14 de janeiro de 2009

Degustação Proemio



Nome: Proemio Rosé, Proemio Reserve Malbec, Proemio Reserve Cabernet Sauvignon
Safra: 2007, 2003 e 2003, respectivamente
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Proemio Wines
Site: www.proemiowines.com
Importador: -

Uvas/Corte: Malbec e Cabernet Sauvignon
Teor alcoólico: 13%, 14% e 14%, respectivamente
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: 25 pesos a degustação
Onde foi comprado: The Vines of Mendoza
Quando foi comprado: 17 de dezembro de 2008
Degustado em: 17 de dezembro de 2008
Onde bebeu: The Vines of Mendoza
Harmonizado com: Queijos e pãezinhos
Com quem: Rafaela e pessoas de Mendoza, Escócia, Estados Unidos e Suécia

Comentário do Produtor
Proemio Reserve Malbec - Deep violet color with ruby red tones. Boysenberry and blueberry aromas, leather and tobacco. Round and full-bodied, with chocolate and red fruit flavors, hints of vanilla, soft spices and tobacco. Pair with fatty red meats, poultry and pasta with light sauces. Drink now or cellar for 6 years.

Proemio Reserve Cabernet Sauvignon - Deep ruby red color with soft violet tones. Mixed aromas of roasted red pepper, red berry jam and vanilla. Round and full-bodied, showing blackberry and cassis flavors with hints of vanilla, soft spices and tobacco. Pair with red meats, strong cheese and pasta. Drink now or cellar for 6 years.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Quando fui a Vines na sexta-feira, descobri que todas as quartas-feiras eram realizadas degustações com produtores. Resolvi participar da seguinte. Existe uma pequena área externa na sala de degustação, onde são colocadas poltronas. É ali que ocorre a apresentação dos vinhos e a degustação. O encontro é bastante informal, mas bem organizado. Nesta quarta-feira, os participantes foram recebidos com uma tacinha do rosé que seria apresentado logo em seguida. Vinho fresco e gostoso. Levinho. A degustação é acompanhada por uns queijinhos e pães. O enólogo da Proemio contou um pouco sobre a história da vinícola, que existe desde o início dos anos 2000. Os donos compraram uma antiga vinícola, de 1938, e renovaram tudo no início da década. Eles não produzem suas próprias uvas, mas acompanham de perto os produtores. Alguns dos vinhos são feitos com uvas produzidas por parreiras centenárias. O primeiro vinho é feito a partir de algo que ele chamou de sangria do malbec que será usado para fazer outros vinhos. Sobre o segundo, um Malbec, o que mais gostei, o enólogo falou que se trata de um vinho mais “gordo”. Normalmente, eles demoraram uns três ou quatro anos para colocar o produto no mercado. Só o fazem quando acreditam que o vinho está pronto, no ponto. O terceiro foi o que menos gostei, talvez por ainda estar muito novo, com taninos violentos. Ao longo da apresentação, o enólogo deu uma verdadeira aula sobre o processo de vinificação. Valeu muito a pena. Depois da apresentação, conversei um pouco com a gerente da sala de degustação. Ela me deu uma lista de bons vinhos, quando pedi algumas indicações de vinhos para comprar. Escolhi quatro da lista. Pena não poder comprar mais – pelo preço e pelo peso.
Nota: -

Nenhum comentário: