20 de outubro de 2010

Marcel Lapierre - Morgon 2009 / Raisins Gaulois - 2009



Nome: Marcel Lapierre, sem adição de sulfitos / Raisins Gaulois
Safra: 2009 / 2009
País: França
Região: Villié-Morgon
Produtor: Marcel e Mathieu Lapierre
Site: http://www.marcel-lapierre.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Gamay 100%
Teor alcoólico: 12,5% -
Rolha: Cortiça e tampa de rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido por Mathieu Lapierre, filho de Marcel Lapierre
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: 1º de setembro de 2010
Degustado em: 1º de setembro de 2010
Onde bebeu: Terraço do Hotel Au Patio Morand, em Lyon na França
Harmonizado com: Queijos e baguette comprados em uma loja de Villefranche-sur-Saone
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela

Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Chegou enfim o dia tão esperado de visitar uma vinícola. Antes, porém, passeamos um pouco por Autun e Tournus. Quando vimos, ainda não tínhamos almoçado e estávamos longe de Villié Morgon, onde fica a propriedade dos Lapierre. A alternativa mais rápida foi comer algo no Quick, uma rede de fast food francesa. Sempre que cometo esse atentado ao meu estômago, de ir a um fast food, sempre me arrependo. Sempre juro ser a última vez... Seguimos então para Villié Morgon, um lugar bem pequenininho. Chegamos à vinícola e fomos recebidos pelo simpático Mathieu. Não ficamos exatamente desapontados, mas havíamos marcado de encontrar o próprio Marcel. Havíamos conhecido aqui no Rio, quando fomos à apresentação de seus vinhos no Hotel Fasano e também dos vinhos de Philippe Pacalet. Comentamos isso com Mathieu, ele disse que Pacalet era seu primo. Ele falou que o pai estava viajando, mas que nos receberia e mostraria a vinícola. Percorremos os vinhedos, visitamos o galpão onde as uvas são fermentadas, fomos até onde estão as barricas. Tudo bem simples, mas bem arrumado. Depois, voltamos à sede, onde fizemos a degustação. Experimentamos quatro vinhos diferentes: um Morgon puro, um outro que recebe pequena adição de sulfitos, um Raisins Gaulois e um Marcel Lapierre MMIX. Todos excelentes. No final, Claudio perguntou se podíamos comprar um daqueles vinhos abertos, com a intenção de bebê-lo à noite, no jantar. Mathieu então falou: "- Os quatro são de vocês!" Eu fiquei toda sem jeito, mas Claudio quase me chutou quando eu estava prestes a dizer que não precisava... Mathieu providenciou uma caixa e saímos de lá com as garrafas que compramos mais essas. Quando disse para Mathieu incluir na conta as duas visitas, ele foi novamente direto: "Eu vendo vinhos, não visitas!" E sorriu. Na saída, nos indicou um passeio para fazermos na região, visitar o lugar mais alto, de onde se pode ter uma vista fantástica de todos os vinhedos. Lá em cima, tomamos uma tacinha do Morgon puro e fizemos um brinde aos Lapierre. Este vinho mais jovem é muito bom! Mal podíamos adivinhar que semanas mais tarde, ficaríamos sabendo que Marcel Lapierre havia morrido. Ficamos muito tristes. Talvez ele até estivesse em casa naquele dia em que estivemos lá, mas já incapacitado de atender a visitas. Depois de deixar a região dos Morgon, seguimos para Villefranche-sur-Saône, onde compramos queijos e uma baguette. Ao chegar a Lyon, percebemos que o quarto do hotel não tinha espaço nem para nossas malas todas, que dirá para armar nosso jantar. Porém, o hotel tinha um terraço, bem bacana, com mesas e cadeiras e ali sim deu para fazermos a nossa festa. Ainda deu para darmos uma volta pelo centro de Lyon, onde tudo fervilhava. A cidade é muito bacana. Quem sabe numa próxima viagem passemos por lá novamente.
Nota: 93.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
O Raisins tem um rótulo divertido e leve, combina com o vinho. O Morgon tem estilo clássico.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Nossa visita à vinícola de Marcel e Mathieu Lapierre foi muito especial. A região é bonita e as instalações da vinícola são simples e funcionais. As uvas já estavam grandes e em mais alguns dias eles iriam começar a colheita 2010. Estavam se preparando para isto. Quem nos recebeu foi o simpático Mathieu. Ao final da visita, fizemos uma degustação com os 4 vinhos que eles produzem, os excelentes: Marcel Lapierre - Morgon sem adição de sulfito; Marcel Lapierre - Morgon com pequena adição de sulfito; o jovem Raisins Gaulois; e o complexo Marcel Lapierre MMIX. Fomos presenteados pelo Mathieu com as 4 garrafas abertas para nossa degustação na vinícola. Saindo de lá, passamos pela simpática e ensolarada cidade de Villefranche-sur-Saône, onde compramos algumas coisas para comermos junto com nossos vinhos. Fomos a uma loja excelente de queijos, onde escolhemos alguns da região para acompanhar os vinhos. Rumamos para Lyon, onde dormiríamos. Nosso "jantar" foi no agradável terraço de nosso hotel, numa noite estrelada. Resolvemos beber primeiro o Morgon sem sulfitos e o jovem Raisins Gaulois. Dois excelentes vinhos feitos da uva Gamay. Em boca, o Morgon sem sulfitos, mesmo sendo próximo, é superior ao mesmo vinho com adição de sulfitos. São vinhos que devem ser provados. Contêm boa fruta, são "limpos", frescos e com boa complexidade. O Raisins é um vinho para ser bebido jovem, de forma descompromissada, tem boa fruta e é divertido como seu rótulo. É aquele tipo de vinho que você beberia uma taça todas as noites e ficaria feliz. Os queijos escolhidos estavam ótimos. Foi um belíssimo "jantar". Foi um dia especial de nossa viagem. E o melhor: ainda tinhamos mais duas garrafas para degustar nos outros dias, faleremos deles no próximo post.
Nota: 91,0+, 89.0+

Nenhum comentário: