11 de maio de 2009

Pergunta da Semana - 116

Toda semana o Le Vin au Blog publica uma nova pergunta para conhecer um pouco mais dos seus gostos e hábitos. Esta pergunta é inspirada numa ideia que tivemos esses dias: ter uma parreirinha na varanda. Conseguimos uma muda lá no Rio Grande do Sul, com a minha mãe (quem escreve aqui é a Rafaela). Aproveitaremos uma viagem em julho para trazer a plantinha para o Rio. Com isso, nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- Você teria uma parreira em casa, mesmo que só por diversão? De qual cepa seria?

5 comentários:

João Filipe Clemente disse...

Complicado em função do clima, especialmente se for Vitis Vinífera. Meu sonho mesmo?!Inverter um pouco essa equação e ter uma pequena casa no meio de um vinhedo, bem no alto para poder deslumbrar as parreiras na encosta toda a manhã ao abrir a janela. Oops, acordei e me deparei com a realidade então lá vai, plantaria uma de Alvarinho ou Touriga para não esquecer as raízes! Salute

Gourmandise disse...

Poxa, já desisti de plantar as ervas porque o Risleing detona tudo, arranca e espalha pelo quintal, só por diversão. Uma parreira então...
Mas se pudesse, seria Riesling...rsrs

bjo
Nina.

Pedro Cidade disse...

Boa noite, Claudio e Rafaela! Resolvi montar um blog sobre vinhos depois de ler principalmente o de vocês. Minha idéia é bem despretensiosa também. Quanto à pergunta, plantaria Cabernet, que se dá bem no clima aqui do sul.

Parabéns pelo blog!

*Saudade mortal do Rio de Janeiro*

Gustavo disse...

Parreira? Não tinha pensado nisso até hoje. Aqui no quintal de casa a Gabi já tem pitanga, jabuticaba, maracujá, limão, amora, laranja, e siriguela. Todas arvorezinha pequenas, é claro.
Quem sabe não sugiro uma parreira agora?

Abraço
Gustavo

Bonsdegarfo disse...

E aí pessoal do LeVin, td bem? Olha, interessante essa questão; vi em documentário que tá tendo uma verdadeira onda, especialmente na California, de micro-produtores artesanais, para consumo próprio. Somam-se aos já clássicos "vin de garage" franceses, simples amantes de vinho que simplesmente moram nos melhores terroirs. As vezes tem um pedacinho de terra nos super exclusivos 1er cru classées, e fazem vinhos na própria garagem. Não sei se eu teria uma parreira, deve dar um trabalho imenso, mas talvez seja isso mesmo o atrativo, o labor sobre algo que amamos.