25 de agosto de 2011

Pergunta da Semana - 234

Na última segunda feira participei de mais uma edição do Winebar. Desta vez provamos dois vinhos da Vinícola Basso, sendo um deles um frisante. Inspirados nesta degustação, nesta semana o Le Vin au Blog quer saber:

- Você tem preconceito com vinhos Frisantes? Costuma beber estes vinhos?

21 de agosto de 2011

Maximo Boschi Brut Tradizionale - 2009

Nome: Maximo Boschi Brut Tradizionale
Safra: 2009
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Vinícola Máximo Boschi
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay e Pinot Noir
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: 0382/3000
Preço:-
Onde foi comprado: Canta Maria, em Bento Gonçalves
Quando foi comprado: 2 de junho de 2011
Degustado em: 23 de julho de 2011
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Raclete
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
• Visão: coloração amarelo-esverdeado, límpida, brilhante e com reflexos.
• Olfato: fino e elegante, ressalta frutas frescas, abacaxi e maçã, com nota de chocolate branco.
• Paladar: com persistência longa, revela a sua perfeita harmonia com a acidez bem refrescante. No retrogosto, ressalta as leves notas de baunilha, com equilíbrio completo.

Comentário da Rafaela
Exame visual:
-
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Senti gosto de pêssego em um determinado momento. Nos primeiros goles não me pareceu assim tão gostoso, mas talvez seja a tendência a sempre comparar com o 130, da Valduga. Depois que assimilamos de que se não se trata de um 130, o espumante até melhora. Deve ser porque tiramos a pressão de cima dele. É gostoso, honesto, mas um espumante para o dia-a-dia. Sempre fico na dúvida, mas ainda não consegui encontrar a resposta, se o vinho realmente melhora com o tempo de aberto (sim, eu sei, em muitos casos, sim) ou se é porque já vamos perdendo um pouco da noção, estando, como se sabe, levemente alcoolizados.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
 Bem clássico. Estilo antigo de rótulos para espumante.
Exame visual: Amarelo pálido claro.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Estava querendo degustar um Máximo Boschi há algum tempo. Quando estive na Serra Gaúcha, encontrei este garrafa e resolvi comprar. A expectativa era grande, mas ao primeiro gole achei que o espumante não estava no seu auge. Alguma coisa estava errada com a garrafa. Continuamos a degustar, o espumante evoluiu depois de um tempo aberto, mas a garrafa não estava 100%. Acho que vamos ter que degustar uma outra vez para tirar a prova.
Nota: -

17 de agosto de 2011

Pergunta da Semana -233

Nesta semana o Le Vin au Blog quer saber:

- Onde você costuma comprar seus vinhos com mais frequência: supermercado, lojas especializadas ou pela internet?

13 de agosto de 2011

Pericó Taipa Rosé - 2010

Nome: Taipa
Safra: 2010
País: Brasil
Região: São Joaquim
Produtor: Pericó
Importador: -

Uvas/Corte: 60% Cabernet Sauvignon e 40% Merlot
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço:-
Onde foi comprado: Essen, em Florianópolis
Quando foi comprado: 9 de abril de 2011
Degustado em: 21 de abril de 2011
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Estreia de nossa nova racleteira, presenteada pela mãe do Claudio, Regina Helena (Muito obrigada! Adoramos!)
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
VISUAL rosa cereja claro, brilhante, elegante OLFATO aroma fino e delicado com notas de frutas vermelhas, onde se percebe goiaba, amora e rosas, com leve toque de baunilha originada da breve passagem em carvalho novo, francês BOCA frutado, refrescante, se percebe a elegância do carvalho francês e as mesmas frutas encontradas no aroma

Comentário da Rafaela
Exame visual:
Bela cor, salmão escuro
Exame olfativo: Difícil identificar os aromas.
Exame gustativo: Muito gostoso. Claudio deveria escrever que foi uma boa escolha minha. Comprei durante minha última viagem a Florianópolis, na Essen. A garrafa é bem diferente, bonitona. E o vinho é gostoso, tem um quê vegetal no final. Acompanhou à altura a estreia de nossa racleteira, que nos foi presenteada no mesmo dia pela mãe do Claudio. Muito obrigada! Gostamos muito!
Nota: 89.0


Comentário da Claudio
Rótulo:
Bonito conjunto. O formato da garrafa e a tonalidade do vinho formam um bom conjunto.
Exame visual: Salmão fechado e escuro
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Um rosé bem diferente dos últimos que degustamos. É preciso deixar aberto por algum tempo antes de ser degustado. Este rosé catarinense tem bastante intensidade em boca, bom corpo e notas vegetais misturados com leve fruta. É um vinho gostoso e com personalidade e características peculiares. Pode não agradar a todos. Provamos levemente resfriado e funcionou bem com o raclete. Vinho interessante.
Nota: 87.0

10 de agosto de 2011

Pergunta da Semana - 232

Nesta semana o Le Vin au Blog quer saber:

- Você gostaria de ser presenteado ou presentear vinhos nos Dia dos Pais?

1 de agosto de 2011

Pergunta da Semana - 231

Nesta semana o Le Vin au Blog quer saber:

- Com que idade você começou a beber vinho com mais regularidade?

Primus 2008 - #cbe



Nome: Primus
Safra: 2008
País: Chile
Região: Valle Casablanca
Produtor: Veramonte
Site: http://www.veramonte.com
Importador: Zona Sul

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 46%, Syrah 20%, Merlot 15% e Carmenère 19%
Teor alcoólico: 14,5 %
Rolha: De cortiça, tamanho médio, com logomarca gravada
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 37,50
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul
Quando foi comprado: 14 de julho de 2011
Degustado em: 29 de julho de 2011
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Sanduíche de queijo
Com quem: Claudio

Comentário do Produtor
Un vino poderoso, contundente con notas de especies exóticas y fruta madura. Aterciopelado con sabores a mora y cerezas se combinan con taninos intensos pero suaves.

Comentário do Claudio
Rótulo: Rótulo equilibrado, estilo antigo, remetendo a algo religioso.
Exame visual: Rubi escuro vivo.
Exame olfativo: Diferente e difícil. Pimenta Preta misturado com algo verde e algo químico também.
Exame gustativo: Aproveitei que a nova safra do vinho Primus apareceu em promoção no Supermercado e resolvi comprar para ser o vinho do mês da Confraria Brasileira de Enoblogs. Venho provando as últimas safras deste vinho e sempre com um bom resultado. Em geral acho que ele merece ficar mais tempo em garrafa para chegar ao seu auge. Tenho um 2006 na adega que predendo deixar mais tempo lá. De todas as safras provadas, este 2008 foi o que pareceu mais jovem e ainda longe de estar pronto. Em boca apresenta uma grande adstringência. EM buca notas de pimenta preta, algo vegetal. Final se concentra na boca, parecendo ainda verde. Aparece algo como cacau também. Evoluiu depois de bastante tempo aberto. Com relação às outras safras, este está mais distante de estar pronto e está mais difícil ver como ele vai ficar.

Nota: 86.0 +