31 de dezembro de 2009

Pergunta da Semana - 149

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Em suas resoluções de ano novo, alguma relacionada a vinho? Fazer uma viagem enogastronômica? Adquirir algum rótulo específico? Comprar uma nova adega?

Desejamos a todos de coração um FELIZ 2010!

Amat 2005


Nome: Amat
Safra: 2005
País: Uruguai
Região: Cerro Chapeu
Produtor: Bodegas Carrau
Site: http://www.bodegascarrau.com/es/
Importador: Zahil

Uvas/Corte: Tannat 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: gentilmente oferecido pelo Gustavo
Onde foi comprado: Freeshop do Aeroporto de Guarulhos pelo Gustavo
Quando foi comprado: 5 de dezembro de 2009
Degustado em: 5 de dezembro de 2009
Onde bebeu: Na casa do Gustavo e da Gabi, em São Paulo
Harmonizado com: Risotto de bacalhau
Com quem: Claudio, Gustavo, Gabi, Pedro e Arthur

Comentário do Produtor
-

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Havia combinado com meu primo Gustavo que dormiria na casa dele na noite de sábado para domingo em São Paulo. Ele estava voltando de Houston e dei a dica para ele comprar no Freeshop do Aeroporto este Amat. Depois do almoço com os amigos blogueiros, segui para encontrar o Gustavo e a Gabi. Chegando lá, ele resolveu preparar um risotto de bacalhau para o jantar e abrir a garrafa do Amat. Confesso que o meu paladar estava um pouco prejudicado devido à maratona de vinhos do almoço. Não podia fazer a desfeita e, com prazer, degustamos este Tannat uruguaio. Bom vinho, com bom corpo e com potencial para evoluir ainda na garrafa. Temos um Amat da safra 2004 em nossa adega, que degustaremos em breve e farei anotações mais detalhadas sobre este belo exemplar uruguaio. A noite foi muito agradável e, mesmo que rápido, foi muito bom ter encontrado com Gustavo, a Gabi e os loirinhos Pedro e Arthur. Em 2009, nos encontramos com eles em julho em São Leopoldo e o Gustavo conseguiu vir jantar aqui em casa uma vez. Vamos repetir esses encontros no ano que vem!
Nota: -

Encontro de Blogueiros


Com muito atraso, publico meus comentários sobre a tarde memorável que foi o encontro de 7 blogueiros de vinhos em São Paulo. No sábado, dia 5 de dezembro, nos reunimos no restaurante Varanda Grill para um almoço com nada menos que 12 garrafas de excelentes vinhos. Tive o prazer de conhecer pessoalmente o Paulo, o Cristiano e o Beto qua ainda não conhecia e pude rever o Alexandre, o João Filipe e o Daniel.
A escolha do Varanda Grill foi perfeita. O serviço do sommelier Thiago Locatelli foi impecável. Ambiente agradável, mesa redonda (ideal para que todos conversem) e uma carne divina.
Cada blogueiro levou um vinho. Por acaso, tivemos 7 vinhos de sete países diferentes. O João Filipe conseguiu duas garrafas de espumantes com a Vinci e a Cult Vinhos cedeu gentilmente 2 garrafas de espanhóis do seu catálogo. O Paulo gentilmente nos proporcionou um final à altura do encontro com uma garrafa do Tignanello vinda direta da adega do Varanda. Seguem os vinhos do almoço: Brédif Vouvray Brut (duas garrafas), Prios Maximus Roble Crianza, Erasmo, Abadia de San Quirce, Quinta da Leda, Afincado, Juan Rojo, Montus, Lucarelli Primitivo, John Duval, Tignanello.
Que em 2010 possamos repetir muitos encontros como este.

Luigi Bosca Malbec D.O.C. 2007


Nome:
Malbec D.O.C.
Safra: 2007
País: Argentina
Região: La Linda, Vistalba, Luján de Cuyo, Mendoza
Produtor: Bodegas y Viñedos Leoncio Arizu
Site: http://www.luigibosca.com.ar/
Importador: Decanter

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 14,4%
Rolha: Cortiça, partiu ao ser aberto
Numeração da garrafa:
-
Preço: Gentilmente oferecido pelo Dal
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 4 de dezembro de 2009
Onde bebeu: Casa do Dal em São Paulo
Harmonizado com: Pizza de calabresa
Com quem: Claudio, José Rodrigo, Dal e Nice

Comentário do Produtor
Presenta un profundo color violáceo y aromas a cerezas, y ciruelas maduras. Es especiado, con notas de moka y blackberries, con una elegante dulzura. Mantiene un delicado perfume y una elegante estructura.

