25 de setembro de 2009

Turnbull - 2004




Nome:
Turn bull
Safra: 2004
País: Estados Unidos
Região: Napa Valley
Produtor: Turnbull Wine Cellars
Site: http://www.turnbullwines.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon with a touch of Cabernet Franc, Syrah and Merlot
Teor alcoólico: 14,5 %
Rolha: De cortiça, grande e com leve infiltração.
Numeração da garrafa: -
Preço: US$ 35
Onde foi comprado: Na California e gentilmente trazido pela Patrícia
Quando foi comprado: Agosto de 2007
Degustado em: 16 de setembro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Arroz, legumes, frango com cebola
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Dark, rich and extracted this wine has aromas of cassis, black cherry and currants. The oak adds both a sweetness and roundness to this aromatic and powerful wine.The Viticulture: By carefully matching the ideal rootstock to our estate soil types and grafting only the finest selections of fruiting wood, we grow some of the best fruit in the Napa Valley. The result is naturally low yields, small clusters and berries that are full of flavor and character.The Winemaking: Each vineyard block is vinified separately in small stainless steel tanks and then barreled down into select French Oak barrels which work in balance with the fruit. The blend is primarily Cabernet Sauvignon with a touch of Cabernet Franc, Syrah and Merlot, blended in to deliver bright fruit aromatics.The Result: A dark wine with full body and rich texture—aromas of plums and cassis with brown spices.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Geléia, intrigante, sobrou um leve cheiro de álcool no cheiro (e isso sempre coça meu nariz).
Exame gustativo: Dando início as comemorações do meu aniversário, abrimos este vinho que estava bem guardadinho para um jantar especial. Foi uma ótima escolha! Adorei! Foi muito bom! O gosto bom do vinho fica na boca por um bom tempo. Tem tudo que um vinho perfeito tem. Tem bastante fruta, mas não pode ser considerado um "fruit bomb". Se tivesse outro em casa, ficaria bem feliz. :)
Nota: 92.0 RG ;)

Comentário do Claudio
Rótulo:
Bonita ilustração em um rótulo muito equilibrado.
Exame visual: Rubi escuro e intenso.
Exame olfativo: Fruta madura que evolui para algo de embutido.
Exame gustativo: Já estávamos guardando este vinho há dois anos. Ele foi trazido pela Patrícia em uma das vezes que ela veio ao Brasil. É um Cabernet de grande estrutura, com um potecial de envelhecer por mais alguns anos ainda. Vinho prazeroso que equilibra bem a intensidade se sabores e frutas com elegância. Na boca, bastante frutas negras maduras e com madeira sem excesso arredondando o conjunto. Vinho que preenche a boca. É um Cabernet que não apresenta toques vegetais, existe um predomínio de frutas maduras e em seu final algum toque de pimenta preta. O final é longo. Evoluiu muito bem no decanter, deixando o vinho ainda melhor. Um belo vinho.
Nota: 92.0+

24 de setembro de 2009

Selbach - Riesling 2004*



* Esta foi a 15ª Harmonização Virtual do Le Vin au Blog e do Gourmandise.

Nome: Selbach
Safra: 2004
País: Alemanha
Região: Mosel
Produtor: Wehlener Sonnenuhr
Site: http://www.selbach-oster.de
Importador: Vinci Vinhos

