do Barra Square
Quando foi comprado: 11 de maio de 2012
Degustado em: 11 de maio de 2012
Onde Bebeu: Restaurante da loja de vinhos do Barra Square
Harmonizado com: Bacalhau
Com quem: Claudio e demais participantes da reunião

Comentário do Produtor

-

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Há algum tempo tinha provado este vinho e tinha achado ele bem interessante. Durante um almoço de trabalho, onde o prato principal foi um bacalhau ao forno, escolhi este alentejano para acompanhar. Se não me engano, o vinho que provei era desta mesma safra, a 2004. O vinho apresentou notas de evolução se mostrando na hora exata para se consumir, já evoluído e sem sinais que irá crescer ainda. Em boca estes sinais de evolução são confirmados, vinho estava muito elegante, taninos redondos, paladar sem exageros, bem ao estilo velho mundo. Não evoluiu em taça. Seu final não é tão longo, mas o vinho é prazeroso e boa companhia para comida. Bastante agradável e vale provar. Se você encontrar a safra 2004, abra a garrafa logo.
Nota: 88.0