31 de outubro de 2008

Errazuriz Max Reserva Cabernet Sauvignon 2006


Nome: Errazuriz Max Reserva
Safra: 2006
País: Chile
Região: Valle de Aconcagua
Produtor: Viña Errazuriz
Site: http://www.errazuriz.com/errazuriz/espanol/default.asp
Importador: Vinci

Uvas/Corte: Cabernet Sauvingon 94% e Cabernet Franc 6%
Teor alcoólico: 14,5%
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 90,00
Onde foi comprado: La Botella
Quando foi comprado: 6 de outubro de 2006
Degustado em: 6 de outubro de 2006
Onde bebeu: L a Botella
Harmonizado com: Queijos e sanduiches
Com quem: Claudio, Miguel , Ricardo, Marcelo e Wagner

Comentário do Produtor
Nuestro Max Reserva Cabernet Sauvignon 2006 es de color rojo-rubí con destellos violetas. Este vino tiene una intensa nariz con aromas a frutos rojos y negros como las cerezas, frutillas y ciruelas que se entremezclan con notas a especias que recuerdan la canela, clavo de olor y vainilla, aportándole una sensación dulce y elegante. El paladar se abre con un dejo dulce y taninos suaves que dan paso a una estructura firme y exuberantes notas en boca. Su final es de intensidad media a prolongada y se complementa con sabores a dulce de leche, caramelo y chocolate, que dan paso a un agradable frescor final.

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo simples e equilibrado. É um rótulo comum, mas tem classe
Exame visual: Rubi/violeta. Bonita cor.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Ainda não tinha degustado nenhum vinho desta vinícola e resolvi sugerir este Cabernet Sauvignon para ser o segundo vinho da noite. Foi uma boa escolha. Conforme havia lido é um vinho muito bem feito e estruturado. De bom corpo, sabor marcante e boa tipicidade. Confirma o bom resultado dos vinhos Cabernet Sauvignon no Chile. Interessante equilíbrio entre potência e elegância. Boa complexidade. Fácil de se gostar e tende a crescer com mais alguns anos. Ótima opção.
Nota: 89.0 +

30 de outubro de 2008

Pergunta da Semana - 88

O Le Vin au Blog publica uma pergunta nova toda quarta-feira. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber:

- Com esse prenúncio de crise mundial e aumento do dólar, você acha que haverá alteração nos preços dos vinhos? Você já percebeu alguma mudança, você acha que algo vai mudar no seu hábito de compra?

29 de outubro de 2008

Kaiken Malbec 2006


Nome: Kaiken
Safra: 200 6
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Kaiken Wines
Site: http://www.kaikenwines.com/
Importador: Vinci

Uvas/Corte: Malbec 93% , Cabernet Sauvignon 7%
Teor alcoólico: 14,6%
Rolha: De cortiça, tamanho médio e com a logomarca gravada
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 37,00
Onde foi comprado: La Botella
Quando foi comprado: 6 de outubro de 2008
Degustado em: 6 de outubro de 2008
Onde bebeu: La Botella
Harmonizado com: Queijos e sanduiches
Com quem: Claudio, Miguel, Ricardo, Marcelo e Wagner

Comentário do Produtor
The wine showcases a very intense and vivid violet color with black fruit aromas and elegant notes of mint, coffee and chocolate mixed harmoniously with the oak.
On the mouth it becomes intense, fruity and delicate at the same time. Its excellent structure with ripe, meaty tannins provides a long and persistent finish.

Comentário do Claudio
Rótulo:
Simples, bonito e marcante. Boa programação visual.
Exame visual: Violeta escuro
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este foi o primeiro vinho da noite. Este malbec se mostrou um vinho muito interessante pela sua faixa de preço. Produzido pela Viña Montes na Argentina é um vinho moderno, de boa estrutura e corpo, com taninos bem arredondados. Boa futa no paladar. Um vinho fácil de se gostar e com os 14,6% de álcool bem integrados e bem balanceados com a madeira. Paladar mostrou certa complexidade. Um bom malbec de estilo moderno e muito bem feito. Vale provar. Todos na mesa gostaram.
Nota: 88.0 +

27 de outubro de 2008

Intis - Malbec/Merlot 2007



Nome: Intis
Safra: 2007
País: Argentina
Região: San Juan
Produtor: Finca Las Moras
Site: -
Importador: Alfood Imp.e Exp. Ltda.

Uvas/Corte: Malbec 50% e Merlot 50%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Sintética e pequena.
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 31
Onde foi comprado: Restaurante Eccelenza
Quando foi comprado: 5 de outubro de 2008
Degustado em: 5 de outubro de 2008
Onde bebeu: Restaurante Eccelenza, em Botafogo, no Rio
Harmonizado com: Pizza de mussarela
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
For centuries the Sun God has been worshipped in South America. We have decided to pay a tribute to such an important element in the ripening of our grapes.50% Malbec / 50% Merlot.San Juan, Argentina.Medium bodied wine with ripe red fruit aromas.Drinks well on its own.Pairings: excellent partner to red meat and pasta dishes.Best between 15 degrees and 17 degrees C.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: No sábado, havíamos passado o dia inteiro às voltas com o jantar que realizamos em casa. No domingo, precisamos levantar supercedo para ir para a casa da mãe do Claudio. Quando voltamos para casa, queríamos um pouco de descanso, principalmente da cozinha. Por isso, resolvemos sair para comer uma pizza. Há muito tempo, fomos a esta pizzaria, que ainda tinha um outro nome. Para relaxar, resolvemos beber um vinho. Escolhemos então esse Intis, que deu para o gasto. É um vinho com bom custo/benefício.
Nota: 86.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo interessante. Bom uso do ícone/ilustração.
Exame visual: -
Exame olfativo: Semelhante à outros vinhos argentinos nesta faixa de preço. Sem complexidade.
Exame gustativo: Típico vinho argentino de baixo custo. É um vinho correto, sem arestas. Porém é unidimensional, direto e simples. Um vinho para o dia-a-dia.
Nota: 85.0

Canastra - Jerez


Nome: Canastra
Safra: -
País: Espanha
Região: Jerez de la Fronteira
Produtor: Williams & Humbert
Site: www.bodegas-williams-humbert.com e http://www.canasta.es/
Importador: -

Uvas/Corte: Palomino y Pedro Ximénez
Teor alcoólico: 19,5%
Rolha: Rolha de cortiça com tampa em plástico acoplada.
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente presenteado pelo Francho e pela Simone
Onde foi comprado: em Jerez de la Fronteira, Espanha
Quando foi comprado: -
Degustado em: 4 de outubro de 2008
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Torta de damasco
Com quem: Claudio, Rafaela, Marcela, Mauro, Gilberto, Julia e Helton

Comentário do Produtor
Vino oloroso dulce de color caoba con aromas a frutos secos, nuez, y ligero recuerdo a pasas y azúcar tostado. Al paladar es suave, aterciopelado, muy cálido por su contenido alcohólico, retronasal persistente.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Não posso nem dizer que não gostei deste vinho, pois uma das lembranças que tenho desse jantar é justamente a de encher o meu copo sem querer. Na hora falei para o Claudio me ajudar a beber tudo, mas conversa vai, conversa vem, o volume no copo foi diminuindo... E cheguei ao cúmulo de colocar mais um pouquinho. Ele pode não ter harmonizado direito com a torta, mas foi uma boa pedida para o final do jantar
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo de impacto mesmo sem ser tão bonito.
Exame visual:Cor de caramelo, levemente âmbar
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Ganhei esta garrafa de um casal de amigos. O Francho é espanhol da região de Jerez de la Fronteira e ele queria que eu provasse um vinho desta região. Já estava querendo provar este Jerez, mas estava esperando uma oportunidade em que tivéssemos outras pessoas em casa para abrir. Resolvemos servi-lo para acompanhar a sobremesa no dia da harmonização virtual. Foi uma boa experiência. A recomendação era para servir bem gelado. Como não tinha provado nenhum vinho desta região anteriormente não tenho muitas referências. De qualquer forma, foi um vinho que agradou. Surgiram alguns comentários como "lembra alguma coisa de biotônico Fontoura" ou " parace um San Rafael que bebia no passado". Vinho fortificado, com bom final em boca. Apesar de ser um vinho indicado também para acompanhar a sobremesa ele não combinou em nada com a torta de damasco. Ficavam dois sabores bem distintos na boca: o do vinho e o da torta, não harmonizava, mas também não atrapalhava. Gostaria de provar novamente com algo que harmonizasse. Foi uma experiência muito interessante e no final acredito que todos curtiram o jantar.
Nota: 88.0

26 de outubro de 2008

Conde de Valdemar Blanco 2006



* Esta foi a nona edição da harmonização virtual entre blogs. O vinho foi uma indicação do Le Vin au Blog, enquanto o prato foi sugerido pelo Gourmandise. Confira abaixo nossos comentários e também o resultado da experiência dos amigos Artur e Eliana. Não deixe de visitar os outros blogs que realizaram a harmonização, como o Gourmandise

Nome: Conde De Valdemar
Safra: 2006
País: Espanha
Região: Rioja
Produtor: Bodega Valdemar, S.A.
Site: http://www.valdemar.es/
Importador: Mistral

Uvas/Corte: Viura 100% - Fermentado em barrica
Rolha: De cortiça, tamanho normal, em bom estado e com o logo gravado
Teor alcoólico: 13,0%
Preço: R$ 66,00
Onde foi comprado: Mistral
Quando foi comprado: 18 de agosto de 2008
Degustado em: 4 de outubro de 2008
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Brandade de Bacalhau
Com quem: Claudio, Rafaela, Marcela, Mauro, Gilberto, Julia e Helton

Comentário do Produtor
Amarillo pajizo con ribetes dorados. Destaca el aroma a fruta madura, integrada con la madera del roble francés nuevo.
Color: Color pajizo con tonalidades amarillas.
Aroma: Flores blancas con un sutil aroma a furtas de hueso, (melocotón, albaricoque, etc).
Boca: Sabroso, elegante, con cierta frescura y un matiz especiado. Un retrogusto largo y persistente.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Um amarelo vigoroso, forte, indo um pouco para o dourado. Límpido.

Exame olfativo: -
Exame gustativo: Adoramos realizar jantares e quando combinamos esta harmonização já começamos a pensar em quem chamaríamos, mesmo sabendo que visitas nos distraem do propósito do jantar: que é analisar o vinho e a degustação. O que nem chega a ser tão grave, pois acaba ficando na memória apenas o que realmente se destacou. E no caso deste vinho foi o fato de ter combinado perfeitamente com a comida. Para mim, o prato em si já estava ótimo, mas com o vinho ficou ainda mais redondinho. Adorei. Pena que não tínhamos idéia do rendimento da receita - efetivamente - e não deu para todos repetirem. Da próxima vez, é preciso fazer três receitas e não duas, como fizemos, para sete pessoas. O vinho mostrou-se bom, mas o degustado em fevereiro, mais velho, era melhor. Acho que este vinho pode ser comprado agora, mas deve ser bebida daqui a alguns anos.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo simples e equilibrado, que segue a linha dos outros vinhos "Conde de Valdemar"
Exame visual: Bonito amarelo dourada e intenso.
Exame olfativo: Nariz ainda fechado. Um pouco de madeira. Acredito que vá evoluir com um pouco mais de tempo em garrafa e talvez se for decantado por algum tempo.
Exame gustativo: Este é o terceiro vinho "Conde de Valdemar" que degustamos. Como tínhamos gostado muito dos outros dois anteriores, resolvemos indicar este vinho branco fermentado em barrica para a nossa harmonização virtual. No início do ano, bebemos este mesmo vinho, só que da safra 2000 (veja os comentários). Na época, ficamos preocupados do vinho com 8 anos não estar tão bom. Porém, o que pudemos perceber bebendo agora o da safra 2006 é que este vinho precisa envelhecer um pouco para mostrar o seu potencial. Talvez por ele ter sido fermentado e envelhecido diretamente nas barricas de carvalho francesas. Pela recordação que tinha do vinho da safra 2000, esperava um pouco mais desta garrafa. Não é um vinho ruim, muito pelo contrário. É um vinho branco de bom corpo, muito bem feito, paladar agradável e equilibrado. Contudo, ele estava ainda um pouco fechado, não estava tão rico em sabores quanto o 2000. Acho que ele ainda pode evoluir bastante.
Nota: 88.0
Nota do vinho harmonizado com a comida: 90.0

Harmonização: Se por um lado eu esperava um pouco mais do vinho, a harmonização aconteceu como imaginava. O prato de bacalahu escolhido pelo Gourmandise no blog Elvira´s Bistrot é muito gostoso. Fácil de se fazer e bem equilibrado. Batata e bacalhau em proporções equilibradas e os temperos também na medida. Senti um pouco do sabor do suco de limão e algumas pessoas à mesa sentiram o alho. Foi um prato que me agradou. Mostrou equilíbrio com o vinho. Ambos tinham um mesma intensidade de sabor. O vinhos resguardou o prato que por sua vez fez o sabor do vinho crescer. Com certeza foi uma das melhores harmonizações. Recomendo.

Comentário do Artur e da Eliana, de São José dos CamposA nossa expectativa por esta harmonização era muito grande, porque eu e a Eliana gostamos muito de qualquer prato à base de bacalhau. Logo que ela colocou o bacalhau no forno para gratinar, abrimos o vinho, para "sentí-lo". Além da cor, muito bonita, o que mais nos chamou a atenção foi o aroma bastante acentuado de madeira; mesmo na boca, era possível "sentir" a madeira. Acho que foi por isso que não conseguimos perceber mais nada, como frutas, flores etc. Ficou tudo meio que escondido! Sobre o prato, ele acabou ficando um pouquinho salgado demais. Segundo a Eliana, foi porque ela cozinhou a batata na mesma água usada para cozinhar o bacalhau. O vinho ajudou a diminuir a sensação de salgado, embora eu não entenda bem por qual razão. Isso faz sentido, ou foi só impressão nossa? O fato é que a combinação entre os dois, comida e vinho, acabou sendo quase perfeita. Vamos repetí-la, agora com um pouco menos de sal!

22 de outubro de 2008

Marco Luigi - Chardonnay 2007


Nome: Marco Luigi
Safra: 2007
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul
Produtor: Vinícola Marco Luigi
Site: http://www.marcoluigi.com.br/
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay 100%
Teor alcoólico: 12%
Rolha: De cortiça aglomerada, de bom tamanho
Numeração da garrafa: 2.328/4.000
Preço: R$ 17,00
Onde foi comprado: Alipão, em Botafogo
Degustado em: 4 de outubro de 2008
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Couscous de lulas
Com quem: Claudio, Rafaela, Marcela, Mauro, Gilberto, Julia e Helton

Comentário do Produtor
Vinho elaborado integralmente a partir de uvas chardonnay. A fermentação controlada a 20° C preserva as características mais marcantes da variedade. Apresenta grande frescor, jovialidade, estrutura e harmonia, ressaltando um conjunto de aromas de flores brancas e frutas cítricas.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Lembro-me de poucos detalhes deste vinho, mas lembro-me de ter gostado bastante e de ter harmonizado muito bem com o couscous de lulas. Este é um vinho com bom ótimo custo/benefício. É agradável e gostoso.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Busca um visual mais tradicional.
Exame visual: Amarelo bem claro, transparente.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Depois de ter provado o vinho em uma outra oportunidade, resolvi comprar esta garrafa para acopanhar o couscous de lulas que seria a entrada do jantar da harmonização virtual. Da primeira vez que bebemos fiquei com a impressão que o vinho iria muito bem com algum fruto do mar ou uma salada e que deveria ser servido um pouco mais frio que da primeira vez que provamos. E o resultado foi bastante agradável. Todos concordaram que o vinho cresceu bastante com a comida. É um vinho que vale ser provado: um bom custo e fresco, leve e bastante agradável. Recomendo.
Nota: 87.0

20 de outubro de 2008

Reserva Miolo - Pinot Noir 2005


















Nome: Reserva Miolo
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves
Produtor: Vinícola Miolo
Site: http://www.miolo.com.br/

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 12%
Rolha: Cortiça, de média para pequena.
Numeração da garrafa: 48.978/85.000 produzidas
Onde foi comprado: Vinícola Miolo, no Rio Grande do Sul
Quando foi comprado: 28 de abril de 2006
Degustado em: 3 de outubro de 2008
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Pizza Quatro Estações do Zona Sul, comprada na filial do Jardim Botânico Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
O Pinot Noir é um vinho jovem, que já pode ser bebido ou pode ser armazenado para aprimorar mais seu bouquet com o envelhecimento. Cor: Apresenta uma intensidade de cor média, com tonalidades de vermelho-rubi e reflexos âmbar. Aroma: Boa intensidade, bastante delicado e fino. Descritores do Aroma: - Café - Caramelo - Chocolate - Coco Queimado - Ameixa Seca - Morango - Pinhão - Fruta-do-Conde. Sabor: Vinho de corpo médio que apresenta inicialmente uma sensação agradável e aveludada na boca. Num segundo momento, aparecem taninos delicados e equilibrados, deixando uma longa sensação de "finesse".