Uvas/Corte: Riesling 100%
Teor alcoólico: 8%
Rolha: Cortiça e pequena
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 58,20
Onde foi comprado: Vinci Vinhos
Quando foi comprado: Setembro de 2009
Degustado em: 18 de setembro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Lombo de porco com kinkan
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Relativ trockener, feiner Unterboden mit verwittertem Schiefer und wenig Lehm. Liegt sehr nahe am Wasser der gestauten Mosel./ Relatively dry, shallow subsoil of decomposed slate and hints of loam. The best parts are close to water surface of Mosel, on the lower portion of the slop.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Cor de abacaxi.
Exame olfativo: Inesquecível, mas difícil de ser identificado.
Exame gustativo: Eu adoro arroz com alguma coisa mais. Poderia dizer que foi por isso que gostei tanto desse prato, mas não foi só por isso. A combinação da geléia com os demais temperos ficou fantástica. Tudo ficou muito equilibrado, você sente todos os sabores, mas todos de maneira muito suave. E para deixar tudo ainda mais gostoso, o vinho casou perfeitamente com o prato, um enriquecendo o sabor do outro. Sozinho, o vinho mostrou-se também muito agradável, leve, docinho, muito bom. A doçura do prato e do vinho não tornaram a combinação enjoativa, ao contrário, ficou tudo muito equilibrado. Vamos, com certeza, repetir tudo de novo. Especialmente porque sem querer eu deletei todas as fotos da máquina. Por isso, saindo do padrão, desta vez não teremos fotos para mostrar como ficou bonita a nossa 15ª harmonização virtual. Ah, para quem não sabe, kinkan é uma espécie de laranja.
Nota vinho: 90.0
Harmonização: 95.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Garrafa clássica de riesling. Rótulo simples e equilibrado.
Exame visual: Bonito dourado.
Exame olfativo: Leve e de difícil definição. Podia ter um pouco mais de complexidade.
Exame gustativo: Não costumamos degustar muitos vinhos da uva riesling e nem muitos vinhos alemães. O Selbach é um riesling doce, leve, com um ataque inicial ligeiro. Boa cremosidade e açúcar agradável, na medida para não se tornar enjoativo. Final com um leve amargor, sem ser um desequilíbrio. Vinho agradável, com leve fruta. Enquanto cozinhava, provei um pouco do vinho. Alguns minutos depois provei também o molho do porco. De cara, deu para perceber que o doce da geléia de Kinkan iria ficar em um mesmo nível de intensidade de sabores. A harmonização prometia. O prato é bem simples de se fazer e bastante saboroso. Foi mais difícil achar a geléia do que preparar o prato. O molho fica bem equilibrado, sem ser muito doce e com os outro temperos aparecendo ao fundo, toque da pimenta e do gengibre. Exatamente como o vinho: equilibrado e com final que quebrava um pouco o doce. Acredito que foi uma harmonização muito agradável, com vinho e prato em uma mesma intensidade, formando um conjunto agradável. Iremos repetir o prato.
Nota vinho: 88.0
Harmonização: 92.0

23 de setembro de 2009

Quintessence 2005



Nome: Quintessence
Safra: 2005
País: França
Região: Cotes du Ventoux
Produtor: Château Pesquie
Site: http://www.chateaupesquie.com/
Importador: Maramar

Uvas/Corte: 80% Syrah de vinha velhas e 20% Grenache
Teor alcoólico: 14,5 %
Rolha: De cortiça, com logomarca gravada e estava infiltrada
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 88
Onde foi comprado: Lidador
Quando foi comprado: 26 de dezembro de 2008
Degustado em: 12 de setembro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa com molho de tomates
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Robe : Rouge très sombre aux reflets pourpres.
Nez : Arômes de petits fruits noirs tels que le cassis, la griotte, la myrtille.
Bouche : Attaque souple et fruitée complétée par des arômes d'élevage (réglisse, poivre). Finale d'une bonne longueur. Tannins soyeux et puissants.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Acetona, cheiro frutado, bombom de cereja.
Exame gustativo: Começou com um pouco de álcool, mas pareceu leve, armarguinho e revelou-se um bom vinho. Depois de um tempo aberto, ganhou um sabor intenso, com frutas maduras. Temos provado bons vinhos nos últimos tempos e este é mais um deles. Sempre penso que os vinhos devem ser decantados. Este vinho talvez não ficasse tão bom se não tivesse passado por esse processo. Vale muito ser provado.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Todos os vinhos desta vinícola seguem esta programação visual. Estilo mais moderno para um vinho francês, segue o perfil do vinho. Interessante.
Exame visual: Rubi escuro.
Exame olfativo: Um pouco de álcool aparente. Fruta madura e algo de chocolate.
Exame gustativo: Vinho de sabor intenso e marcado. Muita fruta em boca, com perfil mais moderno. Fruta madura como ameixa, cereja e notas de chocolate e um pouco de especiarias ao fundo. Final de boa intensidade e permanência. Syrah bem presente. Evoluiu muito bem depois de um tempo no decanter, ficando mais redondo e com mais harmonia. Vinho bastante interessante, não deixe de decantar.
Nota: 90.0

22 de setembro de 2009

Pergunta da Semana - 135

Toda semana, colocamos aqui uma pergunta para saber mais sobre os seus hábitos e costumes no mundo do vinho. Nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- O dólar voltou ao patamar de antes da crise mundial. Com o aumento do dólar no início do ano, os preços dos vinhos subiram. Vocês já sentiram o recuo do preço dos vinhos agora?

20 de setembro de 2009

Décima quinta harmonização virtual entre blogs

Gourmandise e Le Vin au Blog chegam à decima quinta harmonização virtual com a proposta de combinar um prato asiático com um vinho alemão.