Comentário do Claudio
Rótulo:
Bela e pesada garrafa. O rótulo consegue aliar perfeitamente sofisticação, modernidade e elegância. Transmite exatamente o que o vinho é. Belo design.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Muitas vezes conversava com o Dal pelo Messenger, mas não conseguia encontrá-lo quando ia a São Paulo. Desta vez, aproveitei que fiquei mais dias e conseguimos nos ver. O aniversário dele seria no sábado, dia 5. Na véspera, fomos convidados, o José Rodrigo e eu, para comermos uma pizza na casa dele e brindarmos o aniversário. Para acompanhar, o Dal escolheu este bom Malbec argentino que eu já havia degustado em outras duas ocasiões. Um Malbec moderno com taninos bem macios e redondos que pede uma taça a mais. Vinho feito para agradar. Um Malbec sem excessos. Para quem gosta deste estilo, eu recomendo. Funcionou bem com a pizza e com o papo que botamos em dia. Um bom vinho.
Nota: 88.0+

La Haute Févrie Muscadet de Sèvre et Maine Sur Lie 2008 e João Pato 2007


Nome: La Haute Févrie Muscadet de Sèvre et Maine Sur Lie
Safra: 2008 - 2007
País: França - Portugal
Região: Loire - Bairrada
Produtor: Domaine La Haute Fevrie
Site: -
Importador: Zahil - Mistral

Uvas/Corte: 100% Muscadet (Melon de Bourgogne) - 100% Touriga Nacional
Teor alcoólico: -, 12,5%
Rolha: Cortiça - Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Vino! em São Paulo
Quando foi comprado: 3 de dezembro de 2009
Degustado em: 3 de dezembro de 2009
Onde bebeu: Vino! em São Paulo
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio, Nina e Marcel

Comentário do Produtor
-

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Aproveitando a ida a São Paulo para algumas reuniões, liguei para o Marcel (do blog Gourmandise) para ver se ele e a Nina gostariam de jantar naquela noite. Acabamos indo ao restaurante/loja do amigo Avelino (que não estava por lá), o ótimo Vino! Depois de um dia cheio, nada melhor que uma boa comida, um vinho e um papo entre amigos para fechar a noite. A Nina escolheu o primeiro vinho. Um interessante Muscadet, bem refrescante e com ótima acidez. Vinho fácil de se beber, com algumas notas minerais. Final poderia ser um pouquinho mais longo, mas o resultado final foi ótimo e com um bom preço. Partimos para escolher o segundo vinho... Depois de certa dúvida, acabamos escolhendo o João Pato. Acho que nós três ficamos um pouco decepcionados, pois o vinho apresentava certo gás carbônico no início e deixava a boca amarrada, parecendo que as uvas não estavam boas quando foram colhidas. O jantar foi ótimo com os nossos companheiros das "Harmonizações Virtuais". Espero que em 2010 possamos repetir outros encontros desses com a presença da Rafaela e, quando formos ao Vino!, com o Avelino também.
Nota: 88,0 + - 85,0

