31 de dezembro de 2009

Pergunta da Semana - 149

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Em suas resoluções de ano novo, alguma relacionada a vinho? Fazer uma viagem enogastronômica? Adquirir algum rótulo específico? Comprar uma nova adega?

Desejamos a todos de coração um FELIZ 2010!

Amat 2005


Nome: Amat
Safra: 2005
País: Uruguai
Região: Cerro Chapeu
Produtor: Bodegas Carrau
Site: http://www.bodegascarrau.com/es/
Importador: Zahil

Uvas/Corte: Tannat 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: gentilmente oferecido pelo Gustavo
Onde foi comprado: Freeshop do Aeroporto de Guarulhos pelo Gustavo
Quando foi comprado: 5 de dezembro de 2009
Degustado em: 5 de dezembro de 2009
Onde bebeu: Na casa do Gustavo e da Gabi, em São Paulo
Harmonizado com: Risotto de bacalhau
Com quem: Claudio, Gustavo, Gabi, Pedro e Arthur

Comentário do Produtor
-

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Havia combinado com meu primo Gustavo que dormiria na casa dele na noite de sábado para domingo em São Paulo. Ele estava voltando de Houston e dei a dica para ele comprar no Freeshop do Aeroporto este Amat. Depois do almoço com os amigos blogueiros, segui para encontrar o Gustavo e a Gabi. Chegando lá, ele resolveu preparar um risotto de bacalhau para o jantar e abrir a garrafa do Amat. Confesso que o meu paladar estava um pouco prejudicado devido à maratona de vinhos do almoço. Não podia fazer a desfeita e, com prazer, degustamos este Tannat uruguaio. Bom vinho, com bom corpo e com potencial para evoluir ainda na garrafa. Temos um Amat da safra 2004 em nossa adega, que degustaremos em breve e farei anotações mais detalhadas sobre este belo exemplar uruguaio. A noite foi muito agradável e, mesmo que rápido, foi muito bom ter encontrado com Gustavo, a Gabi e os loirinhos Pedro e Arthur. Em 2009, nos encontramos com eles em julho em São Leopoldo e o Gustavo conseguiu vir jantar aqui em casa uma vez. Vamos repetir esses encontros no ano que vem!
Nota: -

Encontro de Blogueiros


Com muito atraso, publico meus comentários sobre a tarde memorável que foi o encontro de 7 blogueiros de vinhos em São Paulo. No sábado, dia 5 de dezembro, nos reunimos no restaurante Varanda Grill para um almoço com nada menos que 12 garrafas de excelentes vinhos. Tive o prazer de conhecer pessoalmente o Paulo, o Cristiano e o Beto qua ainda não conhecia e pude rever o Alexandre, o João Filipe e o Daniel.
A escolha do Varanda Grill foi perfeita. O serviço do sommelier Thiago Locatelli foi impecável. Ambiente agradável, mesa redonda (ideal para que todos conversem) e uma carne divina.
Cada blogueiro levou um vinho. Por acaso, tivemos 7 vinhos de sete países diferentes. O João Filipe conseguiu duas garrafas de espumantes com a Vinci e a Cult Vinhos cedeu gentilmente 2 garrafas de espanhóis do seu catálogo. O Paulo gentilmente nos proporcionou um final à altura do encontro com uma garrafa do Tignanello vinda direta da adega do Varanda. Seguem os vinhos do almoço: Brédif Vouvray Brut (duas garrafas), Prios Maximus Roble Crianza, Erasmo, Abadia de San Quirce, Quinta da Leda, Afincado, Juan Rojo, Montus, Lucarelli Primitivo, John Duval, Tignanello.
Que em 2010 possamos repetir muitos encontros como este.

Luigi Bosca Malbec D.O.C. 2007


Nome:
Malbec D.O.C.
Safra: 2007
País: Argentina
Região: La Linda, Vistalba, Luján de Cuyo, Mendoza
Produtor: Bodegas y Viñedos Leoncio Arizu
Site: http://www.luigibosca.com.ar/
Importador: Decanter

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 14,4%
Rolha: Cortiça, partiu ao ser aberto
Numeração da garrafa:
-
Preço: Gentilmente oferecido pelo Dal
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 4 de dezembro de 2009
Onde bebeu: Casa do Dal em São Paulo
Harmonizado com: Pizza de calabresa
Com quem: Claudio, José Rodrigo, Dal e Nice

Comentário do Produtor
Presenta un profundo color violáceo y aromas a cerezas, y ciruelas maduras. Es especiado, con notas de moka y blackberries, con una elegante dulzura. Mantiene un delicado perfume y una elegante estructura.

Comentário do Claudio
Rótulo:
Bela e pesada garrafa. O rótulo consegue aliar perfeitamente sofisticação, modernidade e elegância. Transmite exatamente o que o vinho é. Belo design.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Muitas vezes conversava com o Dal pelo Messenger, mas não conseguia encontrá-lo quando ia a São Paulo. Desta vez, aproveitei que fiquei mais dias e conseguimos nos ver. O aniversário dele seria no sábado, dia 5. Na véspera, fomos convidados, o José Rodrigo e eu, para comermos uma pizza na casa dele e brindarmos o aniversário. Para acompanhar, o Dal escolheu este bom Malbec argentino que eu já havia degustado em outras duas ocasiões. Um Malbec moderno com taninos bem macios e redondos que pede uma taça a mais. Vinho feito para agradar. Um Malbec sem excessos. Para quem gosta deste estilo, eu recomendo. Funcionou bem com a pizza e com o papo que botamos em dia. Um bom vinho.
Nota: 88.0+

La Haute Févrie Muscadet de Sèvre et Maine Sur Lie 2008 e João Pato 2007


Nome: La Haute Févrie Muscadet de Sèvre et Maine Sur Lie
Safra: 2008 - 2007
País: França - Portugal
Região: Loire - Bairrada
Produtor: Domaine La Haute Fevrie
Site: -
Importador: Zahil - Mistral

Uvas/Corte: 100% Muscadet (Melon de Bourgogne) - 100% Touriga Nacional
Teor alcoólico: -, 12,5%
Rolha: Cortiça - Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Vino! em São Paulo
Quando foi comprado: 3 de dezembro de 2009
Degustado em: 3 de dezembro de 2009
Onde bebeu: Vino! em São Paulo
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio, Nina e Marcel

Comentário do Produtor
-

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Aproveitando a ida a São Paulo para algumas reuniões, liguei para o Marcel (do blog Gourmandise) para ver se ele e a Nina gostariam de jantar naquela noite. Acabamos indo ao restaurante/loja do amigo Avelino (que não estava por lá), o ótimo Vino! Depois de um dia cheio, nada melhor que uma boa comida, um vinho e um papo entre amigos para fechar a noite. A Nina escolheu o primeiro vinho. Um interessante Muscadet, bem refrescante e com ótima acidez. Vinho fácil de se beber, com algumas notas minerais. Final poderia ser um pouquinho mais longo, mas o resultado final foi ótimo e com um bom preço. Partimos para escolher o segundo vinho... Depois de certa dúvida, acabamos escolhendo o João Pato. Acho que nós três ficamos um pouco decepcionados, pois o vinho apresentava certo gás carbônico no início e deixava a boca amarrada, parecendo que as uvas não estavam boas quando foram colhidas. O jantar foi ótimo com os nossos companheiros das "Harmonizações Virtuais". Espero que em 2010 possamos repetir outros encontros desses com a presença da Rafaela e, quando formos ao Vino!, com o Avelino também.
Nota: 88,0 + - 85,0

16 de dezembro de 2009

Villa Bari - Merlot 2005


Nome: Villa Bari
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Porto Alegre
Produtor: Agrovinícola Barichelo Ltda
Site: www.villabari.com.br
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot 100 %
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: Lote 1/2005
Preço: R$ 40
Onde foi comprado: Essen, em Florianópolis
Quando foi comprado: 31 de outubro de 2009
Degustado em: 30 de novembro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Massinha caprichada
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Elaborado com uvas cultivadas em vinhedos modelo, irrigados com águas minerais e com exposição solar ideal.As uvas são colhidas quando atingem a maturação glucométrica e organoléptica máxima, sendo que uma parte das uvas inicia sua fermentação em pequenos tanques com controle de temperatura, enquanto a outra parte é parcialmente passificada em salas com temperatura e umidade controladas.Após a fermentação, o vinho descansa em tanques de aço inox e posteriormente na garrafa até a evolução e estabilização completa.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Rubi.
Exame olfativo: Cheiro doce.
Exame gustativo: Pelo gosto adocicado inicial, a primeira coisa, meio sem sentido, que me veio à mente foi a expressão "vinho de Natal". Criada da minha cabeça, é claro. Ou quase. Nos mercados de Natal na Alemanha se bebe vinho quente, tipo nosso quentão, mas não, o Villa Bari não tem nada a ver com isso. Trata-se de um vinho muito amigável. Arrisco dizer até delicioso, bem equilibrado e que harmonizou muito bem com a minha massinha caprichada. Adorei. Evoluiu bastante depois de aberto.
Nota: 89.0+

Comentário do Claudio
Rótulo:
Bem simples. Poderia evoluir mais.
Exame visual: Rubi
Exame olfativo: Nariz bem marcado por algo como mel e cera.
Exame gustativo: Um bom vinho, com estilo diferente. Ao usar uvas passificadas no processo de vinificação, este vinho ganha características bem interessantes. Sem dúvida é um vinho bem feito. A curiosidade é que esta vinícola se localiza na cidade de Porto Alegre, a poucos minutos do centro. Seu proprietário também produz vinhos na Itália. Vinho bastante saboroso, com boa acidez e bom corpo. Vinho levemente licoroso, com final muito marcado, repetindo o nariz, com caramelo, cera e mel. Adocicado, equilibrado, com notas também de frutas maduras. Evoluiu bem na taça, funciona bem com comida. Boa permanência. Acredito que poderiam ter usado um pouco menos de uvas passificadas durante a vinificação. Acredito que assim as características da merlot estariam mais presentes. É uma vinícola que devemos ficar de olho. Não tenho dúvidas de que seus vinhos ainda vão crescer e serão bem falados. Boa experiência.
Nota: 87.0-88.0

15 de dezembro de 2009

Pergunta da Semana - 148

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Você costuma colecionar garrafas vazias? Por quê? Pelo rótulo, pelo formato, por se tratado de um ótimo vinho?

Aproveitamos para desejar um FELIZ NATAL!

14 de dezembro de 2009

Bressia Profundo 2004



Nome: Profundo
Safra: 2004
País: Argentina
Região: Agrelo, Lujan de Cuyo - Mendoza
Produtor: Bodega Bressia
Site: http://www.bressiabodega.com/
Importador: -

Uvas/Corte: 50% Malbec, 30% Cabernet Sauvignon, 10% Merlot e 10% Syrah
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça, tamanho médio e com logomarxa gravada
Numeração da garrafa: 4.316/8.000
Preço: 150 pesos
Onde foi comprado: Loja Ligier em Buenos Aires
Quando foi comprado: 12 de fevereiro de 2008
Degustado em: 25 de novembro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Tortei com molho de frango
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
The 2004 Profundo is composed of 50% Malbec, 30% Cabernet Sauvignon, 10% Merlot, and 10% Syrah and was aged in French and American oak. Purple/black in color, it reveals notes of wood smoke, pencil lead, black currants, and blueberry. On the palate it is medium to full-bodied with layers of spicy dark fruits, intense flavors, nicely concealed tannin, and a 45-second finish. It will evolve for several years and drink well through 2020.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Cor escura.
Exame olfativo:Ameixa.
Exame gustativo: Eu adoro comer tortei, mas confesso que, como muitas outras coisas, eu nunca tinha feito em casa. E feito aqui significa apenas cozinhar e preparar o molho, pois fazer o tortei em si é algo que acho que nunca vou tentar. Compramos na feira na Marina e estava congelado desde então. Não sei se foi por ter ficado no freezer por muito tempo, mas cozinhá-lo foi um desastre. As peças que se soltaram ficaram ótimas, mas sobre aquelas que cozinharam juntas, não se pode dizer a mesma coisa. De qualquer modo, não ficou ruim. Ainda mais combinada com um ótimo vinho. Foi uma decisão muito acertada tê-lo escolhido para comemorar o aniversário de namoro. Fez bonito. Trata-se de um vinho muito gostoso. Espero poder prová-lo alguma outra vez.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo elegante e equilibrado. Bem feito.
Exame visual: -
Exame olfativo: Início um pouco fechado, mas depois abriu para ameixa, pimentas pretas. Leve álcool e leve madeira aparentes.
Exame gustativo: Comprei o Profundo em Buenos Aires sem ter nenhuma referência sobre este vinho. Imaginava ele seguir um estilo potente e frutado com madeira. Para minha surpresa, o vinho era diferente do que imaginava. Lembra muito o estilo do B Crux que degustamos. Vinho bastante vivo, de sabor intenso, com vigor, predominando de cereja com uma mistura de especiarias. Um vinho de estilo moderno, mas sem madeira aparente. As notas de especiarias e pimenta dão uma toque marcante ao vinho. Corpo médio, final intenso. Ainda pode evoluir. Um vinho interessante que vale experimentar.
Nota: 89.0+

Pergunta da Semana - 147

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Pensando na sua lista de desejos de Natal, qual vinho você mais gostaria de ganhar?

9 de dezembro de 2009

Isla Negra - Semillon e Sauvignon Blanc 2008


Nome: Isla Negra
Safra: 2008
País: Chile
Região: Vale Central
Produtor: Isla Negra
Site: www.islanegrawines.com
Importador: Enoteca Fasano

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc 85% e Semillon 15%
Teor alcoólico: 12,9%
Rolha: Tampa de rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 31 (meia garrafa)
Onde foi comprado: Restaurante XX, no Rio
Quando foi comprado: 20 de novembro de 2009
Degustado em: 20 de novembro de 2009
Onde bebeu: Restaurante XX, no Rio
Harmonizado com: Agnolotti com recheiro de lagostim, molho de tomate e camarão (R$ 39, Rafaela) e Risotto picante de frutos do mar (R$ 39, Claudio)
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Una mezcla fascinante, en la que los aromas cítricos del Sauvignon Blanc y el Semillón se entremezclan con notas a frutos de la pasión, además de toques a hierbas secas y ciruelas amarillas. El paladar es refrescante, equilibrado, y bien estructurado, con toques finales de lima-limón.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Escolhemos o novo restaurante XX (lê-se Vinte) para comemorar o aniversário do Claudio e foi uma ótima escolha. Gostamos do clima, do atendimento atencioso e da comida deliciosa. O restaurante é todo em preto e branco, com uma lousa cobrindo toda a parede e ali estão declarações de frequentadores famosos. Para quebrar o dualidade das cores, maçãs verdes sobre as mesas. O couvert (R$ 8 por pessoa) é gostoso e na medida. O prato, eu repetiria sem pensar. Estava muito bom! Para completar a refeição, escolhemos essa meia garrafa, a mais em conta do cardápio, pois acreditamos que um almoço/jantar sempre fica melhor com um vinhozinho. Com essa história de Lei Seca, a meia garrafa foi uma ótima opção. Para fechar, comemos uma sobremesa gostosa e de nome impronunciável. Esperamos voltar logo.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Saímos para almoçar no dia do meu aniversário e resolvemos conhecer o restaurante XX. Escolhendo os pratos, resolvi que comeria alguma coisa com frutos do mar. Aproveitando o dia quente, resolvemos escolher uma meia garrafa de vinho branco para acompanhar. Afinal, um almoço com vinho sempre é melhor. Meu prato estava ótimo, muito bem preparado. Esperava um pouco mais picante, mas mesmo assim gostei muito. O Isla Negra é um vinho leve, agradável, com toques de frutas cítricas, bem refrescante. Valeu a pedida.
Nota: -

8 de dezembro de 2009

Sozo Reserva - Cabernet Sauvignon 2005


Nome: Sozo Reserva
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Campos de Cima da Serra
Produtor: José Sozo Vinhos
Site: -
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: 0714/3600
Preço: Gentilmente presenteado pela mãe da Rafaela ao Claudio pelo aniversário
Onde foi comprado: Supermercado Bortolon, em Vacaria
Quando foi comprado: Outubro de 2009
Degustado em: 21 de novembro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Pães, pasta de tomate seco, lombo canadense, queijo Gouda e salame
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Difícil de identificar, leve. No final, charuto.
Exame gustativo: Equilibrado, gostoso, leve. É um vinho redondo, que não te incomoda. Claudio queria provar este vinho há tempos. Quando fomos a Vacaria, acabamos não comprando, mas falamos para minha mãe do interesse e ela o escolheu como presente de aniversário para o Claudio. O vinho combinou perfeitamente com as comidinhas que escolhemos e com o clima superagradável desta noite de sábado. Com ele, demos início à temporada de degustações na varanda. Voltando ao vinho, é fácil de beber, daqueles que você nem sente e lamenta que já chegou ao fim. É daqueles que poderia ter mais um pouco na garrafa. Muito bom! Para quem quiser conhecer um pouco do trabalho do seu Sozo, encontramos este vídeo no YouTube.
Nota: 91.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Busca um estilo clássico. Não gosto do uso do dourado.
Exame visual: Rubi leve.
Exame olfativo: Inicialmente fechado.
Exame gustativo: Este vinho é produzido na região dos Campos de Cima da Serra, no Rio Grande do Sul. Esta é uma nova área no estado, onde está crescendo a produção de uvas para a produção de vinhos. Tinhamos ido a Vacaria e visto este vinho. Fiquei com curiosidade de prová-lo, mas acabamos não comprando. A mãe da Rafaela conheceu o José Sozo, produtor do vinho, e acabou comprando uma garrafa de presente para mim. O produtor havia trabalhado nos parreirais do Sr. Randon que produz seus vinhos em parceria com a Miolo. Gostei deste Cabernet. Mostrou um bom potencial da uva. Vinho leve, equilibrado, fácil de se beber. Vinho bem feito. Para ficar de olho nos vinhos que vão vir dos Campos de Cima da Serra.
Nota: 87.0

Pergunta da Semana - 146

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, levando em consideração que muitas receitas para as festas de fim de ano levam vinho, o Le Vin au Blog quer saber:

- Quando você compra um vinho para cozinhar, você escolhe o mais barato da loja, procura por alguma uva específica ou compra algum que possa beber uma parte e deixar o que sobrar para preparar pratos?

7 de dezembro de 2009

Trapiche Viña José Blanco Malbec 2003


Nome: Trapiche Viña José Blanco
Safra: 2003
País: Argentina
Região:
Mendoza
Produtor: Bodegas Trapiche
Site: www.trapiche.com.ar
Importador: -

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 14,5 %
Rolha: Cortiça, grande e com logomarca gravada
Numeração da garrafa: -
Preço: 250 pesos
Onde foi comprado: Loja Ligier, Buenos Aires
Quando foi comprado: 12 de fevereiro de 2008
Degustado em: 16 de novembro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Risoto de gorgonzolla e nozes
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Vinho forte e saboroso. Não me pareceu que seja para ser bebido sem comida. Ficou muito bom com o risotto. É um ótimo vinho dentro do estilo dele. Sem desmerecer ou parecer esnobe, acho que teríamos nos deslumbrado mais há alguns meses, quando não havíamos bebido ainda muitos malbecs da Argentina. Ele é um vinho que não agride, é macio, redondo. Muito bom.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo equilibrado e marcante desta linha de vinhedos especiais. Garrafa muito pesada.
Exame visual: Grená denso e escuro. Cor forte.
Exame olfativo: Poderia ser mais intenso. Alguma fruta madura e levíssimo álcool sobrando.
Exame gustativo: Vinho encorpado, um malbec moderno e com todas as características de um bom malbec argentino. Preparamos um risotto de gorgonzola com nozes, uma harmonização clássica com um malbec encorpado. Vinho muito bem feito, com taninos finos e macios. Evolui bem na taça, madeira bem integrada e final longo com baunilha e chocolate. Vinho que preenche a boca com toques de cassis. É sem dúvida um belo vinho. Estilo clássico de malbec argentino. Para o meu paladar faltou alguma surpresa, não fugiu de outros top argentinos já degustados.
Nota: 91.0

30 de novembro de 2009

Pergunta da Semana - 145

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Continuando o retrospecto de 2009, teve algum vinho que te decepcionou, que você esperava muito e na hora de beber não foi tudo aquilo que você esperava?

Hex Von Wein - Cabernet Sauvignon 2007


Nome: Hex Von Wein Reserva Especial
Safra: 2007
País: Brasil
Região: Picada Café, RS
Produtor: Vinícola Hex von Wein
Site: http://www.vinhoorganico.com.br/index.html
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 12,6%
Rolha: Tampa de rosca na garrafa de 187 ml
Numeração da garrafa: -/1.575
Preço: R$ 10,00, a garrafa de 375 ml
Onde foi comprado: Feira Brasil Rural Contemporâneo, na Marina da Gloria
Quando foi comprado: 8 de outubro de 2009
Degustado em: 29 de novembro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizza
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
As parreiras da Hex baseiam-se na biodiversidade, ou seja, na eliminação da monocultura e cultivo de várias espécies no mesmo habitat. Em resumo, na nossa produção voltamos aos antigos modelos de produção agrícola, amenizando as mudanças no sistema biológico. Assim, o solo produz uma fruta mais autêntica, particular, caracterizando o produto de acordo com a região e expressando o real terroir. Quando o solo recebe quimicamente os nutrientes que lhe faltam, até chegar ao ponto ideal de produção, ocorre a massificação da variedade, ou seja, em qualquer lugar do mundo o produto tem as mesmas características. A Coopernatural lançou o vinho Cabernet Sauvignon orgânico certificado Safra 2007 na Bio Fach em São Paulo. As uvas desta safra foram selecionadas a dedo, as melhores uvas, as mais sadias e as mais maduras, somente o melhor da produção, compõem este vinho de alto padrão enológico. A fermentação foi com controle de temperatura, não ultrapasando os 25 graus, o envelhecimento vai ser em barricas de carvalho francês. Com graduação alcoólica de 12,6%. A produção de 2007 está limitada a uma produção de 1.575 unidades. Um dos primeiros vinhos finos orgânicos do Brasil.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Escuro, bordô.
Exame olfativo: Cheiro de fazenda, estrebaria.
Exame gustativo: Vinho bom para aqueles dias em que você não quer abrir uma garrafa inteira. Serve direitinho para acompanhar um jantar, na medida certa.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Formato diferenciado lembrando uma folha. Simples, correto e equilibrado. De acordo com o vinho.
Exame visual: Bonita cor grená escuro com alos alaranjados.
Exame olfativo: No início notas de terra, fazenda. Evolui para notas frutadas. Esta meia garrafa não evoluiu tanto quanto a garrafa de 187ml que degustamos dias atrás.
Exame gustativo: Esta é a terceira garrafa que degustamos deste vinho. Continua me agradando. Irei guardar uma meia garrafa por um tempo maior para ver como ele se comporta. Vinho estilo velho mundo, para acompanhar comida de paladar franco e com boa intensidade. Um estilo que particularmente gosto e por ser de produção pequena, orgânica, por um bom preço e ainda pouco conhecido e um vinho que me causou boa surpresa. Vale experimentar para que gosta do estilo. Lei os outros post sobre este vinho.
Nota: 87.0

29 de novembro de 2009

Le Vin au Blog completa três anos!


Felizes que estamos com o aniversário, gostaríamos de agradecer a todos pelos acessos, pelas respostas à pergunta da semana, pelas participações nas harmonizações e especialmente pelos comentários ao longo desse período.

Para comemorar, além de degustarmos um vinho especial, preparamos um resumo em números da 'história' do Le Vin au Blog nesses últimos três anos.
mais de 700 posts
mais de 550 vinhos comentados
504 rótulos diferentes degustados sendo:
- 6 da África do Sul
- 5 da Alemanha
- 130 da Argentina
- 10 da Austrália
- 89 do Brasil
- 90 do Chile
- 43 da Espanha
- 5 dos Estados Unidos
- 42 da França
- 1 da Grécia
- 1 da Hungria
- 31 da Itália
- 1 da Nova Zelândia
- 36 de Portugal
- 14 do Uruguai
mais de 63.000 visitas
mais de 1.630 comentários
• 144 diferentes "Perguntas da Semana"
16 "Harmonizações Virtuais" entre blogs
• 1 promoção com mais de 100 bloquinhos do Le Vin au Blog distribuídos

Além de termos feitos muitas novas amizades, nos divertimos muito.
Um brinde ao Le Vin au Blog.

Deen VAT 10 - Pinot Noir 2008


Nome: VAT 10
Safra: 2008
País: Austrália
Região: Victoria and Riverina, South Eastern
Produtor: De Bortoli Wines
Site: www.debortoli.com.au
Importador: Zona Sul

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Tampa de rosca
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 37
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul, no Rio
Quando foi comprado: 11 de novembro de 2009
Degustado em: 11 de novembro de 2009
Onde bebeu: Supermercado Zona Sul, no Rio
Harmonizado com: Pizza 4 Estações
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Appearance: Cherry red in colour with tinges of light purple. Bouquet: Forest floor and sweet fruit aromas. Palate: The palate shows characters of cherry and strawberry fruits. Silky tannin with nice herbaceous lift.

Comentário da Rafaela

Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: O pior vinho dos últimos tempos. Achei que eu podia estar num dia de não querer vinho e por isso estar estranhando o sabor, mas depois de alguns goles eu tive certeza de que tinha detestado este vinho. Os outros dessa vinícola que provamos estavam ótimos, mas este Pinot Noir não usaria nem para cozinhar. Terrível.
Nota: 79.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo simples e equilibrado.
Exame visual: Tradicional cor de Pinot Noir, leve e claro.
Exame olfativo:àlcool sobrando, desequilibrado.
Exame gustativo: Degustamos duas safras diferentes de um Petit Verdot deste produtor, que é muito bom. Este Pinot Noir chegou há pouco tempo no Zona Sul. Resolvi experimentar esta garrafa acompanhando uma pizza. Foi uma grande decepção. Vinho desequilibrado, com álcool sobrando, não estava agradável. Trouxemos para casa e tentei mias uma taça, com o mesmo resultado. Desequilíbrio. Tenho uma outra garrafa do Petit Verdot na adega, que com certeza estará muito melhor que este Pinot.
Nota: 81.0

27 de novembro de 2009

Loma Larga - Malbec BG 2005


Nome: Loma Larga
Safra: 2005
País: Chile
Região: Casablanca
Produtor: Loma Larga Vineyards
Site: http://www.lomalarga.cl/
Importador: -

Uvas/Corte: 90 % Malbec, 10 % Syrah
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça, com logomarca gravada, de média para grande
Numeração da garrafa: -
Preço: 9.600 pesos
Onde foi comprado: Aeroporto Santiago, Chile
Quando foi comprado: 24 de dezembro de 2008
Degustado em: 5 de novembro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Lombo suíno com legumes no alho
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
A deep dark black straight colour. The nose is complex and mixes liquorice, cinnamon and the exuberance of a garden in flower, maintained by a soft menthol touch, which will introduce the wine to the palate. The evolution in its powerful mouth is very complex, starting with gingerbread and honey flavours, enhanced by blond tobacco and candied fruits. This full bodied Malbec reveals silkily more and more complexity in its long finish, with candy sugar, currants and wild marshmallow tones, underlined by the elegance of its floral side, creating a game between wildness and seduction. May you cellar deserve this faithful expression of Casablanca terroir and Malbec.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Jabuticaba.
Exame olfativo: Cheiro de vinho bom. Um pouco vegetal, mas talvez isso tenha sido uma observação influenciada pelo alho dos legumes.
Exame gustativo: Este é realmente um ótimo vinho, que vale muito a pena ser experimentado. Claro que o ideal é comprá-lo diretamente no Chile. Ele harmonizou muito bem com o prato que o Claudio preparou, com os legumes puxados no alho. É fácil de beber. Segundo o Claudio foi me dizendo ao longo do jantar, este vinho da safra 2007 foi considerado o melhor malbec da edição 2009 do Guia Descorchados. Eu acredito! Deixa gosto de cereja na boca e um leve tabaco. Provem!
Nota: 92.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
O recurso de cortar a base de forma irregular é antigo. A logomarca poderia ser mais equilibrada. Merece um redesenho.
Exame visual: Violeta bem fechado e intenso.
Exame olfativo: Intenso, início com leve toque de algo parecendo que o vinho não estava bom, mas logo se abre para uma cereja com pimentas e tabaco.
Exame gustativo: Sempre que se fala em Malbec, lembramos diretamente da Argentina. Ultimamente tem surgidos bons vinhos chilenos desta cepa. Este Loma Larga, da região de Casablanca que gosto muito, é um bom exemplo disto. Excelente vinho, prazeroso, com boa fruta em boca. Daquele tipo de vinho que pede mais uma taça. Está bom para beber agora, mas acredito que ainda tenha mais a evoluir. Sabor límpido, com cereja. Boa acidez e boa intensidade na boca. Difere dos malbecs argentinos, pois madeira aparece bem integrada. Funciona bem sozinho ou acompanhado de um bom prato. Vinho bastante interessante que recomendo.
Nota: 91.0

26 de novembro de 2009

Pergunta da Semana - 144

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Fazendo um retrospecto de 2009, qual você diria que foi o melhor vinho tinto, vinho branco e/ou espumante degustados ao longo deste ano?

25 de novembro de 2009

La Posta Cocina Blend 2007


Nome: La Posta Cocina Blend
Safra: 2007
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: La Posta
Site: http://www.lapostavineyards.com/
Importador: Vinci Vinos

Uvas/Corte: 60% Malbec, 20% Syrah, 20% Bonarda
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 60
Onde foi comprado: Pizzaria Basilico, em Florianópolis
Quando foi comprado: 1º de novembro de 2009
Degustado em: 1º de novembro de 2009
Onde bebeu: Pizzaria Basilico, em Florianópolis
Harmonizado com: Pizza
Com quem: Claudio, Rafaela, Marcus e Claudine

Comentário do Produtor
Purple-colored, it offers notes of cedar, spice box, pencil lead, blueberry, and black cherry. On the palate gamy notes emerge to accompany the sweet fruit.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Foi muito bom voltar à Basilico, no Canto da Lagoa. Sempre gostei muito dessa pizzaria de Floripa. Foi especialmente bom fazer isso com a Claudine e o Marcus. A noite, como sempre, muito agradável. O vinho harmonizou com a pizza e com a conversa.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este é o segundo vinho da La Posta que degustamos e o resultado também foi muito bom. Gostao da proposta de vinhos da La Posta. Não fiz anotações sobre este vinho, mas combinou bem com a pizza e a noite agradável na Pizzaria Basílico em Florianópolis. Um vinho agradável, fácil de se beber. Vale provar.
Nota: 89.0

21 de novembro de 2009

Larentis - Ancelotta 2005


Nome: Larentis
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Vinícola Villaggio Larentis
Site: http://www.larentis.com.br/
Importador: -

Uvas/Corte: Ancelotta 100%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: 00230
Preço: R$ 34,91
Onde foi comprado: Pelo site Vinhos Net
Quando foi comprado: Maio de 2009
Degustado em: 28 de outubro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Pizza Sadia
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Esta cepa originária na Itália, região da Reggio Emilia resultou neste vinho de cor vermelho rubi vivo, intenso, com aromas de frutas vermelhas maduras, como ameixa, morango e mirtilo. De paladar generoso e persistente, com taninos doces. Acompanha carnes vermelhas, caças, pratos com molhos condimentados e queijos tipo Camembert, Brie e Provolone.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: O cheiro eu não consegui identificar, mas posso dizer que dá uma leve coceira no nariz.
Exame gustativo: No início, não gostei muito deste vinho, causou uma impressão não muito boa. Depois de aberto por um tempo, foi melhorando e ficou bem aprazível. Este é um típico vinho que parece leve, mas no dia seguinte, apesar de toda a água bebida, você descobre que ele nem era tão leve assim - a cabeça pesada lembra você disso a todo momento.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Um pouco carregado e pesado. Poderia sofrer pequenos ajustes para deixar com mais harmonia.
Exame visual: Rubi Vivo e intenso, bonita cor.
Exame olfativo:Especiarias e pimenta. Leve álcool presente.
Exame gustativo: Resolvi comprar este vinho por indicação do João Filipe do blog Falando de vinhos. É um vinho com perfil bastante gastronômico. Início fechado. Depois de decantar abriu o paladar para algo com fruta madura. Corpo médio/leve e final com toques de pimenta e especiarias. É um vinho diferente e interessante. Acerte o prato, deixe decantando e ele ganhará bastante.
Nota: 87.0

18 de novembro de 2009

Pergunta da Semana - 143

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Você leva em consideração o teor alcoólico quando vai escolher um vinho? Tem restrição a teor alcoólico superior a 14%? Prefere aqueles que ao redor de 12%? Ou para você, essa informação é indiferente na hora da compra?

17 de novembro de 2009

Hex von Wein - Cabernet Sauvignon 2007


Nome: Hex Von Wein Reserva Especial
Safra: 2007
País: Brasil
Região: Picada Café, RS
Produtor: Vinícola Hex von Wein
Site: http://www.vinhoorganico.com.br/index.html
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 12,6%
Rolha: Tampa de rosca na garrafa de 187 ml
Numeração da garrafa: -/1.575
Preço: R$ 10,00, a garrafa de 375 ml
Onde foi comprado: Feira Brasil Rural Contemporâneo, na Marina da Gloria
Quando foi comprado: 8 de outubro de 2009
Degustado em: 22 de outubro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa caseira de Carlos Barbosa com molho de tomates
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
As parreiras da Hex baseiam-se na biodiversidade, ou seja, na eliminação da monocultura e cultivo de várias espécies no mesmo habitat. Em resumo, na nossa produção voltamos aos antigos modelos de produção agrícola, amenizando as mudanças no sistema biológico. Assim, o solo produz uma fruta mais autêntica, particular, caracterizando o produto de acordo com a região e expressando o real terroir. Quando o solo recebe quimicamente os nutrientes que lhe faltam, até chegar ao ponto ideal de produção, ocorre a massificação da variedade, ou seja, em qualquer lugar do mundo o produto tem as mesmas características. A Coopernatural lançou o vinho Cabernet Sauvignon orgânico certificado Safra 2007 na Bio Fach em São Paulo. As uvas desta safra foram selecionadas a dedo, as melhores uvas, as mais sadias e as mais maduras, somente o melhor da produção, compõem este vinho de alto padrão enológico. A fermentação foi com controle de temperatura, não ultrapasando os 25 graus, o envelhecimento vai ser em barricas de carvalho francês. Com graduação alcoólica de 12,6%. A produção de 2007 está limitada a uma produção de 1.575 unidades. Um dos primeiros vinhos finos orgânicos do Brasil.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Escuro, bordô.
Exame olfativo: Cheiro de fazenda, estrebaria.
Exame gustativo: Bebemos este vinho para comemorar o início da sexta temporada do nosso seriado favorito: House M.D. Quanto ao vinho, gostoso, bom, mas normal, sem nada que se sobressaia tanto, nem que desagrade tanto. Boa opção para dias comuns.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Formato diferenciado lembrando uma folha. Simples, correto e equilibrado. De acordo com o vinho.
Exame visual: Bonita cor grená escuro com alos alaranjados.
Exame olfativo: No início notas de terra, fazenda. Evolui para notas frutadas. Esta meia garrafa não evoluiu tanto quanto a garrafa de 187ml que degustamos dias atrás.
Exame gustativo: Esta é a segunda garrafa do Hex Von Wein que degustamos. Como havia comentado anteriormente (veja o post), compramos algumas garrafas de 187 ml e meias garrafas deste vinho orgânico nacional. Vamos degustando aos poucos e observando sua evolução. É um vinho de estilo que venho me interessando. Vinho agradável, equilibrado e instigante. Um vinho que busca a elegância. Em comparação ao primeiro, ele evoluiu menos na taça, se mostrando um pouco mais fechado. Seus 12,6% de álcool e seu equilíbrio, fazem um vinho leve e sutil que vale ser provado, pelo seu custo e por ser orgânico. Vamos ver como se comportam as próximas garrafas.
Nota: 87.0

15 de novembro de 2009

Desafio Falando de Vinhos: Douro x Alentejo

Comentário do Claudio
Mais uma vez consegui participar do Desafio Falando de Vinhos, blog do amigo João Filipe Clemente. Todo mês o João organiza de forma impecável uma degustação com algum tema, onde os vinhos são degustados às cegas e a banca escolhe o melhor vinho, o melhor custo x benefício e a melhor compra. No mês de outubro o tema da Desafio foi Alentejo x Douro. Foram degustados 12 vinhos, além de um espumante de entrada e dois vinhos acompanhando o jantar. O evento foi realizado no aconchegante e charmoso restaurante Franciacorta, no Itaim. Todos os detalhes dos vinhos degustados poderã ser lidos clicando aqui, no blog do João.

Alguns comentários: todos os vinhos degustados foram de ótima qualidade e a diferença entre eles muito pequena. Alguns vinhos pediam algum bom prato de comida portuguesa e algunas outros mostraram potencial para envelhecer um pouco mais.

Meus destaques ficaram com: Herdade Paços do Conde Reserva 2005, Vila Santa 2007 , Casa Ferreirinha Vinha Grande 2003, Herdade do Pinheiro Reserva 2003.

Depois da prova fechamos a noite com um incrível jantar com uma receita familiar, Carne de Porco á Alentejana da Tia Rosa. Tipo de prato que deixou todos o aquele gostinho de "quero mais".

Mais uma vez gostaria de parabenizar o João Filipe pela a iniciativa e organização e agradecer pelo convite. Foi uma noite muitíssimo agradável.

12 de novembro de 2009

Casa Perini - Moscatel


Nome: Casa Perini
Safra:-
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Vinícola Perini
Site: www.vinicolaperini.com.br
Importador: -

Uvas/Corte: Moscatel
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido no casamento da Dê e do Flávio
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 17 de outubro de 2009
Onde bebeu: Maison Barigui, em Curitiba
Harmonizado com: Buffet variado
Com quem: Rafaela, Gisele e demais convidados, exceto Claudio e Serginho

Comentário do Produtor
Vinho espumante natural, elaborado pelo processo italiano Asti, com 100% da variedade Moscato. Possui cor citrina, aroma intenso e característico do varietal, revelando um paladar macio e delicado, com equilibrada doçura e frescor. Seu perlage é fino e persistente. Pela preferência destacada, é o nosso jovem embaixador.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Não precisava nem espumante, nem nada, eu já estava feliz o suficiente só pelo fato de estar em Curitiba assistindo ao casamento da Dê e do Flávio, mas ainda teve o espumante docinho, as comidas saborosas curitibanas, as sobremesas mais tentadoras ainda e, claro, a companhia mais do que querida da Gi e do Serginho. Adorei o casamento e desejo muitas felicidades para a Dê e para o Flávio.
Nota: -

Pergunta da Semana - 142

Toda quarta-feira, publicamos aqui uma pergunta relacionada ao mundo do vinho para saber mais sobre os seus hábitos e gostos. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Fazendo uma rápida análise das últimas garrafas degustados, você poderia dizer que está em falta com algum país? Anda se dedicando aos argentinos e esquecendo os uruguaios? Ou está numa temporada espanhola, deixando de lado os italianos?

11 de novembro de 2009

Alento 2007


Nome: Alento
Safra: 2007
País: Portugal
Região: Alentejo
Produtor: Adega Monte Branco
Site: http://www.adegamontebranco.com.br/
Importador: Vino!

Uvas/Corte: 40% Aragonês, 40% Trincadeira, 10% Alicante Bouschet e 10% Touriga Nacional.
Teor alcoólico: 14,0 %
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 39
Onde foi comprado: Vino! Batel, em Curitiba
Quando foi comprado: 16 de outubro de 2009
Degustado em: 16 de outubro de 2009
Onde bebeu: Vino! Batel, em Curitiba
Harmonizado com: Penne com molho de salmão, alho poró e limão siciliano (Rafaela) e Salmão grelhado com risotto de legumes e limão Thai (Claudio)
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Vinho de cor granada, com aromas intenso de frutos vermelhos, equilibrado e com boa frescura. Deve ser bebido enquanto jovem.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Ao escolher um vinho português, confesso que esperava algo mais, digamos, português, mas o vinho que bebemos parecia mais um chileno/argentino, o que de longe significa que não gostamos, apenas achamos estranho. Depois, debatendo sobre isso, chegamos à conclusão de que o rótulo moderno já dava uma pista do tipo de vinho que nos aguardava, algo mais moderno, mais novo mundo. No final, deu tudo certo, pois meu delicioso prato de massa com salmão harmonizou muitíssimo bem com o vinho. Adoramos o lugar - já conhecíamos a filial de São Paulo e em uma degustação no ano passado conhecemos o Avelino da Vino!. Pena que ele não estava por lá no fim de semana da nossa viagem. A comida estava saborosa e aproveitamos para fazer um brinde à Denise e ao Flávio, que se casaram no dia seguinte e foram o motivo principal de nossa ida ao Paraná. Valeu cada minuto.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Design moderno e equilibrado. A tipologia forma o desenho de uma garrafa. Bonito rótulo.
Exame visual: Bordô escuro.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Saimos do Rio já programados em jantar na Vino! do Batel em Curitiba. Já conheciamos a ótima loja/restaurante de São Paulo e estávamos curiosos em conhecer uma das lojas de Curitiba. A seleção de rótulos à venda é muito boa e resolvi escolher um rótulo que fosse importado pela própria Vino!. A opção foi por este Alentejano, o Alento. Vinho jovem, com intensidade de sabores, um estilo moderno e agradável. Paladar com bastante fruta e especiarias. Seu final é frutado e intenso. Lembra estilo de vinhos sulamericanos. A Vino! do Batel tem cardápio completamente diferente da loja de São Paulo. Estilo bistrô, tem ótimo serviço e boas opções de pratos. O meu salmão estava ótimo. Foi uma noite muito agradável. Recomendo.
Nota: 87.0

10 de novembro de 2009

Asti Spumante Araldica*



*Este foi o vinho da 16ª Harmonização Virtual entre blogs. Leia os comentários do Gourmandise, do Espressa-mente e do Diário de Baco.

Nome: Araldica
Safra: -
País: Itália
Região: Piemonte
Produtor: Cantina di Castelboglione
Site: http://www.araldicavini.com/
Importador: Decanter

Uvas/Corte: Moscato Bianco 100%
Teor alcoólico: 7%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 55
Onde foi comprado: Espírito do Vinho, na Cobal do Humaitá
Quando foi comprado: 6 de novembro de 2009
Degustado em: 6 de novembro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Cachorro-quente com molhos aïoli e mostarda
Com quem: Claudio, Rafaela, Mauro e Marcela

Comentário do Produtor
Colore: Giallo paglierino scarico.
Profumo: Profumo tipico di uve fresche con aroma fragrante.
Gusto: Fresco e leggero, questo vino spumante bilancia sapori di uve dolce e di agrumi freschi.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Depois de alguns e-mails trocados, chegou-se ao prato, que, como diz a Nina, nem é assim exatamente um prato: sanduíche, que logo evoluiu para um cachorro-quente. Para a brincadeira ficar mais temperada, Nina sugeriu dois molhinhos: mostarda e aïoli. Apesar de eu não ser fã de um cachorro-quente deste estilo - sou daquelas chatas que comem mais molho vermelho do que a própria salsicha, que, às vezes, acho que nem precisava, mas isso é outra história. Voltando à harmonização, primeiro é importante dizer que a preparação dos molhos não é complicada. A do aïoli tem apenas um agravante: precisa ser feita em banho-maria, mas nada que seja tão difícil. Para nos acompanhar na experiência, vieram a Marcela e o Mauro. Comecei provando o espumante, que foi imediatamente aprovado. Adorei! Docinho, leve, refrescante em uma noite de mais de 30 graus. Quero repetir (viu, Claudio!)! Ao provar o cachorro-quente, tive uma experiência bem diferente da que estava acostumada ao comer cachorro-quente. Confesso: eu nunca havia comido cachorro-quente sem molho. Ficou melhor do que eu poderia imaginar. E com os molhinhos, devo dizer que precisei repetir. Gostei bastante das duas opções. O mostarda estava um pouco forte, mas bom. O aïoli, talvez porque ajudei a fazer, estava ótimo. Gostei muito. E tudo ficou muito bom junto. O espumante, levinho, não poderia ter sido a decisão mais acertada. Vinho iria ficar demais.
Nota: 90.0
Nota da harmonização: 92.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo imponente. Equilibrado, deu um bom estilo para a garrafa.
Exame visual: Claro, com perlagem fina e intensa.
Exame olfativo: Nariz um pouco fechado.
Exame gustativo: Confesso que não estava esperando muito desse Moscato d'Asti. Há quinze dias, por acaso, fizemos uma experiência de um espumante da Casa Valduga Moscatel com um cachorro-quente. O resultado tinha sido bastante satisfatório. Este espumante italiano foi uma boa surpresa. Bem equilibrado, notas doces bem dosadas, como um doce queimado. Agradáveis notas tostadas, leve mel, bastante agradável. Espumante, leve e fácil de se beber. A garrafa acaba rápido. Vale provar.
Esta foi uma harmonização diferente. É o tipo de combinação que funciona bem. Um se mostrou um bom companheiro para o outro e deu-se uma boa parceria. Procurei colocar um pouco de cada molho, sem deixar que os sabores se sobressaíssem muito em relação à salsicha e ao pão. Para a harmonização, foi perfeito. A ideia era que lembrasse a combinação clássica de cachorro-quente e refrigerante. Funcionou muito bem. Vale experimentar.
Nota: 88.0 +
Nota da harmonização:
90.0

8 de novembro de 2009

Urban Blend 2007


Nome: Urban Blend
Safra: 2007
País: Chile
Região: Valle de Maule
Produtor: O. Fornier
Site: http://www.ofournier.com/
Importador: Vinci Vinhos

Uvas/Corte: Carignan 13%, Cabernet Sauvignon 7% e Merlot 80%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça, tamanho médio
Numeração da garrafa: -
Preço: R$
Onde foi comprado: Vinci, do site
Quando foi comprado: Setembro de 2009
Degustado em: 14 de outubro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Pizza sadia de quatro queijos
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Carne crua, queijo de fazenda, milho verde.
Exame gustativo: O vinho não é ruim, mas deixa qualquer um tonto tri-rápido, é forte, levemente amargo e não muito amigável. E não harmonizou muito com a pizza.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo simples, que usa um recorte de uns retângulos.
Exame visual: Bordô/rubi, vivo e intenso
Exame olfativo: Intenso. Notas vegetais fortes com toques de embutidos. Leve álcool aparente.
Exame gustativo: Um vinho jovem, intenso e muito vivo na boca. Depois de um tempo aberto vai ficando mais macio. Merlot aparente. Um vinho forte e com personalidade, com os taninos vivos e estilo marcado. É uma boa opção para quem gosta de vinho com bastante presença no paladar. Boa relação custo/benefício.
Nota: 87.0

4 de novembro de 2009

Hex Von Wein - Cabernet Sauvignon 2007


Nome: Hex Von Wein Reserva Especial
Safra: 2007
País: Brasil
Região: Picada Café, RS
Produtor: Vinícola Hex von Wein
Site: http://www.vinhoorganico.com.br/index.html
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 12,6%
Rolha: Tampa de rosca na garrafa de 187 ml
Numeração da garrafa: -/1.575
Preço: R$ 5,00, a garrafa de 187 ml
Onde foi comprado: Feira Brasil Rural Contemporâneo, na Marina da Gloria
Quando foi comprado: 8 de outubro de 2009
Degustado em: 10 de outubro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Salame e Cachorro-quente
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
As parreiras da Hex baseiam-se na BIODIVERSIDADE, ou seja, a eliminação da monocultura e cultivo de várias espécies no mesmo habitat. Em resumo, na nossa produção voltamos aos antigos modelos de produção agrícola, equilibrando o meio ambiente naturalmente e amenizando as mudanças no sistema biológico. Assim, o solo produz uma fruta mais autêntica, particular, caracterizando o produto de acordo com a região e expressando o real terroir. Quando o solo recebe quimicamente os nutrientes que lhe faltam, até chegar ao ponto ideal de produção, ocorre a massificação da variedade, ou seja, qualquer lugar do mundo o produto tem as mesmas características. A Coopernatural lançou o vinho Cabernet Sauvignon orgânico certificado Safra 2007 na Bio Fach em São Paulo. As uvas desta safra foram selecionadas a dedo, as melhores uvas as mais sadias e as mais maduras, somente o melhor da produção, compõem este vinho de alto padrão enológico. A fermentação foi com controle de temperatura, não ultrapasando os 25º, o envelhecido vai ser barricas de carvalho Frances. Com graduação alcoólica de 12,6%.A produção de 2007 está limitada a uma produção de 1.575 unidades. Un dos primeiros vinhos finos orgânicos do Brasil.

Comentário do Claudio
Rótulo:
Formato diferenciado lembrando uma folha. Simples, correto e equilibrado. De acordo com o vinho.
Exame visual: Bordô.
Exame olfativo: Bastante interessante. Início lembrnado vinhos do velho mundo, Terra, fazenda e leve couro. Depois de um tempo em taça abriu para leve fruta como ameixa e toques de café. Muito interessante e inesperado.
Exame gustativo: Tinha lido alguns comentários sobre este vinho no blog do Bruno Agostini. Fiquei curioso em provar e resolvemos ir até a feira. Compramos uma garrafa de 187ml e outra meia garrafa. Dois dias depois resolvi abrir uma delas para provar. Foi uma bela surpresa. Vinho bastante interessante e gastronômico. Estilo elegante e velho mundo de sabor bem límpido. Boa acidez, taninos finos, final com leve toque de fruta como ameixa e notas de café. Retrogosto também interessante. Um vinho orgânico muito bem equilibrado. Resolvemos voltar no último dia da feira e comprar outras garrafas. Voltarei a publicar novos comentários sobre este vinho, observando a sua evolução. Vale conhecer. Boa surpresa.
Nota: 88.0 +

Finca La Anita - Syrah 2004


Nome: Finca La Anita
Safra: 2004
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Finca La Anita
Site: http://www.fincalaanita.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Syrah 100%
Teor alcoólico: 14,70%
Rolha: Cortiça, com logomarca gravada
Numeração da garrafa: - /22.373
Preço: 105 pesos
Onde foi comprado: Ligier, em Buenos Aires
Quando foi comprado: 9 de dezembro de 2007
Degustado em: 9 de outubro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Macarrão caseiro de Carlos Barbosa com molho de tomate
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Calidad de las mismas: Este, nuestro Syrah 2004, producto de una magnífica añada, ocupará sin dudas un lugar de privilegio entre las grandes cosechas de Finca La Anita. El transcurso de un verano pleno, cálido y prolongado, posibilitó que las uvas llegaran a su madurez óptima sin sobresaltos, materia prima capaz de transformarse en grandes vinos.
Fermentación: los mostos fermentaron tanques de acero inoxidable, a temperaturas controladas.
Reposo en roble: Su paso por barricas de roble francés proveniente de los bosques de Alliers, durante tres meses, dió como resultado una maduración acorde con la excelencia de esta cosecha a la que auguramos un gran potencial de guarda.
Filtrado: No hemos filtrado este vino para mantener intacta la calidad de sus aromas y preservar íntegra la complejidad de sus sabores.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Superforte a cor.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Gosto de frutas, sabor limpo, delicioso, com acidez balanceada. Ficou muito bom o salame Wunsch comprado diretamente de um produtor lá do RS na feira Brasil Rural Contemporâneo. Esse é um daqueles vinhos que devem ser provados ao menos uma vez na vida. Gosto muito dos vinhos da Finca La Anita.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Segue a linha da vinícola. Simples e correto.
Exame visual: Rubi alaranjado
Exame olfativo: Início fechado. Precisa ser decantado para abrir. Notas de frutas e especiarias.
Exame gustativo: Finca la Anita é uma vinícola muito interessante que aprecio bastante. Seu primeiro vinho a ter maior destaque foi o Syrah de safras antigas. Todos os vinhos que degustei desta vinícola apresentam personalidade, potência aliada à elegância e sempre boa complexidade. No caso deste Syrah 2004 não foi diferente. Um belo vinho de sabor intenso e verdadeiro, límpido. Vinho de boa estrutura e agradável elegância. Leves notas de fruta sendo as especiarias mais presentes com notas claras de pimenta. Álcool e madeira integrados. Vinho com bastante presença e com capacidade de envelhecer mais. Sem dúvida ainda tinha muito para evoluir. Pede uma carne condimentada. Final de boca com bastante presença. Vinho que tem tudo para evoluir mutio bem. Recomendo. Quem ainda não conhece os vinhos da Finca la Anita deveria conhecer. Temos um Petit Verdot na adega.
Nota: 91.0+

3 de novembro de 2009

Signos - Malbec 2008


Nome: Signos
Safra: 2008
País: Argentina
Região: Vale de Tulum, Mendoza
Produtor: Bodegas Callia
Site: -
Importador: Decanter

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 28
Onde foi comprado: Fiametta, no Rio
Quando foi comprado: 9 de outubro de 2009
Degustado em: 9 de outubro de 2009
Onde bebeu: Fiametta, no Rio
Harmonizado com: Buffet mediterrâneo
Com quem: Rafaela, Ana Rosa, Ângela, Antônio Victor e Neusa

Comentário do Produtor
Vermelho-rubi muito intenso. Deliciosamente maduro, com frutas vermelhas em compota e chocolate. Encorpado, macio, sedoso e frutado na boca, com ótima persistência.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Desde o início do semestre que estávamos combinando um almoço mais arrumadinho, mas nunca saia. Nessa chuvosa sexta-feira, finalmente conseguimos ir até a Fiametta. Como o clima pedia, acabamos escolhendo um vinho para acompanhar o buffet. Brindamos pelo casamento da nossa colega Mariana. Pena que a Tati não conseguiu ir. O vinho é fácil de beber, gostoso e não faz feio.
Nota: 87.0

Pergunta da Semana - 141

Toda semana, colocamos aqui uma pergunta para saber mais sobre os seus hábitos e costumes relacionados ao mundo do vinho. Nesta semana, a inspiração foi a Lei Seca. Como viajamos nas últimas semanas para três estados diferentes, acabamos observando que a Lei Seca vem sendo encarada de diferentes formas. Aqui no Rio, pela nossa experiência e de amigos próximos, notamos que houve uma mudança de hábitos. Quando sabemos que vamos beber um vinho, optamos por táxi, metrô, ônibus ou até mesmo por ir/voltar andando. Inspirados nesse assunto, nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- Você mudou seus hábitos devido à Lei Seca? Você acha que houve uma mudança de comportamento em sua cidade?

30 de outubro de 2009

Vinhos em Liberdade - MG


Nome: Bianchi Particular - Castillo de Molina Reserva - Árido - Casa Valduga Premium - Cefiro
Safra: 2006 - 2006 - 2006 - 2008 - 2007 - 2006
País: Argentina - Chile - Argentina - Brasil - Chile - Argentina
Região: Mendoza - Cachapoal Valley - Mendoza - Vale dos Vinhedos - Vale de Casablanca -
Valle de Fiambalá.
Produtor: Casa Bianchi - Viña San Pedro - Bodega Vistalba - Casa Valduga - Viña Casablanca -
Cabernet de los Andes.
Site: http://www.vbianchi.com/ - http://www.sanpedro.cl/ - - - http://www.casavalduga.com.br/ - http://www.casablancawinery.com/ -
Importador: Zona Sul - World Wine - Casa Flora - Vinhos do Mundo

Uvas/Corte: Malbec 100% - Cabernet Sauvignon 90%, Syrah 10% - Malbec 90%, Merlot 10% - Moscato 100% - Merlot 100% - Bonarda 100%
Teor alcoólico: 14,5% - 14,6% - 13,5% - 8% - 14% - 13,8%
Rolha: Cortiça - Cortiça - Rosca - Cortiça - Sintética - Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido pelo Miguel e Marcelo
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: Outubro de 2009
Degustado entre: 24 e 25 de outubro de 2009
Onde bebeu: Sítio do Miguel, em Liberdade, em Minas Gerais
Harmonizado com: Comidinhas diversas
Com quem: Claudio, Rafaela, Miguel, Paula, Marcelo, Carol, Rafael e Arthur

Comentário do Produtor
Profundidad de vivos colores rojos violáceos. Sus aromas frescos y dulces a cerezas y ciruelas maduras pugnan por salir de la copa entremezclándose a su vez con una marea de especias aportadas por la barricas de roble de diferentes orígenes. La dulzura de la vainilla del roble frances y el chocolate blanco y la nuez moscada del roble americano que imprimen toda su fuerza y acomplejan a este gran varietal otorgándole en boca un paso sublime y opulento de intenso y complejo final. Es seguramente uno de los grandes Malbec mundiales.

Intense ruby color. Delicate red fruit and violet aromas interact with classic Malbec spiciness. Soft and round in the mouth with balanced acidity and sweet tannins.

Visão: límpido, brilhante, perlage fino e constante.Olfato: aromas típicos da variedade Moscato, toques florais, mamão papaia e frutas tropicais.Paladar: espumante leve, boa acidez e agradável.

Posee un color rojo violeta profundo con destellos púrpura. Sus aromas evocan a fruta roja madura con un notable matiz especiado, en un conjunto de notas jóvenes y expresivas. Al paladar es limpio, frutal, de taninos maduros y que se integran perfectamente a los suaves tonos dulces aportados por sus 9 meses de guarda en barrica.

Visual: intensa cor violeta.
Aroma: surpreende o nariz com aromas de frutas do bosque.
Paladar: um vinho de estrutura muito boa na boca, com sabores de frutas secas, que perduram por um longo tempo.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Tivemos um fim de semana maravilhoso em Liberdade. Decidimos ir na sexta à noite para dar tempo de aproveitar tudo. Foram dois dias muito tranquilos, entre amigos queridos e crianças superbacanas. Repetiria fácil. Os vinhos simplesmente acompanharam ótimos momentos.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Depois de algumas tentativas finalmente conseguimos visitar o sítio da família do Miguel em Liberdade, sul de Minas Gerais. O final de semana foi muito bom, o lugar é bem bonito e o clima bastante convidativo para vinhos. Degustamos alguns vinhos o Bianchi é um malbec bem redondo, sem ser muito frutado, fácil de se beber e bem agradável. O Castilo de Mollina é um vinho com muitas notas de baunilha e chocolate, feito para agradar. O Árido foi o menos interessante. Unidimensional, não agradou. Degustamos o Moscatel da Valduga é bem equilibrado e funcionou bem com o cachorro quente. Cefiro é um Merlot que já degustamos, funciona bem com um churrasco, como não bebemos com um ele caiu um pouco em relação à outra vez que degustamos. O último vinho degustado foi o Tizac, um bonarda que não conhecia e comprei sem ter referências, foi uma boa surpresa, bom corpo e paladar intenso. Interessante. Vamos tentar repetir a viagem à Liberdade, foi muito bom.
Nota: -

Convite 16ª Harmonização Virtual entre Blogs

Cachorro-quente combina com espumante italiano?

É o que pretendemos experimentar na 16ª Harmonização Virtual. Gourmandise preparou receitas especiais de molhos para incrementar o cachorro-quente que será harmonizado com o espumante italiano escolhido pelo Le Vin au Blog. Gostou da ideia? Basta enviar um e-mail para o Gourmandise (gourmandisebrasil@hotmail.com) e/ou para o Le Vin au Blog (levinaublog@gmail.com), que logo enviaremos as receitas e o nome do espumante para você. Participe!

Publicaremos o resultado dessa combinação no dia 9 de novembro de 2009.

St. Ludwin - Riesling 2008 / Cefiro - Pinot Noir 2008



Nome:
St. Ludwin / Cefiro
Safra: 2007 / 2008
País: Alemanha / Chile
Região: Mosel / Casablanca
Produtor: Weinhaus Leoff / Viña Casablanca
Site: - /www.casablancawinery.com
Importador: Zona Sul / Casa Flora

Uvas/Corte: Riesling 100 % / Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 8,5% / 13,5%
Rolha: Rosca / Sintética
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 29,35 / Gentilmente oferecido pelo Helton
Onde foi comprado: Zona Sul / Lidador Copacabana
Quando foi comprado: 4 de outubro de 2009 / 6 de outubro de 2009
Degustado em: 6 de outubro de 2009
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Lombo de porco com Kinkan
Com quem: Claudio, Rafaela e Helton

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Helton achou cheiro de melão com casca de limão. Eu, não achei nada infelizmente. / No segundo, um tanto de margarina de cozinha, talvez pêssego, mas os meninos não acharam isso não!
Exame gustativo: Achei que o primeiro riesling provado com essa receita combinou mais, mas esse não ficou ruim. Talvez por ser menos doce, tenha causado uma impressão diferente. O que vale destacar nesse jantar foi a honra da companhia do Helton, que há alguns meses não mora mais no Rio, mas vez ou outra estará por aqui. Adoramos a companhia, a conversa que varia de temas leves a aspectos profundos sobre a vida, o que eu, particularmente, acho sempre muito interessante. Obrigada, querido amigo, por mais esse ótimo encontro. Estamos ansiosos para conhecer a Cecília!
Nota: 88.0 / 86.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: Bonito dourado / Leve grená.
Exame olfativo: Nariz com leve tostado, frutas doces e toques de laranja. / Doce, amora, leve floral e leve madeira. Lembrava suco de frutas.
Exame gustativo: Resolvemos fazer novamente a receita da última harmonização virtual para recebermos o Helton. Para isto resolvi escolher um outro Riesling alemão vendido no Supermercado Zona Sul. O vinho foi uma boa surpresa, de ótimo custo-benefício. Um bom Riesling, com menos açúcar que o vinho usado na harmonização passada, mas com um final presente e marcante. Funcionou bem com o prato, mas a harmonização com o Selbach se mostrou melhor. De qualquer forma fica a dica de um bom vinho alemão. Na sequência abrimos o vinho gentilmente trazido pelo Helton. Estava com uma boa expectativa sobre este Cefiro, de uma região e de uma vinícola que aprecio bastante. Há poucos dias degustamos um Merlot deles com um bom resultado. O Pinot não obteve um resultado tão bom. Diferente de outros Pinots chilenos, o vinho estava levemente desequilibrado com uma alta acidez e um leve amargor no seu final. Não harmonizou com o prato. Foi mais uma noite agradável na companhia do Heltón.
Nota: 88.0 + / 86.0

29 de outubro de 2009

Pergunta da Semana - 140

Toda semana, colocamos aqui uma pergunta para saber mais sobre os seus hábitos e costumes no mundo do vinho. Inspirados na participação do Claudio no Desafio de Vinhos, a convite do amigo João Filipe Clemente, do Falando de Vinhos, durante o qual foram apresentados vinhos de Portugal, das regiões do Alentejo e do Douro, o Le Vin au Blog pergunta:

- E você, se fosse escolher um vinho de Portugal hoje, seria de qual das duas regiões, do Alentejo ou do Douro?

27 de outubro de 2009

Masseria Trajone - Nero D'avola 2006


Nome: Masseria Trajone
Safra: 2006
País: Itália
Região: Sicília
Produtor: Femar Vini
Site: http://www.femarvini.it/
Importador: Vinci Vinhos

Uvas/Corte: Nero D'Avola 80%, Syrah 20%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 36
Onde foi comprado: Pelo site da Vinci Vinhos
Quando foi comprado: Setembro de 2009
Degustado em: 5 de outubro de 2009
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Espaguete integral com molho vermelho
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Cebolinha verde, cigarro.
Exame gustativo: Achei este vinho levemente oxidado. Também o achei meio nostálgico, pois evocou lembranças da infância. Parecia ter o gosto das maçãs que nasciam em uma velha macieira lá do sítio dos meus avós, as quais a vó usava para fazer chá. Ele arde um pouco na boa e fica melhor com a comida. Engraçado, mudou muito ao longo do jantar, perdeu um pouco o oxidado e ficou mais frutado.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Com excesso de elementos visuais. Merecia um limpeza.
Exame visual: Rubi escuro.
Exame olfativo: Nariz bem rústico com toques de metal e algo oxidado.
Exame gustativo: EEstava fazendo uma compra no site da Vinci e resolvi escolher um vinho italiano, que fosse barato. Assim, sem nenhuma referência comprei este exemplar da Sicília. É um vinho italiano básico, com perfil de vinhos que se vende em decanters em restaurantes na Itália. Um vinho mais rústico, com um ataque inicial lembrando alguma coisa de vinho do porto e repetindo na boca o oxidado do nariz. Depois de aberto uma leve fruta apareceu e oxidação desapareceu. Um vinho diferente do que temos bebido regularmente.
Nota: 86.0 +

17 de outubro de 2009

Pergunta da Semana - 139

Toda semana, colocamos aqui uma pergunta para saber mais sobre os seus hábitos e costumes no mundo do vinho. Na semana passada, compramos várias garrafas de 187ml do vinho Hex von Wein na feira Brasil Rural Contemporâneo, realizada aqui no Rio de Janeiro. Abrimos uma das garrafinhas e ficamos bem satisfeitos com o custo/benefício do produto. É na medida certa para acompanhar um jantar cotidiano. Baseados nessa experiência, nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- Você costuma comprar garrafas de 187ml ou meias garrafas? Na sua opinião, quais os prós e contras desse tamanho de embalagem? Quando as compra, as leva para casa ou normalmente faz isso em restaurantes e as degusta já na hora?

16 de outubro de 2009

Cefiro Reserva - Merlot 2007


Nome: Cefiro
Safra: 2007
País: Chile
Região: Casablanca
Produtor: Viña Casablanca
Site: www.casablancawinery.com
Importador: Casa Flora

Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Sintética preta
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 36
Onde foi comprado: Cobal do Humaitá
Quando foi comprado: 3 de outubro de 2009
Degustado em: 4 de outubro de 2009
Onde bebeu: Casa do Tito, por enquanto chamada de casa da Raquel e do Ricardo
Harmonizado com: Churrasco especial feito pelo Claudio, com carnes especiais, farofa, arroz e molho à campanha
Com quem: Claudio, Rafaela, Maria Claudia, Raquel, Ricardo, Miguel, Paula, Marcelo, Carol, Carlinhos, Marcia e Pedro.

Comentário do Produtor
Posee un color rojo violeta profundo con destellos púrpura. Sus aromas evocan a fruta roja madura con un notable matiz especiado, en un conjunto de notas jóvenes y expresivas. Al paladar es limpio, frutal, de taninos maduros y que se integran perfectamente a los suaves tonos dulces aportados por sus 9 meses de guarda en barrica.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Junto com a Raquel e o Ricardo, aguardamos ansiosamente dezembro chegar para podermos nos encontrar com o Tito. Enquanto ele não chega, nos reunimos para o chá de fraldas e também para a grande inauguração da casa nova. O dia estava chuvoso, mas a sala ampla e clara, o churrasco feito com esmero pelo Claudio e a conversa agradável transformaram aquele domingo em um momento daqueles para guardar para sempre. E o vinho combinou perfeitamente com esse clima.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
A assinatura dá personalidade, combina com o vinho.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Gosto dos vinhos desta vinícola. A linha Cefiro, que é a linha básica deles, chegou há pouco tempo no mercado brasileiro. Já estava de olho neste Merlot e resolvi comprar para acompanhar o churrasco na nova casa do Ricardo e da Raquel. Foi uma boa escolha, é um vinho de corpo médio, e com boas características da Merlot. Notas vegetais dominavam o paladar e depois de um tempo aberto o final passou a ter toques de fruta. Foi uma boa companhia para o churrasco. Mesmo sendo uma linha básica, o vinho agrada e surpreende.
Nota: 88.0

14 de outubro de 2009

Pergunta da Semana - 138

Toda semana, colocamos aqui uma pergunta para saber mais sobre os seus hábitos e costumes no mundo do vinho. Nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- Quantos vinhos você degusta em média por semana? Acha esse número suficiente?

13 de outubro de 2009

Heger Vitus Spätburgunder 2007



Nome: Heger Vitus Spätburgunder
Safra: 2007
País: Alemanha
Região: Ihringer Winklerberg
Produtor: Weinhaus Joachim Heger
Site: http://www.heger-weine.de/
Importador: -

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: -
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente oferecido pelo cônsul geral da Alemanha no Brasil
Quando foi comprado: -
Degustado em: 1º de outubro de 2009
Onde bebeu: Residência do cônsul geral da Alemanha no Brasil, em Santa Tereza, no Rio
Harmonizado com: Canapés variados
Com quem: Claudio, Rafaela e dezenas de pessoas

Comentário do Produtor
Subtiler Duft von femininem Charme nach Hagebutten, Süßkirschen und ganz dezenten Gewürznoten, verbunden mit einer unaufdringlichen fein dosierten Würze der Eiche. Am Gaumen wunderbar zugänglich und mit ausgesprochen dezentem und samtigem Tannin von fühlbar seidiger Textur. Der feingliedrige und schlanke Fruchtkörper ist um eine subtile innere Struktur gehüllt, wird von höchst feinen Säureadern getragen und zeigt ein tänzerisches Spiel. Alle Komponenten scheinen wohldosiert und harmonisch eingebunden. Eine charmante Verführung ohne jegliche Schwere. Delikat zu Fasan oder Wachteln einsetzbar, sehr gut aber auch zur Kalbsleber.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Depois de dias de muita chuva, o tempo amainou e permitiu que os 19 anos de reunificação da Alemanha pudessem ser comemorados nos jardins do castelinho em que mora o cônsul da Alemanha aqui no Rio. Ele até brincou dizendo que Deus pode ser até brasileiro, mas também é um pouquinho alemão, pois permitiu que a festa ao ar livre. :) A noite foi bem agradável.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Degustamos uma taça deste vinho alemão durante a recepção na casa do cônsul da Alemanha aqui no Rio de Janeiro. A casa, na verdade um pequeno castelo, fica em Santa Teresa. A recepção foi em volta da piscina com um bela vista para a Baía da Guanabara. Vinho bem característico da uva, com corpo leve, notas de frutas.
Nota: -

11 de outubro de 2009

Monasterio de Tentudia 2004 / Portal del Alto 2006


Nome: Monasterio de Tentudia - Portal del Alto
Safra: 2004 - 2006
País: Espanha - Chile
Região: Extremadura - Central Valley
Produtor: Viña Extremeña - Portal del Alto
Site: - /http://www.portaldelalto.cl/
Importador: Casa Flora - Brasil Explorer

Uvas/Corte: Tempranillo 100% - Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 13% - 13%
Rolha: As duas de cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido pelo Mario
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 30 de setembro de 2009
Onde bebeu: Na casa do Mario
Harmonizado com: Cachorro quente
Com quem: Claudio, Mario, Miguel, Ricardo e Marcelo

Comentário do Produtor
• Monastério de Tentudia - Vermelho rubi muito brilhante. Corpo médio, fresco e cálido. Aroma muito completo de grande envelhecimento (especiarias, café, couro e madeira), vigoroso na boca, bem estruturado com grande riqueza de sensações, amplo e com taninos nobres bem conjugados. • -

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Estes dois vinhos foram degustados durante o encontro mensal que fazemos com minha turma de faculdade. Desta vez, o encontro foi na casa do Mário e resolvemos beber vinhos - na verdade, apenas o Mario e eu; os outros beberam uísque. Foram dois vinhos que eu já havia degustado. O espanhol é um vinho leve e fácil de beber. Frutado acompanhou bem o cachorro-quente. O segundo é um cabernet chileno, que, pelo que me recordo, estava mais agradável da outra vez que degustei. A noite foi agradável.
Nota: -