Comentário da Rafaela
Exame visual: Bordô.
Exame olfativo: Mesmo depois de um tempão aberto, ainda dava para sentir cheiro de álcool. Mais tarde, senti cheiro de especiarias.
Exame gustativo: Este vinho foi comprado durante a visita à Miolo, em Bento Gonçalves. Não sei se foi conversa do vendedor, mas ele nos disse na época que este vinho havia sido engarrafado naquele dia mesmo. Nós estávamos guardando esta garrafa para um teste com todas as taças que temos em casa, mas como essa experiência nunca saiu, resolvemos degustá-lo nesta noite. Depois da minha aula de alemão, passamos no Zona Sul e compramos uma pizza. Na hora de escolher o vinho, acabamos nos decidindo por esta garrafa, a comprada há mais tempo. O vinho mostrou-se um bom parceiro para a pizza, gostoso, com um ótimo custo/benefício.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Exame visual:Rubi indo para bordô. Apresentou a formação de cristais.
Exame olfativo: No início um pouco de carne e álcool passando para groselha e algo doce.
Exame gustativo: Degustamos este vinho em duas outras oportunidades. Esta garrafa nós compramos na própria vinícola no Vale dos Vinhedos e resolvemos gardar um pouco para ver como evoluia. Não evoluiu tão bem. No início pareceu desequilibrado, mas melhorou bastante depois de um tempo aberto. É um vinho leve, final um pouco quente e com algumas características clássicas de Pinot Noir. O vinho ainda estava vivo na boca. Final um pouco curto. Não é um vinho para se guardar.
Nota: 86.0

Cisplatino - Tannat/Merlot 2005




















Nome: Cisplatino
Safra: 2005
País: Uruguai
Região: Rio de la Plata
Produtor: Pisano Family Vineyards
Site: http://www.pisanowines.com/
Importador: Mistral

Uvas/Corte: Tannat 60%, merlot 40%
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Sintética, de tamanho médio
Preço: Gentilmente oferecido por Mário e Marie
Onde foi comprado: La Botella
Quando foi comprado: 29 de agosto de 2008
Degustado em: 28 de setembro de 2008
Onde bebeu: Casa da Marie e do Mário
Harmonizado com: Pães e queijos
Com quem: Claudio, Rafaela, Mário, Marie, Ricardo e Raquel

Comentário do Produtor
El Cisplatino es un vino que encierra en su nombre la historia en común que nuestro país y Brasil recorrieron en su período de independencia primero del dominio Español y después del Portugués. (1821- 1828).Es un vino compuesto en su gran mayoría por Tannat (uva insignia de nuestro país) perfectamente combinado con el Merlot. Tiene un toque apenas tostado que le otorga al vino un carácter especial. La fruta está muy presente y es un vino potente en la boca y de grandes aromas. La fuerte estructura del Tannat encuentra su equilibrio en la armonización que le otorga el Merlot.
COLOR:Ruby Profundo.
AROMA:delicado y concentrado. Ciruela, nueces, especias y hongos
SABOR:amable pero con cuerpo. Muy buena densidad. Sabores de arándanos, moras y otros frutos silvestres, pasas, ahumados.
GASTRONOMIA: Buen compañero de carnes, corderos, pastas y quesos. Va muy bien con empanadas, pasteles. Muy bueno en estructura y concentración.
Sugerimos servirlo en el entorno de los 18ºC.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Não cheguei a provar este vinho, pois já tinha degustado vinhos demais neste dia. Este vinho foi comprado pela Marie no dia em que fizemos uma degustação de tannat com empanadas aqui em casa, mas durante a qual não chegamos a prová-lo.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
Um rótulo que peca nos detalhes. Tem elementos para ser um rótulo bonito, mas principalmente pelo peso de algumas tipologias usadas, ele acaba não ficando tão harmônico. Esta garrafa é fina e alta. Com alguns ajustes, este rótulo iria ganhar muito.
Exame visual: Bordô claro.
Exame olfativo: Frutas vermelhas.
Exame gustativo: Este foi o segundo vinho da noite. Bebi apenas uma taça enquanto assistíamos um filme. Já degustamos este vinho outras vezes e ele é sempre um vinho correto, de boa relação custo-benefício e paladar agradável. Fácil de se beber. Sempre uma boa escolha.
Nota: 86.0+

19 de outubro de 2008

Pergunta da Semana - 87

O Le Vin au Blog publica uma pergunta nova toda quarta-feira. Nesta semana, a pergunta foi inspirada na publicação do guia Comer & Beber, da Revista Veja, que circula há pouco mais de 10 dias nas principais cidades brasileiras.

- Para você, qual o melhor lugar para se beber vinhos em sua cidade? Não esqueça de dizer onde você mora.

14 de outubro de 2008

Arbois Pupillin 2000


Nome: Arbois Pupillin
Safra: 2000
País: França
Região: Jura
Produtor: Fruitière Vinicole de Pupillin
Site: -
Importador: -

Uvas/Corte: Savagnin
Teor alcoólico: 13%
Rolha: De cortiça, tamanho médio.
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido por Mário e Marie
Onde foi comprado: Paris, França
Quando foi comprado: 2º semestre de 2007
Degustado em: 28 de setembro de 2008
Onde bebeu: Casa da Marie e do Mário
Harmonizado com: Pães e queijos
Com quem: Claudio, Rafaela, Mário, Marie, Ricardo e Raquel

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Claudio diz que este vinho é licoroso, eu não estou me lembrando muito bem. O que melhor lembro daquele dia foi da sopa de abóbora deliciosa que a Marie preparou. Até hoje não comi outra igual, tão boa.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
Típico rótulo francês.
Exame visual: Amarelo licoroso
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Mario é grande fã deste vinho. Quando estive com ele em Paris na casa da Marie bebemos uma bela garrafa de um Arbois. Desde então sempre que consegue ele procura provar outros vinhos da região de Jura. Tentamos degustar uma outra garrafa em um outro dia, mas não estava nas melhores condições. Já esta garrafa estava. É um vinho muito particular com características e paladar bastante peculiares. Lembra um pouco vinhos fortificados, como Jerez e tem ótima capacidade para envelhecer. Cresce bastante com comida. Quem gosta de descobrir novos paladares nos vinhos deve provar um vinho de Jura.
Nota: 88.0

Callia Magna - Syrah 2006



Nome: Callia Magna
Safra: 2006
País: Argentina
Região: San Juan
Produtor: Bodegas Callia
Site: http://www.bodegascallia.com/
Importador: Decanter

Uvas/Corte: Syrah 100%
Teor alcoólico: 14,8%
Rolha: De cortiça aglomerada, de tamanho médio e com logomarca estampada.
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 70 (no importador este vinho sai por R$ 40,00)
Onde foi comprado: Restaurante Ponderox, Rio Design Barra no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 28 de setembro de 2008
Degustado em: 28 de setembro de 2008
Onde bebeu: Restaurante Ponderox, Rio Design Barra no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Galeto na brasa (Rafaela), Tambaqui (Claudio)
Com quem: Claudio, Rafaela, Julia, Gilberto, Luis e Simone

Comentário do Produtor
De color rojo oscuro, con matices violetas. Presenta aromas especiados y equilibrados, con notas de regaliz, vanilla y coco. En boca es untuoso, con taninos amables y redondo.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este vinho é muito gostoso. Quando começamos a namorar, bebíamos muitos vinhos com este gosto e passei a gostar muito. Claro que este vinho é muito superior ao que estávamos acostumados a beber na época, mas lembra aquelas primeiras experiências e fiquei muito feliz com o gosto familiar. É um vinho de lcorpo médio a encorpado, frutado e que agrada a todos - pelo menos a todos os que gostam de vinhos mais modernos.
Nota: 91.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo simples e bem equilibrado.
Exame visual: Violeta intenso e escuro.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Sempre é um boas e segura escolha a linha de vinhos da Callia. São vinhos modernos, equilibrados e muito bem feitos. Fruta presente, taninos macios e madeira arredondando todo o conjunto. Consegue ser moderno sem ser "over". É uma ótima escolha na faixa de preço (R$ 40,00 na importadora). Vale provar
Nota: 88.0

13 de outubro de 2008

Prosecco Dedicato Extra Dry



Nome: Prosecco Dedicato Extra Dry
Safra: -
País: Itália
Região: Verona
Produtor: Contri Spumanti
Site:http://www.contrispumanti.it/
Importador: -

Uvas/Corte: -
Teor alcoólico: -
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido pelo Baukurs
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 26 de setembro de 2008
Onde bebeu: Escola Alemã Corcovado, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Salgadinhos
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Spumante ottenuto mediante una lenta rifermentazione di vini provenienti dall'omonimo vitigno, caratterizzato da un colore giallo paglierino e da un perlage fine e persistente, si abbina con gli antipasti magri, i crostacei e le carni bianche.Ottimo a tutto pasto e come aperitivo, si consiglia di servirlo a 7-8 °C.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: O Baukurs completou 30 anos em setembro e participamos da comemoração que a Thea realizou na Escola Corcovado. Como eu já conhecia detalhadamente a história da escola, achei emocionante a cerimônia. E depois ainda teve a parte que todo mundo gosta, com salgadinhos e espumante. Foi legal. Pena que meus colegas de curso e o pessoal do DAAD não foi. Pelo menos o Lehrer Klaus estava por lá. :)
Nota: -

Pergunta da Semana - 86

Toda quarta-feira, o Le Vin au Blog coloca aqui uma nova pergunta para saber sobre as suas experiências no mundo do vinho. Nesta semana, perguntas rápidas, respostas rápidas. Qual uva você prefere:

1. Cabernet sauvignon ou merlot?
2. Syrah ou Carménère?
3. Pinot noir ou tempranillo?
4. Chardonnay ou sauvignon blanc?

8 de outubro de 2008

Quinta da Neve - Cabernet Sauvignon 2005


Nome: Quinta da Neve
Safra: 2005
País: Brasil
Região: São Joaquim, Serra de Santa Catarina
Produtor: Quinta da Neve Vinhos Finos Ltda.
Site: -
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 13%
Rolha: De cortiça e bom tamanho.
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 36,00
Onde foi comprado: Essen, em Florianópolis
Quando foi comprado: 26 de maio de 2008
Degustado em: 25 de setembro de 2008
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Expressa fielmente o “terroir” de São Joaquim. Rubi intenso e luminoso com moderada consistência. O olfato é marcado pelas notas clássicas de Cabernet Sauvignon de mesoclima frio, com agradável ponta herbácea, pequenas frutas vermelhas frescas e estimulante caráter especiado. Os taninos são muito finos e maduros e a acidez aporta grande vivacidade ao equilíbrio deste vinho gastronômico. Boa persistência gusto-olfativa.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Rubi.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Por alguma razão, este vinho me lembrou Caxias do Sul. E olha que ele nem veio do Rio Grande do Sul e sim de Santa Catarina. É um vinho muito bem feito, com gosto intenso, mas é meio pesado, pede bastante água, para não ter dor de cabeça no dia seguinte. Depois que desce pela garganta, deixa a boca sentindo o vinho. Se não tomar muita água, pode deixar os mais fracos tontos depois de uma taça.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
O rótulo da safra 2006 já udou, valorizando a logomarca. Este rótulo está de acordo com a nome da vínicola. Uso do branco.
Exame visual: Rubi transparente.
Exame olfativo: Nariz de difícil definição. Variava muito. Algo como pimenta, morango e cereja.
Exame gustativo: Este foi o primeiro vinho produzido na altitude do estado de Santa Catarina que degustamos aqui no blog. Este foi um interessante Cabernet. A curiosidade era tentar descobrir qual o potencial desta uva em um "terroir" diferente. Acho que é um local com um bom potencial para a produção de vinho. O vinho apresentava algum desequilíbrio que não consegui definir o que era. Apesar disto a uva apresenta um sabor firme e difente de outros Cabernets já degustado. Pareceu ter uma personalidade e uma tipicidade própria. Vale acompanhar as próximas safras e a evolução deste vinho. Este 2005 tinha corpo de médio para leve, estava jovem e e vivo. Temos outras garrafas de vínicolas de Santa Catarina que em breve iremos degustar.
Nota: 86.0 - 87.0

Angelica Zapata - Cabernet Franc 2002


Nome: Angelica Zapata
Safra: 2002
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Bodega Catena Zapata
Site: http://www.catenawines.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Franc 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: De cotiça e grande.
Numeração da garrafa: -
Preço: 85 pesos argentinos
Onde foi comprado: Winery, em Buenos Aires
Quando foi comprado: 11 de dezembro de 2007
Degustado em: 18 de setembro de 2008
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Risoto parmigiano
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
El Angélica Zapata Cabernet Franc Alta, cosecha 2002 presenta un color rojo rubí con suaves tonalidades violáceas. Posee un aroma intenso y concentrado con notas de grosellas maduras y toques de vainilla y especias dulces. De impacto dulzón y aterciopelado en boca, muestra frutos rojos maduros con marcados dejos a eucalipto y pimienta negra. Este vino, de excelente balance y elegancia, posee ahora un final bien estructurado y persistente y se prevé que evolucionará favorablemente en botella hasta por lo menos el año 2017.

Comentário da Rafaela
Exame visual: O jantar foi à luz de velas e nem deu para ver a cor.
Exame olfativo: Rico em aromas, senti cheiro de chocolate branco, de glacê.
Exame gustativo: Pouco tempo depois de termos comprado este vinho, fizemos uma lista dos vinhos que beberíamos em datas especiais. Escolhi este para o meu aniversário. Não poderia ter sido uma escolha melhor. Trata-se de um vinho delicioso. Ele parece apresentar no sabor condimentos, cravo-da-índia. Ele tem um ótimo retrogosto e tem um corpo médio. Foi um ótimo presente de aniversário.
Nota: 92.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo tradicional e objetivo. Valoriza o produto.
Exame visual:Bordô alaranjado, cor de vinho já envelhecido.
Exame olfativo: Rico e complexo. Diferente com toques de carne, pimentão, terra de estilo velho mundo misturando com alguma fruta vermelha e um pouco de baunilha. Interessante.
Exame gustativo: Gosto de provar uvas diferentes e quando fomos na Argentina resolvi comprar um Agelica Zapata da uva Cabernet Franc. No Brasil só chegam os Malbecs e Cabernet Sauvignons deste vinho. A Cabernet Franc é uma uva de paladar peculiar e característico bem representados aqui nesta garrafa. Vinho bem estruturado, muito bem equilibrado como todos os vinhos top da Bodega Catena Zapata. O paladar também é complexo lembrando vinhos da região de Chinon na França. Início com toques de fruta misturado com especiarias como cravo e final com algo de pimenta e mentol com boa permanência. Vinho envolvente, um belo exemplar desta uva. Vale provar.
Nota: 91.0+

7 de outubro de 2008

Marco Luigi - Chardonnay 2007


Nome: Marco Luigi
Safra: 2007
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul
Produtor: Vinícola Marco Luigi
Site: http://www.marcoluigi.com.br/
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay 100%
Teor alcoólico: 12%
Rolha: De cortiça aglomerada, de bom tamanho
Numeração da garrafa: 2.328/4.000
Preço: R$ 17,00
Onde foi comprado: Alipão em Botafogo
Quando foi comprado: 18 de setembro de 2008
Degustado em: 18 de setembro de 2008
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Vinho elaborado integralmente a partir de uvas chardonnay .A fermentação controlada a 20° C preserva as características mais marcantes da variedade .Apresenta grande frescor , jovialidade , estrutura e harmonia , ressaltando um conjunto de aromas de flores brancas e frutas cítricas.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Muito amarelinho.
Exame olfativo: Cheiro de abacaxi.
Exame gustativo: Este vinho foi uma boa compra que o Claudio fez. Achei bem docinho, sem ser enjoativo. Deixa um gosto de bala na boca. Levinho. Muito bom.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Busca um visual mais tradicional.
Exame visual: Amarelo bem claro, transparente.
Exame olfativo: Frutas como abacaxi, pêssego e um pouco de mel. Nariz bastante interessante.
Exame gustativo: Uma boa surpresa. Fui escolher um vinho para cozinhar que não tivesse um valor muito alto. Encontrei este Marco Luigi Chardonnay por R$ 17,00. Sem muita expectativa, antes de usar o vinho para preparar o risotto, fui degustar uma taça. O vinho é levemente untuoso, jovem e bastante agradável. Boa permanência e com um final frutado e com um leve amargor, algo terroso. Deve funcionar bem com frutos do mar e saladas e crescer. Vinho muito agradável e surpreende pelo preço. Vinho simples para se beber fresco. Vale repetir.
Nota: 87.0

Mora Negra - Malbec/Bonarda 2005


Nome: Mora Negra
Safra: 2005
País: Argentina
Região: Valle de Tulum, San Juan
Produtor: Finca Las Moras
Site: http://www.fincalasmoras.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Malbec e Bonarda
Teor alcoólico: 14.5%
Rolha: De cortiça clara, bom tamanho e de boa qualidade.
Numeração da garrafa: -/10.018 produzidas
Preço: 80 pesos argentinos
Onde foi comprado: Ligier, em Buenos Aires
Quando foi comprado: 12 de fevereiro de 2008
Degustado em: 16 de setembro de 2008
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Peito de perú, arroz integral e purê de batatas
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
MORA NEGRA muestra elegancia y una pureza de frutas excepcionales, debidas a su especial proceso de elaboración. El color es rojo púrpura denso y el aroma muestra un frutado intenso, con notas amables de vainilla y ahumado. De boca ampulosa, rica, redonda, con aromas y sabores amalgamados con taninos suaves, toques de chocolate y frutas maduras.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Púrpuro intenso.
Exame olfativo: Muito cheiroso, cheiro que remete a frutas.
Exame gustativo: Tínhamos um peito de perú no congelador que precisava ser feito e decidimos que esta noite seria a ideal, friazinha, boa para tomar um vinho... Para eu não ter que escolher o vinho (Claudio sempre faz uma lista e eu decido qual vai ser), falei que era para ser uma degustação às cegas para mim. Dei uns bons chutes e só não acertei o vinho porque realmente nem me lembrava mais que ele havia sido comprado. Foi uma boa surpresa. Gostei muito. É do estilo que gosto, bem argentino, mas com uma pontinha de velho mundo. Sim, sim... Eu estou evoluindo...
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Bem gráfico e explorando co contraste preto/branco. Moderno e equilibrado. Bonito estilo. Combina com o vinho.
Exame visual: Púrpura indo para o rubi intenso. Lágrimas densas e lentas.
Exame olfativo: Muito intenso. Você sente o buquet longe da taça. Muita fruta madura como amoras, cerejas e ameixa, leve toque de madeira. Moderno frutado e intenso.
Exame gustativo: Vinho de paladar firme e intenso, derivado dos 18 meses em barricas. Vinho encorpado, sabor forte e presente. Uma boa mistura entre a malbec e a bonarda. Um vinho moderno, com fruta em bom equilíbrio. Final levemente picante de boa intensidade e permanência. Alcool bem integrado. Taninos bem arredondados, Um vinho fácil de se beber e prazeroso. Não harmonizou com o nosso prato. Ainda pode evoluir na garrafa. Intenso é a melhor palavra para defini-lo. Vale provar.
Nota: 89.0 +

Pergunta da Semana - 85

Toda quarta-feira, o Le Vin au Blog coloca aqui uma nova pergunta para saber sobre as suas experiências no mundo do vinho. Nesta semana, depois de ver uma discussão no Enoteca sobre o assunto, Claudio sugeriu que a pergunta aqui no Le Vin au Blog fosse:

- Você se interessa ou costuma assistir a filmes com temas relacionados a vinhos ou à gastronomia?

3 de outubro de 2008

Fortaleza do Seival - Tempranillo 2006* #cbe




* Este vinho foi escolhido pelo blog Escrivinhos para ser o 20º vinho a ser degustado pela Confraria Brasileira de Enoblogs. A confraria funciona assim: todo mês, um blog aponta qual será o vinho a ser provado. No primeiro dia do mês seguinte são postados os comentários de todos os participantes, cada um em seu blog. Desta vez, o escolhido foi este Fortaleza do Seival 2006. Confira abaixo o que achamos dele:

Nome: Fortaleza do Seival
Safra: 2006
País: Brasil
Região: Campanha
Produtor: Miolo
Site: www.miolo.com.br
Importador: -

Uvas/Corte: Tempranillo
Teor alcoólico: 14%
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 19
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul, em Copabana
Quando foi comprado: 13 de setembro de 2008
Degustado em: 13 de setembro de 2008
Onde bebeu: Casa da Regina Helena, em Copacabana
Harmonizado com: Pizza Quatro Estações
Com quem: Claudio, Rafaela e Regina Helena (que não provou o vinho)

Comentário do Produtor
Este vinho apresenta uma intensidade de cor média alta com tonalidade de vermelho rubi. Seu aroma é frutado ressaltando frutas vermelhas maduras integradas com a madeira de carvalho que confere ao vinho uma certa complexidade aromática. Na boca apresenta uma estrutura média com taninos suaves e delicados deixando uma sensação agradável no final.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Bem bordô.
Exame olfativo: Cheiro de café. Não consegui identificar outros, infelizmente.
Exame gustativo: Gosto adocicado, bem frutado, mas leve amargor no final. Apresentou uma boa permanência. Trata-se de um vinho simples, com ótimo preço e que pode muito bem acompanhar uma pizza de forma satisfatória. Não nasceu para ser um supertop e não é mesmo, mas não faz feio. Tem um ótimo retrogosto. Estávamos novamente na casa da mãe do Claudio, ele foi buscar pizzas para a gente no Zona Sul e aproveitou para comprar o vinho do mês. Achei que não harmonizou tão bem com as pizzas, mas no fundo foi uma boa companhia para o jantar.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
A linha Fortaleza do Seival é simples, mas bem resolvida.
Exame visual: Bordô forte.
Exame olfativo: Café, carne, ameixa madura e final com leve baunilha.
Exame gustativo: Vinho de corpo médio e sabor intenso. Vinho de perfil bem moderno com muita fruta presente e paladar forte. Levemente quente e um leve amargor no seu final. Seu final é agradável porém não é tão longo. É um vinho agradável e correto de estilo musculoso. É uma boa opção para quem gosta deste perfil pela faixa de preço. Acho que pelo potencial da uva a Miolo poderia buscar um pouco mais de elegância e delicadeza. Se tornaria um vinho bem mais interessante.
Nota: 86.0 +

2 de outubro de 2008

Redondo 2006


Nome: Redondo
Safra: 2006
País: Portugal
Região: Alentejo
Produtor: Roquevale
Site: http://www.roquevale.pt/
Importador: Adega Alentejana

Uvas/Corte: Castelão, Trincadeira, Aragonês e Moreto
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça, pequena, proporcional à meia-garrafa
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 16
Onde foi comprado: Évora, na Barra da Tijuca
Quando foi comprado: 12 de setembro de 2008
Degustado em: 12 de setembro de 2008
Onde bebeu: Évora, na Barra da Tijuca
Harmonizado com: Acepipes
Com quem: Claudio e Gilberto

Comentário do Produtor
De cor granada, aspecto límpido, bouquet a frutos vermelhos maduros, vinoso e persistente; é um vinho macio com alguma adstringência, com corpo, elegância e estrutura mediana.

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo com características bem portuguesas:
Exame visual: Bordô indo para o violeta
Exame olfativo: Um pouco de álcool aparente e algo doce de difícil definição.
Exame gustativo: Final de um dia de trabalho resolvemos beber um vinho no "happy hour" sexta feira na agradável delicatessen Évora na Barra. Escolhemos esta meia garrafa para acompanhar alguns acepipes. É um vinho simples, boa opção para o dia-a-dia. Vinho com adstringência marcada e com taninos presentes. Sabor de fruta como ameixa. Final um pouco curto, quente e concentrado na boca. Funcionou bem com um pedaço de carpaccio. Um alentejano correto.
Nota: 86.0

1 de outubro de 2008

Merlot Terroir 2005


Nome: Merlot Terroir
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Miolo
Site: http://www.miolo.com.br/

Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça, tamanho grande, levemente infiltrada
Número da garrafa: 04935/22.000
Preço: R$ 76,90
Onde foi comprado: L'Orangerie, em Laranjeiras, no Rio
Quando foi comprado: 11 de setembro de 2008
Degustado em: 11 de setembro de 2008
Onde bebeu: L'Orangerie, em Laranjeiras, no Rio
Harmonizado com: Pães e acepipes gostosos
Com quem: Claudio, Rafaela, Marie, Amélie

Comentário do Produtor
O Merlot Terroir é elaborado através de uma combinação ideal de solo, clima, casta e influência do homem. De acordo com estes valores, A Miolo escolheu o Merlot como variedade emblemática dos vinhos tintos no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves, local que oferece as melhores condições para obter um Merlot de excelente qualidade. O resultado pode ser constatado neste vinho, elaborado com as melhores parcelas de vinhedos de Merlot da Miolo. Pertence a uma reserva limitada, foram elaboradas 18.000 garrafas, todas elas numeradas.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Queria provar este vinho há muito tempo, mas acaba sempre achando que era muito caro e deixava para uma próxima vez. Neste dia, nos encontramos com as parentes francesas da Marie e resolvemos que havia chegado o dia de provar um vinho tão bem falado e de mostrar às francesas um legítimo vinho brasileiro. Foi uma ótima opção. Trata-se de um vinho carnudo, gostoso, cheiroso.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Garrafa pesada e um rótulo limpo e imponente. Poucas cores e muito equilibrado.
Exame visual:
-
Exame olfativo: -
Exame gustativo: A sobrinha e a cunhada francesas da Marie estavam no Brasil e fomos juntos beber um vinho na L'Orangerie. A idéia era provar um vinho brasileiro e entre as opções da loja estava o Merlot Terroir. Este Miolo está sempre entre os vinhos destacados como os melhores do Brasil.Era uma boa noite para degustar. Realmente é um bom vinho. Segue um estilo mais argentino, com bastente corpo, taninos bem arredondados madeira presente. Vinho bem equilibrado de estilo Novo Mundo. Bastante envolvente e fácil de se beber. Realmente um ótimo Merlot brasileiro. As francesas gostaram bastante. Gostaria de provar novamente para uma análise mais criteriosa.
Nota:
89.0+

Angheben - Cabernet Sauvignon 2004



Nome: Angheben
Safra: 2004
País: Brasil
Região: Encruzilhada do Sul (Serra do Sudeste do RS)
Produtor: Angheben Adega de Vinhos Finos
Site: http://www.angheben.com.br/

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 12,8%
Preço: R$ 13,90
Onde foi comprado: L'Orangerie, em Laranjeiras, no Rio
Quando foi comprado: 11 de setembro de 2008
Degustado em: 11 de setembro de 2008
Onde bebeu: L'Orangerie, em Laranjeiras, no Rio
Harmonizado com: Pães e acepipes gostosos
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Coloração vermelho vivo, bastante intenso e brilhante. Seus aromas são complexos revelando frutas vermelhas, frutas cristalizadas, compotas, baunilha e favo de mel. Ao paladar apresenta um ataque doce, acidez baixa e muito agradável, taninos macios revelando-se um vinho redondo, com volume e bastante equilíbrio.Trata-se de um vinho versátil que tanto pode ser consumido agora quanto ser guardado para ser consumido mais tarde, podendo para isso durar pelo menos de quatro a cinco anos, desde que bem armazenado.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Sedoso, encorpado, com gosto de velho mundo, mas saboroso. Alcoólico sem incomodar. Talvez ficasse melhor com uma comida e não com entradinhas, como foi, apesar de o couvert da L'Orangerie ser ótimo.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo simples e imponente. Poderia ter um pouco mais de harmonia.
Exame visual:
Rubi fechado.
Exame olfativo
: Rico em aromas. Vegetal, nariz clássico de Cabernet. Leve álcool no início.
Exame gustativo
: Bom Cabernet da Angheben. Vinho com características bem vegetais, com taninos bem marcados e seco. Sabor de pimentão e terra. Pede comida. Depois de um tempo aberto ele evoluiu bastante. Boa tipicidade da casta. Corpo leve e final firme porém um pouco curto. Sem madeira aparente. Boa evolução. Gostei do estilo. Foi uma boa companhia para o couvert da L'Orangerie, foi o primeiro vinho da noite.
Nota: 87.0