16 de dezembro de 2009

Villa Bari - Merlot 2005


Nome: Villa Bari
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Porto Alegre
Produtor: Agrovinícola Barichelo Ltda
Site: www.villabari.com.br
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 100 %
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: Lote 1/2005
Preço: R$ 40
Onde foi comprado: Essen, em Florianópolis
Quando foi comprado: 31 de outubro de 2009
Degustado em: 30 de novembro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Massinha caprichada
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Elaborado com uvas cultivadas em vinhedos modelo, irrigados com águas minerais e com exposição solar ideal.As uvas são colhidas quando atingem a maturação glucométrica e organoléptica máxima, sendo que uma parte das uvas inicia sua fermentação em pequenos tanques com controle de temperatura, enquanto a outra parte é parcialmente passificada em salas com temperatura e umidade controladas.Após a fermentação, o vinho descansa em tanques de aço inox e posteriormente na garrafa até a evolução e estabilização completa.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Rubi.
Exame olfativo: Cheiro doce.
Exame gustativo: Pelo gosto adocicado inicial, a primeira coisa, meio sem sentido, que me veio à mente foi a expressão "vinho de Natal". Criada da minha cabeça, é claro. Ou quase. Nos mercados de Natal na Alemanha se bebe vinho quente, tipo nosso quentão, mas não, o Villa Bari não tem nada a ver com isso. Trata-se de um vinho muito amigável. Arrisco dizer até delicioso, bem equilibrado e que harmonizou muito bem com a minha massinha caprichada. Adorei. Evoluiu bastante depois de aberto.
Nota: 89.0+

Comentário do Claudio
Rótulo:
Bem simples. Poderia evoluir mais.
Exame visual: Rubi
Exame olfativo: Nariz bem marcado por algo como mel e cera.
Exame gustativo: Um bom vinho, com estilo diferente. Ao usar uvas passificadas no processo de vinificação, este vinho ganha características bem interessantes. Sem dúvida é um vinho bem feito. A curiosidade é que esta vinícola se localiza na cidade de Porto Alegre, a poucos minutos do centro. Seu proprietário também produz vinhos na Itália. Vinho bastante saboroso, com boa acidez e bom corpo. Vinho levemente licoroso, com final muito marcado, repetindo o nariz, com caramelo, cera e mel. Adocicado, equilibrado, com notas também de frutas maduras. Evoluiu bem na taça, funciona bem com comida. Boa permanência. Acredito que poderiam ter usado um pouco menos de uvas passificadas durante a vinificação. Acredito que assim as características da merlot estariam mais presentes. É uma vinícola que devemos ficar de olho. Não tenho dúvidas de que seus vinhos ainda vão crescer e serão bem falados. Boa experiência.
Nota: 87.0-88.0

15 de dezembro de 2009

Pergunta da Semana - 148

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Você costuma colecionar garrafas vazias? Por quê? Pelo rótulo, pelo formato, por se tratado de um ótimo vinho?

Aproveitamos para desejar um FELIZ NATAL!

14 de dezembro de 2009

Bressia Profundo 2004



Nome: Profundo
Safra: 2004
País: Argentina
Região: Agrelo, Lujan de Cuyo - Mendoza
Produtor: Bodega Bressia
Site: http://www.bressiabodega.com/
Importador: -

Uvas/Corte: 50% Malbec, 30% Cabernet Sauvignon, 10% Merlot e 10% Syrah
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça, tamanho médio e com logomarxa gravada
Numeração da garrafa: 4.316/8.000
Preço: 150 pesos
Onde foi comprado: Loja Ligier em Buenos Aires
Quando foi comprado: 12 de fevereiro de 2008
Degustado em: 25 de novembro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Tortei com molho de frango
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
The 2004 Profundo is composed of 50% Malbec, 30% Cabernet Sauvignon, 10% Merlot, and 10% Syrah and was aged in French and American oak. Purple/black in color, it reveals notes of wood smoke, pencil lead, black currants, and blueberry. On the palate it is medium to full-bodied with layers of spicy dark fruits, intense flavors, nicely concealed tannin, and a 45-second finish. It will evolve for several years and drink well through 2020.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Cor escura.
Exame olfativo:Ameixa.
Exame gustativo: Eu adoro comer tortei, mas confesso que, como muitas outras coisas, eu nunca tinha feito em casa. E feito aqui significa apenas cozinhar e preparar o molho, pois fazer o tortei em si é algo que acho que nunca vou tentar. Compramos na feira na Marina e estava congelado desde então. Não sei se foi por ter ficado no freezer por muito tempo, mas cozinhá-lo foi um desastre. As peças que se soltaram ficaram ótimas, mas sobre aquelas que cozinharam juntas, não se pode dizer a mesma coisa. De qualquer modo, não ficou ruim. Ainda mais combinada com um ótimo vinho. Foi uma decisão muito acertada tê-lo escolhido para comemorar o aniversário de namoro. Fez bonito. Trata-se de um vinho muito gostoso. Espero poder prová-lo alguma outra vez.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo elegante e equilibrado. Bem feito.
Exame visual: -
Exame olfativo: Início um pouco fechado, mas depois abriu para ameixa, pimentas pretas. Leve álcool e leve madeira aparentes.
Exame gustativo: Comprei o Profundo em Buenos Aires sem ter nenhuma referência sobre este vinho. Imaginava ele seguir um estilo potente e frutado com madeira. Para minha surpresa, o vinho era diferente do que imaginava. Lembra muito o estilo do B Crux que degustamos. Vinho bastante vivo, de sabor intenso, com vigor, predominando de cereja com uma mistura de especiarias. Um vinho de estilo moderno, mas sem madeira aparente. As notas de especiarias e pimenta dão uma toque marcante ao vinho. Corpo médio, final intenso. Ainda pode evoluir. Um vinho interessante que vale experimentar.
Nota: 89.0+

