29 de março de 2009

Finca La Celia Reserva - Malbec 2004


Nome: Finca La Celia
Safra: 2004
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Finca La Celia
Site: http://www.fincalacelia.com.ar/
Importador: -

Uvas/Corte: Malbec
Teor alcoólico: 14,3%
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: Oferecido no jantar de abertura do Seminário DAAD/CAPES
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 11 de março de 2009
Onde bebeu: Hotel Sonesta, em São Paulo
Harmonizado com: -
Com quem: Rafaela, Rebeca, Fátima, Ana Carolina e uma alemoada

Comentário do Produtor
Este varietal apresenta cor vermelha com tons violáceos intensos, e aroma de frutas vermelhas e especiarias. Na boca, taninos apontam um vinho de boa estrutura, maciez e final prolongado. Ideal para acompanhar carne de aves, como perdiz e codorna, carne de caça e cordeiro.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Eu já havia provado outros vinhos da Finca La Celia e eles sempre me agravaram. Não foi diferente desta vez. Foi uma boa companhia para os diversos pratos desse jantar a trabalho em São Paulo.
Nota: -

Don Giovanni Brut


Nome: Don Giovanni Brut
Safra: -
País: Brasil
Região: Bento Gonçalves
Produtor: Don Giovanni
Site: http://www.dongiovanni.com.br/
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay 75,0%; Pinot Noir 25,0%
Teor alcoólico: 12,6%
Rolha: %
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 40,00
Onde foi comprado: Champanharia Ovelha Negra
Quando foi comprado: 5 de março de 2009
Degustado em: 5 de março de 2009
Onde bebeu: Champanharia Ovelha Negra
Harmonizado com: -Ts
Com quem: Claudio, Rafaela, Eva e Biggi

Comentário do Produtor
Boa perlage com borbulhas finas e persistentes, com formação de coroa, cor amarelo-palha com reflexos esverdeados, apresenta completa gama de aromas frutados e de envelhecimento. Aromas de maçã, abacaxi, mamão, tostado e manteiga. Na boca demonstra bom equilíbrio de acidez, bom corpo e retrogosto agradável.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Quando estávamos quase no fim do vinho uruguaio, minha amiga Biggi me ligou dizendo que tinha acabado de chegar ao Rio. Como ela se hospedou em um albergue aqui perto de casa, marcamos de nos encontrar em poucos minutos na Ovelha Negra, champanheria bacana aqui perto de casa. Apesar da barulheira e dos marmanjos bêbados, foi um encontro bem legal. Foi tão bom rever minha amiga depois de mais de seis anos. Também foi bem bacana conhecer a Eva, alemã que fala português com sotaque muito baiano. Rapaz....
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Não fizemos nenhuma anotação sobre este espumante. Fomos até a champanheria encontrar a amiga alemã da Rafaela. Já estava com vontade de provar um espumante Don Giovanni e acabei escolhendo esta garrafa para degustarmos. Espumante bastante agradável que vale provar novamente com calma.
Nota: 87.0

Pergunta da Semana - 110

Toda quarta-feira, o Le Vin au Blog publica uma pergunta nova para saber um pouco mais sobre a sua experiência no mundo vinho. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Você já utilizou algum creme, xampu ou loção à base de uva? O que acha desse tipo de produto de beleza? Iria a um spa do vinho e tomaria um banho da bebida?

28 de março de 2009

Pergunta da Semana - 109

Toda quarta-feira, o Le Vin au Blog publica uma pergunta nova para saber um pouco mais sobre a sua experiência no mundo vinho. Nesta semana, roubando a ideia do nosso amigo blogueiro Alexandre, do Diário de Baco, o Le Vin au Blog quer saber:

- Já aconteceu de você deixar cair uma gota de vinho na toalha limpinha? E aí, o que você fez para tirar a mancha?

12ª Harmonização Virtual - Participe!

Claudio imaginou a receita, Nina aperfeiçoou a ideia e Marcel escolheu as bebidas que vão acompanhar um inusitado Risoto de Feijoada em nossa 12ª harmonização virtual. Além de contar com uma receita criada a quatro mãos, esta harmonização será a primeira com dois vinhos diferentes para o mesmo prato: um espumante rosé e um tinto tannat, ambos nacionais.

Se você também quiser colocar em prática a receita e ver como ela se sai com os vinhos escolhidos, envie seu e-mail para a gente, para que possamos lhe enviar a receita e a indicação dos vinhos. Nossos e-mails são: levinaublog@gmail.com, o do Le Vin au Blog, e gourmandisebrasil@hotmail.com, o do Gourmandise.

Para quem está chegando agora aos nossos blogs: esta é a 12ª edição da harmonização virtual, que funciona mais ou menos assim: nós, do Le Vin ao Blog e do Gourmandise, sugerimos uma receita e um vinho e passamos essas informações para quem nos pedir. Depois, cada um faz a harmonização em casa e os resultados são publicados nos blogs – se alguém quiser publicar e não tiver um blog, pode usar os nossos.

Desta vez, os comentários serão publicados no dia 7 de abril.

Participe!

* Quanto à Rafaela, para que ninguém ache que ela não fez nada, ela escreveu este convite.

