14 de abril de 2009

Pergunta da Semana - 112

Lendo hoje o blog do Luiz Horta, nos deparamos com algo que às vezes pensamos sobre: os departamentos de marketing adoram anunciar uma nova medalha conquistada por vinhos brasileiros, mas até que ponto essas medalhas significam mesmo mérito? Inspirado nesse contexto, o Le Vin au Blog, que toda quarta-feira publica uma nova pergunta aqui, quer saber:

- Você costuma levar em consideração as premiações conquistadas por um vinho na hora de fazer a compra? Você costuma acompanhar essas premiações? Acredita que é uma boa estratégia de venda divulgar isso? Existe alguma premiação na qual você confie?

13 comentários:

espressa-mente! disse...

nao vou nem falar dos vinhos nacionais e suas premiaçoes fabricadas....
depois do escandalo dos Brunellos e Rossos di Montalcino batizados por grandes vinicolas e alguns ate com premiaçoes internacionais e altas pontuaçoes em concursos/avaliaçoes...resumo da seguinte forma, parabens ao premiado e meus pesames ao consumidor!!

Anônimo disse...

Não levo em conta essas premiações, pois acho que refletem gostos pessoais dos desgutadores, além de, em muitos casos, haver outros, por assim dizer, "interesses" envolvidos.
Mesmo assim, sempre acabo vendo as pontuações por conta de ler revistas especializadas.
Robert Parker, apesar das críticas, é o mais independente pois compra seus próprios vinhos e não aceita os que lhe são enviados (assim como não aceita viagens e outros "jabás", que não deixa de ser uma forma de corrupção nas relações privadas).
Às cegas é que vemos que vinho é bom mesmo.
Carlos Reis

Gourmandise disse...

Acho que não.
Mas confio em algumas premiações. Acho que a maioria destes degustadores profissionais aprenderam a separar a qualidade do vinho com o gosto pessoal. Pelo menos deveriam.
Noto também que às cegas, sempre existem alguma surpresas e mas também muitas refirmações. Grandes vinhos sempre serão grandes vinhos.
O Jabá é complicado. Mas o R.P. está ainda mais rico vendendo os livros com as sua notas e percepções pessoais. Assim com H.J.

bjos,
Nina.

Adrina disse...

Para ilustrar a questão, eu recomendo fortemente "O vinho mais caro da história". O livro diz exatamente o que penso: até os feras (RP inclusive) se deixam influenciar por opiniões alheias. Os ilustres do livro acabaram bebendo vinho vagabundo e falsificado, achando que estava de deleitando com Lafite, Pétrus e outros mais. Vale a leitura. Para mim, vinho bom é o que eu gosto.

Adrina disse...

Ah, e completando: as opiniões de gente que toma vinho por prazer, este blog incluído, são levadas em alta consideração, claro. Aa medalhas, prêmios e pontos na Wine Advocate e outras mais é que não me impressionam.

Alexandre (Diário de Baco) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alexandre (Diário de Baco) disse...

Olha...

Se ganhou premio X ou Y, mérito de quem ganhou e nem vou ficar questionando a autenticidade do prêmio, pq são tantos não? rsss...

De qq modo, a opinião de amigos, vale muito mais para mim do que medalhas ou pontos.

abs!
Alexandre

Anônimo disse...

Complementando: a opinião de blogs como o presente valem mais para mim do que as das publicações especializadas. Motivo, independência.
Carlos Reis

João Filipe disse...

Funciona como marketing, é só perguntar para alguns lojistas, produtores e importadores. Todos reclamam e caem de pau, mas todos as usam. Do ponto de vista comercial creio que é um mal enraizado na cultura de nossa vinosfera, mas que não deixa de ter seu valor quando a origem bate com seu gosto particular e é especialmente válido quando vc vai comprar um vinho mais caro. Por exemplo, quando estou em duvida em uma compra, costumo fuçar a rede atrás de comentários, especialmente daqueles com quem meu gosto se identifica mais. A maioria são blogueiros como nós, mas as avaliações da Revista Decanter, Oz Clarke e Jancis Robinson me são muito úteis e respeito bastante. Quanto a medalhas e o uso deturpado que se fazem delas, isso é outro papo e, na minha opinião, furado.
Salute

Gourmandise disse...

Completando: Realmente é uma estratégia de venda. Sem dúvidas.

E concordo com o Carlos Reis sobre as impressões dos blogs sopbre o tema. Vamos escutar o povo!

bjo,
Nina.

Anônimo disse...

Prefiro a opinião do blog.

Paulo Degani disse...

Não levo em consideração tais medalhas. Um aspecto interessante que dou valor é a comparação de custo x benefício. É muito fácil (ops...) sacar o cartão e pagar uma nota por um bom vinho. Tenho procurado sites e blogs que proporcionem descobertas neste sentido. Não vinhos espetaculares, mas que sejam honestos, mais acessíveis e que permitam a experimentação e a brincadeira lúdica e deliciosa de aprender sobre vinhos, como faço eu, um iniciante nesta arte.

Julio disse...

Ola pessoal, medalhas e pequenos simbolos de ouro ou prata colocados ao lado dos rotulos das garrafas nao me impressionam. Nao me lembro de ter tido alguma supresa positiva e associa-la a medalha. Portanto no meu entender nao servem para absolutamente nada.