Pergunta da Semana - 147

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Pensando na sua lista de desejos de Natal, qual vinho você mais gostaria de ganhar?

9 de dezembro de 2009

Isla Negra - Semillon e Sauvignon Blanc 2008


Nome: Isla Negra
Safra: 2008
País: Chile
Região: Vale Central
Produtor: Isla Negra
Site: www.islanegrawines.com
Importador: Enoteca Fasano

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc 85% e Semillon 15%
Teor alcoólico: 12,9%
Rolha: Tampa de rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 31 (meia garrafa)
Onde foi comprado: Restaurante XX, no Rio
Quando foi comprado: 20 de novembro de 2009
Degustado em: 20 de novembro de 2009
Onde bebeu: Restaurante XX, no Rio
Harmonizado com: Agnolotti com recheiro de lagostim, molho de tomate e camarão (R$ 39, Rafaela) e Risotto picante de frutos do mar (R$ 39, Claudio)
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Una mezcla fascinante, en la que los aromas cítricos del Sauvignon Blanc y el Semillón se entremezclan con notas a frutos de la pasión, además de toques a hierbas secas y ciruelas amarillas. El paladar es refrescante, equilibrado, y bien estructurado, con toques finales de lima-limón.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Escolhemos o novo restaurante XX (lê-se Vinte) para comemorar o aniversário do Claudio e foi uma ótima escolha. Gostamos do clima, do atendimento atencioso e da comida deliciosa. O restaurante é todo em preto e branco, com uma lousa cobrindo toda a parede e ali estão declarações de frequentadores famosos. Para quebrar o dualidade das cores, maçãs verdes sobre as mesas. O couvert (R$ 8 por pessoa) é gostoso e na medida. O prato, eu repetiria sem pensar. Estava muito bom! Para completar a refeição, escolhemos essa meia garrafa, a mais em conta do cardápio, pois acreditamos que um almoço/jantar sempre fica melhor com um vinhozinho. Com essa história de Lei Seca, a meia garrafa foi uma ótima opção. Para fechar, comemos uma sobremesa gostosa e de nome impronunciável. Esperamos voltar logo.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Saímos para almoçar no dia do meu aniversário e resolvemos conhecer o restaurante XX. Escolhendo os pratos, resolvi que comeria alguma coisa com frutos do mar. Aproveitando o dia quente, resolvemos escolher uma meia garrafa de vinho branco para acompanhar. Afinal, um almoço com vinho sempre é melhor. Meu prato estava ótimo, muito bem preparado. Esperava um pouco mais picante, mas mesmo assim gostei muito. O Isla Negra é um vinho leve, agradável, com toques de frutas cítricas, bem refrescante. Valeu a pedida.
Nota: -

8 de dezembro de 2009

Sozo Reserva - Cabernet Sauvignon 2005


Nome: Sozo Reserva
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Campos de Cima da Serra
Produtor: José Sozo Vinhos
Site: -
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: 0714/3600
Preço: Gentilmente presenteado pela mãe da Rafaela ao Claudio pelo aniversário
Onde foi comprado: Supermercado Bortolon, em Vacaria
Quando foi comprado: Outubro de 2009
Degustado em: 21 de novembro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Pães, pasta de tomate seco, lombo canadense, queijo Gouda e salame
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Difícil de identificar, leve. No final, charuto.
Exame gustativo: Equilibrado, gostoso, leve. É um vinho redondo, que não te incomoda. Claudio queria provar este vinho há tempos. Quando fomos a Vacaria, acabamos não comprando, mas falamos para minha mãe do interesse e ela o escolheu como presente de aniversário para o Claudio. O vinho combinou perfeitamente com as comidinhas que escolhemos e com o clima superagradável desta noite de sábado. Com ele, demos início à temporada de degustações na varanda. Voltando ao vinho, é fácil de beber, daqueles que você nem sente e lamenta que já chegou ao fim. É daqueles que poderia ter mais um pouco na garrafa. Muito bom! Para quem quiser conhecer um pouco do trabalho do seu Sozo, encontramos este vídeo no YouTube.
Nota: 91.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Busca um estilo clássico. Não gosto do uso do dourado.
Exame visual: Rubi leve.
Exame olfativo: Inicialmente fechado.
Exame gustativo: Este vinho é produzido na região dos Campos de Cima da Serra, no Rio Grande do Sul. Esta é uma nova área no estado, onde está crescendo a produção de uvas para a produção de vinhos. Tinhamos ido a Vacaria e visto este vinho. Fiquei com curiosidade de prová-lo, mas acabamos não comprando. A mãe da Rafaela conheceu o José Sozo, produtor do vinho, e acabou comprando uma garrafa de presente para mim. O produtor havia trabalhado nos parreirais do Sr. Randon que produz seus vinhos em parceria com a Miolo. Gostei deste Cabernet. Mostrou um bom potencial da uva. Vinho leve, equilibrado, fácil de se beber. Vinho bem feito. Para ficar de olho nos vinhos que vão vir dos Campos de Cima da Serra.
Nota: 87.0

Pergunta da Semana - 146

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, levando em consideração que muitas receitas para as festas de fim de ano levam vinho, o Le Vin au Blog quer saber:

- Quando você compra um vinho para cozinhar, você escolhe o mais barato da loja, procura por alguma uva específica ou compra algum que possa beber uma parte e deixar o que sobrar para preparar pratos?

7 de dezembro de 2009

Trapiche Viña José Blanco Malbec 2003


Nome: Trapiche Viña José Blanco
Safra: 2003
País: Argentina
Região:
Mendoza
Produtor: Bodegas Trapiche
Site: www.trapiche.com.ar
Importador: -

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 14,5 %
Rolha: Cortiça, grande e com logomarca gravada
Numeração da garrafa: -
Preço: 250 pesos
Onde foi comprado: Loja Ligier, Buenos Aires
Quando foi comprado: 12 de fevereiro de 2008
Degustado em: 16 de novembro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Risoto de gorgonzolla e nozes
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Vinho forte e saboroso. Não me pareceu que seja para ser bebido sem comida. Ficou muito bom com o risotto. É um ótimo vinho dentro do estilo dele. Sem desmerecer ou parecer esnobe, acho que teríamos nos deslumbrado mais há alguns meses, quando não havíamos bebido ainda muitos malbecs da Argentina. Ele é um vinho que não agride, é macio, redondo. Muito bom.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo equilibrado e marcante desta linha de vinhedos especiais. Garrafa muito pesada.
Exame visual: Grená denso e escuro. Cor forte.
Exame olfativo: Poderia ser mais intenso. Alguma fruta madura e levíssimo álcool sobrando.
Exame gustativo: Vinho encorpado, um malbec moderno e com todas as características de um bom malbec argentino. Preparamos um risotto de gorgonzola com nozes, uma harmonização clássica com um malbec encorpado. Vinho muito bem feito, com taninos finos e macios. Evolui bem na taça, madeira bem integrada e final longo com baunilha e chocolate. Vinho que preenche a boca com toques de cassis. É sem dúvida um belo vinho. Estilo clássico de malbec argentino. Para o meu paladar faltou alguma surpresa, não fugiu de outros top argentinos já degustados.
Nota: 91.0