30 de julho de 2009

Salton Virtude 2008 - 14ª Harmonização Virtual*



* Esta foi a 14ª Harmonização Virtual do Le Vin au Blog e do Gourmandise, que contou com participações muito especiais dos blogs Da Cachaça pro Vinho, que sugeriu a receita do Fetuccine Picante, e Diário de Baco, que indicou o Salton Virtude. Muito obrigado, amigos, pela participação!

Nome: Salton Virtude
Safra: 2008
País: Brasil
Região: Bagé - Serra Gaúcha
Produtor: Salton
Site: www.salton.com.br
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça, com logomarca gravada.
Numeração da garrafa: - / 13.000
Preço: R$ 56
Onde foi comprado: Costi Bebidas, de Porto Alegre, pela internet
Quando foi comprado: Julho de 2009
Degustado em: 28 de julho de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Fetuccine picante + massa pura com queijo do seu RAR
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: Claro, mas com personalidade, nada daquelas cores desmaiadas, algo como um champanhe indo para o amarelo. :)
Exame olfativo: Vigoroso, mas difícil de identificar.
Exame gustativo: Vou começar falando sobre o vinho. Logo no primeiro gole, ele me lembrou aquele Catena Chardonnay que bebi meses atrás em Mendoza. Vinho diferente de outros brancos que já bebi, mais tratado, mais trabalhado. O que gostei é de não ser aguado como muitos brancos são. Forte na medida certa, nota-se que não é um vinho comum. Muito bom! Em relação à harmonização, eu não sei se tinha expectativas demais, por adorar abacate e gostar ainda mais de guacamole. Só que não era nada disso ou pelo menos não ficou nem perto. A verdade é que dei quatro garfadas e desisti. Comi alguns camarões, pois eram a única coisa que me remetia a algum gosto. Eu sou mais difícil de "aceitar" novidades gastronômicas, admito, mas sabia que se continuasse comendo iria ter uma dor de cabeça (talvez influenciada pela própria cabeça). De brincadeira, falei que o gosto me lembrava posto de gasolina. Talvez tenha sido o abacate maduro demais, talvez tenha sido o fato de trocar a tequila por rum, talvez tenha sido excesso de pimenta... Nunca saberemos. Tentei a harmonização, mas o vinho ressaltava muito a pimenta, dando uma sensação de queimação da boca. Eu gosto de pratos picantes, no outback, normalmente escolho aquela massa bem caliente, mas desta vez foi demais. Gostaria de tentar novamente este prato, mas fiquei receosa. Estou curiosa para ver como ficaram os dos outros.
Nota do vinho: 90.0
Nota da harmonização: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
Identidade visual procura seguir a linha de vinhos premium da Salton. Poderiam ter utilizado a tipologia um pouco menos italizada.
Exame visual: Bonito tom de dourado, sem ser muito intenso.
Exame olfativo: Inicialmente, toques minerais; depois, foi abrindo para frutas doces, como pêssego. Final com mel, coco e tostado.
Exame gustativo: Recém-lançado, este Chardonnay da Salton foi bastante comentado pela crítica que o apontou como um dos melhores vinhos brancos nacionais. Já havia algum tempo que eu não degustava um vinho desta uva. Os últimos brancos degustados foram Sauvignon Blancs. Estava curioso para provar, mas procurei não ir com muitas expectativas. O Virtude é um vinho muito bem trabalhado pela vinícola. Um Chardonnay de estilo moderno, bem arredondado pela madeira e que agrada facilmente. De boa estrutura, nota-se notas minerais e uma acidez na medida. Vinho de bom corpo, sem ser muito licoroso, com fruta macia presente, sem açúcar em excesso. Mostrou um conjunto bastante equilibrado, com um bom final onde aparecem notas de alguma fruta cítrica e algo de tostado. Fiquei com medo de ter madeira em excesso, porém, mesmo presente, não achei que chegou a atrapalhar o conjunto. É um vinho que vale a pena provar, agradável, fácil de se beber, que pede mais uma taça.
Alguma coisa deu errado na execução do nosso fetuccine. Por um contratempo, acabamos não comprando a tequila para a receita e resolvi inovar colocando um pouquinho de rum, isto pode ter sido decisivo para o sabor final do prato. Outra coisa que fiquei em dúvida foi em relação ao abacate que usamos. Não sei se estava maduro demais, ou se ele estava bom... Pode ter influenciado no resultado final. Percebia que alguma coisa estava desequilibrada no sabor do prato. Para o meu paladar, não estava ruim, mas dava para notar que em um determinado momento surgia um sabor que destoava do conjunto. Não consegui determinar com certeza qual foi o problema. Não achei que houve a harmonização. A pimenta utilizada estava em equilíbrio com o prato, porém ao degustar o vinho, o sabor da pimenta potencializava muito, dominando toda a cena, matando o vinho. Acabamos provando o vinho com alguns queijos, obtendo um bom resultado.
Nota: 89.0 +
Nota da harmonização: -

28 de julho de 2009

Pergunta da Semana - 127

Após lermos um artigo sobre o aumento do consumo de suco de uva, nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- Você gosta de suco de uva tanto quanto gosta de vinho? Costuma comprar essa bebida com frequência?

27 de julho de 2009

Callia Alta - Shiraz/Malbec 2007 / Callia Magna - Shiraz 2007


Nome: Callia Alta / Callia Magna
Safra: 2007 / 2007
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Bodegas Callia
Site: www.bodegascallia.com
Importador: -

Uvas/Corte: 70 % Shiraz - 30 % Malbec/ 100% Shiraz
Teor alcoólico: 14,0% / 14,5%
Rolha: sintética / de cortiça, tamanho médio, com logomarca gravada.
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 32 / R$ 52
Onde foi comprado: Di Bernardi, em Florianópolis
Quando foi comprado: 9 de julho de 2009
Degustado em: 9 de julho de 2009
Onde bebeu: Di Bernardi, em Florianópolis
Harmonizado com: Pizza de quatro queijos e de calabresa
Com quem: Claudio, Rafaela, Claudine, Maurício, Cris, Márcia, Jacy, além de Lauro, Camille, Nicolas e Lígia, mas esses últimos não provaram o vinho

Comentário do Produtor
De color rojo intenso y profundo, con reflejos violáceos. En nariz aparecen aromas a ciruelas, higos y chocolate.En boca se presenta con buena entrada, gran complejidad y untuosidad, con una marcada presencia de taninos maduros.

A la vista se presenta de color rojo profundo, con tonalidades violetas y negruzcas, muy intenso.
Presenta aromas que recuerdan especias, con notas de regaliz, vainilla y coco
En boca se presenta untuoso, con taninos amables y redondos, de larga caudalía y fuerte presencia de especias aportadas por la madera y frutos como
ciruelas e higos aportados por la uva. Es un vino con una adecuada estructura para la guarda.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Em quase todas as vezes que vou a Florianópolis, faço questão de comer uma pizza na Di Bernardi, que em tempos idos se chamava Boca do Forno. Eu morei vários anos lá perto e era uma cliente assídua. Adorava as minipizzas, especialmente a de banana com doce de leite. Para matar a saudade, sempre que dá, vou jantar lá. A Márcia, o Jacy, as crianças e a Claudine são sempre companheiros fiéis. Dessa vez, em nossa rápida passagem por Floripa em direção a Vacaria, resolvemos convidar uma família que ainda não conhecíamos pessoalmente, apenas por meio de mensagens de blogs, formada pela Cris, pelo Maurício, pelo Lauro e pela pequena e doce Lígia. Para nossa felicidade, o convite foi aceito e tivemos um encontro muito legal. Quando vimos já estava na hora de correr para a rodoviária e pegar o ônibus para Vacaria (mas deu tempo de comer a tão sonhada pizza, que, uma pena, está um pouco diferente do que era antes). Como esse é um blog de vinhos, posso dizer que os vinhos foram tão bons quanto o encontro. Que venham outros!
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Chegamos a Florianópolis e seguimos para a Di Bernardi. Antes, paramos rapidamente na loja Essen, de vinhos. O clima estava ótimo para degustar um vinho. Como chegamos antes dos outros ao restaurante, resolvemos pedir uma garrafa do Callia Alta para começar. Já degustamos esse vinho em outra ocasião. É muito interessante observar como um vinho pode mudar. Da primeira vez que o degustamos, estava bom, porém, desta vez, estava bem mais interessante. Depois, passamos para o Callia Magna Shiraz, outro bom vinho, que já havíamos degustado também, e que, para nossa surpresa, não estava tão bom quanto das outras vezes. O jantar foi rápido, mas muito agradável.
Nota: -

26 de julho de 2009

14ª Harmonização Virtual - Participe!

A preparação da 14ª Harmonização Virtual do Le Vin au Blog e do Gourmandise contou com as participações muito especiais dos blogs Da Cachaça pro Vinho e Diário de Baco.

Para variar o formato 'Le Vin au Blog indica um vinho e Gourmandise escolhe com qual prato harmonizar', nesta edição decidimos pedir ajuda a dois amigos blogueiros. Foi assim que chegamos ao Salton Virtude Chardonnay 2008, escolhido pelo Alexandre, do Diário de Baco, e ao Fetuccine Picante, uma massa diferente, com camarões e abacate, sugerida pelo Eduardo, do Da Cachaça pro Vinho.

Se você também quiser testar a harmonização, basta nos enviar um email (levinaublog@gmail ou gourmandisebrasil@hotmail.com) para receber a receita.

Desta vez, os comentários serão publicados no dia 30 de julho de 2009. Se você não tiver um blog e quiser publicar seus comentários sobre a harmonização, fique à vontade para usar os nossos.

Participe conosco!

25 de julho de 2009

Argento - Shiraz 2007


Nome: Argento
Safra: 2007
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Bodegas Esmeralda
Site: http://www.argentowines.com/
Importador: Zona Sul

Uvas/Corte: Shiraz
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Sintética
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 16
Onde foi comprado: Zona Sul
Quando foi comprado: 5 de julho de 2009
Degustado em: 5 de julho de 2009
Onde bebeu: Zona Sul
Harmonizado com: Pizza Quatro Estações
Com quem: Claudio, Rafaela, Jade e Felipe

Comentário do Produtor
This superb Shiraz is dark purple in colour with violet tones. The noseoffers intense aromas of blackberry fruit with notes of spice and cedar.Flavours of rich plum and black currant fruit lead into a long andpersistent finish with soft, sweet tannins.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Logo depois de voltarem da Flip, em Paraty, Jade e Felipe deram uma passadinha em casa e decidiram ir ao cinema - acabaram vendo Loki. Depois do filmes, nos encontramos no Zona Sul para uma pizza. Felipe estava ainda mal da gripe/alergia e escolher o Zona Sul aqui do lado de casa mostrou-se uma boa ideia. Para acompanhar as pizzas, peguei o primeiro vinho que bati o olho na prateleira. Claudio queria um chianti, mas acabou aceitando o meu Argento, que, no final, acabou comportando-se muito bem. Aproveito para agradecer ao Felipe e à Jade por levarem nossa mala para Florianópolis. Sem isso, estaríamos perdidos. :) Obrigada. E voltem sempre.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
O conhecido rótulo do Argento. Acho que é uma identidade visual bem resolvida, que agrega valor ao vinho. Garrafa fina e alta.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Quando vamos comer uma pizza no Supermercado Zona Sul e queremos um vinho despretensioso para acompanhar escolhemos algum da linha Argento. É um vinho correto, que vale os R$ 16,00. Nesta noite estávamos acompanhados do Felipe e da Jade que estavam aqui em casa. Um vinho agradável, fácil de se beber.
Nota: 86.0 +

23 de julho de 2009

Bourgogne Passe-Tout-Grains - Pierre André; Quinta da Bacalhôa 2002 e 2005


Nome: Bourgogne Passe-Tout-Grains - Pierre André / Quinta da Bacalhôa
Safra: 2005 / 2002 e 2005
País: França / Portugal
Região: Bourgogne / Terras do Sado
Produtor: Pierre André / J. P. Vinhos
Site: http://www.pierre-andre.com/ http://www.bacalhoa.com/
Importador: Enoteca Fasano / Dufry

Uvas/Corte: Pinot Noir 66%, Gamay 33%; Cabernet Sauvignon 90% e Merlot 10%
Teor alcoólico: 12,5 %; 13%
Rolha: As duas de cortiça, tamanho médio, com logomarca gravada
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido pelo dindo Guilherme
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 4 de julho de 2009
Onde bebeu: Casa dos padrinhos do Claudio, em Secretário, Petrópolis (RJ)
Harmonizado com: Churrasco
Com quem: Claudio, Rafaela, Marcela, Mauro, Guilherme, Sônia, Renato, Flora, Laura, Gustavo, Gabi, Pedro, Arthur, Regina Helena, Fernando, Eliane, Fernanda, Mariana e família do 'tio' Vicente

Comentário do Produtor
Essa denominação é reservada aos vinhos tintos e roses. Produzido nos vilarejos de yonne, na côte d’or e em saône-et-loire. É um tinto fino e delicado, com ótima acidez e imensa presença de aromas frutados, morangos e framboesas. À boca é amplo, macio e aveludado anunciando um perfeito amadurecimento desse vinho prazeroso e ainda jovem. Elaborado com 2/3 de uva gamay e 1/3 de uva pinot noir.

A vinha plantada na Quinta da Bacalhôa encontra o "terroir" ideal para a produção das castas Cabernet Sauvignon e Merlot, as quais benefeciam das condições naturais para uma maturação lenta e equilibrada. Após fermentação segue-se um período de "curvaison" de 3 semanas. O vinho estagia 11 meses em barricas novas de carvalho francês. De cor intensa rubi, Quinta da Bacalhôa apresenta aromas de frutos encarnados combinados com aromas de madeira e menta e uma estrutura elegante e complexa.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Ainda antes de o Gustavo começar a preparar o churrasco de aniversário, o dindo do Claudio, Guilherme, me perguntou se eu beberia um vinho se ele abrisse. Falei que sim. Ele falou então que faria isso, pois o Claudio, o Gustavo e mais algumas pessoas também beberiam vinho provavelmente. Ele buscou então algumas garrafas em sua adega secreta e deixou o almoço ainda mais agradável. Provamos um francês levinho e depois duas safras da Quinta da Bacalhôa. Impressionante a diferença entre elas, uma 2002 e a outra 2005. A 2005 tinha um cheiro melhor, mas ainda precisava de alguns anos para chegar ao gosto da 2002.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Enquanto preparávamos o churrasco, o meu padrinho abriu a garrafa do vinho francês. Um vinho bastante interessante, leve delicado, um corte de Pinot noir com Gamay, com notas de frutas e floral. Um bom vinho francês, mas achamos que não iria acomapanhar bem as carnes do churrasco, era leve para isto. Meu padrinho ofereceu duas safras diferentes do português Quinta da Bacalhôa. Primeiro degustamos o 2002. Vinho já amadurecido, com taninos mais domados, de bom corpo e estrutura boa complexidadee longo e agradável final. Depois abrimos a safra 2005. Este pareceu ainda jovem e com um estilo mais moderno, mais frutado, mais direto, sem todas as nuances do 2002. Deve evoluir com mais algum tempo de garrafa, mas acredito que o 2002 é superior. Foi uma tarde muito agradável em Secretário.
Nota: 88.0, 91.0, 88.0

22 de julho de 2009

Pergunta da Semana - 126

Costumamos guardar nossas rolhas dentro de um acrílico na sala. Só que há meses andamos preocupados com o fim do espaço e estamos pensando o que fazer, se comprar outro acrílico, se guardá-las em um recipiente de vidro, como vemos em vários restaurantes, se encontramos outra alternativa... Inspirados nessa questão, nesta semana o Le Vin au Blog pergunta:

- Você costuma colecionar as rolhas dos vinhos que bebe? Onde costuma guardá-las? Elas ficam expostas em algum ambiente da casa?

20 de julho de 2009

Arerunguá - Tannat 2002


Nome: Arerunguá
Safra: 2002
País: Uruguai
Região: Las Violetas y Cerro Chapeu
Produtor: Vinos Finos J. Carrau
Site: http://www.bodegascarrau.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Tannat 100%
Teor alcoólico: 14.5%
Rolha: Cortiça, com logomarca gravada.
Numeração da garrafa: -
Preço: U$S 17
Onde foi comprado: Free Shop de Montevideo, gentilmente trazido pelo nosso amigo uruguaio Fernando
Quando foi comprado: 2007
Degustado em: 2 de julho de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Risotto de feijoada com caldinho de feijão
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Vinho muito cheiroso. Talvez com um que de estrabaria.
Exame gustativo: Forte, tânico, gosto marcante. É bem forte, mas sem ser pesado. Com todo o meu conhecimento sobre vinhos, eu arriscaria dizer que é um tannat em sua melhor forma. E que ainda ficou melhor depois de algum tempo aberto. Harmonizou muito bem com nosso risotto de feijoada - sim, o resto daquele que fizemos meses atrás e estava congelado. Vejam só como nosso congelador é bom, ainda estava muito saboroso. :) Este vinho mostrou que devemos fazer algo que deixamos de fazer há algum tempo, abrir o vinho bem antes do jantar e deixar decantando por um tempo. Este, em especial, teria ganhado com isso. Vinhos uruguaios nunca decepcionam. Muito obrigada, Fernando, por nos proporcionar vinhos tão bons. Foi bom enquanto durou.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo simples, e leve. O formato das duas partes não se integram.
Exame visual: -
Exame olfativo: Algo vegetal, com toques de couro e mentol. Leve madeira ao fundo.
Exame gustativo: Este vinho é um exemplar marcante da uva Tannat. Vinho de taninos vivos, fortes e marcantes. Precisa ser decantado. É um tannat na essência. Apesar de já ter 7 anos ainda está muito jovem. Vinho poderá ser guardado por mais alguns anos com facilidade. Vinho de perfil velho mundo, mas com sabor direto, forte, marcante e firme. Vinho com personalidade que deverá ficar melhor com mais tempo de garrafa. Funcionou bem com o prato. É um vinho interessante e um ótimo exemplar para quem quer conhecer um tannat uruguaio.
Nota: 89.0 - 90.0

Prodigo - Malbec


Nome: Prodigo
Safra: -
País: Argentina
Região: Valle de Uco, Mendoza
Produtor: Speri Argentina S.R.L.
Site: http://www.speri.com.ar/
Importador: Terramatter

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 44 (500ml)
Onde foi comprado: Forneria, no Rio
Quando foi comprado: 30 de junho de 2009
Degustado em: 30 de junho de 2009
Onde bebeu: Forneria, no Rio
Harmonizado com: Massas frescas
Com quem: Claudio, Rafaela, Jade e Felipe

Comentário do Produtor
Color brillante con tonos violáceos. Perfume con aroma a cerezas y ciruelas. En boca se
presenta con buena estructura, sabores a frutas rojas y delicados taninos. Final placentero y de
buena persistencia.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Jade e Felipe passaram pelo Rio em direção a Paraty, onde participariam da Feira Literária de Paraty (Flip). Para comemorar o aniversário da Jade, que seria no dia seguinte, 1º de julho, escolhemos ir à Forneria. A escolha foi boa. A comida estava saborosa e o vinho funcionou direitinho com o prato de massa. Vinho bem argentino, frutado, fácil de beber.
Nota: 88.0

19 de julho de 2009

Gran Merlot Valmarino 2005


Nome: Gran Merlot Valmarino
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Pinto Bandeira, Bento Gonçalves
Produtor: Valmarino
Site: www.valmarino.com.br
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: 277
Preço: R$ 40
Onde foi comprado: www.vinhosnet.com.br
Quando foi comprado: Maio de 2009
Degustado em: 28 de junho de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Sanduíches
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
O vinhedo da variedade merlot foi instalado na propriedade em Pinto Bandeira a 700 metros de altitude em 1996. A colheita de 2005 foi a melhor da história feita no dia 15 de Março com um rigoso critério de seleção dos cachos com excelente grau de maturação. O Vinho envelheceu em carvalho por seis meses e após foi engarrafado em 19 de Abril de 2006. Com exclusividade foi lançado no dia 05 de Maio na Expovinis. É um vinho tinto de coloração violácea, brilhante, com bouquet que lembra frutas secas e especiarias como pimenta, café e chocolate, na boca apresenta taninos maduros, pleno e persistente. Ideal para acompanhar pratos condimentados, massas, carnes de caça e queijos fortes.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Rubi.
Exame olfativo: Uma constatação muito comum e sem graça: "cheiro de algum vinho que eu já bebi".
Exame gustativo: Apesar dos 14% de álcool, achei este vinho muito leve. Você toma e não sente o peso do álcool. O segredo disso, acredito e o Claudio deve ter dado uma ajudinha, é o álcool estar bem integrado. Um bom vinho, que merece ser provado. Achei que tinha um pouco demais de depósito. Este vinho foi comprado pela internet. Claudio e eu compramos vinhos para a formatura da minha mãe, que seria agora em julho, do VinhosNet, por indicação de uma blogueira. Para aproveitar o frete grátis, resolvemos comprar alguns a mais dos que seriam para o jantar de formatura. Pedimos para entregar em Vacaria e quando viajei para lá em maio, os trouxe para o Rio. Foi uma boa compra.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Falta um pouco de equilíbio entre os elementos. Se fosse visualmente um pouco mais leve, combinaria melhor com o produto.
Exame visual: Grená, opaco.
Exame olfativo: Leve toque de frutas vermelhas.
Exame gustativo: Primeiro vinho desta vinícola que degustamos. Este Merlot segue estilo de vinho do Vale dos Vinhedos, não é muito concentrado, seguindo um estilo elegante, fino, mais próximo de vinhos do velho mundo. O vinho é agradável, bem equilibrado e com seus 14% de álcool muito bem integrados, o vinho tem um perfil leve. Evolui bastante depois de um tempo aberto. Madeira não é sentida. Seu final é elegante com notas vegetais. Um vinho bastante agradável, uma boa surpresa.
Nota: 87.0

Pergunta da Semana - 125

No último fim de semana, viajamos para o Rio Grande do Sul. Ao passear pelo município de Muitos Capões, na região dos Campos de Cima da Serra, nos deparamos com duas plantações de uvas - uma na Rasip, do seu Raul Randon, e outra na Aliprandini, de Luiz Henrique Aliprandini, ambos antigos produtores de maçãs. Inspirados nessa experiência, nesta semana o Le Vin au Blog pergunta:

- Você sente curiosidade em conhecer novos produtores? Costuma procurar vinhos de regiões não tão badaladas, não apenas do Brasil, mas de outros países produtores de vinhos?

18 de julho de 2009

Argento Reserva - Cabernet Sauvignon 2007


Nome: Argento Reserva
Safra: 2007
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Bodegas Esmeralda
Site: http://www.argentowine.com/
Importador: Zona Sul

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 86% e Merlot 14%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Sintética, com logomarca
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 22,50
Onde foi comprado: Zona Sul, no Rio
Quando foi comprado: 26 de junho de 2009
Degustado em: 26 de junho de 2009
Onde bebeu: Zona Sul, no Rio
Harmonizado com: Pizza Marguerita
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Classic aromas of plums, cassis, cedar and vanilla. Rich and full bodied, the ripe black cherry fruit is complimented by subtle toasty and spicy flavours from gentle oak ageing.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Rubi
Exame olfativo: Nada significativo.
Exame gustativo: Depois de muita indecisão sobre fazer uma comida em casa ou comer algo fora, fomos ao Zona Sul para comprar alguma coisa. Na fila da mercearia, que não andava, trocamos o jantar em casa por uma pizza no Zona Sul. Estando ali, acabamos comprando um vinho. Quando saímos do supermercado, parte das luzes da pizzaria já havia até sido apagada. :) Os vinhos Argento são sempre agradáveis, têm um preço bom e nunca decepcionam, talvez até por não criarem tanta expectativa. Bebemos uma tacinha em homenagem ao Michael Jackson.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Segue a bem resolvida identidade visual da linha Argento, pequenas mudanças para a linha Reserva.
Exame visual: Grená
Exame olfativo: Levemente frutado
Exame gustativo: A linha Argento é sempre uma ótima opção para o dia-a-dia pelo seu preço e boa qualidade. Este Cabernet não fugiu à regra. De corpo médio, é frutado sem exageros. Final presente, curto, com toques de pimenta preta e ameixa. Um vinho correto e que bebido de forma despretensiosa pode ser uma boa opção.
Nota: 86.0 +

9 de julho de 2009

Pergunta da Semana - 124

Toda quarta-feira o Le Vin au Blog publica uma nova pergunta para conhecer um pouco mais sobre os seus gostos, hábitos e opinião. Inspirados pelo anúncio feito há poucos dias por Michel Rolland em Bento Gonçalves, de que a Miolo produziu o melhor vinho do Brasil, o Sesmarias, e que vai começar a vendê-lo a 100 dólares a garrafa, nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- Você pagaria 100 dólares por um vinho brasileiro? Você acredita que esse vinho vale mesmo 100 dólares ou pode ser uma jogada de marketing da Miolo? E, ainda, acredita que nosso mercado já está preparado para um vinho desse valor?

Clos Apalta 2006 - Pintia 2005


Nome: Clos Apalta - Pintia
Safra: 2006 - 2005
País: Chile - Espanha
Região: Apalta, Colchagua - Toro
Produtor: Casa Lapostolle - Bodegas Pintia
Site: http://www.casalapostolle.com/ - http://www.bodegaspintia.com/
Importador: Mistral - Mistral

Uvas/Corte: 43% Carmenère, 30% Merlot, 21% Cabernet Sauvignon e 6% Petit Verdot - Tinta de Toro 100%
Teor alcoólico: 15% - 15%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: - / Mistral
Quando foi comprado: -
Degustado em: 24 de junho de 2009
Onde bebeu: Restaurante Ponderox, no Rio Design Barra
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio e demais participantes da reunião

Comentário do Produtor
COLOR: Rrich and dark inked purple red. NOSE: Very expressive nose with the typical expression coming from our old Carmenère grapes from Apalta. Rripe aromas of black fruit, wild berries combined with rich mocha, vanilla and delicate touches of sage and white sweet spices. MOUTH: It opens with concentrated and velvety tannins towards a juicy mid palate and a long lasting finish. Alive in the mid palate with good acidity and soft, elegant yet concentrated structure. Very long finish full of more fruit flavors. SERVICE AND FOOD PAIRING: Decant minimum 1 hour ahead and enjoy at room temperature (16 to 18ºC). I ideal companion for game, lamb, and entrecote fillet. Also good with rich cocoa chocolate desserts.

Color: Cereza picota muy profundo con ribetes amoratados.
Nariz: Potentes aromas a frutos rojos maduros, salvajes tal como arandano, fresas, mora. La madera queda en un segundo plano como complemento sin ser predominante.
Boca: En ataque es opulento sin ser agresivo, un paso de boca con gran presencia y un fin de boca persistente a nivel tánico. En esta fase encontramos la misma gama de aromas que en nariz. Con Pintia intentamos respetar lo más posible los aromas que recuerden de donde proviene el vino, es decir, la uva.

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Durante um jartar de trabalho, foram degustados estes dois excelentes vinhos. Não fiz anotações detalahdas, mas seguem alguns comentários. Começamos com o Pintia, vinho espanhol da região do Toro, com grande corpo e potência, complexo porém guarda uma certa elegância. Bom intenso final de boca. Vinho que precisa ser decantado por horas. Ainda muito jovem para ser degustado, o ideal é esperar alguns anos para abrir e aproveitar ao máximo este belo exemplar espanhol. Passamos para o Clos Apalta, ícone chileno que estava já aberto e decantando por algum tempo. Vinho muito bem feito com notas da Carmenère e da Cabernet Sauvignon falando alto no conjunto. Vinho complexo, com muitas nuances e também muito jovem ainda para ser degustado. Mesclando perfeitamente elegância e potência.Pede mais alguns anos na garrafa. Dois belíssimos vinhos que ainda tem muito para evoluir.
Nota: -

8 de julho de 2009

Gran Callia 2004


Nome: Gran Callia
Safra: 2004
País: Argentina
Região: San Juan
Produtor: Bodegas Callia
Site: http://www.bodegascallia.com/
Importador: -

Uvas/Corte: 40% Syrah, 20% Malbec, 20% Merlot e 20% Tannat
Teor alcoólico: 14.5%
Rolha: Cortiça. Com logomamarca gravada.
Numeração da garrafa: -
Preço: 90 pesos
Onde foi comprado: Ligier, em Buenos Aires
Quando foi comprado: 12 de fevereiro de 2008
Degustado em: 23 de junho de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa muito boa nos presenteada pela Nina e pelo Marcel com molho bolognesa
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
A la vista se presenta de color rojo intenso profundo, con tonalidades violetas y negruzcas.
En nariz presenta aromas a frutos en mermeladas, regaliz, vainilla y coco aportados por la madera. En boca es untuoso, con taninos amables y redondos, de largas caudalías y fuerte presencia de especias. Posee sabores a frutas desecadas y buena estructura para la guarda.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Bordô forte.
Exame olfativo: Cheiro de mel, um pouco de álcool no começo.
Exame gustativo: Gosto de mel. Achei muito gostoso. Frutadão do jeito que eu gosto. Ele foi tudo que esperava que fosse. Apesar de ele ser um legítimo vinho argentino, daqueles que alguns torcem o nariz, mesmo esses têm de admitir que é um vinho muito bem feito. Eu adorei. Foi uma bela escolha para comemorar as 50 mil visitas so blog. Obrigada a todos!
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo muito bem trabalhado e com estilo. Desperta o intereese em conhecer o vinho.
Exame visual: Grená, vivo e intenso
Exame olfativo: Fruta, como ameixa e amora e final com leve madeira.
Exame gustativo: Vinho muito bem feito pela Bodegas Callia. As linhas básicas desta vinícola sempre mostram bons resultados com vinhos agradáveis e redondo. No caso do vinho top da vinícola não foi diferente. Vinho intenso, moderno, um corte com 4 uvas com destaque para a Shiraz, bem "argentino". Vinho fácil de se agradar, com fruta madura, estilo moderno, mas sem exageros, o que é um ponto muito positivo. Preenche a boca. Bem feito e equilibrado. Um bom vinho para este estilo com final com fruta doce. Sem dúvida vai agradar, achei que faltou alguma coisa especial, algo que desse personalidade própria ao vinho... Pode ficar mais alguns anos na garrafa. Escolhemos este vinho para comemorar 50 mil visitas no blog.
Nota: 89.0 +

6 de julho de 2009

Viña Casas Del Bosque Gran Reserva - Syrah 2006


Nome: Viña Casas Del Bosque Gran Reserva
Safra: 2006
País: Chile
Região: Valle de Casablanca
Produtor: Casas del Bosque
Site: http://www.casasdelbosque.cl/
Importador: Obra Prima Importadora

Uvas/Corte: Syrah 90%, Valle de Casablanca. Merlot 10%, Valle de Casablanca
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 71
Onde foi comprado: L'Orangerie, em Laranjeiras, no Rio
Quando foi comprado: 17 de junho de 2009
Degustado em: 17 de junho de 2009
Onde bebeu: L'Orangerie, em Laranjeiras, no Rio
Harmonizado com: Pães, queijos e pastinha
Com quem: Claudio, Rafaela e Helton

Comentário do Produtor
Este sorprendente Syrah esta plantado en laderas de cerro en una de las zonas más frías del valle de Casablanca, y se muestra como uno de los grandes exponentes de esta variedad. Un vino elegante caracterizado por un maravilloso color rojo violeta, aromas a pimienta negra, mermelada de frutos rojos y arándanos. En boca presenta una acidez balanceada y en el paladar medio se hace jugoso y bien estructurado, voluminoso con buen cuerpo. Un vino elegante de principio a fin.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Logo na primeira vez que coloquei o nariz perto da taça, não tinha dúvidas, tinha cheiro de milho ou de pudim de milho verde. Os meninos também concordaram, apesar de o Claudio falar que às vezes influenciou na apreciação dos outros...
Exame gustativo: Agradável, mas bem forte. Bem diferente do Pizzato que havíamos provado um pouco antes. Ele melhorou consideravelmente depois de aberto. E ficou bom com os queijinhos, especialmente com o Prima Donna.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
A safra 2006 ainda está com a programação visual antiga.
Exame visual:Violeta vivo.
Exame olfativo:Intenso e rico, não defini.
Exame gustativo: Bela surpresa este Syrah chileno da região do Valle de Casablanca (região que produz excelentes vinhos). Vinho com personalidade, com intenso toques de especiarias e notas vegetais. Bela evolução em taça, cresceu muito depois de um tempo aberto. Boa tipicidade e já interessante agora e com possibilidade de crescer com mais algum tempo de garrafa. Vinho envolvente com um bom e longo final onde aparecem sabores de café e caramelo. Vale ficar atento aos vinhos desta vinícola. Recomendo.
Nota: 90.0

3 de julho de 2009

Callia Alta 2007 - Shiraz - Malbec / Santa Carolina - Tres Estrellas 2007


Nome: Callia Alta / Santa Carolina Tres Estrellas
Safra: 2007 / 2007
País: Argentina / Chile
Região: Valle de Tulum / Valle Central
Produtor: Bodegas Callia / Vña Santa Carolina
Site: http://www.bodegascallia.com/ / http://www.santacarolina.com/
Importador: Decanter / -

Uvas/Corte: 70 % Shiraz, 30 % Malbec / Carmenère 100%
Teor alcoólico: 14% / 13,5%
Rolha: sintética / cortiça aglomerada e pequena
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 30 / Gentilmente presenteado pela Cicida
Onde foi comprado: Espírito do Vinho, na Cobal Humaitá, no Rio / no Chile
Quando foi comprado: 13 de julho de 2009 / abril de 2009
Degustado em: 13 de junho de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Azeites aromatizados e risotto de cogumelos
Com quem: Claudio, Rafaela, Gabriela e Leonardo

Comentário do Produtor
De color rojo intenso y profundo, con reflejos violáceos. En nariz aparecen aromas a ciruelas, higos y chocolate. En boca se presenta con buena entrada, gran complejidad y untuosidad, con una marcada presencia de taninos maduros.

De color rojo azulado profundo. Este Carmenere tiene aromas intensos, destacando gran cantidad de frutos negros y rico en especias como pimienta negra y canela. Es un vino de buen cuerpo, con ricos y potentes taninos, sabroso y equilibrado, con un final largo. Ideal para acompañar pastas, carnes blancas con salsas, guisos de carne con verduras y pastel de choclo.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Depois de muito combinar, a Gabi e o Leo vieram passar um fim de semana conosco. Depois de caminharmos um pouco por Ipanema e Leblon, voltamos para casa para um jantarzinho caseiro. De início, nossos já tradicionais azeites aromatizados, que foram mais uma vez bem recebidos. :) Depois, Claudio finalizou um risotto de cogumelos, que ficou muito bom também. Gabi e eu fizemos faculdade juntas ainda no século passado. Ficamos quase 10 anos sem nos encontrarmos e agora em 2009 determinou o acaso que nós duas estivéssemos aqui no Rio. Finalmente, conseguimos nos rever. O fim de semana foi bem agradável. Os vinhos entraram no clima, fazendo boa companhia para o jantar. Eu gosto dos vinhos Callia. Então, estava feliz da vida por termos comprado uma garrafa para este jantar. O vinho presenteado pela Cicida também não fez feio. São dois vinhos bem feitos e que poderão facilmente ser bebidos de novo.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Bodegas Callia faz um bom trabalho de design. Na linha básica também repete o bom gosto e equilíbrio. / Corte diagonal do topo do rótulo dá movimento ao conjunto. A ilustração das estrelas poderia ser melhor explorada. O conjunto é harmônico.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Começamos a noite com o Callia Alta. Este vinho é sempre uma ótima opção pela sua relação custo x benefício. Vinho agradável, moderno, bem feito e que sempre agrada principalmente aos iniciantes. Passamos para o Santa Carolina que a Cicida nos trouxe do Chile. Não sou muito fã de Carmenère, mas mesmo sendo um vinho básico ele também estava agradável, mantendo o nível do Callia. Não fizemos anotaçõs no nosso bloquinho.
Nota: -

2 de julho de 2009

Pergunta da Semana - 123

Toda quarta-feira o Le Vin au Blog publica uma nova pergunta para conhecer um pouco mais sobre os seus gostos e hábitos. Nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- No verão perguntamos se você dava prioridade aos vinhos Brancos, Espumantes e Rosés. E agora no inverno, você deixa de lado estes vinhos ou, mesmo em um dia frio, você costuma abrir uma garrafa de vinho Branco por exemplo?

1 de julho de 2009

Pizzato - Reserva Merlot 2005 * #cbe


* Este é o vinho que escolhemos para ser 31º vinho comentado para a Confraria Brasileira de Enoblogs.

Nome: Pizzato
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Pizzato
Site: http://www.pizzatovinhasvinhos.com.br/
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: De cortiça com logomarca gravada
Numeração da garrafa: 7.555/8.800
Preço: R$ 21 (meia garrafa)
Onde foi comprado: L'Orangerie, em Laranjeiras, no Rio
Quando foi comprado: 17 de junho de 2009
Degustado em: 17 de junho de 2009
Onde bebeu: L'Orangerie, em Laranjeiras, no Rio
Harmonizado com: Queijos e pães
Com quem: Claudio, Rafaela e Helton

Comentário do Produtor
Visual: Vermelho rubi à violáceo,denso.
Aroma: Apresenta aromas de frutas vermelhas maduras, ameixa preta, anis, especiarias e levemente achocolatado.
Gosto: Equilibrado, de bom corpo e taninos finos. Boa complexidade e retrogosto de frutas vermelhas maduras.
Compatibilização: Acompanha de aves a carnes vermelhas elegantemente temperadas, até carnes de caça. Queijos pouco gordurosos, massas e risotos à base de funghi.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Bem bordô
Exame olfativo: Cheiro difícil de ser identificado
Exame gustativo: Fiquei bem impressionada com esse vinho da Pizzato. Bem feito, equilibrado e gostoso. Muito bom. Harmonizou muito bem o queijo prima donna que escolhemos para acompanhar o vinho e a ótima conversa. Quem nos acompanhou foi neste vinho do mês foi o Helton, amigo de Florianópolis que passa um tempo aqui no Rio. Conheci o Helton em 2000 por intermédio de uma amiga, a Márcia, que é comadre dele e minha - Helton batizou a Camille e eu, o Nicolas. O Helton é sempre uma ótima companhia. A conversa é sempre muito boa e agradável. Pena que ele esteja indo embora em agosto, quanto conclui o que veio fazer no Rio. Sentiremos sua falta.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Esta garrafa já está com a nova programação visual da Pizzato. Rótulo branco, limpo com detalhes em preto.
Exame visual: Grená indo para o violeta, vivo e intenso. Bonita cor.
Exame olfativo: Início um pouco fechado, passando para algo frutado como ameixa.
Exame gustativo: Um Merlot bastante interessante. Não é um vinho com potência na uva, mas um vinho que tem a elegância e o equilíbrio como seus pontos fortes. Acredito que este é um estilo que parece ser o mais próprio para vinho do vale dos vinhedos: ali ñunca se conseguirá a potência de fruta como se vê na Argentina e no Chile, mas se encontra uma delicadeza e acidez que quando bem trabalhada produz vinhos equilibrados, elegantes e com perfil gastronômico. Este Merlot da Pizzato me pareceu ser um vinho muito bem feito que procurou explorar estas características. Mostrou boa evolução na taça, agradável tipicidade com início frutado e final indo para algo mais vegetal lembrando bem algumas características da Merlot. Madeira bem trabalhada, sem aparecer. Gostaria de provar novamente este vinho com um prato de comida e com alguns anos de garrafa. Acho que podemos ter um resultado bastante interessante. Gostei do vinho.
Nota: 88.0