3 de outubro de 2012

Rubizzo - Chianti Colli Senesi 2010

Nome: Rubizzo
Safra: 2010
País: Itália
Região: Chianti
Produtor: Rocca delle Macie
Importador: -

Uvas/Corte: Sangiovese, com um pouquinho de merlot
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Café Carandaí, no Rio
Quando foi comprado: 4 de setembro de 2012
Degustado em: 4 de setembro de 2012
Onde Bebeu: Café Carandaí, no Rio
Harmonizado com: Sanduíche de ciabatta com queijo da canastra e salame
Com quem: Claudio

Comentário do Produtor
Alla fine degli anni ’70 un vino come il Rubizzo era sicuramente una rivoluzione per il gusto chiantigiano abituato a vini che basavano il loro nerbo su una struttura prevalentemente acida, poco adatti all’invecchiamento e più scarichi nel colore.Italo voleva un vino che avesse una maggiore complessità aromatica, più morbidezza e sostanze coloranti, ma allo stesso tempo una bevibilità e piacevolezza che lo rendessero adatto a qualsiasi palato e situazione.
In qualche modo il Rubizzo è stato un precursore di un gusto che successivamente è diventato molto comune tra aziende e consumatori. E’ il vino che ha accompagnato la storia Rocca delle Macìe cambiando ed evolvendosi con lei.

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual:
Exame olfativo: Nariz um pouco fechado, que mistura um pouco de fruta com algo de estrebaria.
Exame gustativo: Estava passando pelo Jardim Botânico e o trânsito estava terrível. Lembrei-me que estava querendo conhecer o café aberto na Casa Carandaí. Resolvi então parar e lanchar por ali mesmo antes de voltar para casa. O café fica nos fundos da casa, um local que não é muito grande, com uma cozinha aberta e decoração bem simpática, com diversas garrafas de vinhos ícones compondo o ambiente. Resolvi pedir o excelente sanduíche de ciabatta com salame e queijo da Serra da Canastra (foto). Como estava uma noite fria, resolvi pedir uma taça de vinho. A casa oferece alguns vinhos em taça que ficam escritos na parede-quadro negro. Escolhi este Chianti que achei que iria bem com meu sanduíche. E realmente foi. É um Chianti simples e correto, de estilo velho mundo, com seu final levemente oxidado, tânico e que tem aquele perfil gastronômico. Uma boa opção para ser servida em taça e deve funcionar bem com uma massa com molho de tomate. Corpo médio, um vinho simples de final relativamente curto, mas de conjunto agradável. Combinou com o dia e com o lanche. Quem ainda não conhece, vale dar um pulo na Casa Carandaí, a qual tem no segundo piso uma boa loja de vinhos. Único ponto negativo é que fui informado que não poderia comprar um vinho ali na loja e degustar no café... Certamente, o local ficaria muito mais atraente se fosse permitido fazer isto (#ficaadica).
Nota: -

Nenhum comentário: