7 de março de 2009

Pergunta da Semana - 107

O Le Vin au Blog publica uma pergunta nova toda quarta-feira. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- A crise econômica mundial afetou o seu consumo de vinho? Você passou a comprar menos vinhos? O aumento do dólar influenciou na decisão de compra?

8 comentários:

Gourmandise disse...

Muitas importadoras seguraram o preço antigo até dezembro e no início do ano sempre têm as promoções nas mesmas. Foi uma boa época para comprar vinhos e abastecer a cave.
bjo,
Nina.

espressa-mente! disse...

Nao sei se foi por causa da crise mas depois da constatação que fiz ontem, certamente irei rever futuras compras.
È que ontem recebi o encarte da Terroir e lá estava o vinho frances CROZES HERMITAGE da VIDAL FLEURY por R$130,00 na promoção e196,00 fora dela.

Só que eu comprei este mesmo vinho no freeshop de Paris por exatos 0,99 Euros! Isto mesmo, N-O-V-E-N-T-A E N-O-V-E CENTAVOS DE EUROS!!

Adrina disse...

Os preços subiram e afetaram um pouco o consumo na minha casa. Temos optado por vinhos mais em conta no dia-a-dia.

Rthecook disse...

É a hora de queimar as gordurinhas, os preços dos vinhos que regularmente consumo estão mais ou menos estáveis e, como todo consumidor que cuida do próprio bolso, fiz uma reserva para os próximos meses!

Léo Azevedo disse...

o aumento do preço dos vinhos, em consequencia do aumento do dólar, que por sinal parece ter sido consequencia da crise, fez sim, meu consumo diminuir....

Ramon disse...

Meu consumo também diminuiu.

Anônimo disse...

Não compro tem um tempo, pois antes dos possíveis aumentos refiz meus estoques. Com certeza vou ficar mais exigente na hora de comprar. Devo optar por vinhos mais em conta no dia a dia.
Carlos Reis

Gustavo disse...

Até agora a crise não me pegou tão fortemente nos custos do dia-a-dia, porém o câmbio afetou (e muito) os preços de vinhos. Nas compras nas lojas virtuais o efeito foi mais discreto, porém no varejo (Pão de Açúcar, Wal Mart) a subida foi grande.
Solução: segurar os vinhos do dia-a-dia em um patamar fixo, deixando os "excessos" para ocasiões especiais.
Abraço
Gustavo