31 de maio de 2011

Aparados - Cabernet Sauvignon 2007



Nome:
Aparados
Safra: 2007
País: Brasil
Região: São Joaquim
Produtor: Vila Francioni
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 13,8%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço:R$ 25,00
Onde foi comprado: Essen, em Florianópolis
Quando foi comprado: 11 de abril de 2011
Degustado em: 22 de maio de 2011
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Penne com molho de tomate especial com funghi comprado no Zona Sul
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Cor: vermelho rubi, intenso, com reflexos violáceos, brilhante.
Guarda: 2 a 3 anos.
Aroma: complexo, com notas de frutas vermelhas e pretas, cacau e levemente mentolado.
Informações Gerais: estágio em barricas de carvalho francês.
Harmonização: Carnes de cordeiro, avestruz e gado, massas com base de molhos pomodorinão muito condimentados. Acompanha bem queijos de média maturação.


Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Começou supervegetal, um cheiro já sentido em outros vinhos.
Exame gustativo: Vinho latino. Claudio comentou que tem personalidade. Uma personalidade bem da região sul da América, eu diria. Evolui bastante depois de aberto, fica muito mais fácil de bebê-lo depois de respirar um tempo. Atestamos mais uma vez o quanto o Wine Finer pode ser muito bom para determinados vinhos. Neste, foi essencial. Ótimo custo/benefício.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Rótulo simples, com uma ilustração de uma araucária. Parece uma aquarela feita com vinho.
Exame visual: -
Exame olfativo: Boa surpresa já no nariz. Muito intenso, um mix de embutidos com notas mentoladas. Já sentido em outros vinhos desta mesma região. Com mais tempo aberto apareceu um chocolate. Nariz rico para um vinho de entrada.
Exame gustativo: Excelente surpresa vinda de Santa Catarina. Este vinho é de entrada e lançamento da Vila Francioni. Vinho de entrada com muita personalidade, um Cabernet Sauvignon bem particular. Difícil encontrar nesta faixa de preço vinho com este perfil. Repete na boca o nariz, notas embutidas e mentoladas, perfil já sentido em outros vinhos da região. Evolui muito bem na taça, ficando mais macio e aparecendo notas de frutas, que até lembram as goiabas dos Cabernet chilenos. Final de boa intensidade e com algo picante. Para a faixa de preço e o propósito para o qual foi lançado é um vinho de personalidade e que vai competir muito bem com muitos vinhos nesta faixa de preço. Ótimo custo/benefício.
Nota: 87,0+

Cortes de Cima - 2008 / Paulo Laureano Reserve - 2007


Nome: Cortes de Cima / Paulo Laureano Reserve
Safra: 2008 / 2007
País: Portugal
Região: Alentejo
Produtor: Cortes de Cima / Paulo Laureano
Importador:

Uvas/Corte: 52 % Aragonez, 39 % syrah, 4% Cabernet Sauvignon, 2% petit verdot e 2%touriga nacional / Aragonez, trincadeira e alicante bouschet
Teor alcoólico: 14% / 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 49,00 / R$ 48,90
Onde foi comprado: Arte dos Vinhos, Cadeg
Quando foi comprado: 21 de maio de 2011
Degustado em: 21 de maio de 2011
Onde bebeu: Barsa, no Cadeg
Harmonizado com: Bacalhau do Rei e Arroz de Pato
Com quem: Claudio, Rafaela, José Rodrigo e Sabrina

Comentário do Produtor

Revela um aroma complexo a fruta e especiarias. No palato é rico e concentrado. Fresco e equilibrado, termina longo e elegante.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -.
Exame gustativo: Combinamos ir ao Cadeg com o Zé Rodrigo e a Sabrina para provar as comidas do Barsa. Foi uma ótima pedida. A comida estava muito boa, o dia não estava muito quente e a companhia, como sempre, foi ótima. Gostei mais do primeiro vinho, me pareceu mais fácil de beber, talvez porque quando foi aberto estávamos começando a comer. O segundo, foi bebido sozinho, sem nada para acompanhar e acho que isso fez alguma diferença. Talvez ficasse melhor com a comida. Ambos bons vinhos!
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo:
Fomos levar o Zé Rodrigo e a Sabrina para conhecer e almoçar na Cadeg. Pegamos eles no aeroporto e seguimos direto para o restaurante Barsa. Como sempre aos sábados a Cadeg estava bem movimentada. Compramos os vinhos na loja ao lado do restaurante (lá eles cobram R$ 10,00 a rolha e levando em consideração os ótimos preços dos vinhos na Cadeg, vale a pena). O almoço foi muito gosto e o papo agradável. Começamos com o gostoso e redondo Cortes de Cima. Vinho de boa complexidade em boca, e arredondado pela passagem em barrica. Uma excelente pedida por R$ 49,00. Boa companhia para o Arroz de Pato e para o Bacalhau. Resolvemos abrir o segundo vinho do ótimo produtor Paulo Laureano. Este vinho estava com a acidez um pouco mais marcada e os taninos não estavm 100% domados. É um bom vinho, que vai melhorar com mais tempo de garrafa ou depois de um período no decanter. Pede uma comida. Dois vinhos portuguses antes de darmos uma passadinha na festa da colônia portuguesa que acontece aos sábados por lá. A noite fomos ver o show do Léo Jaime no Arpoador. Foi um sábado divertido.
Nota: 89,0+ , 88.0

La Monella Frizzante - 2009


Nome: La Monella
Safra: 2009
País: Itália
Região: Rocchetta Tanaro
Produtor: Braida di Bologna Giacomo Azienda viti-vinicola
Importador: Expand

Uvas/Corte: Barbera
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Expand, São Paulo
Quando foi comprado: 30 de dezembro de 2010
Degustado em: 19 de maio de 2011
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Escondidinho de frango
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -.
Exame gustativo: Existem dias em que resolvemos fazer umas receitas meio inventadas aqui em casa. Nesse dia, analisamos o que tínhamos na geladeira e Claudio sugeriu que fosse um escondidinho. Ficou meio diferente, mas muito bom. Gostei! Eu queria beber este La Monella há muito tempo, já o havia namorado muitas vezes na Expand, mas achava meio caro. No final do ano, aproveitando uma promoção de sites de compras coletivas, conseguimos comprá-lo com 50% de desconto. O que eu não esperava, nem nunca tinha lido no rótulo era que ele fosse frisante. O vinho é bom, mas fica 'engraçado' ser frisante. Não sei se foi uma boa surpresa. Ele é leve, pode ser bom num dia de verão, eu acho. O resultado é que acabamos deixando as últimas taças cheias, o que é bem raro de acontecer. Em alguns momentos, deixa um gosto de sagu na boca, com bastante cravo-da-índia. Sei lá, acho que não quero bebê-lo de novo.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Gosto bastante desta linha de rótulos. Equilibrado, vivo e alegre. Bom uso da tipologia e cores.
Exame visual: Lembra cor de Pinot Noir
Exame olfativo: Leve fruta.
Exame gustativo: Vinho leve, com notas de frutas frescas. Levemente frizante, o que deixa este vinho bem diferente. Algo de fruta no meio de boca misturado com algo de difícil definição. Vai bem com comida e tem uma boa permanência. Final com algo diferente como mentol. É um vinho diferente. É fácil de beber, mas não sei se vai agradar a todos.
Nota: 86.0+

