27 de março de 2009

Pisano Arretxea - 2002


Nome: Pisano Arretxea
Safra: 2002
País: Uruguai
Região: Progreso
Produtores: Daniel, Eduardo e Gustavo Pisano-Arretxea
Site: www.pisanowines.com
Importador: -

Uvas/Corte: 60%Tannat, 20% Cabernet Sauvignon e 20% Merlot.
Teor alcoólico: 14%
Rolha: De cortiça, tamanho médio, levemente infiltrada e com a logomarca gravada.
Numeração da garrafa: 4729/6783
Preço: -
Onde foi comprado: Uruguai, pelo Fernando
Quando foi comprado: 2007
Degustado em: 5 de março de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa com molho de tomate e cenouras
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
COLOR: brillante e impenetrable rojo púrpura.
AROMA: profundo, complejo y elegante. Exquisito y bien definido en las especias, café, tabaco y notas tostadas de roble mezclándose agradablemente.
SABOR: Simplemente extraordinario. Enormemente profundo y complejo. Aristocrático y de raza firmemente tánica. Deliciosa estructura y acidez escarpadas de notable longitud. Espeso, Potente, con capas de ciruela y cereza negra madura que balancea con ligera acidez de mora silvestre y una nota ahumada de roble tostado.
GASTRONOMIA: Para los amantes de lo exquisito, un formidable vino de robusta estructura pero a la vez complejo y elegante. Un gran compañero de la liebre, la perdiz y el pato salvaje. Piezas de caza: jabalí, ciervo, venado. Setas y hongos silvestres asados. Entrecot y tapa de cuadril a las brasas. Costillar de cordero a la parrilla, Pierna de cordero al horno. Filete de lomo a la pimienta negra. Pastas rellenas al horno con salsas importantes. Jamones crudos y embutidos. Quesos grasos y picantes de pasta dura tipo Parmigiano-Reggiano. Quesos sazonados de oveja y de cabra.Sugerimos servirlo a temperatura ambiente en el entorno de los 18º C.
Daniel, Eduardo y Gustavo PisanoArretxea

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Difícil identificar os aromas. Havia presença de álcool.
Exame gustativo: Este vinho mostrou-se uma ótima compra. No começo, ainda estava meio fechado, mas com o tempo foi melhorando muito. Gosto de frutas vermelhas, que se demora na boca. Ele apresenta um gostinho adocicado, às vezes de especiarias. Mancha os dentes. Eu o achei leve, mas Claudio contestou dizendo que é um vinho com estrutura. Este vinho, que me lembrou de Mendoza por alguma razão desconhecida, foi escolhido para comemorar a vitória do Botafogo na Taça Guanabara 2009, também foi o último vinho antes do Circuito das Estações, corrida da qual participamos uns dias depois - Claudio correu 10km e eu, 5km. Depois de degustarmos este vinho, ainda demos um pulo ali na Champanheria Ovelha Negra para nos encontramos com a minha amiga alemã Biggi, que acabara de chegar do carnaval de Salvador. Junto com ela estava a Eva, também alemã, mas falando um português com sotaque baiano. :)
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Formato diferente e interessante. Tipologia poderia ser mais equilibrada.
Exame visual: Bordô com alos levemente alaranjados. Bonita cor.
Exame olfativo: Nariz firme, com cerejas, leve defumado e leve álcool aparente. Abriu e evoluiu com tempo. Tostado.
Exame gustativo: Mais um bom vinho uruguaio que degustamos. Vinho de bom corpo, boa estrutura e com a madeira muito bem integrada apesar de passar 24 meses em barricas novas francesas. Ainda suportava algum tempo na garrafa. Vinho pede para ser decantado. Evoluiu muito bem depois de aberto. Vinho com certa complexidade e alguma coisa do estilo Velho Mundo. Sabor firme, final agradável e longo com notas de especiarias e frutas maduras. Acompanha muito bem a comida. Evoluiu para algo como café. Mais uma boa garrafa vinda do Uruguai. Vale provar.
Nota: 90.0+

Nenhum comentário: