31 de agosto de 2009

Montchenot - 1994


Nome: Montchenot
Safra: 1994
País: Argentina
Região: Cruz de Piedra, Maipu - Mendoza
Produtor: Bodegas Lopez
Site: http://www.bodegaslopez.com.ar/
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon, Merlot e Malbec
Teor alcoólico: 13%
Rolha: De cortiça, com logomarca gravada
Numeração da garrafa: -
Preço: 32 pesos
Onde foi comprado: em Buenos Aires
Quando foi comprado: 12 de fevereiro de 2008
Degustado em: 20 de agosto de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizza
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Vino de color rubí intenso, con sutiles tonos caoba. Se manifiestan aromas complejos. En boca revela una excelente estructura con taninos suaves y maduros presentando un largo final.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Clarinho, clarinho, quase uma cor de ferrugem.
Exame olfativo: Para mim, de início, tinha muito álcool, o que o Claudio chamou de "nariz oxidado".
Exame gustativo: Este foi o vinho mais antigo que eu já bebi. Foi uma boa surpresa, não achei que estaria tão bom, sinceramente. Arrisco dizer que achei melhor até que das outras duas vezes que bebi o Montchenot. Achei o vinho elegante, bonito, leve, muito diferente do que eu imaginava. Confesso que tinha certo preconceito com este vinho. Claudio queria bebê-lo há bastante tempo. Quebrei a cara, o vinho estava ótimo e, creio eu, foi aberto no momento certo.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
A safra 1994 foi a última com o rótulo antigo. O da foto já é o novo rótulo.
Exame visual: Bem alaranjado, típico de vinho envelhecido. Transparente, sem nenhum depósito.
Exame olfativo: Algo como levemente oxidado, notas florais, cereja e algo vegetal.
Exame gustativo: “El tiempo y la paciencia dedicados al añejamiento no se los pedimos a usted, los ponemos nosotros”. Quando estava bebendo este vinho, li esta frase que está na garrafa e esta é a essência do Montchenot. É um vinho de estilo diferente de todos os argentinos que bebemos. Um vinho de estilo antigo, um belo exemplo de elegância. Os vinhos passam anos em grandes tonéis de madeira antes de serem engarrafados e colocados no mercado dez anos depois da colheita. Achei esta garrafa em um pequeno mercadinho de bairro em Buenos Aires e resolvi comprar. Um vinho gastronômico, corpo leve, elegante e prazeroso. O grande diferencial do vinho é exatamente o seu envelhecimento. Com 15 anos de idade, estava ótimo, arrisco a dizer que ainda aguentava mais um pouco. Um vinho que deve ser provado. Um estilo diferente, um ótimo contraponto aos frutados e amadeirados que facilmente encontramos por aí.
Nota: 90.0

Cave Antiga Reserva - Marselan 2006


Nome: Cave Antiga Reserva
Safra: 2006
País: Brasil
Região: Farroupilha (RS)
Produtor: Velha Cantina
Site: http://www.caveantiga.com.br/
Importador: -

Uvas/Corte: Marselan 100%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 33,75
Onde foi comprado: pela internet, no site www.vinhosnet.com.br
Quando foi comprado: Maio de 2009
Degustado em: 13 de agosto de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Empanadas da La Fabrica
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Vinho nobre, de coloração intensa, aroma típico de frutas maduras, especiarias destacando notas de baunilha de intensidade média e toques de tostado pela passagem por carvalho francês. De excelente estrutura e taninos doces devido ao caráter varietal Marselan, bem adaptado às condições de solo e clima da Serra Gaúcha.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Cheiro de incenso depois que a taça fica vazia. Muito cheiroso, mas bastante difícil de identificar os aromas.
Exame gustativo: Estava voltando para casa nesse dia, quando me lembrei que a La Fabrica havia começado a vender empanadas. Resolvi passar lá para quanto custava e talvez comprar algumas para o lanche da noite. Achei interessante a bandejinha com 12 miniempanadas e resolvi comprar. Para harmonizar com as empanadas escolhemos este vinho gaúcho. Esta foi realmente uma excelente compra. Este vinho vale cada centavo e não faria feio caso fosse comparado com vinhos de alto padrão de renomadas vinícolas. Foi uma ótima surpresa. Ele tem um jeitão mais de velho mundo. Não é para iniciantes, vale avisar, pois tende mais à complexidade. Foi rapidinho. Tenho uma teoria de que quando o vinho é bom, a gente nem sente que está bebendo e quando vê ele já acabou. Já em relação às empanadas, essa não foi uma boa compra. Elas são feitas em série, não tem nada de artesanal - um diferencial das boas empanadas argentinas - e o recheio lembra mais um recheio qualquer de pastel de forno. Sinceramente, acho que a Fabrica deveria se deter ao sanduíches com pão miga, pois empanadas realmente não parece ser a sua praia.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Merece um upgrade. O vinho é mais interessante que o seu rótulo.
Exame visual: Grená vivo.
Exame olfativo: Muito agradável, com ataque inicial doce, algo floral. Ao fundo, algo vegetal como um contra ponto.
Exame gustativo: Nada melhor que você abrir uma garrafa e ter uma boa surpresa. Já havia lido alguma coisa sobre este Marselan, mas fui degustar sem grandes expectativas. É um vinho bastante interessante no paladar. Vinho bem feito, sem arestas, corpo médio e sabor bem marcado. Na boca, temos uma mistura de fruta doce, como cereja com notas de algo defumado. Madeira não está aparente. Uma boa mistura de intensidade com elegância. Reagiu bem com a comida. Final de boa permanência. É um vinho que merece ser provado, de uma uva que parece ter se adaptado muito bem a Farroupilha. Muito boa e surpreendente experiência. Gostaria de provar novamente esta safra e de observar as próximas. Recomendo.
Nota: 89.0+

28 de agosto de 2009

Château La Poujade - 2004 - Cahors


Nome: Château La Pujade
Safra: 2004
País: França
Região: Cahors
Produtor: Côtes d'Olt
Site: http://www.cavedecahors.com/
Importador: Brazil Explorer

Uvas/Corte:Malbec 85% e Merlot 15%
Teor alcoólico: 13,2%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 58
Onde foi comprado: Confraria Carioca, no Rio Plaza Shopping
Quando foi comprado: 11 de agosto de 2009
Degustado em: 11 de agosto de 2009
Onde bebeu: Confraria Carioca
Harmonizado com: Pizza Napoletana, da Fiametta
Com quem: Claudio e Joffre

Comentário do Produtor
-

Comentário do Claudio
Rótulo:
A garrafa tem um forma diferenciada e interessante. O rótulo é pequeno e desequilibrado. Não desperta o interesse.
Exame visual: Opaco, escuro, um pouco turvo, devido ao excesso de depósito.
Exame olfativo: Lembra inicialmente um vinho licoroso. Passa por terra molhada, tabaco.
Exame gustativo: Depois de uma certa indecisão sobre qual vinho escolher, eu e o Joffre decidimos por este francês da região de Cahors. É uma região que gosto bastante dos vinhos. Na Confraria Carioca, loja que fica no shopping Rio Plaza, você encontra algumas opções diferentes de vinhos, entre eles estava o Château la Poujade. A Confraria Carioca serve as comidas da pizzaria Fiametta que fica na loja em frente. Um vinho bem interessante, apesar do depósito e de sinais que pode ter sido mal conservado. Na boca, um vinho com presença, um pouco austero, com notas de tabaco, pimentão e algo levemente oxidado. O conjunto agradou, apenas seu final poderia ser mais presente, era muito ligeiro. Foi um bom companheiro para a pizza e a conversa com o Joffre.
Nota: 88.0

26 de agosto de 2009

Pergunta da Semana - 131

Toda semana, colocamos aqui uma pergunta para saber mais sobre os seus hábitos e costumes no mundo do vinho. Nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- Com que frequência você busca informações sobre vinhos e afins na internet? Todos os dias ou somente quando vai comprar ou escolher um vinho para degustar?

Château Lesparre - 2002 / Viu Manent Reserva - Malbec


Nome: Château Lesparre e Viu Manent Reserva
Safra: 2002 e 2006
País: França e Chile
Região: Graves de Vayres e Valle de Colchagua
Produtor: Michel Gonet e Viu Manent
Site: www.chateaulesparre.com/ e www.viumanent.cl
Importador: Brazil Explorer e Hannover Importadora

Uvas/Corte: 80 % Merlot, 10 % Cabernet Sauvignon e 10 % Cabernet Franc - Malbec 100%
Teor alcoólico: 12,5% e 14,5%
Rolha: Cortiça, ambas. A do francês partiu ao ser aberto.
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecidos pelo Helton
Onde foi comprado: La Botella, em Ipanema, no Rio
Quando foi comprado: 10 de agosto de 2009
Degustado em: 10 de agosto de 2009
Onde bebeu: La Botella
Harmonizado com: Queijos, frios e pastas
Com quem: Claudio, Rafaela e Helton

Comentário do Produtor
• De cor intensa e profunda, no nariz é potente e revela aromas de frutas bem maduras, baunilha e defumado. Boca estruturada e ampla desenvolve aromas de frutas vermelhas, especiarias com notas de couro e de madeira. Fino e complexo, com final aromático e particularmente persistente.
• Intensely purple in colour, on the nose this wine exhibits exuberant notes of currant, plum, dark chocolate and mocha. In the mouth opulent notes of boysenberry, leather and tar marry with firm yet round tannins to give a long, generous finish.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Enquanto o primeiro tinha uma cor desmaiada, fraquinha, o segundo tinha cor de jabuticaba.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Comparando um vinho e outro, chega-se à conclusão de que o francês é bastante leve e elegante, enquanto que o segundo é bem frutado, mais pesadão, mas também bastante bom. Entre os dois, nesse dia, acho que preferi o primeiro. Helton conclui o curso preparatório que estava fazendo no Rio - com louvor, diga-se de passagem - e segue na próxima semana para um lugar incerto e não sabido até o momento (atualizando: foi para São José dos Campos, onde iremos, com certeza, visitá-lo). Espero que seja para bem perto da Lu e da Cecília. Para nos despedirmos, fomos até o La Botella. Foi, como sempre, muito bom. Sentiremos muito a sua falta, Helton. Obrigada pela ótima companhia de sempre, especialmente por este encontro (e pelo táxi ;) ). Boa sorte em todos os teus novos projetos.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Típico vinho francês, com ilustração do Château. - Rótulo forte e imponente, combina com o estilo do vinho.
Exame visual: Leve grená, com leves sinais de envelhecimento. - Intesno e escuro.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Iniciamos a noite com um Bordeaux. Sempre é difícil achar vinhos franceses, com prçeos razoáveis e de boa qualidade. Nesta noite, eu e o Helton resolvemos provar este Chateau Lesparre, sem ter nenhuma referência anterior dele. Foi uma ótima escolha. Um vinho francês com todas as qualidades que se pode esperar de um: bastante elegante, equilibrado, corpo leve, final agradável, paladar maduro. Vinho muito interessante que pede mais uma taça. Mesmo com sete anos, estavam ainda presente e taninos bem arredondados. Redcomendo. Na sequência partimos para um Malbec chileno. O Viu Manent é um bom vinho, mas de um estilo completamente diferente. Mais pesadão, corpo intenso, fruta/geléia bem marcada, um pouco "over". É bem feito, ideal para quem procura este estilo de vinho. Para o meu paladar naquela noite, o francês estava no ponto ideal, o chileno estava exagerado. Foi uma noite muito agradável, durante a qual comemoramos a formatura do Helton.
Nota: 89,0 + - 86.0 +

25 de agosto de 2009

Sierra Cantabria Cosecha 2006


Nome: Sierra Cantabria Cosecha
Safra: 2006
País: Espanha
Região: Rioja
Produtor: Sierra Cantabria
Site:www.eguren.com
Importador: Península

Uvas/Corte: Tempranillo 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Sintética
Numeração da garrafa: DOC 863155
Preço: Gentilmente presenteado na festa de um ano do blog Falando de Vinhos, do amigo João Filipe Clemente
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 4 de agosto de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Bruschettas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Rubies, Red fruits, Spices. Balanced. Tempranillo and Graciano varieties aged 6 months in barrel. An ideal wine for daily consumption.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Rubi, levemente transparente.
Exame olfativo: Algo de álcool, mel e frutas.
Exame gustativo: Este vinho apresentou um gosto familiar e bem bom. Apesar de ele embebedar mais rápido do que a média, achei-o bem harmônico e fez juz as minhas expectativas. Adorei! Foi uma noite muito bacana.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo simples, com uma pequena ilustração da vinícola. Estilo antigo e não muito atraenate.
Exame visual: Rubi claro, tansparente e brillhante.
Exame olfativo: Inicialmente fechado, com leve fruta, como ameixa e toque de baunilha.
Exame gustativo: Um tempranillo bem direto e agradável. Este vinho é o mais básico desta linha da vinícola. Não é um vinho complexo, mas ele é franco e bem representativo da uva. De corpo médio/leve, apresenta boa fruta no meio de boca, final curto com leve madeira. Evoluiu depois de um tempo aberto, intensificado sua fruta. É um vinho bastante agradável, ideal para um jantar despretensioso. Funcionou bem com nossa bruschettas. Um tempranillo agradável.
Nota: 87.0

Bolonhês / Monasterio de Tentudia / Veramonte / Valmarino



Nome: Bolonhês / Monasterio de Tentudia / Veramonte / Valmarino
Safra: 2003 / 2004 / 2008 / 2004, respectivamente
País: Portugal / Espanha / Chile / Brasil, respectivamente
Região: Estremoz-Alentejo / Extremadura / Valle de Casablanca / Pinto Bandeira, respectivamente

Produtor: Sociedade Agrícola da Capareira / Viña Extremeña / Veramonte / Valmarino, respectivamente
Site: www.seisreis.com / www.casaflora.com.br/monasterio-tentudia-tinto / www.veramonte.com / www.valmarino.com.br, respectivamente
Importador: Brazil Explorer / Casa Flora / Zona Sul / -, respectivamente

Uvas/Corte: Aragonês, Alicante Bouschet, Trincadeira e Tinta Caiada / Tempranillo / Pinot Noir / Merlot, respectivamente
Teor alcoólico: 13,5% / 13% / 14% / 13%, respectivamente
Rolha: todos cortiça, exceto Veramonte, que era de rosca
Numeração da garrafa: - / - / - / 2.969, respectivamente
Preço: Primeiros dois, gentilmente oferecidos pelo Mário / Veramonte gentilmente oferecido pelo Ricardo / Valmarino custou R$ 18
Onde foi comprado: Valmarino - www.vinhosnet.com.br
Quando foi comprado: -
Degustado em: 1º de agosto de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Founde de queijo, paçoca de pinhão, Salada Rafaela e quiche feita pela Carol + pãezinhos de queijo feitos na hora pelo Claudio
Com quem: Claudio, Rafaela, Marcelo, Carol, Mário, Marie, Maria Claudia, Ricardo, Raquel (com Ricardinho na barriga), Miguel e Paula e Carlinhos

Comentário do Produtor
• Monte Seis Reis - Vinho de cor intensa, aroma a fruta madura bem casada com a madeira. Bom corpo e harmonia na boca, com taninos firmes, mas macios. Final de boca prolongado e muito agradável. Vinho que se destaca principalmente pela harmonia e elegência.
• Monastério de Tentudia - Vermelho rubi muito brilhante. Corpo médio, fresco e cálido. Aroma muito completo de grande envelhecimento (especiarias, café, couro e madeira), vigoroso na boca, bem estruturado com grande riqueza de sensações, amplo e com taninos nobres bem conjugados. • Veramonte -Sabores intensos a cereza, uva y frutilla, se van mezclando con elegantes toques a roble especiado, logrando un vino redondo, de cuerpo moderado y complejas texturas.
• Valmarino - Variedade de uva tinta de origem francesa com boa adaptação na Serra Gaúcha. É cultivada por nossa família desde 1996 em Pinto Bandeira.Nosso vinho Merlot Valmarino tem como características a coloração vermelho viva, aromas que lembram cerejas e ameixas, com toques de tostado, tabaco e madeira. Tem um corpo macio, elegante , com taninos de qualidade e com um final agradável.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Miguel e Paula trouxeram a panela para o founde, Carol trouxe uma inesperada quiche, eu fiz minha salada e o Claudio preparou a paçoca e uns pãezinhos deliciosos de queijo, assados na hora. Comida não iria faltar, muito menos bebida, pois Mário trouxe duas garrafas de vinhos. Ricardo trouxe um que ele gosta muito. E nós ainda tínhamos um Valmarino da formatura da mãe. Estava formada a festa para comemorar muitos acontecimentos legais da turma, entre eles os nossos três anos morando juntos, a espera do Ricardinho, o noivado da Carol e do Marcelo, os quilos perdidos pelo Mário, o êxito na corrida de rua... Tudo isso já seria mais do que suficiente para uma noite daquelas bem boas, mas ainda teve mais um ingrediente: o Wagner, via Skype, diretamente da Nova Zelândia. Enquanto nós jantávamos, Wagner almoçava. Ele participou de todo o encontro, foi bem legal. Dos vinhos, provei apenas um pouquinho de cada. Gostei bastante do segundo, o qual achei bem equilibrado e bem agradável.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Iniciamos a noite com um vinho português que eu não conhecia. O vinho já tinha traços de envelhecimento e apresentou depósito. De qualquer forma achei o vinho interessante, com paladar que lembrava outros vinhos portugueses já degustados. O segundo vinho da noite foi um espanhol da uva tempranillo. O vinho estava mais vivo e para o meu paladar um pouco de fruta em excesso. No geral foi um vinho que agradou a todos. Estes dois vinhos foram trazidos pelo Mario. Passamos para o terceiro vinho da noite, o chileno da Região de Casablanca da uva Pinot Noir. Gostei bastante deste vinho, mecrece ser degustado novamente com mais calma. Tem as características dos Pinot produzidos no Chile, com um corpo mais leve e notas de embutidos no paladar. Bastante interessante. Por último abrimos um Valmarino merlot, vinho que se comportou bem com os charutos degustados na varanda. É um bom vinho para o seu dia-a-dia. A noite foi muito agradavél coma a presença on line do Wagner, diretamente da Nova Zelândia via Skype.
Nota: -

24 de agosto de 2009

Portento 2005


Nome: Portento
Safra: 2005
País: Brasil
Região: São Joaquim
Produtor: Quinta Santa Maria
Site:http://www.quintadesantamaria.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon, Merlot, Aragonês e Touriga
Teor alcoólico: 18%
Rolha: Tampa de rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 7,20 - garrafa de 50 ml
Onde foi comprado: Essen, em Florianópolis
Quando foi comprado: 9 de julho de 2009
Degustado em: 28 de julho de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Queijos.
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Típico vinho fortificado, que utiliza a mesma tecnologia ancestral dos tradicionais vinhos douro, sendo elaborado exclusivamente por castas vitis viníferas e fortificado com alcool vínico de uvas da mesma espécie.Sua cor vermelho rubi, viva e brilhante, convida ao consumo imediato.A riqueza de aromas que mescla frutas secas e especiarias, envolvidas pelos aromas típícos de madeira de carvalho europeu, se junta a pujança do álcool vínico que lhe reveste de força e potencializa as sensações.Sua apreciação gustativa se faz notar pela macieza dos taninos e doçura dos açucares residuais, naturais das uvas que lhe deram origem, e a força em álcool se harmoniza com a acidez equilibrada.Produzido em São Joaquim, Santa Catarina, a 1300 metros de altitude, a produção das uvas em montanha, cultivadas em patamares oferece a tradição e o prazer lusitano dos vinhos fortificados

Comentário da Rafaela
Exame visual: Cor marrom levemente bordô.
Exame olfativo: Cheiro doce.
Exame gustativo: Ao comer com queijo, ele fica ainda mais doce. É o tipo de coisa que apesar de não ser assim tão bom, não chega a ser ruim. É docinho e pode ser fácil de beber.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: Bordô indo para telha.
Exame olfativo: Frutado com alguma coisa parecendo melado de cana ou rapadura.
Exame gustativo: Provamos este vinho depois da última harmonização virtual. Compramos esta garrafinha de 50 ml apenas para experimentar este vinho fortificado da Serra Catarinense. Vinho feito ao estilo dos vinhos do Porto. Os produtores até queriam colocar no rótulo alguma indicação que seria um vinho "tipo Porto", mas não puderam colocar. Acredito que a escolha do nome tem sido em função disto. É um vinho licoroso doce, bastante agradável e de bom equilíbrio no açúcar e acidez. Peculiar e surpreendente. Evoluiu depois de um tempo na taça e acompanhou bem um pedaço de queijo. Vale provar pela curiosidade do local onde é produzido.
Nota: 87.0

20 de agosto de 2009

Veramonte Reserva - Sauvignon Blanc 2008


Nome: Veramonte
Safra: 2008
País: Chile
Região: Vale de Casablanca
Produtor: Veramonte
Site: www.veramonte.com
Importador: Supermercado Zona Sul

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: De rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 28
Onde foi comprado: Zona Sul Botafogo, no Rio
Quando foi comprado: 24 de julho de 2009
Degustado em: 25 de julho de 2009
Onde bebeu: Casa do Mauro e da Marcela
Harmonizado com: Moqueca de camarão, lula e mexilhão
Com quem: Claudio, Rafaela, Marcela, Mauro e Regina Helena

Comentário do Produtor
Color Cristalino puro con tonos verdosos.Aroma Fruta fresca, cítricos y hierbas que se mezclan con suaves notas florales.Sabor De gran cuerpo y sabores cítricos, melón y hierbas que le dan una buena longitud en boca.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Provei apenas um pouquinho, mas ele me pareceu melhor do que a vez que provei em uma degustação do Zona Sul, quando tinha um gosto excessivo de pimentão. O tempo fez bem a ele. A moqueca do Mauro, feita especialmente para nossa sogra, dele e minha, estava ótima, como sempre. Eu estava me poupando e evitando bebida alcóolica porque no dia seguinte corri 5km - e o Claudio, 10km, no Circuito das Estações Adidas.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
A linha reserva da Veramonte não tem uma identidade visual atraente.
Exame visual: Bem claro.
Exame olfativo: Frutas cítricas e toques minerais.
Exame gustativo: Para acompanhar a moqueca que o Mauro preparou escolhi este Sauvignon Blanc chileno, da região do Valle de Casablanca. Quando estivemos no Chile passamos na porta desta vinícola. É um vinho com uma acidez bastante marcada, o que deixou a harmonização bastante interessante. O vinho tem toques de frutas cítricas e algo mineral. Uma boa compra. Procure um prato com toques de pimenta para acompanhar.
Nota: 87.0 +

19 de agosto de 2009

Pergunta da Semana - 130

Toda semana, colocamos aqui uma pergunta para saber mais sobre os seus hábitos e costumes no mundo do vinho. Nesta semana, nossa inspiração para a pergunta foi o fato de sempre escolhermos algum vinho para beber em datas especiais. Como blog está chegando perto das 55 mil visitas e essa é uma ótima desculpa para uma comemoração, decidimos pedir a ajuda a vocês. Então, nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- Dos três vinhos abaixo, qual você escolheria para comemorar as 55 mil visitas?

a) o argentino Finca La Anita Syrah 2004
b) o uruguaio Amat 2004
c) o argentino Bressia Profundo 2004

Nimbus Estate - Cabernet Sauvignon 2005


Nome: Nimbus Estate
Safra: 2005
País: Chile
Região: Casablanca
Produtor: Viña Casablanca
Site: http://www.casablancawinery.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: 6.800 pesos
Onde foi comprado: Aeroporto de Santiago, no Chile
Quando foi comprado: 24 de dezembro de 2008
Degustado em: 24 de julho de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Bruschettas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Este Cabernet Sauvignon Nimbus Estate 2006 tiene un intenso y profundo color rojo púrpura con matices azulados. Su faceta aromática, compleja, combina mentol, ciruelas, frambuesas y cerezas con matices elegantes como pimienta negra, tabaco y café. Al paladar posee una extraordinaria concentración y balance, de taninos suaves y maduros, y con un prolongado
final.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este vinho foi bebido em homenagem ao novo filme do Harry Potter, meu bruxinho preferido. Para quem não sabe, no livro/filme 1, Harry ganha uma Nimbus 2000, a melhor vassoura de todos os tempos. Claudio e eu nos conhecemos no dia do lançamento do filme 4. Agora, resta-me apenas esperar pelos dois últimos da série. Fazia muito tempo que não fazíamos bruschettas e essas ficaram especialmente boas. Elas combinaram com o excelente Nimbus Estate. Esse é um daqueles vinhos que você bebe o primeiro gole e fica feliz até a última gota. Se soubesse, teria comprado mais de um. Tentamos harmonizar com outras comidinhas, mas não combinou nem com o queijo fundido, nem como o salaminho. Só com o queijo do seu RAR, harmonizou um tanto. Mesmo assim, foi um jantar e, principalmente, um vinho inesquecíveis.
Nota: 92.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Utiliza-se de preto, prata e branco. Um uso melhor da tipologia deixaria o conjunto mais equilibrado.
Exame visual: Bordô indo para o violeta
Exame olfativo: Típico de Cabernet, com notas de Amora madura, ameixa e pimenta.
Exame gustativo: Belo Cabernet Sauvignon chileno da região que tenho apreciado muito, o Valle de Casablanca. É um vinho de bom corpo, sabor intenso e muito prazeroso, daqueles vinhos que pedem mais uma taça. No paladar notas de frutas maduras misturado com pimente. É um vinho frutado mas não é em exagero. Madeira e álcool muito bem integrados. Taninos macios. Final firme e bem intesno e marcado com notas de frutas vermelhas. Tem potencial para envelhecer mais um pouco. Vinho muito interessante, de sabor intenso sem ser "over" e com personalidade. Recomendo
Nota: 90.0+

17 de agosto de 2009

Valmarino - Merlot 2004


Nome: Valmarino
Safra: 2004
País: Brasil
Região: Pinto Bandeira, em Bento Goncalves
Produtor: Valmarino
Site: www.valmarino.com.br
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortica
Numeração da garrafa: 3971
Preço: R$ 18
Onde foi comprado: www.vinhosnet.com.br
Quando foi comprado: Maio 2009
Degustado em: 20 de julho de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa de sopa com pomarola
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Variedade de uva tinta de origem francesa com boa adaptação na Serra Gaúcha. É cultivada por nossa família desde 1996 em Pinto Bandeira.Nosso vinho Merlot Valmarino tem como características a coloração vermelho viva, aromas que lembram cerejas e ameixas, com toques de tostado, tabaco e madeira. Tem um corpo macio, elegante , com taninos de qualidade e com um final agradável.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Bem fechado, bordo, mais escuro.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Vinho fácil de beber, muito agradável. Sem ostentação, ele tem um ótimo custo-benefício. Vale a pena. Segundo o Claudio, apresenta muita tipicidade da uva, mais intenso que os vinhos do Vale dos Vinhedos. Foi realmente uma ótima compra.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Simples e correto. Lembra vinho do velho mundo.
Exame visual:Rubi intenso, vivo e fechado. Bonita cor. Apresento depósito
Exame olfativo: Nariz com leve toque de fruta. Direto.
Exame gustativo: Boa opção, com ótimo custo-benefício. Este Merlot é um vinho simples, mas que oferece uma boa intensidade em boca. Tem uma boa tipicidade da casta, com leve amargo e final com notas vegetais. Suportou bem seus 5 anos. Tem boa estrutura e boa presença. Evoluiu bem depois de aberto e acompanha bem comida. É um vinho agradável, fácil e se mostra uma boa opção de vinho para o dia-a-dia.
Nota: 87.0

16 de agosto de 2009

Lidio Carraro - Merlot 2004


Nome: Lidio Carraro
Safra: 2004
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Lidio Carraro
Site: http://www.lidiocarraro.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça, com logomarca gravada, de tamanho médio
Numeração da garrafa: 7.383/13.600
Preço: R$ 39
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul de Botafogo
Quando foi comprado: 29 de maio de 2009
Degustado em: 18 de julho de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizza 4 Queijos da Sadia
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Visuais: Vermelho rubi com reflexos atraentes denotando vivacidade. Gustativos: Marcante entrada em boca apresentando consistência e equilíbrio. Intenso e persistente revela sensações que remetem aos seus aromas, confirmando sua personalidade e caráter.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Cor de vinho mais velho, como se fosse um pinot noir, mais claro.
Exame olfativo: Cheiro de vinho do velho mundo.
Exame gustativo: Baita decepção. Esta garrafa é tão bonita, tão elegante, mas o vinho não foi tanto quanto eu esperava. Claudio até achou que melhorou com a comida, mas eu acho que ficou mais amargo. Tudo bem, é um estilo meio velho mundo e eu sou meio implicante com isso, mas, mesmo assim, não acho que isso foi o que influenciou na minha opinião sobre esse vinho. É o tipo de vinho que não me empolga. De qualquer forma, sempre é bom provar, vai que ele foi feito para pessoas com outro gosto, oposto ao meu.
Nota: 86.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
A programação visual da vinícola é bem feita, de impacto.
Exame visual: Alaranjado, parecinha envelhecido.
Exame olfativo: Notas vegetais, não muito agradável.
Exame gustativo: Passando pelo Zona Sul, vi esta garrafa em promoção por R$ 39. Resolvi comprar para experimentar um vinho desta vinícola. O preço desta garrafa no site do produtor esta por inacreditáveis R$ 77. Achei que valeria arriscar comprar a garrafa na promoção, mesmo sem saber o estado que ele se encontrava. Este meu primeiro contato com vinhos desta vinícola não foi tão empolgante. Este Merlot tem um corpo leve e na boca apresenta notas de café e chocolate. É um estilo de vinho do velho mundo, gastronômico e que deve ser consumido logo, já está em seu limite. Evoluiu um pouco depois de aberto. Final apresentou um amargo desagradável, algo verde. Faltou um pouco de equilíbrio e mais tipicidade da casta. Não é um vinho muito fácil de se beber. Esta garrafa não vale o preço que é cobrado.
Nota: 85.0

14 de agosto de 2009

Le Mas au Schiste 2005 - Saint Chinian


Nome: Le Mas au Schiste
Safra: 2005
País: França
Região: Saint Chinian
Produtor: Domaine Rimbert
Site: http://www.domainerimbert.com/
Importador: De la Croix

Uvas/Corte: Carignan 40%, Syrah 30%, Grenache 30%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: De cortiça, tamanho médio com logomarca gravada
Numeração da garrafa: -/35.000
Preço: R$ 89,00 na importadora
Onde foi comprado: Restaurante Skye em São Paulo
Quando foi comprado: 15 de julho de 2009
Degustado em: 15 de julho de 2009
Onde bebeu: Skye, no Hotel Unique
Harmonizado com: Nhoque com legumes
Com quem: Claudio e demais participantes da reunião

Comentário do Produtor

-

Comentário do Claudio
Rótulo:

Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Durante um jantar de trabalho, escolhi este vinho orgânico francês para acompanhar os belos pratos do restaurante Skye. Este restaurante fica no último andar do Hotel Unique em São Paulo. O ambiente é muito bacana, moderno. O prato que escolhi estava bastante interessante. Sempre procura fugir de regiões mais badaladas da França quando escolho uma garrafa daquele país. Acredito que a chance de se encontrar uma boa surpresa é maior. Como queria um vinho orgânico, a escolha caiu sobre este Le Mas au Schiste da região de Saint Chinian. O vinho é muito agradável, de corpo leve/médio, paladar delicado e com boa complexidade. Vinho fácil de se gostar e querer mais uma taça. Recomendo.
Nota: 89.0

Pergunta da Semana - 129

Toda semana, colocamos aqui uma pergunta para saber mais sobre os seus hábitos e costumes no mundo do vinho. Depois de algumas experiências sobre esse assunto, nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- Você acha que expectativa muito alta pode "estragar" um vinho ou que tomar algum vinho com pré-conceitos pode alterar uma degustação?

12 de agosto de 2009

Finca La Linda - Malbec 2007


Nome: Finca La Linda
Safra: 2007
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Luigi Bosca
Site: www.luigibosca.com.ar
Importador: Decanter

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 38
Onde foi comprado: Pizzaria Va Bene, em São Leopoldo
Quando foi comprado: 12 de julho de 2009
Degustado em: 12 de julho de 2009
Onde bebeu: Pizzaria Va Bene, em São Leopoldo
Harmonizado com: Pizza Pugliese, Quatro Queijos, Calabresa e Dal Pizzaiolo
Com quem: Claudio, Rafaela, Gabriela e Gustavo