29 de maio de 2011

Château de Bellevue - Le Sang de la Terre - Lussac St. Emillon - 2002


Nome: Château de Bellevue - Le Sang de la Terre
Safra: 2002
País: França
Região: Lussac St. Emilion - Bordeaux
Produtor: Château de Bellevue
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 95% e Cabernet Sauvignon 5%
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: 12 euros
Onde foi comprado: Lavinia, em Paris
Quando foi comprado: 20 de setembro de 2010
Degustado em: 14 de maio de 2011
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Sanduíches
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Tout comme le voisin Saint-Émilion, Lussac est le royaume du merlot : André Chatenoud, vigneron adepte du bio, en donne une interprétation d’une totale sincérité.
Traditionnel et sans artifice, un rouge marqué par le fruit bien mûr du merlot (note de prune), ample et charnu, plein d’un charme d’ores et déjà très appréciable.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -.
Exame gustativo: Dia meio preguiçoso. Tomamos café no Botânica, fizemos compras no Hortifruti, cozinhamos, fomos ao shopping bem rapidinho, vi filme, li. Ou seja, um dia dos sonhos, ainda mais com a chuvinha que caía lá fora. Miguel e Paula ligaram para sairmos à noite, mas o apelo para ficar em casa acabou sendo maior. Vinho bem gostoso. Se eu não soubesse que se tratava de um vinho francês, provavelmente arriscaria dizer que era um francês, pelo estilo. Há um perigo em determinar a nota só lá no final da degustação. Primeiro, porque já se foram algumas taças. Segundo, porque se a noite foi boa a probabilidade é que a nota seja também influenciada por isso, mas vamos lá, eu acho que este vinho vale...
Nota: 91.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Estilo francês, mas pode ficar mais equilibrado.
Exame visual: Rubi vivo, não parece que tem 9 anos.
Exame olfativo: Muito interessante. Fruta bem limpa, bem vivo.
Exame gustativo: Esta garrafa foi comprada na nossa última viagem à Paris. Estava procurando algum vinho de cultura biológica, já com alguns anos de vida e não muito caro. Esncontrei esta garrafa na Lavinia. Foi um ótima surpresa. Vinho francês bem característico, sem mostrar nenhum sinal dos 9 anos de vida na taça. No início seu final estava curto, mas ele evoluiu muito bem na taça. Notas de frutas como ameixa mesclado com algo leve de vegetal. Leve adstringência. Bom vinho para acomapnhar comida, prazeroso com boa presença em boca. Seu final poderia ser um pouquinho mais longo. De qualquer maneira foi uma ótima experiência.
Nota: 89,0+

Sozo Imagination Brut - 2009


Nome: Imagination
Safra: 2009
País: Brasil
Região: Campos de Cima da Serra
Produtor: José Sozo
Importador: -

Uvas/Corte: Pinot Noir 60% e Chardonnay 40%
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 39,90
Onde foi comprado: Supermercado Bortolon
Quando foi comprado: 8 de abril de 2010
Degustado em: 12 de abril de 2011
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Orienthai
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Abacaxi.
Exame gustativo: Comprei este espumante poucos dias antes, quando estive em Vacaria, visitando a minha mãe. Nos últimos tempos, toda vez que vou para lá, vou com uma lista de encomendas. Desta vez, um vinho do seu Randon, o novo Viognier, e este espumante. Só encontrei este no Bortolon, um dos poucos lugares onde se pode comprar os vinhos da região. Gostamos bastante. Segundo o Claudio, sempre sou mais parcial quando se trata de vinhos da minha região. Bom, sinceramente, não acho que poderia ser diferente. Fico bem feliz de estarem fazendo vinhos bem gostosos por lá. Este espumante é bom exemplo disso. Achei bem gostoso e combinou com a comida com inspiração asiática.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Bonita garrafa, no mesmo formato da 130. Uso de preto e dourado que dá elegância. Conjunto razoavelmente equilibrado.
Exame visual: Bem clarinho.
Exame olfativo: Bem leve e agradável, com frescor. Leve notas de frutas e final com um pouco de brioche.
Exame gustativo: Mais um vinho que provamos do José Sozo e o primeiro espumante que provamos dos Campos de Cima da Serra. Rafaela trouxe diretamente de Vacaria esta garrafa. Meu amigo Daniel Perches já degustou e fez até um video sobre este espumante, veja aqui. Este espumante é mais um exemplo do bom potencial da região. Espumante leve, gostoso e fácil de se beber. Não é um espumante complexo, mas tem boa acidez e foi muito bem com a comida Thai. Vale provar e ficar de olho nas próximas safras.
Nota: 87,0+

28 de maio de 2011

Forest Ville - Cab. Sauvignon 2008 / Garmendia - Tempranillo, Graciano e Garnacha 2004



Nome:
Forest Ville / Garmendia
Safra: 2008 / 2004
País: Estados Unidos / Espanha
Região: Califórnia / Vino de la tierra de Castilla y León
Produtor: Forest Ville / Garmendia
Importador: Wine Experience / RPM

Uvas/Corte: Cab. Sauvignon / Tempranillo, Graciano e Garnacha
Teor alcoólico: 12,5% / 14%
Rolha: Cortiça / Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 55,00 / 48,00
Onde foi comprado: Confraria Carioca, no Rio Plaza
Quando foi comprado: 11 de maio de 2011
Degustado em: 11 de maio de 2011
Onde bebeu: Confraria Carioca, no Rio Plaza
Harmonizado com: Queijos, salames e lombinho
Com quem: Claudio, Rafaela, Helton e Tiago

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -.
Exame gustativo: Este encontro era para ter acontecido há muito tempo. Eu cheguei a sair com o Helton algumas vezes, mas o Claudio sempre estava fora do Rio quando o Helton voltava ao Rio para algum compromisso. Finalmente, conseguimos nos reunir. E Helton levou um amigo bem simpático, o Tiago. E colorado! Foi uma noite superagradável, mesmo que os meninos tenham conversado um monte sobre futebol. É uma maneira de eu aprender um pouco. Apesar de que nem me lembro de um décimo de todos os lances debatidos por eles. Bom, também isso é coisa que só cabeça de homem consegue processar - ou na maioria dos casos, pelo menos. Gostei mais do vinho norte-americano, achei mais fácil de beber. O espanhol parecia muito forte. Não era ruim, mas se eu tivesse de escolher um dos dois para beber, ficaria com o primeiro.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Noite de provar dois vinhos que não conhecia e nem referências tinha. O Helton que estaria no Rio nos ligou para bebermos um vinho. Sugerimos a Confraria Carioca, boa loja de vinho que fica no Botafogo Plaza Shopping. Chegando lá combinamos que o Helton escolharia um vinho e eu o outro. O primeiro da noite foi um californiano, bem agradável, sem exageros, com boa fruta em boca. Não é um vinho muito complexo, mas redondo e bem feito. Na sequência resolvi escolher este espanhol da safra de 2004. Vinho de estilo bastante diferente. Me pareceu que o espanhol precisava de uma comida para acompanhar. Apesar de estar com 7 anos, os taninos ainda estavam vivos e com leve adstringência. Boa intensidade em boca. Provaria novamente, mas com uma comida mais forte, acho que vai melhor. A noite foi bastante agradável e é sempre interessante provar vinhos que não conhecemos.
Nota: -

Pergunta da Semana - 221

Nesta semana o Le Vin au Blog quer saber:

- Qual a principal razão que te leva a buscar informação em blogs?

Marco Luigi Brut


Nome: Marco Luigi Brut
Safra: -
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Vinícola Marco Luigi
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay 100%
Teor alcoólico: 12%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 23,50
Onde foi comprado: Cadeg
Quando foi comprado: março de 2011
Degustado em: 8 de maio de 2011
Onde bebeu: Na casa do Mauro e da Marcela
Harmonizado com: Moqueca de frutos do mar e strogonofe de camarão
Com quem: Claudio, Regina, Marcela, Mauro, Andrea, Marcia e Elisa

Comentário do Produtor
Marco Luigi: Este espumante foi elaborado com uvas Chardonnay provenientes de um vinhedo minuciosamente planejado. Elaborado através do método Champenoise (fermentação na própria garrafa), fermentou em caves de terra natural com permanência em contato com as leveduras por um período aproximado de 15 meses. Resultou em um espumante agradável, de aromas intensos com perlage fina e persistente. Este espumante apresenta cor clara, com tons esverdeados. Apresenta um perlage intenso e persistente. Seu aroma é intenso, fino, lembra flores brancas e frutas cítricas. Seu sabor é leve, doce e refrescante.

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Levei este espumante para acompanhar o almoço de dia das mães e o aniversário do Mauro. Mais uma vez se mostrou uma ótima opção de espumante. Bem feito e agradável, vai bem com comida.
Nota: 87.0 +

27 de maio de 2011

Workshop Mídias Sociais

Le Vin au Blog estará presente no Workshop Mídias Sociais, em Bento Gonçalves, na próxima semana. Leia mais sobre em Le Vin au Blog Notícias.

Pergunta da Semana - 222

Nesta semana o Le Vin au Blog quer saber:

- Você já fez turismo no Vale dos Vinhedos?

26 de maio de 2011

World Wine Experience 2011

No início do mês, participamos da edição carioca da World Wine Experience 2011. Um curto comentário sobre a experiência foi publicado no Le Vin au Blog Notícias.

23 de maio de 2011

Pizzato Reserva Merlot 2005


Nome: Pizzato
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Pizzato
Site: http://www.pizzatovinhasvinhos.com.br/
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: De cortiça com logomarca gravada
Numeração da garrafa: 7.121/8.800
Preço: R$ 19,50 (meia garrafa)

Onde foi comprado: Cobal do Humaitá
Quando foi comprado: 7 de maio de 2011
Degustado em: 7 de maio de 2011
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizza Portuguesa
Com quem: Claudio

Comentário do Produtor
Visual: Vermelho rubi à violáceo,denso.
Aroma: Apresenta aromas de frutas vermelhas maduras, ameixa preta, anis, especiarias e levemente achocolatado.
Gosto: Equilibrado, de bom corpo e taninos finos. Boa complexidade e retrogosto de frutas vermelhas maduras.
Compatibilização: Acompanha de aves a carnes vermelhas elegantemente temperadas, até carnes de caça. Queijos pouco gordurosos, massas e risotos à base de funghi.

Comentário do Claudio
Rótulo:
Esta garrafa já está com a nova programação visual da Pizzato. Rótulo branco, limpo com detalhes em preto.
Exame visual: Grená indo para o violeta, vivo e intenso. Bonita cor.
Exame olfativo: Início um pouco fechado, passando para algo frutado como ameixa.
Exame gustativo: Há mias ou menos dois anos, degustamos este mesmo vinho em uma edição da Confraria Brasileira de Enoblogs. Na época eu escrevi que gostaria de provar novamente este vinhos algum tempo depois. Recentemente tinha visto esta meia garrafa na Cobal e como estava sozinho em casa, resolvi comprar para acompanhar uma pizza e observar o comportamento dele dois anos depois. Abri o vinho e coloquei um pouco na taça. A primeira impressão não foi boa, parecia fechado e sem vida. Resolvi usar o nosso aerador e provei novamente. A coisa mudou de figura e o vinho abriu e mostrou todo o seu potencial. Nenhum sinal de envelhecimento, bom corpo e boa fruta em boca. Muito agradável e interessante. Foi muito bem com a pizza. Fiquei com vontade de comprar mais uma garrafa e esperar mais 2 anos. Acho que pode ficar ainda melhor.... Vamos ver.
Nota: 88.0

20 de maio de 2011

Hex Von Wein - Cabernet Sauvignon 2007



Nome: Hex Von Wein Reserva Especial
Safra: 2007
País: Brasil
Região: Picada Café, RS
Produtor: Vinícola Hex von Wein
Site: http://www.vinhoorganico.com.br/index.html
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 12,6%
Rolha: Tampa de rosca na garrafa de 187 ml
Numeração da garrafa: -/1.575
Preço: -
Onde foi comprado: Cobal
Quando foi comprado: 2010
Degustado em: 30 de abril de 2011
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Risotto de brócolis, cogumelos e linguiça
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
As parreiras da Hex baseiam-se na biodiversidade, ou seja, na eliminação da monocultura e cultivo de várias espécies no mesmo habitat. Em resumo, na nossa produção voltamos aos antigos modelos de produção agrícola, amenizando as mudanças no sistema biológico. Assim, o solo produz uma fruta mais autêntica, particular, caracterizando o produto de acordo com a região e expressando o real terroir. Quando o solo recebe quimicamente os nutrientes que lhe faltam, até chegar ao ponto ideal de produção, ocorre a massificação da variedade, ou seja, em qualquer lugar do mundo o produto tem as mesmas características. A Coopernatural lançou o vinho Cabernet Sauvignon orgânico certificado Safra 2007 na Bio Fach em São Paulo. As uvas desta safra foram selecionadas a dedo, as melhores uvas, as mais sadias e as mais maduras, somente o melhor da produção, compõem este vinho de alto padrão enológico. A fermentação foi com controle de temperatura, não ultrapasando os 25 graus, o envelhecimento vai ser em barricas de carvalho francês. Com graduação alcoólica de 12,6%. A produção de 2007 está limitada a uma produção de 1.575 unidades. Um dos primeiros vinhos finos orgânicos do Brasil.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este foi um sábado fantástico. Finalmente tive a sensação completa da liberdade trazido pelo fim do mestrado. Se tem algo que gostamos é sair de casa cedinho, sem rumo, e ir decidindo pelo caminho o passo seguinte. Neste dia, foi assim. Saímos de casa no final da manhã, depois de tomar café. Resolvemos que o almoço seria no Jardim Botânico, a feijoada do Café Lunático (que tem excelente preço e é deliciosa). Resolvemos então ir a pé, para merecer a feijoada. De lá, Claudio quis tomar um café no La Bicyclette. Satisfeito, decidimos que iríamos até o Leblon. Já que estávamos ali, por que não comer a sobremesa no Terzetto, em Ipanema. Seguimos até lá. Como havíamos prometido passar na casa da mãe do Claudio, esticamos a caminhada até Copacabana. Bom, de lá, achamos que seria mais conveniente voltar de metrô. Afinal, já eram quase oito da noite. Ao chegar em casa, depois de um banho quente, resolvemos preparar um risotto. E nada melhor do que um vinhozinho para acompanhar um risotto. Assim, terminamos nosso sábado bem felizes. O Hex von Wein é velho conhecido nosso, já degustamos várias vezes. É leve, mas ao mesmo tempo intenso.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Formato diferenciado lembrando uma folha. Simples, correto e equilibrado. De acordo com o vinho.
Exame visual: Bonita cor grená escuro com alos alaranjados.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Já degustamos algumas garrafas do excelente Hex Von Wein em garrafas de 187 e 375 ml. Nestes dois formatos o vinho engarrafado e um "Reserva", que ficou 12 meses a mais na pipa para precipitar adequadamente e teve um envelhecimento maior em carvalho. Esta foi a primeira garrafa em 750 ml, não reserva que abrimos. Em relação aos menores é um vinho um pouquinho diferente, mas também bastante interessante e gostoso. Mantem a elegância e o estilo francês. Tem um pouco menos de corpo que os outros , mas com boas notas de frutas na boca. Acompanhou bem o nosso risotto que fizemos de última hora. O jantar foi muito prazeroso e o Hex continua bem conceituado por aqui. Tenho outras garrafas e vou acompanhar o envelhecimento dele na garrafa e depois publico por aqui.
Nota: 88.0 +

16 de maio de 2011

RAR - Pinot Noir 2009


Nome: RAR
Safra: 2009
País: Brasil
Região: Campos de Cima da Serra
Produtor: RAR - Miolo
Importador: -

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente presenteado por Luci ao Claudio
Onde foi comprado: Supermercado Bortolon
Quando foi comprado: Dezembro de 2010
Degustado em: 29 de abril de 2011
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Restos de pizza Domino's (Rafaela) e pizza de quatro queijos do José Eduardo (Claudio)
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Análise Visual: Apresenta tonalidade média com coloração rubi e leves tons violáceos. Coloração típica de Pinot Noir.
Análise Olfativa: Alta intensidade aromática, com notas de fruta e da madeira (carvalho) do envelhecimento. Descritores do aroma: - Especiarias - Cassis - Baunilha – Frutas secas.
Análise Gustativa: Vinho de médio corpo apresenta taninos delicados e elegantes.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Grená, cor do Caxias! Não que eu fique feliz com isso. Afinal, prefiro o Ju.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Vinho leve, gostoso. Inicialmente, tinha gosto de maçã, mas depois foi ficando diferente. Confesso que nesta noite não estava muito animada para fazer anotações e isso é tudo que me lembro/anotei. Todavia, se alguém me perguntasse, eu diria para comprá-lo.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Segue a linha Collezione RAR que é bonita,mas não desperta grandes emoções.
Exame visual: Aquela cor clássica de Pinot.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Vinho bastante agradável em boca. Início com notas de frutas que lembravam maça e algo leve de cereja. Apresenta boas características de Pinot, em um estilo que lembra Pinots da Nova Zelândia por exemplo. Agradável em boca, pode acompanhar comidas mais leves. Poderia ter um final mais longo, mas mostra um bom potencial da cepa na região.
Nota: 87.0

15 de maio de 2011

Donzel - 2005 / Tristan & Julien - 2007


Nome: Donzel / Tristan e Julien
Safra: 2005 / 2007
País: Portugal / França
Região: Douro / Minervois
Produtor: Vinhas da Ciderma / Château La Grave
Importador: Premium Wines / In Vino

Uvas/Corte: Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz / Sirah 50% e Grenache 50%
Teor alcoólico: 13% / 13%
Rolha: Cortiça / Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: em média R$ 50 cada um
Onde foi comprado: La Botella, em Ipanema
Quando foi comprado: 28 de abril de 2011
Degustado em: 28 de abril de 2011
Onde bebeu: La Botella, em Ipanema
Harmonizado com: A deliciosa massa com molho de tomates (Paula e Rafaela) e sanduíches (Claudio e Miguel)
Com quem: Claudio, Rafaela, Miguel e Paula

Comentário do Produtor
Cor rubi.
Aroma frutado e intenso com sabor complexo e equilibrado, presença de taninos macios e com um final de boca longo e persistente.

Good purple colour, which shows how young and fruity the wine is.
The nose shows subtle blackberry, blackcurrant and wild violet aromas.
In the mouth, full ampleness with smooth tanins.
A true seducer !

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Fazia um tempão que não saíamos com a Paula e o Miguel. Este encontro foi marcado assim, sem grandes planejamentos. Resolvemos ir ao La Botella e pensamos em chamá-los. Uma hora e pouco depois, estávamos instalados em uma mesinha do aprazível La Botella. E foi uma noite bem agradável e divertida. Miguel e Paula foram ver o show do U2, em São Paulo, e estavam cheios de histórias para contar. Ganhei um ovinho de páscoa! E uns pinhões, que serão usados em breve em um jantar aqui em casa. Dos vinhos, fiquei com boas lembranças. Gostei bastante dos dois. Não que eu me lembre em detalhes. Apelei para minha memória remota... o Claudio. :)
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Mais uma noite muito agradável no La Botella em Ipanema na companhia da Paula e do Miguel. Começamos com o Donzel, um português do Douro que já havia degustado. É um vinho do Douro, fácil de se beber, frutado e bem feito. Tem um estilo moderno, um pouco frutado demais para o meu paladar. De qualquer maneira é um vinho fácil de se agradar. Seguimos para este francês que sempre via no La Botella, mas nunca tinha provado. Um francês agradável, que busca a elegância. Toques de especiarias na boca, mas sem exageros. Vale provar. Dois vinhos corretos, de estilos um pouco diferentes em uma ótima noite.
Nota: 87.0 - 88.0

Pergunta da Semana - 220

Nos últimos dias, a temperatura caiu em várias regiões do Brasil. Inspirados nessa alteração climática, nesta semana o Le Vin au Blog quer saber:

- Você bebe vinhos brancos quando o tempo está mais frio?

14 de maio de 2011

Solar del Paso Reserva - Tannat 2007


Nome: Solar del Paso Reserva
Safra: 2007
País: Uruguai
Região: Canelones
Produtor: Vinícola Aurora
Importador: First

Uvas/Corte: Tannat 100%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça aglomerada.
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 19,80
Onde foi comprado: Zona Sul Botafogo, no Rio
Quando foi comprado: 26 de abril de 2011
Degustado em: 26 de abril de 2011
Onde bebeu: Zona Sul Botafogo, no Rio
Harmonizado com: Nhoque com molho de tomates (Rafaela) e pizza portuguesa (Claudio)
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Já combinamos várias vezes que não iríamos mais beber vinhos no Zona Sul assim à toa, mas acabamos perdendo a força de nossa resolução quando nos postamos diante das gôndolas de vinhos. Pelo menos conseguimos optar por um com preço bem bom (bem bom = barato). Ele foi bem com meu nhoque com molho vermelho. O vinho era bem simples e fiquei implicando um pouco, pois eu teria comprado um argento, que era mais ou menos o mesmo preço. Ele melhorou com a comida. E depois a conversa foi ficando animada e o vinho perdeu a importância.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Tradicional, com uma ilustração que deve ser da propriedade.
Exame visual:
-
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Saímos para comer uma pizza no Zona Sul. Quase desisti de beber um vinho, mas em cima da hora resolvi provar este uruguaio que estava no cantinho da gôndola. Não fui esperando muito dele, mas mesmo assim resolvi arriscar. No primeiro gole ele pareceu que seria um vinho muito básico. Porém ele foi evoluindo e até se mostrou interessante para acompanhar a minha pizza portuguesa. Apresentou boa fruta em boca e uma boa acidez. Os taninos domados. Guardamos um pouco na garrafa e provamos novamente no dia seguinte e para minha surpresa ele estava lá firme e melhor. Um vinho barato, produzido pela Aurora no Uruguai e que se você beber de forma despretenciosa pode ser uma boa pedida.
Nota: 86,0

Valmarino & Churchill - Extra Brut 2009


Nome: Valmarino & Churchill
Safra: 2009
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Valmarino
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay 90% e Pinot Noir 10%
Teor alcoólico: 12%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 50
Onde foi comprado: Vino & Sapore, loja do João Filipe, do Falando de Vinhos, na Granja Viana
Quando foi comprado: 31 de março de 2011
Degustado em: 24 de abril de 2011
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Sushis variados e sashimi do New Tokio
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Cor: Cor: Dourado claro com perlage fina e muito elegante.
Aroma: Leve de frutas cítricas com toque de pão torrado.
Boca: Agradável de notável frescor e complexidade, lembrando frutas cítricas e carvalho. Boa acidez, exibindo uma persistência longa

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Senti vários cheiros, mas acho que, como nos últimos tempos, meu nariz estava de má vontade. Senti foi cheiro do que meu cérebro reconhece como cheiro de espumante. E também de peixe, pois com sushi tudo fica meio impregnado.
Exame gustativo: Eu não fui convidada para o encontro de blogueiros que houve na loja do João Filipe. Para compensar, Claudio trouxe esse espumante para casa, dizendo que o havia comprado para mim. Depois da longa temporada do 130, da Valduga, é difícil gostar facilmente de outros espumantes, mas este não decepcionou. Achei que ficou melhor sem a comida, pois ele acentuava o gosto do peixe. Eu gosto de comer sushi, alguns deles pelo menos, mas devo confessar que fico mesmo é sem controle diante da porção de gengibre. Achei que harmonizou bem com kani.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Garrafa de formato interessante. Rótulo simples e marcante com o uso das cores laranja e preto.
Exame visual: Claro, boa perlage. Poderia ser mais fina
Exame olfativo: Nariz muito rico e complexo com amêndoas, leve brioche e algo como mel. Muito interessante.
Exame gustativo: Quem me apresentou este espumante foi o amigo e blogueiro João Filipe. Na primeira vez que fui na sua loja, a Vino & Sapore, para o encontro dos blogueiros, ele nos recebeu com uma taça deste espumante. Como gostei muito resolvi comprar uma garrafa para degustar com a Rafaela. Resolvemos abrir para provar com sushis. O espumante comprovou a primeira impressão que tive dele, uma garrafa de ótima qualidade. Boa cremosidade, boa presença em boca. Confirme o nariz e na taça ele evoluiu. Muito interessante, é daqueles espumante que vai bem sozinho. Merece ser provado. O 130 funcionou melhor com os sushis.
Nota: 90.0

12 de maio de 2011

Pergunta da Semana - 219

Inspirados em um post do blog Vivendo a Vida sobre harmonização de Queijos e Vinhos, nesta semana o Le Vin au Blog quer saber:

- Quando você vai comer queijos com vinhos você se preocupa com uma harmonização perfeita ou simplesmente escolhe um queijo e um vinho sem ficar atento com isto?

8 de maio de 2011

Concha y Toro Gran Reserva Série Riberas Cabernet Sauvignon 2007 e Septima Gran Reserva 2008


Nome: Gran Reserva Série Riberas / Gran Reserva
Safra: 2007 / 2008
País: Chile / Argentina
Região: Colchagua Valley / Mendoza
Produtor: Concha y Toro / Bodegas Septima
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 90% e Carmenere 10%/ Malbec 55%, Cabernet Sauvignon 35% e Tannat 10%
Teor alcoólico: 14,5% / 14,8%
Rolha: Cortiça / Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente presenteado pelo Mario / Gentilmente oferecido pelo Gilberto comprado na Cadeg.
Quando foi comprado: -
Degustado em: 21 de abril de 2011
Onde bebeu: Casa do Gilberto e da Julia
Harmonizado com: Risotto de funghi e costelas e linguiças assadas na churrasqueira
Com quem: Claudio, Rafaela, Gilberto e Julia + Vinícius que assistia tevê e mexia no computador

Comentário do Produtor
Cor: Vermelho profundo.
Aroma: Notas intensas de ameixas, ginjas, chocolate e cassis.
Boca: Um vinho de grande estrutura, boa concentração e densidade. De taninos doces, com presença de frutas vermelhas.

Color: Rojo intenso con reflejos púrpuras.
Aroma: Complejo y expresivo, mezcla sutiles aromas a violetas con cerezas, en balance con el chocolate amargo y tostados aportados por su paso por barrica.
Boca: Elegante y equilibrado. Entrada dulce, ágil y cálida con taninos marcados. Envolvente. Su peso en boca traduce notas de cerezas maduras en mermelada y tabaco dulce. Fresca acidez que complementa el calor del justo grado alcohólico, proponiendo un sinfín de sensaciones agradables y francos aromas en boca. Largo recuerdo.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: No final da tarde do feriado, fomos para a Barra, para jantar com Gilberto e Julia. Como sempre, a comida estava deliciosa e fomos muito bem recebidos, especialmente pelo Feliz. Esperto estava meio arredio neste dia. Talvez porque tenha tentado tirar uma lasquinha da costela quer serviria de jantar. Bebemos dois vinhos, cada um com características distintas. Enquanto o primeiro era um vinho suave, o segundo mostrou-se bem encorpado, levemente adocicado, o que eu achei bem bom.
Nota: -

Comentário do Claudio
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Gilberto nos convidou para um jantar no final de tarde do dia do feriado. A ideia era usar a churrasqueira para fazer uma costela de porco e umas linguiças. Para completar o jantar a Julia preparou um risoto de funghi. Tudo muito bom em uma noite bastante agradável. Começamos com o vinho que levei, o Concha yToro. Este vinho me surpreendeu positivamente. Bom corpo, sem exageros na boca, um bom equilíbrio e potencial para evoluir paor mais lguns anos. Um vinho bastante interessante. Partimos para o segundo vinho da noite. O Septima Gran Reserva é um daqueles vinhos potentes argentinos. Muita fruta, força e presença em boca. Acho que ainda está muito jovem e que pode evoluir e ficar mais agradável em boca. Para o meu paladar é um vinho muito frutado, mas para quem gosta do estilo e com uma boa carne ele tem seu valor.
Nota: -

Grande Cuvée 1531 de Aimery - 2007



Nome: Grande Cuvée 1531 de Aimery
Safra: 2007
País: França
Região: Crémant de Limoux
Produtor: Sieur D'Arques
Importador: Zona Sul

Uvas/Corte: Chardonnay 70%, Chenin 20% e Mauzac 10%
Teor alcoólico: 12%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido pela Marie
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 20 de abril de 2011
Onde bebeu: Casa da Marie
Harmonizado com: salada de tomate com mussarela de búfala e couscous com vergamota e temperinhos gostosos
Com quem: Rafaela, Marie e Raquel

Comentário do Produtor
The History of the Languedoc vineyard dates back to the 5 th century BC when the Greeks first introduced grape vines and their cultural practices.
It was in 1531, one century before Dom Pérignon, that wines from Limoux stepped onto the world stage thanks to Benedictine nuns from the St Hilaire Abbey, a neighbouring village, who created the first sparkling wine in the world: La Blanquette de Limoux.
The earliest written references to Blanquette de Limoux can be traced back to the lord of the region, “le Sieur d’Arques” who swigged down “flasks of Blanquette” to celebrate his victories. Four centuries later, in 1946, the founding winemakers of our winery christened their wine, Sieur d’Arques.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Esta semana realmente foi muito especial. Começamos com o encontro com Flávio e Cris na segunda-feira. Na terça, encontrei com a Gabi, amiga dos tempos de faculdade. Nesta quarta-feira, fomos, Raquel e eu, almoçar na casa da Marie. Como boa francesa, ela preparou duas saladas muito boas. E a conversa foi tão boa. Passamos horas colocando a conversa em dia. Uma tarde tão leve e gostosa. Tomara que dê para repertimos bem logo! Merci, Marie!
Nota: -

La Cuvée Mythique - 2007


Nome: La Cuvée Mythique
Safra: 2007
País: França
Região: Narbonne
Produtor: Les Vignerons de la Méditerranée
Importador: Zona Sul

Uvas/Corte: Syrah 30%, Mourvèdre 30%, grenache 30%, carignan 10%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 46,95
Onde foi comprado: Zona Sul Botafogo
Quando foi comprado: -
Degustado em: 15 de abril de 2011
Onde bebeu: Zona Sul Botafogo
Harmonizado com: Pizzas e massa
Com quem: Claudio, Rafaela, Flávio e Cris

Comentário do Produtor
La Robe : Très belle robe de couleur pourpre intense aux reflets violets
Le Nez : Le nez, associant des arômes de cerises noires et de légères touches de cacao, se termine après aération sur des notes de marrons rôtis
La bouche : La bouche de bonne longueur est pleine avec beaucoup de gras. Les tanins sont intenses mais de bonne maturité, et des arômes d’épices et de prunes viennent flatter les papilles en finale.

Comentário da Rafaela
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Cris voltou para casa depois de três meses de trabalho em Londres. Depois de algumas tentativas, conseguimos nos encontrar nesta segunda-feira. Vizinhos que somos, resolvemos comer uma pizza no Zona Sul, que fica na metade do caminho. Claudio e Flavio escolheram o vinho. Conseguimos colocar a conversa em dia e dar boas risadas. E ainda ganhamos pequenos vinhos do Porto. Foi uma noite muito agradável. Aliás, foi apenas o início de uma semana muito legal e repleta de encontros com amigos.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
A ilustração da corujinha e a tonalidade telha alaranjada tornam este rótulo marcante e bem interessante.
Exame visual: Rubi escuro. Bonita cor
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Já estava de olho neste vinho há algum tempo. Já havíamos provado a versão de entrada deste vinho e com um bom resultado. Aproveitamos o encontro com a Cris e o Flávio no Zona Sul para provarmos esta garrafa. Vinho de ótima relação qualidade/custo. Quando pensamos em um vinho francês por cerca de R$ 46,00 quase sempre pensamos em um vinho muito básico. Não é o caso deste. Corte de 4 uvas, bom corpo, boa presença em boca com um mistura interessante de fruta, leve toque de especiaria e final com algo de chocolate. Vale provar e deve ir bem com uma carne grelhada, talvez porco. Pretendo provar novamente.
Nota: 88,0

Pergunta da Semana - 218

Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Qual o melhor vinho que você degustou no mês passado?

7 de maio de 2011

Festa dos mestres


Nome: Doña Dominga / JP Azeitão / EA / Prosecco di Valdobbiadene
Safra: 2010 / 2009 / 2008 / -
País: Chile / Portugal / Portugal e Itália
Região: Vale de Colchagua / Terras do Sado / Alentejo / Valdobbiadene
Produtor: Viña Casa Silva / Bacalhôa / Adega Cartuxa / Vigneto Ai Casali
Importador: Zona Sul / Carvalhido Importação / Adega Alentejana / Solex

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc / 70 % Castelão, 20% Aragonez, 10% Syrah / - / -
Teor alcoólico: 13% / 14% / 13,5% / 11,50%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecidos pelos colegas do mestrado
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 15 de abril de 2011
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Pasta de grão de bico (Tati), beringela (Ana Rosa), sacanagens (Angela), bruschettas (Antonio), arroz libanês, esfihas, kafta, pudim de tapioca (Neusa) e bolo de maçã (Neusa)
Com quem: Claudio, Rafaela, Ana Rosa, Antonio, Angela, Tati, Rodrigo, Oscar e Neusa

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: E chegou o tão esperado momento da comemoração do mestrado. Já escrevi isso várias vezes, mas não faz mal algum repetir: uma das maiores conquistas do mestrado foi a amizade desses cinco colegas. Cada um com estilo bem próprio, idade diferente, inseridos em contextos bem distintos, mas ao final nos tornamos bem próximos. E foi uma das melhores coisas que poderia ter acontecido nos últimos dois anos. Neste dia, passado o sufoco da defesa da dissertação, nos reunimos para comemorar a conquista e fazer algo que adoramos: celebrar! A noite foi muito legal. Claudio fez uns pratos deliciosos. Antes de provarmos, nos deliciamos com os acepipes trazidos pelos colegas. Estava tudo tão bom. Adorei! Que venha nossa festa junina!
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Mais um encontro dos colegas de mestrado da Rafaela, só que desta vez todos já com o título de mestre nas mãos. Preparei umas comidas árabes e e noite foi bem divertida. Não fiz nenhuma anotação sobre os vinhos. Apenas aproveitei a noite.
Nota: -

5 de maio de 2011

Casa Valduga 130 Brut



Nome: 130
Safra: -
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Casa Valduga
Importador: -

Uvas/Corte: Pinot Noir e Chardonnay
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 29
Onde foi comprado: Cadeg, em São Cristóvão, no Rio
Quando foi comprado: 28 de fevereiro de 2011
Degustado em: 14 de abril de 2011
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Risoto de abóbora
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Visão: Límpido e brilhante, de coloração dourada e fascinante perlage.Olfato: Bouquet elegante e intenso de frutas secas, amêndoas e um leve tostado.Paladar: Persistente e cremoso, de amplo e pleno sabor, harmônico.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Continua sendo uma ótima opção. Muito bom! Realmente o espumante deste ano!
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
O conjunto é muito bonito. Garrafa de formato diferenciado, com o rótulo me sua base. Uso correto e equilibrado do preto e do cobre. Bonita garrafa.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Mais um 130 e o último de nossa adega. Realmente este foi o espumante/vinho que mais degustamos este ano. Até comentei com o pessoal da Valduga que encontrei no Encontro de Vinhos em São Paulo que neste ano ninguém tinha degustado tantos 130 como a gente! Mais uma vez o resultado foi ótimo.
Nota: 90.0

2 de maio de 2011

Contrada di Concenigo Colli di Conegliano rosso 2001 - Bellenda


Nome: Contrada di Concenigo
Safra: 2001
País: Itália
Região: Vêneto
Produtor: Bellenda
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot, Cabernet Sauvignon e Marzemino
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecidos pela Caludine
Onde foi comprado: Artigiano
Quando foi comprado: 10 de abril de 2011
Degustado em: 10 de abril de 2011
Onde bebeu: Artigiano
Harmonizado com: Pratos diversos
Com quem: Claudio, Claudine, Roberto, Marcus, Marcela, Mauro e Regina Helena

Comentário do Produtor
Vin rouge de grande valeur, il est obtenu des raisins Cabernet Sauvignon, Merlot et Marzemino. Produit chaque année en nombre limité et numéroté de bouteilles, il mûrit en fûts de chêne rouvre pendant plus d’un an. Il est indiqué avec les rôtis de viandes rouges, les viandes braisées, le gibier : sa saveur pleine s’harmonise parfaitement avec les fromages affinés. Il doit être servi à la température de 16-18° C et débouché au moins deux heures avant de le savourer.

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Boa surpresa este vinho tinto italiano. Fomos comemorar os aniversários da Claudine e do Tio Roberto no ótimo restaurante Artigiano em Ipanema. É um restaurante italiano, com pratos interessante e preços idem. Possui uma boa carta de vinhos, com várias garrafas italianas pouco conhecidas. A Claudine seguiu a dica do garçom e escolheu o Bellenda. Vinho já amadurecido, com 10 anos de vida. Um clássico vinho gastronômico italiano que funcionou bem com o meu prato e pela sua versatilidade acredito que tenha funcionado bem com os outros também. Belo estilo e boa surpresa. Quem não conhece, vale provar.
Nota: 89.0

Lambrusco di Sorbana / Casillero del Diablo - Shiraz 2009


Nome: Lambrusco di Sorbana / Casillero del Diablo
Safra: 2009 / 2009
País: Itália / Chile
Região: Cerreto Guiudi / Las Condes
Produtor: Azienda Agricola Casalvento / Concha y Toro
Importador: -

Uvas/Corte: - / Shiraz
Teor alcoólico: 11% / 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecidos por Márcia e Jacy
Onde foi comprado: Angeloni
Quando foi comprado: 10 de abril de 2011
Degustado em: 10 de abril de 2011
Onde bebeu: Casa dos Feijó Gubert
Harmonizado com: Feijoada da Feijó
Com quem: Rafaela, Marie, Márcia, Jacy, Camille, Nicolas e Renê

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: No final da tarde de sábado, depois de passearmos pelo sul da Ilha, comer ostras no Ribeirão da Ilha, dar uma volta de barco na Lagoa e de ir tomar café colonial no Girassol, em São Pedro de Alcântara, resolvemos que uma iria bem uma feijoadinha no domingo. Márcia ligou para o Renê e para o Fábio. Durante a manhã de domingo, Jacy e eu fomos ao Angeloni comprar as bebidas. Enquanto isso, Márcia mandava ver nos preparativos da ótima feijoada. Estava deliciosa! Foi uma tarde agradável de papo.
Nota: -

1 de maio de 2011

Veramonte Reserva - Pinot Noir 2009


Nome: Veramonte Reserva
Safra: 2009
País: Chile
Região: Casablanca Valley
Produtor:
Site: Veramonte
Importador: Zona Sul

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Tampa de rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 22
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul de Botafogo
Quando foi comprado: 9 de abril de 2011
Degustado em: 9 de abril de 2011
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizza e hot dog
Com quem: Claudio

Comentário do Produtor
Color Rojo Rubí. Aroma Evoca aromas a frutos rojos con toques tostados y vainilla. Sabor Sabores intensos a cereza, uva y frutilla, se van mezclando con elegantes toques a roble especiado, logrando un vino redondo, de cuerpo moderado y complejas texturas.

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Aproveitando que este vinho estava em promoção nesta semana no Zona Sul, comprei esta garrafa da safra 2009. Como a Rafaela estava viajando, acabei degustando em duas etapas e testando com duas harmonizações diferentes: pizza e hot dog. Já havia provado outras safras deste vinho e tinha gostado do resultado. Era um pinot com alguma coisa de defumado no paladar que me agradava. Esta safra 2009 parece que ainda não está pronta. O vinho variou o paladar de forma estranha. Não que estava ruim, mas ele estava inconstante, estranho. No dia seguinte com o hot dog ele se mostrou mais evoluido e funcionou bem, notas de frutas e levemente doces. Ficou interessante. Meu conselho é esperar um pouco para degustar. Pode vir a ficar mais interessante.
Nota: 86.0 - 87.0

Pergunta da Semana - 217

Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Na última segunda feira estive no Encontro de Vinhos Off em São Paulo. Lá provei o lançamento da Casa Valduga o espumante Maria Valduga. O espumante é realmente muito bom, com complexidade e elegância, além de vir em uma embalagem especial. O preço para o consumidor final deve ficar em torno de R$ 180,00. Você estaria disposto a pagar este valor para provar o espumante?

Dinastía Vivanco Crianza - 2007 #cbe


Nome: Dinastía Vivanco Crianza
Safra: 2007
País: Espanha
Região: Rioja
Produtor: Bodegas Dinastía Vivanco
Importador: World Wine

Uvas/Corte: Tempranillo 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 72
Onde foi comprado: La Botella, em Ipanema
Quando foi comprado: 20 de abril de 2011
Degustado em: 20 de abril de 2011
Onde bebeu: La Botella, em Ipanema
Harmonizado com: Massa com molho de tomates que só o La Botella sabe preparar (Rafaela) e sanduíche de lombinho canadense (Claudio)
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do ProdutorColor cereza brillante bien cubierto, limpio y con un marcado ribete violáceo que denota su juventud. Aromas a fruta roja madura con presencia de aromas a fresa y frambuesa, con notas ahumadas, vainillas y un fondo especiado. En boca presenta una buena estructura. Es expresivo, carnoso, repitiéndose las mismas sensaciones frutosas que en nariz y con un fondo tostado bien integrado. El tanino se muestra maduro y ofrece un final elegante y persistente.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Na véspera do feriado, depois de voltar da casa da Marie e de ter matado a aula de alemão, achei que deveríamos dar uma volta. Nas sugestões de lugares apareceu o La Botella e lá fomos nós para Ipanema. Para nossa surpresa, o lugar estava meio vazio e conseguimos uma mesa bem fácil. Jean sugeriu este espanhol e resolvemos acatar. Foi uma boa pedida. Trata-se de um vinho muito bem feito e gostoso. Ficou bem bom com a massa. Conseguimos matar as saudades do La Botella.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Destaque para o formato diferenciado da garrafa.
Exame visual: Rubi, levemente alaranjado.

Exame olfativo: -
Exame gustativo: Resolvemos em cima da hora ir até o La Botella em Ipanema. É um lugar que gostamos muito: uma pequena loja com algumas mesas onde podemos degustar os vinhos ali mesmo acompanhado de queijos, frios sanduíches e alguns ótimos pratos que são preparados ali mesmo. Quando estava escolhendo qual vinho degustaríamos, o Jean, um dos donos da loja indicou este espanhol, importado pela World Wine que tinha acabado de chagar na loja. Indicação aceita, percebi que era um vinho 100% Tempranillo, tema da Confraria Brasileira de Enoblogs. Assim "escolhemos" qual vinho seria o da Confraria deste mês. É um tinto muito agradável, fácil de se beber e de se gostar. Taninos muito macios arredondados pela madeira, resultado dos 16 meses de envelhecimento em barricas francesas e americanas. A madeira está presente no paladar, mas de boa qualidade e bem dosada. Notas de frutas vermelhas, como cereja. Um bom vinho, gostei!
Nota: 88.0

Rio Sol Brut / Los Vascos - 2007


Nome: Rio Sol Brut / Los Vascos
Safra: 200x / 2007
País: Brasil / Chile
Região: Vale de São Francisco / Vale de Colchagua
Produtor: Rio Sol / Los Vascos
Importador: -

Uvas/Corte: - / Cabernet Sauvignon (75 à 80%), Carménère, Syrah e Malbec
Teor alcoólico: 12% / 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecidos por Márcia e Jacy
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 8 de abril de 2011
Onde bebeu: Casa dos Feijó Gubert
Harmonizado com: Queijos
Com quem: Rafaela, Marie, Márcia, Jacy, Camille e Nicolas

Comentário do Produtor
Los Vascos: Since 2004, The Grande Réserve - Los Vascos is the first blended wine, dominated by Cabernet Sauvignon. It is produced traditionally and aged in French oak barrels. It is characterized by its persistent and complex bouquet.

Comentário da Rafaela
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Planejei fazer essa viagem ainda em janeiro. Como o Claudio não sabia se poderia ir junto, convidei minha amiga Marie, que nunca havia ido a Floripa. Era uma merecida viagem para descansar a cabeça, rever meu querido afilhado Nicolas, reencontrar meus amigos. Chegamos na sexta-feira, passeamos pelo centro da cidade e no final da tarde fomos para a casa da Márcia, em São José. Tão logo cheguei, meu Nicolas me puxou para ver Os Goonies na tevê, fazer dever de casa, jogar, ou seja, tudo ao mesmo tempo! Nicolas vive intensamente! E ele é tão lindo e esperto. Já sabe ler tudo. Não poderia estar mais orgulhosa. Tão fofo. Márcia chegou um pouco depois e uma bela mesa de café da tarde foi organizada. Tudo feito pela minha amiga: cup cakes, macarrons, pães de mel. Ela realmente está ficando cada dia melhor. Tudo feito em casa. Mais tarde, quando o Jacy chegou trazendo vários queijos, fizemos um brinde com este Rio Sol, que estava bem bom e seguimos, em uma degustação às cegas, com este Los Vascos. Foi engraçado, cada uma achou que fosse uma coisa diferente. Bem profissionais! :)
Nota: -