28 de fevereiro de 2010

Tabalí Reserva Especial - Syrah 2007


Nome: Tabalí Reserva Especial
Safra: 2007
País: Chile
Região: Vale de Limarí
Produtor: Tabalí
Site: www.tabali.com
Importador: Grand Cru

Uvas/Corte: Syrah 100%
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: Cortiça, tamanho médio, com logomarca gravada.
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 78,00
Onde foi comprado: Grand Cru do Jardim Botânico
Quando foi comprado: 18 de fevereiro de 2010
Degustado em: 18 de fevereiro de 2010
Onde bebeu: -
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio

Comentário do Produtor
Deep red colour with violet hints, great character, elegant, complex , ripe and very rich with layers of black cherries, violets, black pepper, a touch of smoke and spicy dark aromas. In the palate is full bodied and well balanced with smooth texture, velvety tannins and lots of fruit. Unique wine that shows all the potential of Limarí valley in this variety with a very good ageing potential. Great structure and remarkably long finish.

Comentário do Claudio
Rótulo:
Programação visual bem característica desta vinícola. Bem resolvido.
Exame visual: Muito denso e escuro. Licoroso. Violeta escuro.
Exame olfativo: Boa intensidade, frutas vermelhas maduras, notas doces e licorosas.
Exame gustativo: Recentemente degustamos este Tabali e como o resultado tinha sido positivo, escolhi levar este vinho para um jantar de trabalho. O tabali confirmou todas as suas características positivas. Bom corpo, boa complexidade e estrutura. Já bom para beber e com certeza ficará ainda melhor. Funcionou muito bem com um contra-filé grelhado. Muitos acharam que era um vinho muito mais caro. Vale provar e ter uma garrafa na adega. Recomendo.
Nota: 91.0 +

27 de fevereiro de 2010

Pergunta da Semana - 157

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, inspirados na Festa da Uva, que ocorre em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, até 7 de março, o Le Vin au Blog quer saber:

- Você já participou de uma colheita? Se sim, onde e como foi? Recomenda?

26 de fevereiro de 2010

Valmarino X - Cabernet Franc 2005



Nome: Valmarino X
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Pinto Bandeira
Produtor: Vinícola Valmarino
Site: http://www.valmarino.com.br/
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Franc 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: De cortiça, com logomarca gravada
Numeração da garrafa: 2.896/6.000
Preço: R$ 50
Onde foi comprado: Vinhos net
Quando foi comprado: maio de 2009
Degustado em: 17 de fevereiro de 2010
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizza
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Neste vinho procuramos equilibrar a potência e elegância que a variedade Cabernet Franc possui em safras especiais, através de seus aromas complexos, taninos macios e persistentes harmonizando com carnes especiais e pratos de condimentos leves.O Valmarino 10 já conquistou 2 importantes medalhas ( Ouro – La Mujer Elige – Mendoça e Prata – Wine Brasil Awards – Campos do Jordão) e recebeu certificado entre os mais representativos vinhos da safra 2005 – ANV 2005- Bento Gonçalves- RS, sendo o vinho de maior pontuação (1º lugar) neste evento.Deste vinho exclusivo foram elaboradas apenas 6.800 garrafas todas numeradas.O vinho foi elaborado através da seleção dos cachos das uvas Cabernet Franc da excelente safra 2005. È um produto diferenciado que possui 14 % de álcool natural, que estagiou por 6 meses em barricas de carvalho de média tostagem e está engarrafado há 24 meses.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Bordô.
Exame olfativo: Nada de especial.
Exame gustativo: Logo no primeiro gole, senti foi gosto de barrica na minha boca. Foi se abrindo com o tempo, ficando melhor, mais interessante, e harmonizando com a pizza. É um vinho que vai se transformando ao longo de um jantar - bom, muitos são assim. No final, achocolato e com um pouco de tabaco.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
O conjunto da garrafa ficou bonito e com o caráter comemorativo do vinho.
Exame visual: Bordô escuro.
Exame olfativo: Notas vegetais, um pouco fechado.
Exame gustativo: Vinho de corpo médio em que se destaca a elegância. Foi um vinho que surpreendentemente variou muito em taça. Início com notas vegetais e final achocolatado. No meio da degustação, algumas notas amargas no final de boca desagradou um pouco. Evoluiu novamente aparecendo notas mais doces e toques de tabaco. Gostaria de provar novamente para ver se este amargo no meio da degustação apareceria novamente. É um vinho interessante e curioso de uma uva que aprecio, a Cabernet Franc.
Nota: 87.0

23 de fevereiro de 2010

Kaiken Ultra - Malbec 2006


Nome: Kaiken Ultra
Safra: 2006
País: Argentina
Região: Uco Valley - Mendoza
Produtor: Kaiken
Site: www.kaikenwines.com
Importador: -

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: Cortiça com logomarca estampada.
Numeração da garrafa: -
Preço: US$ 33,60
Onde foi comprado: Shopping China, em Pedro Juan Caballero, Paraguai, na divisa com Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul
Quando foi comprado: 25 de janeiro de 2010
Degustado em: 12 de fevereiro de 2010
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Baguette do Garcia e Rodrigues, queijo gouda, salame italiano, azeite e aceto balsâmico, patê.
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Its purple, almost blue color, showcases blueberries and cassis notes accompanied by elegant violet and moka aromas. On the mouth it is intense and powerful, showing the gentle and sweet tannins, characteristic of the Malbec variety and Kaiken’s winemaking style. This wine has a unique balance between alcohol and acidity, achieved due the high thermal amplitude of the higher winemaking zones in Mendoza and Uco Valley (1,000 meters above sea level).

Comentário da Rafaela
Exame visual: Apesar de o Claudio tentar me convencer que a cor era violeta, eu continuei achando que era rubi. Denso, com bordas clareando para o marrom.
Exame olfativo: Cheiro adocicada que me lembraria fácil um malbec, caso eu já não soubesse que era um.
Exame gustativo: O ultra no nome deste vinho não é por acaso. É um vinho pesadão, ainda mais com 14,5% de graduação alcoólica. Levantar no dia seguinte foi mais difícil. Não que ele chegue a atrapalhar a manhã seguinte, mas não me deixou com toda a energia que costumo ter. Ainda bem que era dia de descanso no treinamento para a prova de 5km que faremos no dia 7 de março. Apesar de ser um vinho pesadão, é gostoso, moderno, bom de ser bebido. Quando se está bebendo, dá para sentir o álcool forte, mas nota-se ao mesmo tempo que ele está bem integrado. Recomendo intervalar com bastante água mineral.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Em preto, cobre e laranja, cria uma identidade forte. A ilustração se refere aos dois lados dos Andes, Pois eles produzem vinhos tanto no Chile quanto na Argentina.
Exame visual: Rubi indo para o violeta. Bonita cor.
Exame olfativo: Frutas vermelhas maduras.
Exame gustativo: Tenho andado um pouco cansado dos Malbecs argentinos. Em geral tem um perfil muito semelhante entre eles. Quando resolvemos abrir esta garrafa do Kaiken, fui sem espectativas, já esperando aquele estilo de tantos outros Malbecs. O Kaiken seguem uma linha geral de outros vinhos argentinos, mas tem sua personalidade o que me agradou. è um vinho muito equilibrado, com bastante frutas escuras maduras, de estilo moderno. Evoluiu muito bem na taça abrindo um paladar de ameixa com notas de tabaco no final criando a sua personalidade. Sabor intenso, com boa presença em boca. Seu final poderia ser um pouco mais longo. Vinho fácil de se beber e agradar, macio e bem feito. Me agradou.
Nota: 90.0

17 de fevereiro de 2010

Amat - Tannat 2004

aaa

Nome: Amat
Safra: 2004
País: Uruguai
Região: Cerro Chapeu
Produtor: Bodegas Carrau
Site: http://www.bodegascarrau.com/es/
Importador: -

Uvas/Corte: Tannat 100%
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: Cortiça com infiltração
Numeração da garrafa: -
Preço: 69 mil pesos uruguaios
Onde foi comprado: Supermercado Disco, em Punta del Este, no Uruguai
Quando foi comprado: 14 de fevereiro de 2008
Degustado em: 7 de fevereiro de 2010
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Feijoada à avessas, composta por feijão branco e arroz negro, acompanhado por farofa, uma criação do Claudio
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: A cor mais normal de vinhos: rubi.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este vinho foi escolhido por nossos amigos que responderam à Pergunta da Semana 130 para ser degustado em comemoração às 60 mil visitas registradas no blog. Neste calor surreal do verão carioca, não há nada melhor do que combinação vinho bom + comida gostosa + ar condicionado. Foi essa combinação dessa tarde de domingo em que finalmente o Claudio colocou em prática uma ideia que estava matutando há tempos: fazer uma feijoada às avessas, com feijão branco e arroz negro. O feijão branco é realmente fantástico. Já o arroz negro, apesar de bom, é difícil de ser aceito por alguém que ama arroz branco. Provar essa combinação inusitada chega a ser até um exercício para o cérebro, pois vai contra o que estamos mais acostumados, que é arroz branco com feijão preto. Quando ao vinho, é um bom uruguaio, com permanência longa e taninos bem marcados.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Bom uso do dourado, agregando valor à garrafa.
Exame visual: Rubi escuro.
Exame olfativo: Ameixa com toques de tabaco.
Exame gustativo: Mesmo com o calor tridimensional que estava fazendo no Rio de Janeiro naquele domingo, resolvemos colocar em prática uma variação de feijoada que estava na minha cabeça: feijão branco com arroz preto. Não conhecia o arroz preto e achei bem saboroso e funcionou bem com o feijão branco. Gostei do prato. Parea acompanhar escolhi o Amat. Havia bebeido no final do ano passadao o Amat 2005. O 2004 está mais pronto e mais redondo. Os longos meses em barrica de carvalho deixa o vinho bem macio e com notas tostadas no final da boca, com os taninos bem domados. Sabor intenso, mas com elegância. Final agradável com madeira marcada. Pode ainda ficar guardado mais um ano. Depois de um tempo no decanter ele se abre mais. Um vinho que merece ser provado. Não foi uma harmonização perfeita, mas funcionou bem com o prato.
Nota: 90.0+

16 de fevereiro de 2010

Pergunta da Semana - 156

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, inspirados na boa ideia da Miolo de levar espumante à praia e também pelo calor de 40 graus que vivemos aqui no Rio, o Le Vin au Blog quer saber:

- Você beberia espumante na praia? O que acha da ideia?

14 de fevereiro de 2010

Chateau de la Tuilerie - Vieilles Vignes Syrah 2006


Nome: Chateau de la Tuilerie
Safra: 2006
País: França
Região: Costieres de Nimes
Produtor: Chateau de La Tuilerie
Site: www.chateautuelerie.com
Importador: Mistral

Uvas/Corte: 80 % Syrah, 20 % Grenache
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 74, gentilmente presenteado por Regina Helena
Onde foi comprado: Mistral, no Rio
Quando foi comprado: 17 de dezembro de 2009
Degustado em: 6 de fevereiro de 2010
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Palia e fieno da Ettore, na Barra, com molho de tomate do Sitio Humaytá, de Secretário
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Belle couleur Rubis très brillante. Nez de cerises noires, fruité, flatteur. Vanille, épices douces (poivre), chocolat, notes de viennoiserie. En bouche, on retrouve une belle architecture avec des notes boisées, des tanins poudrés : harmonie entre la structure et le fruit. Très longue persistance. Prêt à boire mais pourra vieillir avec beaucoup d’élégance.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este vinho guarda o doce de uma frutinha doce seguido por sabor de pimenta. Um gosto um tanto ardido na boca depois de engolido o líquido. É uma sensação estranha. Enquanto está na boca, você quase não sente gosto de nada, mas quando engole, sua boca é invadida por esse sabor, um tanto ardido. Apesar de ser diferente do eu gosto ou estou acostumada a degustar - um vinho diferente, mais velho mundo -, foi bem agradável prová-lo.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Cinza escuro de pouco destaque para este vinho. Poderia ser melhor.
Exame visual: violeta indo para o grená
Exame olfativo: -
Exame gustativo: É bom provar um syrah do velho mundo. Vinho bem feito e agradável, com notas peculiares de vinho francês. Corpo médio, início de boca com algo levemente doce, como cereja madura, mas o vinho realmente mostra ao que veio no final de boca com notas de especiarias e pimenta preta. Vinho que pede água, seca a boca. Com o tempo no decanter ele amacia e fica mais leve. É um vinho que está interessante para beber agora e vai ficar bom em 2 anos. Gosto do estilo. Vinho feito de vinhas velhas, com mais de 40 anos, que sempre acho interessante provar. Um bom vinho.
Nota: 88.0+

12 de fevereiro de 2010

Stonehedge Reserve Old Vine - Zinfandel 2005


Nome: Stonehedge Reserve Old Vine
Safra: 2005
País: Estados Unidos
Região: Lodi, Califórnia
Produtor: Stonehedge Winery
Site: www.stonehedgewinery.com
Importador: -

Uvas/Corte: Zinfandel 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: US$ 34,00
Onde foi comprado: Califórnia, pela Patty
Quando foi comprado: Abril de 2009
Degustado em: 27 de janeiro de 2010
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Baguette do Garcia e Rodrigues, pastinha de ervas finas, queijo gouda, lombinho canadense e salame italiano da Deli Toscana, do Rio Sul, e hamburguer Resende
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: Tem uma cor de Pinot.
Exame olfativo: Difícil, bem difícil de dizer quais são os aromas, apesar de eles parecerem tão familiares, algo meio doce.
Exame gustativo: Conversamos tanto durante esse jantar, que eu quase não fiz anotações. E minha memória anda meio fraca. Lembro que gostei muito deste vinho, ele era ao mesmo tempo suave, adocicado - que aqui não seja interpretado mal esse suave ou adocicado, o vinho era bem sério, mas tinha essas características. É um vinho bem gostoso. Harmonizou bem mesmo com o hamburger de frango. Não é um vinho comum.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo escuro, utiliza-se de preto e dourado. Poderia ser mais trabalhado.
Exame visual: Bordô claro e translúcido.
Exame olfativo: Início fechado, com tempo foi abrindo, mas de difícil definição. Alguma fruta doce.
Exame gustativo: Este é mais uma das garrafas que quando a Patty vem ao Brasil ela gentilmente traz da Califórnia. Um bom Zinfandel com um sabor diferente. Bom corpo, paladar firme com muitas especiarias na boca e final com fruta madura e doce e bem marcado. Depois de um tempo ele se abre e lembra outros Zinfandels que já degustamos. No geral foi um vinho bastante diferente dos que temos degustado. Valeu a experiência.
Nota: 88.0+

10 de fevereiro de 2010

Pergunta da Semana - 155

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, inspirados no prazer que temos em conhecer novas lojas e passear entre garrafas de vinhos, o Le Vin au Blog quer saber:

- Você tem alguma loja de vinhos preferida? Costuma ser fiel ou para você não importa muito o lugar em que vai comprar suas garrafas? Quais são os seus critérios na hora de escolher uma loja?

8 de fevereiro de 2010

Tabalí Reserva Especial - Syrah 2007


Nome: Tabalí Reserva Especial
Safra: 2007
País: Chile
Região: Vale de Limarí
Produtor: Tabalí
Site: www.tabali.com
Importador: -

Uvas/Corte: Syrah 100%
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: Cortiça, tamanho médio, com logomarca gravada.
Numeração da garrafa: -
Preço: 9.900 pesos
Onde foi comprado: No aeroporto de Santiago do Chile
Quando foi comprado: 9 de dezembro de 2008
Degustado em: 17 de janeiro de 2010
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Bruschettas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Deep red colour with violet hints, great character, elegant, complex , ripe and very rich with layers of black cherries, violets, black pepper, a touch of smoke and spicy dark aromas. In the palate is full bodied and well balanced with smooth texture, velvety tannins and lots of fruit. Unique wine that shows all the potential of Limarí valley in this variety with a very good ageing potential. Great structure and remarkably long finish.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Cor intensa e forte.
Exame olfativo: Cheiro licoroso.
Exame gustativo: Quando o Claudio começou a derramar o vinho no decanter, eu fiquei impressionada pela cor, superforte, e, logo depois, confesso que fiquei receosa de o vinho ser ele mesmo forte demais, pelos 14,5%. Deu medo do dia seguinte. Apesar desse receio todo, não deu para resistir ao Tabalí. Trata-se de um vinho muito bom. Moderno na medida certa, fortão, denso. Claudio falou para eu escrever que ele tinha cor de tinta pvc ou tinta de pintar parede - pois ele não faz esse tipo de comentário. Foi um ótimo jantar. Ótimas bruschettas feitas por mim, acompanhadas por um vinho intenso, que tinha um gostinho de capuccino. Durante o jantar nos demos conta de que precisamos viajar bem logo, pois nossas reservas de vinhos estão se esgotando.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Programação visual bem característica desta vinícola. Bem resolvido.
Exame visual: Muito denso e escuro. Licoroso. Violeta escuro.
Exame olfativo: Boa intensidade, frutas vermelhas maduras, notas doces e licorosas.
Exame gustativo: Um Syrah chileno muito bem feito. Sem dúvida é um vinho de estilo novo mundo, mas não é óbivio. Bastante fruta madura como ameixa, sem ser over. Toques de pimenta e especiarias. Preenche a boca e final vivo e marcante. Madeira bem trabalhada, sem exageros. Taninos bem marcados, vinho encorpado. Frutas vermelhas em compota com algo picante no final. Muito interessante. Depois de um tempo aberto notas de chocolate e cappucino. Pede uma comida com peso. Interessante para beber agora e com potencial para evoluir. Muito bom vinho.
Nota: 91.0

4 de fevereiro de 2010

Núbio - Sauvignon Blanc 2008


Nome: Núbio
Safra: 2008
País: Brasil
Região: São Joaquim
Produtor: Sanjo - Coop. Agrícola de São Joaquim
Site: http://www.sanjo.com.br/
Importador: -

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: 3.296/8.000
Preço: R$ 35,00
Onde foi comprado: Direto da vinícola
Quando foi comprado: julho de 2009
Degustado em: 16 de janeiro de 2010
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Paella do Botequim Informal
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela

Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Não sei, talvez eu não goste tanto assim de sauvignon blanc. Apesar de já ter provado vinhos que me marcaram no passado. Esse, porém, apesar de parecer muito bem feito, não me ganhou. Ele é bom, não é aguado, ao contrário, tem forte personalidade, acho que somente não é meu estilo. Quanto à paella do Botequim Informal, que estava em nossa lista de 'aventuras' de verão, deixou muito a desejar. Parece que faltava tempero. Era um mero arroz com frutos do mar. Não repetiremos a experiência de comprar duas porções para trazer para casa.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo que precisa de um redesenho.
Exame visual: Amarelo claro e leve
Exame olfativo: Nariz suave com toques verdes e de maracujá.
Exame gustativo: Este foi um vinho muito comentado pela internet. Muitos escreveram que seria um dos melhores Sauvignon Blancs do Brasil. É um vinho com personalidade forte e sabores bem marcados. Na boca notas bem presentes de pimentão verde e maracujá. Sabor intenso, encorpado e com uma certa cremosidade. Final com notas de pimenta e algo mineral com boa permanência. Ele não é tão fresco e não é daqueles Sauvignon que a acidez é marcante, ele busca um outro caminho que faz deste vinho catarinense bem interessante. Não sei se o paladar agradará à todos, mas com certeza é um vinho de presença. Funcionou com a paella (que não estava das melhores). Vamos ter que procurar uma outra paella para provar.
Nota: 88.0

Porcupine Ridge Sauvignon Blanc 2008


Nome: Porcupine Ridge
Safra: 2008
País: Africa do Sul
Região: Franschloeck
Produtor: Boekenhoutskloof
Site: http://www.boekenhoutskloof.co.za/
Importador: Mistral

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc 100%
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Tampa de rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Adega Santiago, em São Paulo
Quando foi comprado: 13 de janeiro de 2010
Degustado em: 13 de janeiro de 2010
Onde bebeu: Adega Santiago, em São Paulo
Harmonizado com: Prato de massa, com molho de queijo tipo azul e Jamon Serrano
Com quem: Claudio, Gilberto e Daniel (Vinhos de Corte)

Comentário do Produtor
-

Comentário do Claudio
Rótulo:
Gosto deste rótulo. O traço da ilustração do porco espinho é bem resolvido e a composição equilibrada.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Dedpois de um longuíssimo dia de trabalho em São Paulo, conseguimos marcar um jantar com o Daniel do blog Vinhos de Corte, que sugeriu a interessante Adega Santiago. Depois de uma certa indecisão sobre qual vinho escolher, optamos por um branco. Já havia degustado e gostado bastante do Syrah desta mesma marca. Fomos com uma boa espectativa para esta Sauvignon Blanc. Acho que ele não correspondeu. É um bom vinho, bem feito, mas não marca. Como comentamos na hora, é um vinho correto, mas que iríamos esquecer dele depois de um tempo. De qualquer forma o jantar foi ótimo e a conversa com o Daniel também. Na minha próxima ida a SP já está combinado um novo jantar, quem sabe desta vez conseguimos reunir outros blogueiros?
Nota: 86.0

2 de fevereiro de 2010

Pergunta da Semana - 154

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, depois de meses de insistência do Claudio, publicamos uma pergunta não exatamente relacionada ao vinho. Muitas vezes compramos pizza para acompanhar uma garrafa de vinho. Quando sobra, deixamos na geladeira para comer no dia seguinte. Quente ou fria, é sempre disputada. Com isso, nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Quando isso acontece com você, como você consome essa pizza no dia seguinte? Fria ou quente? No café da manhã ou em outra refeição? Você acha que pizza no dia seguinte fica mais saborosa?

1 de fevereiro de 2010

Casillero del Diablo - Sauvignon Blanc 2009* #cbe


* 38º vinho do mês, indicado pela blog Vivendo Vinhos para ser degustado pelos membros da Confraria Brasileira de Enoblogs.

Nome: Casillero del Diablo
Safra: 2009
País: Chile
Região: Santiago
Produtor: Concha y Toro
Site: www.casillerodeldiablo.com
Importador: Trop

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 29,50
Onde foi comprado: Loja na Cobal, a segundo do lado da Voluntários da Pátria
Quando foi comprado: 31 de janeiro de 2010
Degustado em: 31 de janeiro de 2010
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Peixe com molho de mostarda e mel e couscous marroquino
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Color: Amarillo suave con suaves tonos verdes
Aroma: Fresco y cítrico. Notas a duraznos con sutiles toques de grosellas y frutos tropicales
Sabor: Un vino suave, redondo y pleno en boca, de gran frescura y equilibrada acidez natural
Acompaña: Ideal para acompañar un ceviche de mariscos y ostras

Comentário da Rafaela
Exame visual: Muito clarinho.
Exame olfativo: Cheiro fresco, de uma tarde de calor à beira-mar, com o sol refletindo no mar.
Exame gustativo: Combinamos de provar este vinho com nosso almoço de domingo, mas a empolgação acabou empurrando a degustação para o jantar. Tiramos o domingo para fazer comida para congelar. Foram 12 receitas ao longo da tarde. Nosso freezer está lotado agora. Foi bem trabalhoso, mas valeu a pena. Quando finalmente acabamos de fazer tudo que havíamos planejado, chegou a hora da degustação. Foi uma ótima maneira de encerrar o dia de trabalho e ao mesmo tempo um fim de semana perfeito e as duas semanas de férias. O vinho tem um gosto amarguinho, que não chega a desagradar pessoas com meu paladar - que tende a gostar de brancos mais adocicados. Harmonizou com o couscous.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Mais do que conhecida programação visual da linha Casillero del Diablo.
Exame visual: Palha muito claro.
Exame olfativo: Leves frutas cítricas, algo doce e floral também. Nariz delicado.
Exame gustativo: Sempre fico desconfiado de rótulos que são produzido aos montes. A linha Casillero del Diablo é uma destas. Um vinho que você encontra em qualquer parte do mundo. Para produzir tanto vinho de uma mesma linha, acredito que o processo de produção bem rígido. Em geral você encontra um vinho bem feito, equilibrado, mas que falta algum toque especial ou diferenciado. Neste Sauvignon Blanc encontramos isto. Boa acidez, notas vegetais não tão acentuadas, final que poderia ser mais longo. É fresco e agradável, mas não surpreende. Acredito que consiga encontrar vinhos mais interessantes nesta faixa de preço.
Nota: 86.0+

Domaine Robert Sérol - Les Vieilles Vignes 2008


Nome: Les Vieilles Vignes
Safra: 2008
País: França
Região: Côte Roannaise
Produtor: Domaine Robert SÉROL
Site: http://www.domaine-serol.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Gamay 100%
Teor alcoólico: 12%
Rolha: -
Numeração da garrafa: -/45.000
Preço: Geralmente oferecido pela Marie
Onde foi comprado: Paris, durante a última viagem da Marie
Quando foi comprado: Setembro de 2009
Degustado em: 9 de janeiro de 2010
Onde bebeu: Casa do Mário e da Marie
Harmonizado com: Deliciosas bruschettas do Mário
Com quem: Claudio, Rafaela, Mário e Marie

Comentário do Produtor
Cuvée sélectionnée sur des vignes d'au moins quarante ans d'âge.
Elle exprime à la fois les fruits du Gamay Saint Romain et la minéralité de nos sols granitiques.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Nos primeiros dias de 2010, recebemos uma notícia bem desoladora, a de que o Petit Gateau tinha partido. Para espantar a tristeza, Mário resolveu adotar outro gatinho. Ele e a Marie nos chamaram para conhecer o esperto Sacha, que, soube depois, agora se chama Antoine, em homenagem a Antoine Doinel, do filme de François Truffaut, e da música Antoine do Fábio Penna, colega de redação do Mário. O gatinho é muito fofo mesmo. Mário fez bruschettas deliciosas e Marie nos ofereceu este vinho ótimo que ela havia trazido da França na última viagem. Muito bom, leve e agradável!
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Bonita garrafa, com estilo e bom gosto.
Exame visual: -
Exame olfativo: Senti o nariz do vinho antes de saber qual o vinho que estava degustando. Pelo nariz já dava para perceber que se tratava de um Gamay. Frutas frescas, leve e elegante. Muito bom.
Exame gustativo: Quando o vinho da uva Gamay é francês, a chance de você ter uma boa surpresa é enorme. Isto aconteceu mais uma vez com esta garrafa. Vinho muitíssimo bem trabalhado, com muita elegância e personalidade. Estilo clássico da uva Gamay, com sobores leves de frutas, e um certo frescor. Vinho muito interessante, infelizmente, como estava dirigindo, só provei uma tacinha. A Marie comentou que este produtor faz dois vinhos para a Maison Troisgos. Vale conhecer. Não sei se são importados para o Brasil.
Nota: 90.0