A receita escolhida pelo Gourmandise, com lombo de porco e geléia de kinkan, será harmonizada com um riesling da região vinícola de Mosel, na Alemanha, sugerido pelo Le Vin au Blog.

Também aproveitamos para comemorar dois anos de harmonizações virtuais – a primeiro foi publicada em 13 de setembro de 2007.

Para participar, basta enviar um e-mail para o Gourmandise (gourmandisebrasil@hotmail.com) ou para o Le Vin au Blog (levinaublog@gmail.com), que encaminharemos para você a receita e o nome do vinho.

Os resultados das harmonizações serão postados em 24 de setembro de 2009.

18 de setembro de 2009

Pergunta da Semana - 134

Toda semana, colocamos aqui uma pergunta para saber mais sobre os seus hábitos e costumes no mundo do vinho. Nesta semana, inspirados no aniversário da Rafaela, que será no próximo domingo, o Le Vin au Blog pergunta:

- Se você sabe que um amigo seu gosta de vinhos, você lhe daria uma garrafa de presente ou iria preferir não arriscar? Se fosse escolher alguma, qual seria?

17 de setembro de 2009

Maestrale - Cabernet Sauvignon 2005


Nome: Maestrale
Safra: 2005
País: Brasil
Região: São Joaquim
Produtor: Sanjo
Site: http://www.sanjo.com.br/
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 13,2%
Rolha: Cortiça, tamanho médio e com logomarca da Sanjo gravada
Numeração da garrafa: 06266
Preço: R$ 39
Onde foi comprado: Diretamente com a vinícola
Quando foi comprado: Junho de 2009
Degustado em: 7 de setembro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Queijo e pãezinhos
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Vinho varietal encorpado, de guarda.Visual: vermelho rubiNariz: frutas, pimentas negras, especiarias e baunilha. Leve tostado e excelente bouquet. Boca: ótima concentração, redondo e maduro. Excelente combinação entre madeira e fruta, com taninos macios e final longo e agradável.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este 7 de setembro foi um belo dia de primavera. Apesar de passarmos o dia todo em casa trabalhando/estudando, resolvemos dar uma voltinha em Ipanema para aproveitar um pouco, pelo menos, o feriado. Tentamos pegar o pôr-do-sol, mas não chegamos a tempo. De qualquer forma, foi um ótimo passeio. Claudio ainda estava meio cansado de domingo, quando completou sua primeira meia maratona - ano que vem, acho que vou junto. Ele completou a prova em 2h26. Fiquei bem orgulhosa. Depois da caminhada pela praia, comemos algo no Terzetto, lugar que gostamos muito. Diante daqueles belos pães, combinamos de chegar em casa e abrirmos um vinho, pelo 7 de setembro e, principalmente, pela meia maratona. Pena que o vinho que escolhemos não foi assim dos melhores... Eu achei este Maestrale um tanto amargo, parecia que estava bebendo um remédio. Para mim, este vinho é feito à base de rabanete. Com um pouco de pão com manteiga, ele melhorou um pouco, mas só ficar um pouco melhor mesmo depois de quase uma hora aberto. Aí passou de rabanete a pimentão recheado. :)
Nota: 86.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo simples, em preto, prata e branco. Poderia ser um pouco mais equilibrado e elegante com umas revisão da tipologia usada.
Exame visual: Rubi
Exame olfativo: Variu bastante: início com algo de embutido/couro. Abriu para algo mais frutado.
Exame gustativo: Para comemorar ter completado a minha primeira meia maratona na véspera (e ainda com sentindo as dores musculares da prova) e o 7 de setembro resolvemos abrir este vinho de Santa Catarina. Comprei este Cabernet junto com o Núbio Sauvignon Blanc que está na adega e estou com boa expectativa em relação a ele. o Maestrale é um vinho de corpo leve/médio com notas vegetais bastante acentuadas na boca. Tinha uma acidez alta e pedia uma comida para equilibrar. Depois de um tempo no decanter ele evoluiu de forma positiva, diminuindo o amrgo final, deixando o vinho mais macio e interessante. Acredito que ele possa evoluir um pouco em garrafa. Teria curiosidade de provar novamente. Não foi um estilo que agradou a Rafaela, mas me deixou curioso para entender a evolução deste Cabernet. Aconselho deixar ele aberto e acompanhar um prato de comida. Este vinho recebeu medalha de Ouro no concurso mudial de Bruxelas e foi selecionado para eventos oficiais do Palácio do Planalto.
Nota: 86.0+

13 de setembro de 2009

Armador - Carmenère 2005


Nome: Armador
Safra: 2005
País: Chile
Região: Maipo
Produtor: Odfjell Vineyards
Site: http://www.odfjellvineyards.cl/
Importador: -