27 de março de 2009

Pisano Arretxea - 2002


Nome: Pisano Arretxea
Safra: 2002
País: Uruguai
Região: Progreso
Produtores: Daniel, Eduardo e Gustavo Pisano-Arretxea
Site: www.pisanowines.com
Importador: -

Uvas/Corte: 60%Tannat, 20% Cabernet Sauvignon e 20% Merlot.
Teor alcoólico: 14%
Rolha: De cortiça, tamanho médio, levemente infiltrada e com a logomarca gravada.
Numeração da garrafa: 4729/6783
Preço: -
Onde foi comprado: Uruguai, pelo Fernando
Quando foi comprado: 2007
Degustado em: 5 de março de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa com molho de tomate e cenouras
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
COLOR: brillante e impenetrable rojo púrpura.
AROMA: profundo, complejo y elegante. Exquisito y bien definido en las especias, café, tabaco y notas tostadas de roble mezclándose agradablemente.
SABOR: Simplemente extraordinario. Enormemente profundo y complejo. Aristocrático y de raza firmemente tánica. Deliciosa estructura y acidez escarpadas de notable longitud. Espeso, Potente, con capas de ciruela y cereza negra madura que balancea con ligera acidez de mora silvestre y una nota ahumada de roble tostado.
GASTRONOMIA: Para los amantes de lo exquisito, un formidable vino de robusta estructura pero a la vez complejo y elegante. Un gran compañero de la liebre, la perdiz y el pato salvaje. Piezas de caza: jabalí, ciervo, venado. Setas y hongos silvestres asados. Entrecot y tapa de cuadril a las brasas. Costillar de cordero a la parrilla, Pierna de cordero al horno. Filete de lomo a la pimienta negra. Pastas rellenas al horno con salsas importantes. Jamones crudos y embutidos. Quesos grasos y picantes de pasta dura tipo Parmigiano-Reggiano. Quesos sazonados de oveja y de cabra.Sugerimos servirlo a temperatura ambiente en el entorno de los 18º C.
Daniel, Eduardo y Gustavo PisanoArretxea

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Difícil identificar os aromas. Havia presença de álcool.
Exame gustativo: Este vinho mostrou-se uma ótima compra. No começo, ainda estava meio fechado, mas com o tempo foi melhorando muito. Gosto de frutas vermelhas, que se demora na boca. Ele apresenta um gostinho adocicado, às vezes de especiarias. Mancha os dentes. Eu o achei leve, mas Claudio contestou dizendo que é um vinho com estrutura. Este vinho, que me lembrou de Mendoza por alguma razão desconhecida, foi escolhido para comemorar a vitória do Botafogo na Taça Guanabara 2009, também foi o último vinho antes do Circuito das Estações, corrida da qual participamos uns dias depois - Claudio correu 10km e eu, 5km. Depois de degustarmos este vinho, ainda demos um pulo ali na Champanheria Ovelha Negra para nos encontramos com a minha amiga alemã Biggi, que acabara de chegar do carnaval de Salvador. Junto com ela estava a Eva, também alemã, mas falando um português com sotaque baiano. :)
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Formato diferente e interessante. Tipologia poderia ser mais equilibrada.
Exame visual: Bordô com alos levemente alaranjados. Bonita cor.
Exame olfativo: Nariz firme, com cerejas, leve defumado e leve álcool aparente. Abriu e evoluiu com tempo. Tostado.
Exame gustativo: Mais um bom vinho uruguaio que degustamos. Vinho de bom corpo, boa estrutura e com a madeira muito bem integrada apesar de passar 24 meses em barricas novas francesas. Ainda suportava algum tempo na garrafa. Vinho pede para ser decantado. Evoluiu muito bem depois de aberto. Vinho com certa complexidade e alguma coisa do estilo Velho Mundo. Sabor firme, final agradável e longo com notas de especiarias e frutas maduras. Acompanha muito bem a comida. Evoluiu para algo como café. Mais uma boa garrafa vinda do Uruguai. Vale provar.
Nota: 90.0+

25 de março de 2009

Montes - Pinot Noir 2007



Nome: Montes
Safra: 2007
País: Chile
Região: Casablanca
Produtor: Montes S.A.
Site: http://www.monteswines.com/
Importador: Mistral

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: De cortiça, tamanho médio com logomarca gravada.
Numeração da garrafa: -
Preço: Este vinho foi nos dado pela Mistral em troca de um Alamos que estava com problemas
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: 2008
Degustado em: 28 de fevereiro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa fresca da Veronese com salmão
Com quem: Claudio, Rafaela, Flavio e Cristina

Comentário do Produtor
It is a wine with a darker color than normal, considering it is a Pinot Noir. Flavors are intense, elegant with a clear predominance of strawberries, and flowery violet hints that all together makes this Pinot an elegant and very appealing wine. In the palate it is well balanced, soft tannins, good level of acidity, making it fresh but not light.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Estávamos planejando nos encontrar com a Cris e o Flávio havia tempo. Eles moram aqui perto de casa, mas parece que quanto mais "fácil" é a localização, mais difícil fica combinar uma saída. Esta demorou, mas saiu! E nós adoramos a companhia. Cris e Flávio são muito divertidos. O engraçado da noite foi que resolvemos fazer um pudim, nos achando os reis do pudim de leite condesado. Bah! Foi um desastre. Ficou deformado - Nina depois nos explicou o que pode ter ocorrido de errado. Como já estava em cima da hora e não tínhamos outra opção, nossos convidados acabaram comendo aquela deformação. :) E até disseram que gostaram... Em relação a este vinho, foi uma boa escolha do Claudio. Leve, com gosto de frutas vermelhas, ele se saiu bem em nosso jantar.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
As tonalidades usadas deixaram o rótulo um pouco pesado e escuro. Podia se mais leve.
Exame visual: Rubi alaranjado.
Exame olfativo: Nariz rico e frutado. Leve álcool aparente. Final bastante doce, lembrando alguma bala.
Exame gustativo: Este foi o segundo vinho da noite. Este Pinot Noir é produzido pela Viña Montes no Chile. Esta vinícola é reconhecida pela qualidade de toda sua linha de vinhos. São vinhos modernos e sempre muito equilibrados. Este Pinot segue este estilo. Na boca ele é macio, arredondado pela madeira, e algo de defumado/carne no sabor, que podemos sentir em outros Pinots chilenos. Apenas acho que os 14,5% de álcool pesou um pouco no conjunto. Para o meu paladar, prefiro Pinot mais leves. De qualquer forma é um vinho interessante, funcionou bem com a massa que comemos. Foi uma noite bastante agradável.
Nota: 87.0

24 de março de 2009

Flor de Torrontés - 2007



Nome: Flor de Torrontés
Safra: 2007
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Bodega Lurton
Site: http://www.bodegalurton.com/
Importador: La Vigne

Uvas/Corte: Torrontés 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Tampa de rosca
Numeração da garrafa: -/29.000
Preço: Gentilmente presenteado pelo Helton
Onde foi comprado: Lidador, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: Setembro de 2008
Degustado em: 28 de fevereiro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Azeites aromatizados caseiros
Com quem: Claudio, Rafaela, Flávio e Cristina

Comentário do Produtor
Bonito color amarillo brillante. Nariz intensa de flores blancas y rosa tipo amoscatelada. Boca muy agradable ataque suave pero bastante vivo. Buen equilibrio. Excelente postguesto aromatico en final de boca con aromas amoscatelatos. Un vino muy fresco.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Vinho bem clarinho, amarelinho.
Exame olfativo: Cheiros de abacaxi, maracujá - isso foi o Flávio, na verdade, quem observou. Para mim, tinha cheiro de vinho branco.
Exame gustativo: Vinho que serviu muito bem como companheiro dos nossos azeites.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Muito bem resolvido. Leve, equilibrado e com o detalhe da flor. Muito bem feito e reflete bem o perfil do vinho.
Exame visual: Amarelo bem claro.
Exame olfativo: Frutas como pessêgo e maracujá e algo floral. Interessante.
Exame gustativo: Este foi o primeiro vinho da noite que recebemos o Flavio e a Cris aqui em casa. Ganhamos este vinho do Heltón. É um bom Torrontés da Argentina. Bom corpo, final agradável. Achei que a acidez poderia estar mais presente. Vinho pareceu um pouco fechado. Acredito que a Torrontés fica melhor quando mais fresco e leve. De qualquer forma foi uma boa experiência.
Nota: 87.0

23 de março de 2009

Marco Luigi - Moscatel


Nome: Marco Luigi
Safra: -
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul
Produtor: Marco Luigi
Site: http://www.marcoluigi.com.br/
Importador: -

Uvas/Corte: Moscatel 100%
Teor alcoólico: 8%
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Diretamente com a Marco Luigi por e-mail
Quando foi comprado: dezembro de 2008
Degustado em: 24 de fevereiro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Porco com molho de mostarda, legumes e arroz branco
Com quem: Claudio, Rafaela, Fernando, Junia, Marcelo e Mauro

Comentário do Produtor
Elaborado com uva moscato pelo processo “Asti”, típico do Norte da Itália. Ligeiramente doce, aromático, leve e fino. Apresenta aromas intensos lembrando jasmim, melão, guaraná e mel.As borbulhas são ativas, muito finas e numerosas finalizando com ótima coroa.Bebida leve, refrescante ideal para acompanhar doces e frutas. Produção: são elaboradas em média 10.000 garrafas/ano. Temperatura ideal para consumo: 4° a 6° C.


Comentário da Rafaela
Exame visual: Superclarinho.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: O espumante estava muito bom, mas o destaque deste momento do jantar foi o nosso primeiro pudim de leite condensado. Apesar do excesso de caramelo, ele ficou muito bom. Quanto ao espumante, portou-se à altura da iguaria. :)
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
Parece-me que a Marco Luigi está trocando os rótulos dos vinhos. Costumavam usar uma linguagem que procurava parecer artesanal. Acho que era muito carregada. Um dos ícones usados era a simulação de papel rasgado. Neste caso, mesmo sendo um rótulo mais novo, continuaram usando o mesmo recurso gráfico. Eu acho que é um recurso um pouco ultrapassado. Gosto do uso da assinatura. Poderia evoluir, se trabalhassem melhor este ícone.
Exame visual: Transparente, quase incolor.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Esta foi a última garrafa da noite. Mais uma vez este Moscatel da Marco Luigi se comportou muito bem com a sobremesa. Assim como das outras vezes que degustamos, o espumante estava bem equilibrado, principalmente em seu açúcar. É uma ótima pedida.
Nota: 89.0

22 de março de 2009

Paris Goulart Reserva 2005


Nome: Paris Goulart Reserva
Safra: 2005
País: Argentina
Região: Lunlunta e Luján de Cuyo - Mendoza
Produtor: Finca Lugilde Goulart
Site: www.fincalugildegoulart.com.ar/
Importador: World Wine
Uvas/Corte: Malbec 60% e Cabernet Sauvignon 40%
Teor alcoólico: 13,6%
Rolha: Sintética.
Numeração da Garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Presente do Marcel e da Nina
Quando foi comprado: -
Degustado em: 24 de fevereiro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Porco com molho de mostarda, legumes e arroz branco
Com quem: Claudio, Rafaela, Fernando, Junia, Marcelo e Mauro

Comentário do Produtor
Paris Goulart es un Assemblage Malbec y Cabernet Sauvignon muy elegante y equilibrado, de color rojo intenso y profundo.
Notas de cata: En nariz se perciben las características del Cabernet y del Malbec respectivamente. En boca es complejo gracias al aporte del roble. Buen final de boca, persistente y frutado.
Temperatura de servicio: 16° C. Acompañar preferentemente con carnes sazonadas o pastas.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Cor embassada.
Exame olfativo: Pepino, picles, incenso.
Exame gustativo: Eu já estava mais do que satisfeita quando os meninos resolveram abrir mais uma garrafa, pois ainda estavam comendo. Acabei provando apenas um pouquinho, mas depois do Preludio ficou difícil de avaliar de forma justa este vinho. Então, o que posso dizer é que se trata de um vinho bom, mas que não foi degustado de forma apropriada nesta noite
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: Violeta intenso.
Exame olfativo: Notas de café e frutas.
Exame gustativo: Terceiro vinho da noite. Abrimos esta garrafa logo depois de ter degustado o Preludio. Foi inevitável a comparação entre os estilos. O Paris Goulart é um bom vinho que já havíamos degustado anteriormente. Sabor intenso, frutado é um vinho de bastante impacto. Na boca leve presença de álcool e um amargor. Vinho potente que pede uma comida. Final um pouco curto com leve toque vegetal.
Nota: 87.0

20 de março de 2009

Pergunta da Semana - 108

O Le Vin au Blog publica uma pergunta nova toda quarta-feira. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Se você precisasse abrir uma garrafa de vinhos e notasse que não tem um saca-rolhas em casa ou se por acaso ele quebrasse no meio do processo, que alternativa você usaria para sacar a rolha?

Esta pergunta foi inspirada na sugestão do Henrique G.

Preludio 2004


Nome: Preludio
Safra: 2004
País: Uruguai
Região: Juanico
Produtor: Establecimiento Juanico - Familia Deicas
Site: http://www.juanico.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Tannat 40%, Cabernet Sauvignon 24%, Cabernet Franc 20%, Merlot 12%, Petit Verdot 2%, Marsellan 2%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: De cortiça, bom tamanho, logo impresso
Numeração da garrafa: -/44.229
Preço: Gentilmente oferecido pelo Fernando
Onde foi comprado: Uruguai
Quando foi comprado: -
Degustado em: 24 de fevereiro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Porco com molho de mostarda, legumes e arroz branco
Com quem: Claudio, Rafaela, Fernando, Junia, Marcelo e Mauro

Comentário do Produtor
Color: Púrpura vivaz con tonos violáceos. Alta concentración que se manifiesta por la lágrima que es muy elegante y persistente. Nariz: Gran variedad de aromas complejos con notas de higos secos, frutos rojos maduros y vainilla. Boca: Acidez y taninos redondos, frutos del bosque maduros y toque de tinta.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este vinho foi o melhor da noite. Bom, senti gosto de milho verde, mas, por favor, não vejam isso como um demérito - eu adoro milho verde. Os entendidos talvez traduzam isso para: gosto vegetal. :) Ele também é bem agradável ao paladar, equilibrado. Mesmo podendo aguentar mais alguns anos, oi abrimos num bom momento.
Nota: 91.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo interessante com uma partitura ao fundo.
Exame visual: Rubi vivo, translúcido.
Exame olfativo: Uma mistura de madeira com algo floral.
Exame gustativo: Ano passado, nós degustamos uma garrafa da safra 2002 do Prelúdio, o qual nos agradou muito por seu estilo elegante, remetendo a vinhos do velho mundo. Este foi o segundo vinho da noite, foi trazido diretamente do Uruguai pelo Fernando. A diferença de preço dos vinhos uruguaios comprados lá, comparado com o preço praticado nas lojas aqui no Brasil, é enorme. Voltando ao Preúdio, foi o melhor vinho da noite. Este 2004 confirmou todas as boas características deste vinho, sutil, elegante, com boa acidez, taninos suaves e com um paladar muito interessante. Achei que o 2004 estava com a madeira ainda muito presente. Sem dúvidas é um vinho que irá ganhar muito com mais uns pelo menos 5 anos de garrafa. É claro o seu potencial para envelhecer e evoluir. Esta evolução irá passar pelo equilíbrio na madeira. É um vinho para se guardar em casa e aproveitar todo o seu potencial em alguns anos. Gosto bastante dos vinhos u ruguaios. Vale ficar atento aos vinhos que chegam de lá.
Nota: 91.0

19 de março de 2009

Marco Luigi Merlot 2004



Nome: Marco Luigi
Safra: 2004
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul
Produtor: Vinícola Marco Luigi
Site: http://www.marcoluigi.com.br/
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 12%
Rolha: De cortiça aglomerada, de bom tamanho
Numeração da garrafa: 1.448/10.000
Preço: R$ 17,00
Onde foi comprado: Direto da vinícola.
Degustado em: 24 de fevereiro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Azeites com pães, Filet de Porco com molho de mostarda, arroz e legumes com ervas.
Com quem: Claudio, Rafaela, Marcela, Mauro, Junia e Fernando

Comentário do Produtor
Vinho encorpado, intensamente frutado, complexo, harmônico e muito equilibrado. Cor: tonalidade vermelho –púrpura. Aroma: Aroma de frutas com toque de framboesa e cerejas e café. Sabor: O paladar é rico, macio, perfeitamente equilibrado e sedoso. Apresenta boa estrutura de taninos doces que deixam a sensação de veludo.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Bordô clarinho.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Estamos quase chegando ao fim da nossa reserva de vinhos da Marco Luigi e bem satisfeitos com o que atestamos, os vinhos são bem feitos. Para dar início a este jantar especial com os nossos convidados habitués Marcela e o Mauro mais a Junia e o Fernando, escolhemos este vinho brasileiro. Ele acompanhou direitinho nossos couverts de azeites aromatizados, deixando um gosto agradável na boca. Este foi só o início de uma noite bem legal, que foi mais uma etapa da inauguração da nossa sala nova. :) Quero registrar também que foi a primeira vez que fizemos um pudim de leite condensado. Inauguramos a panela que nos foi presenteada pela mãe do Claudio. Ficou ótimo.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Busca um visual mais tradicional e valoriza a assinatura. Equilibrado.
Exame visual: Bordô.
Exame olfativo: De boa intensidade, com frutas vermelhas e toques de pimenta.
Exame gustativo: Este foi o primeiro vinho da noite. Já havíamos degustado um chardonnay da linha básica da vinícola Marco Luigi com bom resultado. Este Merlot veio comprovar que esta linha é feita com um cuidado especial. Vinho muito agradável, com boa tipicidade. É um vinho de corpo leve, muito bem equilibrado e fácil de se beber. Um ótimo companheiro para uma comida. Na boca toques de ameixa com sabor de algo defumado. Ótima relação custo-benefício. Uma boa surpresa que recomendo. Vale provar.
Nota: 87.0

11 de março de 2009

Callia Alta - Chardonnay


Nome: Callia Alta
Safra: 2006
País: Argentina
Região: San Juan
Produtor: Bogedas Callia
Site: http://www.bodegascallia.com/
Importador: Decanter

Uvas/Corte: Chardonnay 70 % e Torrontés 30%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 9,50 a taça
Onde foi comprado: Fiametta, no Rio
Quando foi comprado: 24 de fevereiro de 2009
Degustado em: Fiametta, no Rio
Onde bebeu: 24 de fevereiro de 2009
Harmonizado com: Namorado com taim de legumes com molho de tapenade e arroz com ervas (Rafaela) e calzone portoghese (Claudio). A sobremesa foi banana assada com uma bola de sorvete de creme
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Amarelo – palha com reflexos verdeais. Agradável aromaticidade, com características frutadas ( frutas tropicais) e florais. Macio e perfumado na boca, com uma acidez muito equilibrada.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Escolhemos almoçar no Rio Plaza nesse dia e acabamos gostando dos pratos oferecidos pela Fiametta no meio do feriado de Carnaval. Cada um escolheu um deles. Ambos estavam muito bons. Decidimos cada um comer metade de cada e foi ótimo. Dividimos também a sobremesa e a tacinha do bom Callia Alta, que combinou mais com o peixe do que com o calzone. Quando o Claudio pediu um café, acho que o garçom deve ter pensado: "que horror, agora eles vão dividir um café". :) Só para esclarecer, o café era só para o Claudio mesmo. Eu normalmente não gosto muito dos cafés, exceto o café teichner, que servia ali no restaurante dos jardins do Palácio do Catete.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Segue a bem resolvida linha Callia. Não é surpreendente, mas correto e funcional.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Para acompanhar um prato de peixe no nosso almoço resolvemos pedir uma taça deste Callia. Os vinhos da Callia são sempre bem feitos e de boa relação custo/benefício. Este Chardonnay é um vinho agradável, simples, sem surpresas. O ponto positivo foi que cresceu muito com o prato e tornou o almoço ainda mais agradável.
Nota: 86.0

10 de março de 2009

Bettú - Malbec 2003


Nome: Bettú
Safra: 2003
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Vilmar Bettú
Site: -
Importador: -

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: - (não tem na garrafa, mas vimos na internet que é 13,9%)
Rolha: De cortiça, bom tamanho, com logomarca gravada. Sobre a rolha foi colocado um pouco de cera.
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Essen, em Florianópolis
Quando foi comprado: 26 de maio de 2008
Degustado em: 21 de fevereiro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Medalhão de frango com molho de mostarda e batatas assadas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-
Comentário da Rafaela
Exame visual: Bem bordô, com um pouco de laranja nas bordas.
Exame olfativo: Muito difícil de identificar, apesar de apresentar vários aromas.
Exame gustativo: A lembrança que fica deste vinho é a elegância. Ele é suave, agradável. Fica muito melhor quando acompanhado por uma boa comida, como foi o caso aqui. Em algum momento, senti um gosto de café, que depois mudou para algo como suco de uva, sem isso parecer nenhum demérito para o vinho. Afinal, eu gosto de suco de uva e isso não pode ser considerado ao pé da letra. É só porque não sei muito bem como explicar isso melhor. É um vinho que eu provaria de novo.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Uma folha de parreira. Bastante simples e representativo. Passa caráter artesanal. Toda a linha dos vinhos Bettú usa o mesmo rótulo.
Exame visual: Vinho apresentou muitos depósitos. No visual, mostra do seu amadurecimento: levemente turvo, cor de telha indo para o alaranjado.
Exame olfativo: Nariz um pouco fechado. Melhorou um pouco depois de certo tempo no decanter. Leve toque de cereja e groselha, algo como gelatina por fazer. Lembrou também suco de fruta vermelha.
Exame gustativo: Os vinhos do produtor Vilmar Bettú causam grandes controvérsias. Pesquisando na internet você irá encontrar uma legião de fãs que classificam como um dos melhores vinhos do país e destacam o lado artesanal e familiar como os vinhos são produzidos. Por outro lado você irá encontrar fortes críticas que sempre giram em torno do elevado valor de seus vinhos, da qualidade e da diversidade de uvas que ele planta e compra para fazer seus vinhos. Movidos pela curiosidade, quando tivemos em Florianópolis no ano passado, fomos até a loja Essen onde encontramos algumas garrafas do Bettú. Realmente os preços são proibitivos. Este malbec era o que tinha o menor preço, como não anotamos na época da compra, não temos o valor exato dele. De produção artesanal, as uvas são esmagadas com os pés. Este malbec é bem diferente de outros malbecs degustados pelo blog. Vinho de corpo leve, busca um estilo velho mundo, elegante. Início com leve fruta que foi ficando mais presente com o passar do tempo. Seu final apresentou um leve amargor, tipo suco de tangerina depois de um tempo feito. No geral é um malbec bem peculiar, que já deve ser bebido, sem madeira aparente e álcool bem integrado e sabor mais límpido. Funciona bem com comida. O resultado é agradável. Bebendo este malbec, dá vontade de conhecer outros vinhos deste produtor.... o preço da garrafa realmente será o inibidor.
Nota: 87.0

8 de março de 2009

Château Ducos - Petit Verdot 2006


Nome: Château Ducos
Safra: 2006
País: Brasil
Região: Vale do São Francisco
Produtor: Ducos Vinícola
Site: www.ducosvinicola.com.br
Importador: -

Uvas/Corte: Petit Verdot
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Meio torta, de cortiça, de pequena para média.
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 34,90
Onde foi comprado: L´Orangerie, em Laranjeiras, no Rio
Quando foi comprado: 17 de fevereiro de 2009
Degustado em: 17 de fevereiro de 2009
Onde bebeu: L´Orangerie, em Laranjeiras, no Rio
Harmonizado com: Torradinhas, pasta da casa com casca de laranja, azeite e queijos gouda, master e primadona
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Devidos a seus cachos intensamente coloridos e de casca resistentes, este vinho ostenta uma cor púrpura bem marcada e estrutura fina e marcante. Na boca, tem gosto aveludado e fino, onde as características típicas da casta se misturam aos exuberantes aromas florais invocando os sabores de cerejas negras, amoras e framboesas.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Bordô escuro.
Exame olfativo: Fruta, banana (em formato de mariola, bananada), cenoura com maionese.
Exame gustativo: Desde que voltamos da última viagem, combinamos ficar um tempo sem comprar vinhos, apenas o vinho do mês e os das harmonizações. Desde o início do ano, saímos apenas uma vez para beber vinhos fora de casa, mas nesta terça deu uma vontade de dar uma saidinha. Entre comer uma pizza no Braz e uma ida à L'Orangerie, acabamos escolhendo a segunda para evitar filas. Escolhemos este vinho brasileiro, comentado pelo Oscar e com preço acessível para acompanhar uns queijinhos. Ele estava meio esquisito no início, com muito gás carbônico, mas foi melhorando ao longo da noite. Não é exatamente um vinho que eu repetiria. Ele tem um gosto, às vezes, de campo queimado. Deve ser decantado.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Simples e desequilibrado. Usa uma ilustração de um cavalo. Merece um redesenho.
Exame visual: Rubi indo para o violeta.
Exame olfativo: Fruta vermelha madura. Leve toque doce ao fundo. Presença de ameixa, pimenta e um pouco de álcool.
Exame gustativo: Uma casta interessante, um produtor italiano, um enólogo francês, tudo isto desenvolvido em terras nordestinas brasileiras. Tinha lido alguns comentários sobre este vinho e, oor curiosidade, resolvi escolher esta garrafas para degustarmos no L'Orangerie. Logo que foi aberto, apresentou muito gás carbônico. Colocamos no decanter e em pouco tempo o gás foi sumindo, o vinho foi abrindo e evoluindo. Este vinho não passa em madeira. Sabor intenso, leve acidez, taninos marcados e levemente verdes. Adstringente. Se mostrou um bom parceiro para comida. Deve crescer com um prato de carne, por exemplo. Evolui positivamente com tempo no decanter. Vinho interessante, simples, mas que vale a pena ser provado. Acho que tem tudo para crescer nas próximas safras. Vamos ficar atentos.
Nota: 86.0 +

7 de março de 2009

Pergunta da Semana - 107

O Le Vin au Blog publica uma pergunta nova toda quarta-feira. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- A crise econômica mundial afetou o seu consumo de vinho? Você passou a comprar menos vinhos? O aumento do dólar influenciou na decisão de compra?

6 de março de 2009

Château Canteloudette - 2004



Nome: Château Canteloudette
Safra: 2004
País: França
Região: Bordeaux
Produtor: Château Canteloudette
Site: -
Importador: -

Uvas/Corte: -
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: De cortiça, levemente infiltrada.
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente presenteado pela Marie e pelo Mário
Onde foi comprado: em Paris
Quando foi comprado: no segundo semestre de 2007
Degustado em: 14 de fevereiro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Azeites e peru com risotto de açafrão
Com quem: Claudio, Rafaela, Marie e Mário

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Sem querer parecer exagerada, mas acho que das degustações que fizemos com os amigos para mostrar nossa sala nova, essa foi a que teve os melhores vinhos, os que se mostraram mais agradáveis e completaram a comida mais perfeitamente. A partir de agora, posso começar a dizer que gosto de vinhos franceses. Este tinha gosto de frutas vermelhas no final e era levemente adstringente.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Típico rótulo tradicional francês: ilustração do Château e tipologia tradicional.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: No dia-a-dia, acabamos degustando uma quantidade maior de vinhos do Chile e da Argentina: pela proximidade, facilidade de compra, preço etc. A grande maioria dos vinhos vindos destes países tem o estilo "novo mundo": intensidade de fruta, teor alcóolico alto, madeira marcada etc. Quando degustamos um vinho francês, que provalvelmente na França seria um bom vinho para o dia-a-dia, percebemos o quanto é prazeroso beber um vinho com estilo completamente diferente daquele que acabamos bebendo mais. O Mario nos trouxe da França, de presente, este Bordeaux. Guardamos por algum tempo até surgir a oportunidade de um jantar para o degustarmos juntos. Foi o segundo vinho da noite e uma boa surpresa. Vinho muito bem feito, equilibrado e, principalmente, elegante. Vinho leve, que dava vontade de beber mais a cada gole. Sem excesso, primava pela delicadeza dos sabores, mesmo parecendo ser um vinho básico. Ótima experiência. Vinho feito para acompanhar um jantar. Uma pena que a grande maioria de vinhos franceses que chega ao Brasil,  com um custo razoável, não seja tão boa. Acho que vale a experiência: depois de muitos vinhos "novo mundo", abrir uma boa garrafa de um vinho francês, por exemplo. Seu paladar vai te agradecer.
Nota: 89.0

3 de março de 2009

Pequeñas Producciones - Barbera 2002



Nome: Pequenas Producciones
Safra: 2002
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Miguel Escorihuela Gascón
Site: www.escorihuela.com.ar
Importador: -

Uvas/Corte: Barbera 100%
Teor alcoólico: 13,7%
Rolha: Comprida, de cortiça, com logo gravado
Numeração da garrafa: 1.155/5.920
Preço: 83 pesos
Onde foi comprado: Ligier, em Buenos Aires
Quando foi comprado: 12 de fevereiro de 2008
Degustado em: 12 de fevereiro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa à bolonhesa
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Comentário do Importador: Possui cor vermelho intenso, com aromas de frutos vermelhos e negros maduros, com notas de baunilha, café e chocolate devido ao seu prolongado envelhecimento em carvalho. Frutado na boca, completo, perfeito e equilibrado. Perfeito para ser consumido já, é um vinho que agradece a guarda em adega até 2012. Recomenda-se sua decantação prévia ao consumo.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Cheiro alcoólico.
Exame gustativo: Gosto que trazia lembrança de terra do mato que tinha lá na casa da minha avó. Normal, sem nada que o destaque. Às vezes, gosto de chocolate com café da caixa de bombons da Garoto; outras, morango, frutas vermelhas. Choveu muito neste dia no Rio.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Uma garrafa muito pesada, um rótulo pequeno e equilibrado. O conjunto acaba impressionando.
Exame visual: Bordô intenso.
Exame olfativo: Uma mistura de pimenta com frutas e café.
Exame gustativo: Compramos este vinho em Buenos Aires. Passeando entre as prateleiras da loja Ligier na capital argentina o encontrei. Não tinha nenhuma referência sobre este vinho, mas me interessei por ser uma uva pouco tradicional naquele país. Como a minha curiosodade acabou falando mais alto, resolvi comprá-lo. Perguntei para o vendedor da loja sobre o vinho e ele pareceu ser sincero dizendo que era um vinho para quem queria provar coisas diferentes. A cara dele não foi muito animadora, mas mesmo assim resolvi levá-lo. Chegando de volta ao Rio, procurei informações sobre o vinho na internet. Para minha surpresa, encontrei diversos comentários. O mais interessante foi que alguns comentários falavam positivamente. A Revista Gula, por exemplo, o classificou com "Excelente Compra". Noutros, nem tanto, como os bons blogs QVinho e o Carta de Vinhos. Diante da divergência, a única coisa a fazer foi degustar o vinho e tirar a nossa própria conclusão. Um ano depois de comprá-lo, o abrimos. Garrafa pesada, rolha grande, "pequenas procucciones" no nome, indicando um cuidado na produção, ou seja, tudo feito para impressionar, mas o vinho não empolgou. Vinho um pouco pesado em boca, sobresaindo fruta vermelha e ameixas, leve pimenta e uma madeira presente. Final com leve café. Muito depósito na garrafa. Como li em alguma crítica, parece que resolveram fazer um teste com esta uva, plantaram uma área com ela, vinificaram e perceberam que ela não funcionava bem ali... Tanto que este vinho não foi repetido em nenhuma outra safra e nem está no site da empresa. Não é um vinho ruim, é um vinho direto, um pouco pesadão e que não empolga. Acredito que não vá evoluir em garrafa.
Nota: 86.0 +

2 de março de 2009

Alta Vista Premium - Torrontes 2007* #cbe



* O Alta Vista Classic Torrontes foi o vinho escolhido pelo blog Vivendo Vinhos para ser o 27º vinho a ser degustado pela Confraria Brasileira de Enoblogs. Não conseguimos encontrar, somente achamos o Alta Vista Premium e resolvemos fazer um post sobre ele. A confraria funciona assim: todo mês, um blog aponta qual será o vinho a ser provado. No primeiro dia do mês seguinte são postados os comentários de todos os participantes, cada um em seu blog.

Nome:
Alta Vista
Safra: 2007
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Bodega Alta Vista
Site: http://www.altavistawines.com/
Importador: Épice

Uvas/Corte: Torrontes
Teor alcoólico: 14%
Rolha: De cortiça, tamanho médio.
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 34, 10
Onde foi comprado: A Garrafeira, no Leblon, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 14 de fevereiro de 2009
Degustado em: 14 de fevereiro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Azeites especiais, peru com risoto de açafrão
Com quem: Claudio, Rafaela, Mário e Marie

Comentário do Produtor
Presenta un color amarillo brillante con aromas florales delicados, exaltando los sentidos por su frescura y vivacidad. Sugerimos una temperatura de servicio entre 7ºC y 8ºC.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Dando continuidade à inauguração da nossa sala nova, desta vez recebemos nossos queridos amigos Marie e Mário. Tínhamos acabado de comprar este vinho e resolvemos já degustá-lo naquela noite mesmo. Tratava-se do vinho do mês, que também acabou sendo usado um pouquinho para preparar a comida. Vinho excelente, do jeito que eu gosto de brancos. Doce, sem ser enjoativo e às vezes até com um leve amarguinho. Recomendo. Marie falou que lembra vinhos da Alemanha e o gosto dele é da Floresta Negra no outono.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo limpo que procura passar classe para o vinho.
Exame visual: Muito claro, quase transparente.
Exame olfativo: Bastante fruta como abacaxi, pêssego e maracujá. Toques de limão.
Exame gustativo: Não conseguimos encontrar a linha Classic aqui no Rio de Janeiro. Resolvemos comprar a linha Premium desta mesma uva para fazermos os nossos comentários para a Confraria. òtimo vinho branco Argentino com tudo o que se espera de um Torrontés, com equilíbrio. Muito bem feito. Vinho jovem, vivo, com excelente acidez. Leve e bastante agradável. Vinho que pede mais uma taça. Bom final lembrando frutas como abacaxi , leve limão e um toque floral. Uma boa escolha. Para os confrades que degustaram a linha Classic, recomendo a linha Premium. Funcionou bem com um couvert de azeites que preparamos de entrada do jantar.
Nota: 88.0+

1 de março de 2009

Pergunta da Semana - 106

O Le Vin au Blog publica uma pergunta nova toda quarta-feira. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Qual o vinho mais especial que está guardado na sua adega hoje? Por que ele é tão especial? Ele já está reservado para alguma data?