Comentário do Produtor
Característico color rojo intenso. Aromas a guinda y especias. En boca se perciben taninos equilibrados debido a 3 meses de añejamiento en roble francés. Aterciopelado. De buena estructura, fino, moderno.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Depois da maratona em Vacaria, chegou a hora de ir embora. Como Gustavo e Gabi estavam em São Leopoldo naquele fim de semana, combinamos de nos encontrar em Porto Alegre. Acabamos indo dormir na casa dos simpáticos pais da Gabi, Heine e Marli. Ficamos muito felizes por conhecê-los, nos sentimos em casa. Gustavo e seu Heine nos pegaram na rodoviária de São Leopoldo e depois de tomar uns chimarrões em casa, fomos comer uma pizza. Quando voltamos, a casa ainda estava animada e a conversa foi até as duas da manhã. Pena que tínhamos que levantar às cinco, senão teríamos ficado ainda mais um pouco, pois o papo estava muito bom. Vielen Dank aos nossos anfitriões. Em relação ao Finca La Linda, continua muito bom! :) Assim encerramos nosso agradável visita pelo meu estado querido.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: O Finca la Linda é um velho conhecido aqui do blog. Já degustamos outras vezes e sempre é um vinho correto, agradável e de boa relação custo/benefício. Este foi a opção que escolhemos na agradável e fria noite em São Leopoldo. Já estávamos com vontade de sair e beber um vinho com o Gustavo e com a Gabi. Por acaso, eles estariam no Rio Grande do Sul no mesmo final de semana que nós. Marcamos e conseguimos nos encontrar em São Leopoldo, na casa dos simpáticos pais da Gabi. De lá, seguimos para uma ótima noite acompanhada pelo Finca La Linda Malbec. Vamos tentar marcar outros jantares como este.
Nota: -

11 de agosto de 2009

Valmarino - Merlot 2004


Nome: Valmarino
Safra: 2004
País: Brasil
Região: Pinto Bandeira, em Bento Gonçalves
Produtor: Valmarino
Site: www.valmarino.com.br
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: 3.972, a que foi servida em nossa mesa
Preço: R$ 18
Onde foi comprado: www.vinhosnet.com.br
Quando foi comprado: Maio de 2009
Degustado em: 11 de julho de 2009
Onde bebeu: Restaurante da Pousada Santa Tereza
Harmonizado com: Sopa de agnolini, galeto, polenta frita, massas, saladas, maionese
Com quem: Claudio, Rafaela, Luci, Fernanda, Cássio, Janayna,Isabelle, Julia, Márcia, Jacy, Nicolas, Camille, Juliana, Cuco, Olguinha, Daltro, Diana, Irene, Vergílio, Suely, Ariovaldo e esposa, Márcio, Lidiane, Nayr, Inara, Rafael, Ilma, Luis e esposa

Comentário do Produtor
Variedade de uva tinta de origem francesa com boa adaptação na Serra Gaúcha. É cultivada por nossa família desde 1996 em Pinto Bandeira.Nosso vinho Merlot Valmarino tem como características a coloração vermelho viva, aromas que lembram cerejas e ameixas, com toques de tostado, tabaco e madeira. Tem um corpo macio, elegante , com taninos de qualidade e com um final agradável.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Esperamos durante um ano e meio por este dia, desde o dia em que a mãe começou o curso para se tornar técnica em agropecuária. Foram meses de muito estudo e nada mais justo do que comemorar a conquista com uma festa. A solenidade foi muito bonita, a mãe foi homenageada pelo paraninfo e foi muito bonito vê-la receber o diploma, toda nervosa, como se nunca tivesse passado por isso antes. :) Parabéns, mãe. Quanto ao vinho, ele apresenta um ótimo custo/benefício. Vinho de qualidade.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este foi o vinho que escolhemos para ser servido durante o jantar de formatura da mãe da Rafaela em Vacaria. Escolhemos este Valmarino por indicação, sem ter provado anteriormente. O vinho foi bastante agradável e acompanhou bem o jantar "italiano" na noite fria. É um vinho simples, porém muito bem feito, gostos que agradou. Apresentou depósito nas garrafas. Sobraram umas garrafas que trouxemos e que vamos analisar depois com mais atenção. De qualquer forma foi um vinho que apresentou bom resultado na faixa de preço.
Nota: -

9 de agosto de 2009

Trio - Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Sirah 2007


Nome: Trio
Safra: 2007
País: Chile
Região: Valle del Maipo
Produtor: Concha y Toro
Site: www.conchaytoro.com
Importador: Expand

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Shiraz
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido pelo Jacy
Onde foi comprado: Florianópolis
Quando foi comprado: Julho de 2009
Degustado em: 11 de julho de 2009
Onde bebeu: Casa de Luci, em Vacaria (RS)
Harmonizado com: Boa conversa
Com quem: Claudio, Rafaela, Márcia, Jacy, Cássio, Janayna, Luci, Dona Nayr, enquanto Nicolas e Isabelle corriam para lá e para cá e a Julia passeava de colo em colo

Comentário do Produtor
Bastante saboroso, o vinho apresenta taninos potentes e firmes, equilíbrio e final persistente e muito agradável à boca.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Quando a Márcia, o Jacy e as crianças chegaram na casa da mãe, minha habilidosa cunhada Janayna havia acabado de fazer um arroz carreteiro dos bons. Na hora do almoço, tomamos uns vinhos que a mãe havia comprado. Depois de servida a sobremesa, presos em casa por causa da chuva e do frio lá fora, ficamos de conversa a tarde inteira. Lá pelas tantas, vi que o Jacy chamou o Claudio para ir até a cozinha. Logo imaginei o que eles iriam fazer. Não demorou para voltarem com uma garrafa de vinho e algumas taças. Seguimos tomando vinho e conversando até o fim da tarde, quando cada um foi se arrumar para a tão esperada formatura.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Durante o bate papo na fria tarde em Vacaria, o Jacy sugeriu abrirmos o vinho que ele havia trazido, este Trio. Não fiz anotações, mas o vinho foi bastante agradável e harmonizou bem com o clima da tarde.
Nota: -

4 de agosto de 2009

Pergunta da Semana - 128

Toda semana, colocamos aqui uma pergunta para saber mais sobre os seus hábitos e costumes no mundo do vinho. Inspirados nas grandes degustações, como o Tour Mistral, o Le Vin au Blog pergunta:

- Você costuma participar dessas degustações? O que pensa dos preços praticados (o Tour Mistral, por exemplo, custará R$ 180 por pessoa)? Quando frequenta, costuma provar muitos vinhos? Utiliza a cuspideira?

3 de agosto de 2009

Zanotto Bordô / Reservado - Cabernet Sauvignon 2008


Nome: Zanotto / Reservado
Safra: 2008 / 2008
País: Brasil / Chile
Região: Campestre da Serra / Santiago
Produtor: Vinícola Campestre / Concha y Toro
Site: http://www.vinicolacampestre.com.br%20/ www.conchaytoro.com
Importador: -

Uvas/Corte: Bordô / Cabernet Sauvignon
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça / cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido pela Ju e pelo Cuco
Onde foi comprado: Vacaria
Quando foi comprado: -
Degustado em: 10 de julho de 2009
Onde bebeu: Casa dos amigos Juliana e Luiz Francisco
Harmonizado com: Pinhões, queijos, copa, azeitonas
Com quem: Claudio, Rafaela, Juliana e Luiz Francisco

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Tenho uma amiga muito querida em Vacaria, nos conhecemos desde a oitava série, quando estudávamos juntas lá em Esmeralda. Quando vou a Vacaria, sempre tento me encontrar com a Ju, nem sempre dá. Desta vez, iríamos nos ver no sábado, na formatura da minha mãe, mas ainda na sexta-feira, nos encontramos por acaso num café perto do consultório dela. Conversa vai, conversa vem, acabamos decidindo que dormiríamos lá na casa dela, para poder colocar a conversa em dia, beber um vinhozinho. Depois de um rodízio de pizza com a família, lá fomos Claudio e eu para a casa da Ju. Ela e o Cuco já nos esperavam com uma garrafa de vinho aberta. Vendo o vinho, Zanotto, ainda brinquei com o Cuco que era um vinho da família dele. E não é que era? A vinícola era do pai dele, em Campestre da Serra, mas isso há muito anos. Começamos com o Zanotto e depois passamos para o Reservado. Não bastasse o vinho, nossos anfitriões fizeram questão que experimentássemos queijos, copa, pinhões. Fomos dormir com alguns quilos a mais... E foi tão bom. Sinto tanta falta das minhas amigas, desses encontros para jogar conversa fora...
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Noite fria em Vacaria e depois de comer um rodízio de pizza, fomos dormir na casa da Juliana e do Cuco. Ao chegarmos lá, eles estavam comendo algumas coisas e bebendo vinhos. Antes de dormir, bebemos uma taça para acompanhá-los. Vinhos simples, mas que acompanharam muito bem a conversa na sala aquecida da casa deles. A noite foi muito agradável.
Nota: -

1 de agosto de 2009

Casa Valduga Premium - Cabernet Franc 2005 #cbe


*Este foi o vinho do mês de julho escolhido pelo Vinho para Todos para a degustação da Confraria Brasileira de Enoblogs. A dinâmica da confraria é a seguinte: todo mês é escolhido um vinho para ser degustado por todos. No primeiro dia do mês seguinte são postados os comentários.

Nome: Casa Valduga Premium
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Casa Valduga
Site: www.casavalduga.com.br
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Franc 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: - / DOC 05 2074456
Preço: R$ 32
Onde foi comprado: Costi Bebidas, pela internet
Quando foi comprado: Julho de 2009
Degustado em: 30 de julho de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Pizza Napoletana, da Fiametta, entregue em casa
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Colheita manual, seleção e desengace das uvas, adição de leveduras selecionadas, fermentação alcoólica, controle de temperatura, descuba, fermentação malolática, amadurecimento em barricas de carvalho, engarrafamento, envelhecimento em cave climatizada e rotulagem.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Rubi.
Exame olfativo: Foi um festival de cheiros: terra molhada, leite, pano de chão molhado, pudim, café.
Exame gustativo: Segundo o Claudio, este vinho pede comida. De início, também achei isso, mas quando a pizza chegou ao fim, eu até que gostei do sabor forte. Taninos um pouco verdes, mas agradável mesmo assim. Foi um bom acompanhante para a melhor pizza do Rio! Lá pelas tantas, achei que tinha gosto de café passado.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo bem resolvido da linha Premium da Casa Valduga.
Exame visual: Rubi.
Exame olfativo: Terra molhada, umidade, notas vegetais como pimentão.
Exame gustativo: Gosto bastante dos vinhos feitos com a Cabernet Franc. Este Casa Valduga, carrega algumas características de vinhos do Vale dos Vinhedos e alguma tipicidade da casta. Inicialmente os taninos me pareceu ainda verdes. O vinho melhorou depois de um tempo no Decanter. Acidez presente, o vinho pedia um prato de comida para harmonizar. Notas vegetais presentes e fortes. Para o meu paladar a madeira não apareceu assim como notas frutadas. Diferente de outros vinhos da Serra Gaúcha, este apresenta uma intensidade de sabores e boa estrutura. Não achei um vinho fácil, mas com boa personalidade e boa característica da uva. Acho que pode evoluir ainda na garrafa.
Nota: 86.0 +