Uvas/Corte: Carmenère 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça, tamanho médio
Numeração da garrafa: -
Preço: 5.800 pesos
Onde foi comprado: Aeroporto de Santiago, no Chile
Quando foi comprado: 24 de dezembro de 2008
Degustado em: 1º de setembro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Arroz integral, feijão azuki, lombinho e farofa
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
The amazing red purple color is alluring. The first impression on the nose is one of freshness, together with a rich, complex and pure expression of blueberries, black berries and cherries, followed by notes of flowers, quince, chocolate and vanilla. The wine quickly fills the mouth and is round, ripe, with velvety, rich tannins. The long finish is refreshing, highlighting the acidity of the black fruits.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Em quase todas as vezes que bebemos um vinho à luz de velas, eu acabo me esquecendo de ver a cor.
Exame olfativo: Pêssego e de viagem de navio. :)
Exame gustativo: Em um primeiro momento, o vinho coça a ponta da língua, talvez seja gás carbônico. Ele deixa a boca "marcada". É adstringente. Considerei o álcool bem integrado e o vinho, super leve, mas confesso que no dia seguinte mudei de ideia, pois passei o dia todo com uma dor de cabeça. Não foi nada agradável. Achei que o vinho harmonizou com a nossa comida totalmente com cara de comida de casa. Lá pelas tantas, senti gosto de cravo. Ele tinha um amarguinho no final e era doce como eu guardo na minha imaginação os vinhos com a uva carmenère. O único porém deste vinho é te deixar meio cansado no dia seguinte. Apesar de toda a água que sempre bebemos, desta vez o dia seguinte foi esquisito. Claudio tem uma teoria de que é a mistura de feijão com vinho, mas eu não sei se é mesmo isso. Vamos observar quando ocorrer de novo essa combinação.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Os vinhos da Odfjell tem uma programação visual muito marcante e bem feita. Este vinho segue a linha.
Exame visual: Vivo, violeta bem jovem.
Exame olfativo: Leve álcool aparente. Bastante intenso, típico. Início com algo doce.
Exame gustativo: Vinho jovem e bem típico da uva Carmenere. Boa intensidade de sabores em boca, vivo e leve madeira arredondando o conjunto.Final bem marcado e característico, com notas vegetais e de pimentão verde. Reagiu bem com a comida. Vinho bem feito. Mesmo não sendo fã desta uva, achei o vinho interessante. Um bom vinho.
Nota: 88.0

9 de setembro de 2009

Pergunta da Semana - 133

Toda semana, colocamos aqui uma pergunta para saber mais sobre os seus hábitos e costumes no mundo do vinho. Nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- Qual a uva que você costuma reconhecer com mais facilidade ao beber um vinho? Para você, qual tem o sabor mais característico? Ao participar de uma degustação às cegas, qual seria a que o seu paladar reconheceria primeiro?

7 de setembro de 2009

Dachery Terroir Serra Gaúcha - 2005


Nome: Dachery Terroir Serra Gaúcha
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Serra Gaúcha
Produtor: Maison Dachery
Site: http://www.maisondachery.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon e Merlot
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: Lote 001
Preço: R$ 57,02
Onde foi comprado: Pela internet, na VinhosNet
Quando foi comprado: Maio de 2009
Degustado em: 27 de agosto de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Massa com pomodori pelatti
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Terra + Tradição = Tipicidade "...revelar a tipicidade que a região da Serra Gaúcha permite agregar aos vinhos". Com este propósito Dachery trabalhou selecionando os melhores vinhedos de Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot e desafiou os viticultores que trabalham com paixão pelo que fazem, para juntos superar este desafio. Assim a expressão da tradição aliada a marca da terra, criam o elemento diferencial da complexidade Terroir Serra Gaúcha. De características complexas e elegantes, uma harmônica estrutura com precioso equilíbrio. Apresenta coloração carmim púrpura, seus aromas são intensos, lembram frutas secas e avelãs que evoluem com o tempo. No paladar é sedoso, pleno, persistente e harmônico. Na elaboração se aplicou a técnica de macerar uvas sobre uvas, utilizando as potencialidades individuais de cada variedade para se construir um vinho dotado de estrutura e complexidade.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Nada surpreendente.
Exame olfativo: Cheiro de palmolive em barra.
Exame gustativo: Para comemorar os três anos morando juntos, escolhemos este ótimo vinho gaúcho. Gostei muito. É o segundo vinho feito em Farroupinha que bebemos nas últimas semanas e ficamos muito satisfeitos. Muito equilibrado, mas que pede uma comida. É bizarro, mas em alguns momentos senti gosto de morangos. :)
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo simples, fundo branco. Busca passar elegância.
Exame visual: Grená indo para violeta, vivo e translúcido.
Exame olfativo: Nariz fecahdo no início. Precisa decantar para abrir. Notas de morango e framboesa ao fundo.
Exame gustativo: Grata surpresa este vinho de Farroupilha. Vinho muito interessante e que no paladar remete claramente a vinhos de Bordeaux. Vinho de corpo médio, sabor intenso, acidez alta e taninos ainda vivos. Pode e deve envelhecer bem e ficará ainda mais interessante. Boa tipicidade e gastronômico. Final de boca interessante, com claras notas vegetais e de pimenta preta, reforçando a lembrança dos vinhos de Bordeaux. Um bom vinho e uma vinícola que devemos observar com atenção. Despertou o meu interesse em provar outros vinhos.
Nota: 88.0

6 de setembro de 2009

Pergunta da Semana - 132

Toda semana, colocamos aqui uma pergunta para saber mais sobre os seus hábitos e costumes no mundo do vinho. Nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- Os vinhos que você degusta costumam apresentar depósito? O que você faz nesse caso?

5 de setembro de 2009

Gillmore Hacedor de Mundus Reserva - Cab. Sauvignon 2004



Nome: Gillmore Hacedor de Mundus Reserva
Safra: 2004
País: Chile
Região: Valle Loncomilla
Produtor: Viña Tabontiraja
Site: http://www.gillmore.cl/
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça, tamanho médio/pequeno, com logomarca gravada
Numeração da garrafa: -
Preço: 9.600 pesos
Onde foi comprado: Aeroporto de Santiago, no Chile
Quando foi comprado: 24 de dezembro de 2008
Degustado em: 22 de agosto de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Massa bolognesa da Veronese
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: A cor mais comum de vinhos: rubi.
Exame olfativo: Muito cheiroso.
Exame gustativo: Quando decidimos tomar um vinho neste sábado à noite, falei para o Claudio que queria um vinho mais para frutado do que para elegante. Ele escolheu o vinho certo. Este Gillmore é realmente muito bom. Aliás, ultimamente temos bebido muitos vinhos bons, mas também estamos acabando com nossas reservas - dói um pouco, apesar de ser o combinado no início do ano. :) Não é um vinho hiperfrutado, mas vai mais por esse caminho, que eu gosto. Achei equilibrado, agradável e muito fácil de se beber.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Falta um pouco de equilíbrio no uso da tipologia. Sobra personalidade devido ao uso da ilustração.
Exame visual: Rubi vivo
Exame olfativo: Leve álcool e muita fruta madura.
Exame gustativo: Vinho de estilo moderno, com muita fruta madura. É um vinho bem feito. Ainda jovem, levemente adstringente. Bom corpo, intensidade de sabor com muita fruta como ameixa e cereja madura. Boa acidez e final intenso. Apesar do estilo modermo, a madeira aparece bem domada. É um bom vinho, um pouco de fruta em excesso para o meu paladar. Evoluiu bem na taça.
Nota: 88.0

3 de setembro de 2009

Doña Dominga Reserva - Syrah 2007


Nome: Doña Dominga Reserva
Safra: 2007
País: Chile
Região: -
Produtor: Viña Casa Silva
Site:http://www.casasilva.cl/
Importador: Supermercado Zona Sul

Uvas/Corte: Syrah 100%
Teor alcoólico: -
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 26,50
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul
Quando foi comprado:-
Degustado em: -
Onde bebeu: Casa do Miguel e da Paula, no Rio
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio, Rafaela, Miguel, Paula, Ricardo e Raquel (com Ricardinho na barriga)

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Eu, na verdade, não provei este vinho, nem eu, nem a Raquel, nós ficamos no suquinho de uva, que estava bem bom.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Miguel havia nos chamado para irmos na casa dele, porém só vi o recado dele no celular já tarde. Passamos no Zona Sul e compramos uma garrafa deste Doña Dominga. Já havíamos degustado outras garrafas deste Vinho, de outras uvas e sempre o resultado era um vinho correto, mas sem surpresas. Li um bom comentári do crítico chileno Patrício Tapia sobre o Syrah 2007. Aproveitei e resolvi comprar para testar. O nariz era intenso e muito agradável. Na boca não surpreendeu. É um vinho correto, bom, mas não justificou os elogios do crítico. Deve melhorar com comida. Valeu pela agradável noite.
Nota: 87.0