2 de maio de 2009

Hétszölö Tokaji Aszú 1997 - 6 Puttonyos


Nome: Hétszölö Tokaji Aszú
Safra: 1997
País: Hungria
Região: Tokaj
Produtor: Tokaji Hétszölö
Site: www.tokaj.com
Importador: -

Uvas/Corte: Furmint (90 a 100%), Harslevelü
Teor alcoólico: 11%
Rolha: De cortiça, tamanho médio e com logomarca gravada.
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido pela Raquel e pelo Ricardo
Onde foi comprado: Hungria, quando a dupla andou por lá no ano passado
Quando foi comprado: 2008
Degustado em: 9 de abril de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: damascos, geléia de damascos, queijo prima donna, queijo brie, patê de foie gras e pães
Com quem: Claudio, Rafaela, Raquel e Ricardo

Comentário do Produtor
A magnificent old gold colour. To the nose, elegant, subtle and complex aromas with a hint of fruit (apricot, plum, peach, orange) or of honey, hazelnuts … The taste is sumptuous and unmatched. Its complexity and its rarity confirm the mysterious and engaging character of this true “king of wines, wine of the kings” (Louis XIV).

Comentário da Rafaela
Exame visual: Ouro.
Exame olfativo: Definitivamente um pouco de mel, pêssego e damasco.
Exame gustativo: Estávamos há meses planejando degustar esse vinho, mas primeiro não conseguíamos marcar com o Ricardo e a Raquel, depois não sabíamos com o que iríamos harmonizá-lo. Finalmente, na quinta-feira santa, conseguimos. E foi uma maravilha. Acho que este foi o melhor vinho licoroso que eu já provei. Adoramos. Ele não é para ser bebido igual água, é mais pesadinho e deve ser dividido com outras pessoas - uma garrafinha é muito para um casal. Agradecemos aos nossos amigos pela gentileza de dividir esse vinho tão bom conosco. Tomara que tenhamos vários outros jantares neste ano.
Nota: 94.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Estilo clássico e antigo. Combina com o vinho.
Exame visual: Bela cor de ouro velho.
Exame olfativo:Aromas bem diferentes, passando por mel, amêndoas. Interessante.
Exame gustativo: Este foi o primeiro Tokaji comentado e degustado aqui no blog. Quando o Ricardo e a Raquel foram para a Hungria, nos avisaram que trariam uma garrafa para degustarmos juntos. Conseguimos marcar a data, compramos algumas coisas que poderiam harmonizar com o vinho e finalmente o provamos. Um tokaji é realmente diferente de qualquer outro tipo de vinho. Naturalmente, imaginamos que pode lembrar um late harvest, mas seu paladar é único. Um equilíbrio perfeito entre acidez e açúcar residual, com claros toques de mel, amêndoas e algum doce queimado. Textura cremosa. Sabor é marcante e único com um final muito longo. Realmente é uma experiência interessante, a qual despertou a vontade de provar outros tokajis. Quanto à harmonização, o melhor resultado obtido foi quando provamos o vinho com damascos junto com a geléia. Cresceu ainda mais. Ótima noite.
Nota: 91.0

Um comentário:

Alexandre (Diário de Baco) disse...

oi casal!

incrível coincidência...peguei uma garrafas dessas na mão hoje. Só que o preço ainda assunta neh? uma pechincha! rsss..

Já provei num jantar uma vez mas era de 5 puttonyos e a experiência é única mesmo. Inesquecível.

abs!
Alexandre