21 de agosto de 2008

Edulis Crianza 2004


Nome: Edulis
Safra: 2004
País: Espanha
Região: Rioja
Produtor: Bodegas Altanza S.A.
Site: http://www.bodegasaltanza.com/

Uvas/Corte: Tempranillo 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Preço: Gentilmente oferecido pelo Helton
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul
Quando foi comprado: 9 de agosto de 2008
Degustado em: 9 de agosto de 2008
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Polenta com ragu de músculo
Com quem: Claudio, Rafaela e Helton

Comentário do Produtor
Aspecto: Intenso color granate.Aroma: Frutal, de variedad, con toque de barrica. Muy poco evolucionado. Agradable y limpio.Sabor: Potente y carnoso. Intenso y largo. Acidez firme y bien conjuntada.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Não anotei e agora não me lembro mais...
Exame gustativo: Recebemos pela primeira vez a visita do Helton aqui em casa. Ele trouxe este vinho para complementar o nosso jantar. Foi uma boa opção de preparação para o vinho que viria a seguir, o Salton Desejo. Este é um vinho mais simples, mas bem agradável. Na degustação do Zona Sul que fomos no mês passado já havíamos provado o reserva e havíamos gostado muito. Um comentário que não tem muito a ver com o vinho: adoro os selinhos que vêm colados às garrafas dos vinhos espanhóis. Gostaria de colecioná-los, mas ficam sempre meio destruídos ao serem desgrudados das garrafas.
Nota: 86.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
A tipologia e as cores conferem um estilo clean/moderno ao rótulo. Impresso em um papel texturizado tipo vergé. Gosto do design
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Degustamos este vinho enquanto preparávamos o ragú com polenta da harmonização virtual. Entre uma mexida e outra na panela, fomos provando este tempranillo espanhol. Vinho fácil de se beber, sem complexidade. Agradável. Uma boa companhia para o dia-a-dia. Boa abertura para o jantar.
Nota: 86.0

18 de agosto de 2008

Pergunta da Semana - 79

Toda quarta-feira, o Le Vin au Blog coloca aqui uma nova pergunta para saber sobre as suas experiências no mundo do vinho. Nesta semana, o Le Vin au Blog quer saber algo um pouco diferente:

- Você acha que vinho engorda? Quando você degusta algum vinho, você se preocupa com as calorias?

Bouza - Tempranillo/Tannat 2006


Nome: Bouza
Safra: 2006
País: Uruguai
Região: Canelones
Produtor: Bodega Bouza
Site: http://www.bodegabouza.com/

Uvas/Corte: Tempranillo 60%, Tannat 40%
Teor alcoólico: 13%
Preço: Gentilmente oferecido pelo Mauro
Onde foi comprado: No Uruguai pelo Fernando
Quando foi comprado: -
Degustado em: 8 de agosto de 2008
Onde bebeu: Casa da Marcela e do Mauro
Harmonizado com: Lombinho de porco recheado com quatro queijos
Com quem: Claudio, Rafaela, Junia, Fernando, Marcela e Mauro

Comentário do Produtor
Color rojo púrpura intenso. Delicado aroma a frutas rojas, cereza y frambuesa, con notas especiadas. En boca se presenta con buen volumen, sedoso, con taninos dulces bien equilibrados con la acidez.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Nesta mesma semana, provei este vinho duas vezes. Primeiro na degustação da Decanter e depois no jantar na casa da Marcela e do Mauro. Gosto muito deste vinho. É daqueles que dá prazer em beber. Sei que todos gostaram muito do vinho Mauro nesta noite, mas acho que se fosse escolher entre os dois, ficava com este, combina mais comigo.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo simpático com uma pequena ilustração a aquarela. O papel é um vergé.
Exame visual: Bonito tom de violeta.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Gosotoso vinho do produtor Urugaio Bodega Bouza. Vinho foi trazido do Uruguai pel Fernando e foi o segundo vinho da noite. E mesmo tendo sido degustado depois do ótimo vinho "Mauro", ele não fez feio. Muito pelo contrário. Foi interessante notar os estilos diferentes dos vinhos. Este Bouza ainda muito jovem, sem tanta complexidade mas com boa fruta e boa acidez. Já havia degustado e aprovado o corte de Tannat com Merlot. Este Bouza mostrou que a tempranillo pode ser uma boa parceira para a uva ícone do Uruguai. O resultado foi interessante. Acho que este vinho pode esperar muais um tempo em garrafa, Deve melhorar. Para quem não conhece vinhos uruguaios, fica a dica dos vinhos da Bodega Bouza. Provamos toda a linha no "Decanter Wine Show" e posso afirmar que os vinhos são muito interessantes.
Nota: 88.0

Mauro 2002



Nome: Mauro
Safra: 2002
País: Espanha
Região: Castilla y León
Produtor: Bodegas Mauro SA
Site: http://www.bodegasmauro.com/

Uvas/Corte: Tempranillo 90% e Syrah 10%
Teor alcoólico: 13,8%
Preço: 40 euros
Onde foi comprado: Madrid, na Espanha
Quando foi comprado: Janeiro de 2006
Degustado em: 8 de agosto de 2008
Onde bebeu: Casa da Marcela e do Mauro
Harmonizado com: Lombinho de porco recheado com quatro queijos
Com quem: Claudio, Rafaela, Junia, Fernando, Marcela e Mauro

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: Eu não lembrava mais muito bem da cor do vinho Mauro, mas quando o Claudio falou que era de um vinho já envelhecido, concordei. Fazia sentido.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Eu conheci o Mauro e a Marcela poucos dias antes deste vinho ser comprado. Desde então, ouço conversas deles com o Claudio sobre abrir o tal do vinho. Sempre ficavam planejando a receita e nada. De repente, começaram a ficar com medo que o vinho estragasse. Aí começaram a se articular de verdade para uma degustação. A vinda do Fernando foi um ótimo motivo para, finalmente, nos reunirmos. E o Mauro foi uma ótima companhia para o lombinho de porco feito pelo Mauro no forno com quatro queijos. O Mauro é claramente um vinho do velho mundo, mais encorpado, mais forte.
Nota: 90.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Simples, equilibrado e direto. Bom estilo.
Exame visual: Vinho apresentando características de envelhecimento. Tons alaranjados e opacos
Exame olfativo: Rico nariz.
Exame gustativo: Ótimo vinho espanhol. O estilo de vinho que gosto e que se encontra na Espanha. Este foi o primeiro vinho da noite. O Mauro trouxe o vinho Mauro da Espanha há algum tempo. Um dia fui na casa dele e percebi que o vinho havia vazado um pouco da garrafa. Ficamos com medo do vinho não estar bom. O Mauro resolveu preparar um jantar para finalmente abrir a garrafa. O vinho se apresntou bastante evoluído. Bom corpo, boa estrutura. Elegância com um sabor intenso. A madeira estava bem trabalhada deixando o vinho bem arredondado. Vinho que dá prazer em degustar. Recomendo.
Nota: 91.0+

Viña Maipu Roble - Malbec 2006


Nome: Viña Maipu Roble
Safra: 2006
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Viña Maipu
Site: http://www.maipuwines.com/

Uvas/Corte: Malbec
Teor alcoólico: 13,90%
Preço: Gentilmente oferecido pelo Miguel
Onde foi comprado: Foi presenteado ao Miguel pelo pai dele
Quando foi comprado: -
Degustado em: 1º de agosto de 2008
Onde bebeu: Casa do Miguel, da Paula e dos meninos
Harmonizado com: Founde de queijo
Com quem: Claudio, Rafaela, Miguel, Paula e Ricardo

Comentário do Produtor
Este vinho, de cor vermelha escuro, apresenta boa complexidade aromática, que predominam toques de aromas e creme de cassis. Na boca apresenta ser um vinho firme e com bom nível de taninos com aromas persistentes e arredondados. Excelente para acompanhar carnes vermelhas, caças e massas ao molho vermelho.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Lembro-me vagamente de os meninos comentarem que este vinho não parecia um malbec de verdade. Eu bebi uns poucos goles de nada. Creio que isso signifique que não se trata de um vinho marcante.
Nota: 85.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Garrafa alta e rótulo tradicional. Mesmo sem trazer nenhuma novidade passa credibilidade.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Segundo vinho da noite. Não conhecia este malbec que decepcionou um pouco. Me pareceu ser bem básico e um pouco rústico. Seu paladar não é ruim mas não traz muitos atrativos. Valeu para acompanhar a conversa e as toneladas de founde de queijo preparado pela Paula e Miguel.
Nota: 85.0

Castillo de Molina Reserva - Pinot Noir 2006



Nome: Castillo de Molina Reserva
Safra: 2006
País: Chile
Região: Valle de Curicó
Produtor: Viña San Pedro SA
Site: http://www.sanpedro.cl/

Uvas/Corte: Pinot Noir
Teor alcoólico: 14%
Preço: Gentilmente oferecido pelo Miguel
Onde foi comprado: La Botella, em Ipanema
Quando foi comprado: -
Degustado em: 1º de agosto de 2008
Onde bebeu: Casa do Miguel, da Paula e dos meninos
Harmonizado com: Founde de queijo
Com quem: Claudio, Rafaela, Miguel, Paula e Ricardo - Arthur e Rafael dormiam...

Comentário do Produtor
Colour: Pale red in colour with violet flecks. Aroma: high aromatic intensity, with notes that recall violets, roses, and red fruits, as well as gently toasted oak and vanilla notes resulting from oak barrel aging. Palate: It is fresh on the palate, light in body, and moderate in acidity, revealing rose and oak notes in an elegant finish with prolonged duration.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Como estou escrevendo este comentário muitos dias depois de termos degustado este vinho, lembro-me de pouca coisa. Entre essas poucas coisas, lembro-me de se tratar de um vinho leve, mas até mesmo mais leve do o pinot noir costuma ser. Foi uma noite bem legal e divertida que acabou com uma exibição de Curtindo a Vida Adoidado. E ainda conseguimos pegar o Arthur acordado um pouquinho. O Rafael já dormia há horas quando chegamos. Paula preparou founde para um batalhão na panela nova - e elétrica. :)
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
O rótulo desta linha de vinhos foi renovado recentemente. Ficou mais clean em preto branco e cobre. Foi usada uma ilustração a bico de pena. A tipologia poderia ter sido melhor trabalhada. Pesou um pouco no conjunto geral.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Primeiro vinho da noite. Miguel nos ofereceu este Pinot Noir chileno para acompanhar o founde de queijo. Vinho era bastante agradável, bem feito e sem arestas. Não degustamos com atenção, mas é um vinho que merece ser provado novamente.
Nota: 87.0+

Pergunta da Semana - 78

Toda quarta-feira, o Le Vin au Blog coloca aqui uma nova pergunta para saber sobre as suas experiências no mundo do vinho. Nesta semana, porém, o Le Vin au Blog quer saber algo um pouco diferente:

- Além de vinhos, você costuma degustar alguma outra bebida? Qual? Proporcionalmente, você degusta mais vinhos que outras bebidas alcóolicas? Em um mês, por exemplo, qual o percentual?

Montes Reserva - Malbec 2006


Nome: Montes Reserva
Safra: 2006
País: Chile
Região: Valle de Colchagua
Produtor: Viña Montes
Site: http://www.monteswines.com/english/home.htm

Uvas/Corte: Malbec
Teor alcoólico: 14,5%
Preço: R$ 47,90
Onde foi comprado: L'Orangerie, em Laranjeiras
Quando foi comprado: 29 de julho de 2008
Degustado em: 29 de julho de 2008
Onde bebeu: L'Orangerie, em Laranjeiras
Harmonizado com: Pães, queijos, frios e pastinhas
Com quem: Claudio, Rafaela, Marie, Mário, Ricardo e Miguel

Comentário do Produtor
De profundo e intenso rojo rubí. Posee sabores potentes y elegantes, con toques de ciruelas y moras. Un maravilloso butterscotch y toques de especies están totalmente integrados por las sutiles notas de vainilla que provienen de la guarda en barricas de madera. Un vino de gran cuerpo, con taninos maduros, voluptuoso en el paladar medio y un largo y delicioso final.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Gostei muito deste vinho, mas depois de tantas taças já não estava mais assimilando muito. Foi uma boa escolha para encerrar uma noite tão agradável de boa conversa.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Belo design deste rótulo. Uso correto de diversos elementos
Exame visual: -
Exame olfativo: Nariz doce, de alguma bala de leite/caramelo. Um pouco de ameixa e toques de pimentão. Interessante.
Exame gustativo: Terceiro vinho da noite. A escolha foi por conhecer um malbec chileno. Uva ícone da Argentina e pouco cultivada no Chile. Resolvemos experimentar esta garrafa de um excelente produtor chileno. Vinho muito bem feito e equilibrado. Vinho de estilo moderno, corpo médio e semexageros. Bom final com sabor de bala de leite/chocolate. Sabor bem distinto dos malbec que já degustei. Vale experimentar.
Nota: 88.0

Barrica Selection - Petit Verdot 2005


Nome: Barrica Selection
Safra: 2005
País: Chile
Região: Valle del Rapel
Produtor: Santa Carolina
Site: http://www.santacarolina.com/

Uvas/Corte: 85% Petit Verdot, 9% Syrah, 6% Cabernet Sauvignon
Teor alcoólico: 14%
Preço: R$ 57,90
Onde foi comprado: L'Orangerie, em Laranjeiras
Quando foi comprado: 29 de julho de 2008
Degustado em: 29 de julho de 2008
Onde bebeu: L'Orangerie, em Laranjeiras
Harmonizado com: Pães, pastinhas, frios e queijos
Com quem: Claudio, Rafaela, Marie, Mário, Ricardo e Miguel

Comentário do Produtor
This wine features an intense red scarlet colour. Exuberant and complex, it offers a myriad of aromas such as blackberries, ripe apricots and violets. Sweet tones of vanilla, toffee and cocoa taken from ageing in small french oak barrels for 18 months, are perfectly integrated to the fruit. This outstanding Petit Verdot is concentrated, with great structure and very flavourful. Strongly expressive, persistent and with a great bottle ageing potential.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Foi o vinho mais frutado da noite. Eu gostei bastante. Na verdade, é um vinho feito para que as pessoas gostem. É frutado, adocido, fácil de beber e realmente bem agradável. Apenas um tanto alcoólico.
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo que me despertou a curiosidade de provar o vinho. Passa seriedade.
Exame visual: Alaranjado escuro
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este foi o segundo vinho da noite em que bebemos o vinho do mês da Confraria de Enoblogs. Depois do Pizzato, resolvemos partir para outro vinho e a escolha caiu sobre este Santa Carolina. Petit Verdot é uma uva que acho bastante interessante. Gostei muito dos últimos vinhos que degustei com esta uva. O estilo deste Santa Carolina me decepcionou um pouco: muito frutado, uma geléia de frutas maduras com um toque de pimenta. Um pouco "over" e pesado para o meu paladar. Para o Mário, este foi o melhor vinho da noite.
Nota: 86.0

Pizzato Concentus 2004* #cbe



* Este foi o vinho escolhido pelo Diário de Baco, para ser o vinho da 18ª degustação da Confraria Brasileira de Enoblogs. A dinâmica da confraria é a seguinte: todo mês é escolhido um vinho para ser degustado por todos. No primeiro dia do mês seguinte são postados os comentários. Não deixe de ler os comentários dos demais participantes. Os links estão ao lado.

Nome: Concentus
Safra: 2004
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves
Produtor: Pizzato Vinhas e Vinhos
Site: http://www.pizzato.net/

Uvas/Corte: Merlot 40%, Tannat 40% e Cabernet Sauvignon 20%
Teor alcoólico: 13 %
Preço: R$ 42,00
Onde foi comprado: L'Orangerie, em Laranjeiras
Quando foi comprado: 29 de julho de 2008
Degustado em: 29 de julho de 2008
Onde bebeu: L'Orangerie, em Laranjeiras
Harmonizado com: Queijos Emmental, de cabra e brie, frios de mortadela com pistache e um salame defumado alemão, pães baguette e ciabatta e patê de foie com shitake
Com quem: Claudio, Rafaela, Mário, Marie, Ricardo e Miguel

Comentário do Produtor
Concentus, do latim, significa harmonia, concerto, acordo, consenso. Personifica a arte enológica de se mesclar diferentes varietais com o objetivo de elaborar um vinho harmônico, resultado da soma das qualidades de cada um dos componentes: as variedades de uva Merlot, Tannat e Cabernet Sauvignon.
Visual: apresenta cor intensa, rubi violácea.
Aroma: Lembra frutas vermelhas, geléias, especiarias, bosque molhado, e traços de mentolado e cassis.
Boca: Encorpado, de boa persistência e equilíbrio, com retrogosto prolongado com traços de especiarias

Comentário da Rafaela
Exame visual: Grená.
Exame olfativo: Estou me recuperando de uma gripe e meu nariz anda pior do que nunca. De qualquer jeito, este vinho era realmente muito aromático, perfumado.
Exame gustativo: Copiando o comentário do Ricardo, o cheiro do vinho é mais supreendente que o gosto. Não que o gosto seja ruim, é até bastante agradável, apenas é mais fraco que o cheiro. O sabor enche a boca, mas rapidamente desaparece. Com os queijos e o pão, que estava muito bom, o vinho fica melhor. Na minha opinião, é um vinho de corpo médio para leve, que deve ser muito bom para acompanhar um prato de comida. Valeu a pena ter provado para conhecer mais uma vinícola gaúcha. Poderia ser uns cinco reais mais barato. Foi o primeiro de três vinhos da noite. Esses dias, estávamos passeando por Laranjeiras e resolvemos dar uma passadinha na L'Orangerie. Quando vimos que lá estava sendo vendido o "vinho do mês", resolvemos ir prová-lo lá mesmo. Como o Ricardo e a Raquel moram ali perto, decidimos convidá-los para irem até lá - Raquel acabou indo para o Chile a trabalho. Depois, pensamos que o Miguel também iria gostar do programa. Aí, lembramos que a Marie sempre tem interesse em conhecer lugares diferentes e pensei ainda que a Carol e o Marcelo também iriam gostar. No final, foi uma noite muito agradável, que provavelmente será repetida em breve. Quem sabe no próximo "vinho do mês". :)
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Rótulo interessante, sem ser surpreendente. Clean, moderno e equilibrado. Sem exageros, mas também sem muito destaque.
Exame visual: Grená vivo.
Exame olfativo: Bouquet rico e interessante, porém de difícil definição. Toques de especiarias, ameixa, leve fruta e baunilha ao fundo.
Exame gustativo: Depois de sentir os aromas do vinho, a expectativa sobre o paladar cresceu. Contudo, o vinho em boca não acompanhava o nariz. É um bom vinho, de corpo médio, com um ataque inicial interessante, mas ele passa pela sua boca rapidamente. Em pouqíssimo tempo, o paladar dele desaparece. Ele evoluiu depois de algum tempo aberto, assim como quando provamos junto com os pães e o queijo. Nas últimas taças, o sabor da Tannat cresceu um pouco e pôde ser notado. No geral, é um vinho agradável, bem feito e delicado, mas peca pela rápida permanência em boca e leve retrogosto. Ele deveria ser um pouco mais barato. Bebemos este vinho em uma simpática loja em Laranjeiras. O local, as comidas e o papo com os amigos estavam agradáveis. Acabamos pedindo outros dois vinhos.
Nota: 86.0 +

17 de agosto de 2008

Boscato Reserva Chardonnay 2005


Nome: Boscato Reserva
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Nova Pádua, RS
Produtor: Boscato Indústria Vinícola
Site: http://www.boscato.com.br/

Uvas/Corte: Chardonnay
Teor alcoólico: 11,7%
Preço: -
Onde foi comprado: Tumelero Bebidas
Quando foi comprado: 6 de maio de 1008
Degustado em: 27 de julho de 2008 em comemoração ao aniversário da Regina Helena
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Moqueca de camarão, mexilhão e peixe feita pelo Mauro
Com quem: Claudio, Rafaela, Marcela, Mauro e Regina Helena

Comentário do Produtor
O Reserva Boscato Chardonnay é um vinho límpido, brilhante, de tonalidade amarelo-claro com reflexos esverdeados. Seu bouquet intenso lembra frutas tropicais, abacaxi, apresentando bom equilíbrio entre acidez e frescor.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Meu nariz não estava funcionando hoje.
Exame gustativo: A moqueca preparada pelo Mauro estava deliciosa, mas meus sentidos neste dia não estavam dos melhores. Eu não estava sentindo muitos cheiros e não estava com todas as minhas papilas gustativas ligadas. Uma pena. Deste vinho, sinceramente, não senti muita coisa, mas ele era levemente licoroso, pelo pouco que deu para analisar. Talvez precise provar uma outra vez mais para saber melhor.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
Tradicional rótulo da Boscato. Não é atraente, estilo antigo.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Abrimos esta meia garrafa do Boscato para acompanhar a moqueca. Vinho licoroso, mas com o paladar fechado e final um pouco sem graça e curto. Melhorou com o tempo. É agradável, mas falta acidez. Esperava um pouco mais dele.
Nota: 86.0

13 de agosto de 2008

Mistero do Seival - Tempranillo 2007


Nome: Mistero do Seival
Safra: 2007
País: Brasil
Região: Campanha, no Rio Grande do Sul
Produtor: Miolo
Site: http://www.miolo.com.br/

Uvas/Corte: Tempranillo
Teor alcoólico: 13,5%
Preço: R$ 19,50
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul, em Botafogo, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 17 de julho de 2008
Degustado em: 17 de julho de 2008
Onde bebeu: Supermercado Zona Sul, em Botafogo, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Pizza Margherita
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Fazia um bom tempo que não íamos ao Zona Sul comer pizza com um vinho. Nesta noite, resolvemos aproveitar uma promoção - pizza margherita a menos de R$ 9. Este vinho foi feito por meio de uma parceria entre o Zona Sul e a Miolo. Fiquei desconfiada que é o mesmo Fortaleza do Seival, apenas com um rótulo diferenciado. Sei lá, talvez eu seja apenas muito desconfiada. Se bem que ele é melhor que o Fortaleza do Seival. Gostei mais sem a comida, pois ficou um pouco amargo com a pizza. Deveria estar um pouco mais gelado também. É, de todo jeito, um vinho com ótimo custo/benefício. Boa opção para quem mora no Rio e quer tomar um vinho sem gastar muito.
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Programação visual leve e agradável. De acordo com a proposta do vinho.
Exame visual: GrenáExame olfativo: Leve álcool no início passando para leve frutas vermelhas maduras, um pouco de geléia e violeta.
Exame gustativo: Este vinho é produzido pela Miolo com exclusividade para o supermercado Zona Sul no Rio de Janeiro. É um vinho correto e fácil de se beber de corpo médio e sabor agradável, arredondado. Vinho simples, sem maiores complexidades mas bem feito e ideal para beber sem compromisso, acomapanhando uma pizza do próprio supermercado. Permanência razoável. Acho que pode evoluir um pouco ainda. Ótima relação custo/benefício. Vale provar.
Nota: 86.0+

Degustação da Importadora De La Croix


Nome: Rosé de l’Hortus, Bergerie de l’Hortus Classique, Château La Grave, Savigny Les Beaune 1er Cru, Haut Coustias, Pinot Gris Blosenberg
Safra: 2006, 2005, 2003, 2005, 2003, 2004
País: França
Região: Languedoc, Languedoc, Fronsac - Bordeaux, Côtes du Rhône, Bourgogne, Alsácia
Produtor: Domaine L´Hortus, Domaine L´Hortus, Château La Grave, Domaine de l’Oratoire Saint-Martin, Domaine Catherine & Claude Marechal, Domaine Sylvie Spielmann
Site: -

Uvas/Corte: 61% Syrah, 23% Mourvèdre e 16% Grenache - 50% Syrah, 27% Grenache e 23% Mourvèdre - 85% Merlot e 15% Cabernet Franc - 20% Grenache, 20% Syrah e 60% Mourvèdre - 100% Pinot Noir - 100% Pinot Gris
Teor alcoólico: 13,5% - 13% - 13,5% - 13,5% - 13% - 13,5%
Preço: R$ 51 - R$ 59 - R$ 105 - R$ 165 - R$ 115 - R$ 150
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 16 de julho de 2008
Onde bebeu: SBAV - RJ
Harmonizado com: Tábua de queijos e frios.
Com quem: Demais participantes da degustação na SBAV

Comentário do Claudio
Rótulo:
Destaque para o interesante rótulo do vinho rosé. Uma ilustração que foge do estilo tradicional de rótulos franceses.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Fui sorteado pelo Enoeventos para participar de uma degustação para apresentação de alguns rótulos franceses da importadora De la Croix na SBAV-RJ. Degustamos seis vinhos de diferentes regiões. Esta importadora comercializa somente vinhos da França. Conforme informou o representante, o portfólio de vinhos não é grande, mas muito bem selecionado, privilegiando pequenos produtores franceses. No geral, os vinhos apresentados são vinhos bem feitos e que mostraram grande evolução na taça, tanto no olfato quanto no paladar. Para todos, eu achei que cresceriam se fossem degustados durante uma refeição. O primeiro a ser servido foi um rosé. Muito diferente de todos os rosés que já degustei, com muita pimenta presente. Um vinho difícil e que não é fácil de agradar. Do mesmo produtor, foi servido um corte do Languedoc. No início, apresentou muito álcool e um final apimentado. Evoluiu e se tornou mais agradável com tempo em taça. É um vinho que mudará bastante com comida. O terceiro vinho foi um Bordeaux que tinha taninos bem presentes e final de médio para curto, um vinho correto. A degustação seguiu com um vinho da Borgonha. Vinho bem macio e aveludado de boa permanência. Toques de couro, terra, algo animal. Um sabor bem distinto. Uma boa experiência. Passamos para um Côtes du Rhône, que, para mim, foi o mais interessante da noite. Sabor forte e firme, tânico, vinho que ainda vai evoluir bastante. Toques de especiarias e mentolado. Fechando a noite, provamos um Pinot Gris da Alsace. Vinho agradável, mas que fica no meio do caminho para ser um vinho de sobremesa. Açúcar presente. Foi uma noite bastante agradável com vinhos diferentes.
Nota: 85.0 - 86.0 + - 86.0 + - 88,0 + - 89,0 - 87,0

12 de agosto de 2008

Pergunta da Semana - 77

Toda quarta-feira, o Le Vin au Blog coloca aqui uma nova pergunta para saber sobre as suas experiências no mundo do vinho. Nesta semana, o Le Vin au Blog pergunta:

- Passados quase dois meses da implantação da 'lei seca', você mudou os seus hábitos? Acha que a lei veio para ficar?

11 de agosto de 2008

Salton Desejo 2004*



* Esta foi a oitava edição da harmonização virtual entre blogs. O vinho foi uma indicação do Le Vin au Blog, enquanto o prato foi sugerido pelo Gourmandise. Desta vez, a harmonização teve uma participação especial muito bem-vinda: o blog espressa-mente!, especialista em cafés. Confira abaixo nossos comentários e também o resultado da experiência dos amigos Artur e Eliana. Não deixe de visitar os outros blogs que realizaram a harmonização: Gourmandise, espressa-mente!, Bons de Garfo e amuseBouche.

Nome: Salton Desejo
Safra: 2004
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves
Produtor: Santon S.A.
Site: http://www.salton.com.br

Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 13,0%
Preço: Não lembramos o valor que pagamos por esta garrafa
Onde foi comprado: Tumelero Bebidas, em Caxias do Sul
Quando foi comprado: 6 de maio de 2008
Degustado em: 9 de agosto de 2008
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Polenta com ragu de músculo
Com quem: Claudio, Rafaela e Helton

Comentário do Produtor
Coloração roxa violáceo intenso e profundo (quase negro). Aromas complexos de baunilha, côco, tabaco, empireomáticos e pimentas secas. Paladar elegante, cremoso e concentrado. Sabor prolongado e retrogosto de frutas roxas.

Comentário da Rafaela
Exame visual:
Quando caiu no decanter, mostrou uma cor bordô, forte, bonita.
Exame olfativo: Rico em aromas.
Exame gustativo: Para esta degustação convidamos o Helton, amigo querido de Florianópolis, que está passando uma temporada no Rio. Foi uma noite muito agradável, para ser repetida várias vezes. Quando o Helton chegou, o ragu já estava no fogo há quase duas horas e antes dele, diferentes legumes e temperos haviam se transformado em um cheiroso caldo de legumes. Pouco antes de servirmos o jantar, Claudio fez a polenta. Quando a Nina sugeriu polenta, já fiquei feliz. Afinal, louvando meu sobrenome italiano, sou uma comedora de polenta desde os tempos mais remotos da minha vida. :) Só que ao ler a receita da polenta, fiquei encucada, pois minha mãe nunca fez polenta com leite, nem com farinha especial. Resolvi deixar meus pré-conceitos de lado e tive uma ótima surpresa: a polenta ficou maravilhosa, diferente das polentas que eu havia comida até então. E eu até provei o ragu, que nem tinha gosto de carne, mas estava docinho, uma beleza. Falando um pouco do vinho: já havíamos provado, e gostado, do Salton Talento, e tínhamos boas expectativas em relação a este, o Desejo. E ele atendeu às nossas expectativas. Trata-se de uma vinho com personalidade, marcante. Junto com a comida, ele ficou um pouco amarguinho, mas não desagradou.
Nota: 89.0

Harmonização: Já falei tanto acima sobre o prato, mas tenho ainda a dizer que a combinação da polenta com o ragu foi perfeita. Um complementou o outro, um casamento perfeito. Gostei muito. A carne perdeu o gosto de carne (buscando referências no passado, quando eu não evitava comer carne vermelha) e ficou docinha devido à canela. Com o vinho, como já comentei, o vinho ficou um pouco amargo no final, mas isso não estragou a harmonização. Foi uma boa experiência e com certeza a receita será repetida aqui em casa.

Comentário do Claudio
Rótulo:
Segue a mesma linha do Talento, o outro vinho top da Salton. O mesmo tipo de ilustração/gravura com toques em cobre. Gosto do estilo.
Exame visual: Violeta púrpura escuro e vivo. Bonita cor.
Exame olfativo: No início algo como pimenta e pimentão passando para um nariz mais frutado. Um pouquinho de tabaco e baunilha também presentes.
Exame gustativo: Primeiro gostaria de esclarecer que cometi uma pequena confusão. Ao escolher o Desejo para ser o vinho a ser harmonizado indiquei a safra 2005 e na verdade a garrafa que nós tínhamos na adega era 2004. Só percebemos isto quando fomos abrir o vinho para decartar um pouco. Deixamos no decantador cerca de 1h30. Gostei bastante deste Merlot da Salton. É um vinho com estilo que tende a ser mais moderno. Boa estrutura, taninos arredondados, madeira não se fez muito presente nesta garrafa. Bom equilíbrio, corpo médio e álcool integrado. Um vinho bem feito e que vai agradar. Ao seu final um sabor mais intenso de fruta e leve amargor que caracterizava bem a Merlot. Um vinho interessante.
Nota: 88,0 +
Nota do vinho harmonizado com a comida: 87,0+

Harmonização: O prato me surpreendeu bastante. Quando recebemos a receita imaginei alguns sabores, os mais básicos de polenta e ragú. No entanto, logo na primeira garfada, alguns sabores inesperados deixaram o prato bastante interessante. A mistura da canela e da cebola roxa criou um sabor levemente adocicado ao músculo. Acho que é muito importante ficar atento a quantidade de canela que se vai colocar na receita. Um pouquinho a mais teria passado do ponto. A polenta estava com uma textura e sabores bem diferentes do que esperava. Mas o destaque estava para a harmonia entre a polenta e o molho: equilibrio perfeito. Um sabor completava o outro. Um prato fácil de se fazer, saboroso. No primeiro ataque do vinho na boca eu tive uma boa impressão, achei que o resultado final poderia ser muito bom. Porém o gosto final, após engolir deixou o vinho parecendo um pouco álcoolico, com um leve amargor. Não chegava a incomodar mas o final tinha algo diferente. Achei que tanto o prato quanto o vinho tinha "peso" semelhante, ninguém se sobressaiu. Resolvi fazer alguns teste, vinho + ragu e depois vinho + polenta. No meu paladar achei que este desequilíbrio final vinha da polenta pois o ragú tinha funcionado muito bem. O resultado final foi um jantar muito agradável. Para fechar o saboroso café Ghini que achei adequado ao jantar, estava na intensidade correta em relação ao prato e ao vinho. Achei o sabor mais rico que o cheiro mas valeu a experiência de incluir um café na harmonização virtual. Aproveito para convidar para a próxima edição.

Comentário do ArturPara esta harmonização, eu e a Eliana convidamos a Ligia e o Wilson, que, como nós, também apreciam bons vinhos e comidas. Conhecíamos o Salton Desejo 2004 e a versão 2005 nos pareceu igualmente equilibrada: acidez, taninos, madeira; é um ótimo vinho. A comida, preparada (bem, como sempre!) pela Eliana estava muito gostosa,embora todos tenham sentido que a canela a tenha deixado levemente enjoativa, sensação que desapareceu quando o vinho "entrou em ação", equilibrando tudo. Como não encontramos a polenta bramata, usamos outra, segundo a Eliana, de boa qualidade. Ela achou, porém, que a adição de leite não caiu muito bem. O café, leve, gostoso, serviu para coroar uma noite muito agradável. Estamos ansiosos para ler as impressões dos outros que participaram desta harmonização e, certamente, aprender um pouco mais com elas.

6 de agosto de 2008

Pergunta da Semana - 76

Toda quarta-feira, o Le Vin au Blog coloca aqui uma nova pergunta para saber sobre as suas experiências no mundo do vinho.

Na semana passada, tomamos conhecimento de uma pesquisa sobre o perfil do brasileiro que bebe vinho, realizada com mil pessoas, via internet, pela Two of Us. Pegando esse gancho, o Le Vin au Blog repete as perguntas da pesquisa para você respondê-las:

1. Você mora em qual região do Brasil?
2. Qual a sua idade?
3. Quantas vezes por semana você costuma beber vinhos?
4. Qual o seu tipo de vinho preferido (branco, tinto, espumante...)?
5. De qual país são os vinhos que você mais bebe?

5 de agosto de 2008

Mistero do Seival White 2008


Nome: Mistero do Seival
Safra: 2008
País: Brasil
Região: Campanha, RS
Produtor: Miolo Wine Group
Site: http://www.miolo.com.br/

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc
Teor alcoólico: 13%
Preço: R$ 13,50
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul, em Botafogo, no Rio
Quando foi comprado: 13 de julho de 2008
Degustado em: 13 de julho de 2008
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio

Comentário do Produtor
-
Comentário do Claudio
Rótulo:
Programação visual leve e agradável. De acordo com a proposta do vinho.
Exame visual: Muito claro. Talvez o vinho mais claro já comentado aqui no blog.
Exame olfativo: Álcool, abacaxi. Sutil e leve.
Exame gustativo: Este vinho foi desenvolvido pela Miolo com exclusividade para ser vendido nos supermercados Zona Sul aqui no Rio. Comprei-o para cozinhar e, como de costume, degustei um pouco para comentar. Vinho leve, simples, sem muita pretensão. Leve permanência. Pode funcionar com uma salada ou um prato leve de peixe.
Nota: 83.0+

1 de agosto de 2008

Les Vignerons d’Aghione Casanova - Gris 2005



Nome: Les Vignerons d’Aghione Casanova - Gris
Safra: 2005
País: França
Região: Vin de Pays de Corse.
Produtor: Domaine Casanova.
Site: -

Uvas/Corte: Sciacarellu e Grenache
Teor alcoólico: 12,5%
Preço: R$ 40
Onde foi comprado: Barraquinha de vinhos do Festival C'est Si Bon, no Forte de Copacabana
Quando foi comprado: 13 de julho de 2008
Degustado em: 13 de julho de 2008
Onde bebeu: Forte de Copacabana
Harmonizado com: Crepe de frango do Olivier Cozan, terrine do Garcia e Rodrigues, baguette da Brasserie Rosário, financier do Le Pain du Lapin
Com quem: Claudio, Rafaela, Mário, Marie, Raquel e Ricardo

Comentário do Produtor
Dégustation Robe rose très pâle et brillante. Nez: très fruité à dominante de fleurs blanches, de tilleul et d'acacia. Palais: un vin ensoleillé tout en légèreté et en finesse ; subtil et aérien, délicat et rafraîchissant.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Esta foi a segunda edição do Festival C'est si Bon aqui no Rio. Ano passado, também fomos e provamos um rosé. Desta vez, fomos de dia e foi realmente muito agradável. Dias assim fazem a vida valer a pena. Ficamos sentados ao sol, degustando comidinhas gostosas e acompanhados por alguns dos nossos amigos mais queridos aqui do Rio. O vinho, geladinho, combinou perfeitamente com o clima alegre daquela domingo. E ainda tinha a vista para Copacabana, com direito ao Pão de Açúcar ao fundo. O festival acontece apenas uma vez por ano, mas o Forte de Copacabana é uma ótima opção de passeio o ano todo. Se for acompanhado de um rosé, melhor ainda. :)
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
O rótulo é ruim e feio. Todo o atrativo da garrafa fica por conta da bela cor do vinho.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Segundo ano consecutivo que vamos ao Forte de Copacabana participar do festival francês. Neste ano resolvemos ir no início da bela tarde de sol que fazia no Rio de Janeiro. A temperatura estava agradável, e várias barracas de restaurantes franceses do Rio ofereciam algumas comidinhas. Um dia bonito, uma bela vista, boa conversa, comidas gostosase além de tudo isto, o vinho rosé harmonizou perfeitamente com este clima. Leve, agradável e gostoso, produzido em uma região que ainda não conhecia nenhum vinho: Córsega. Degustamos duas garrafas. Uma harmonização perfeita!
Nota: 88.0

Participe da 8ª Harmonização Virtual entre Blogs

Para a 8ª edição da degustação virtual, o Le Vin au Blog escolheu um vinho brasileiro bem conceituado pela crítica especializada: o Salton Desejo 2005. Pensando neste vinho e aproveitando o tempo frio, o Gourmandise decidiu optar pela receita de um ragu de carne vermelha acompanhado por uma polenta feita na hora.

Por sugestão do blog espressa-mente!, especialista em cafés, desta vez a harmonização ficará ainda mais completa. Ele indicou um café especial para encerrar a degustação.

Gostou? Escreva para o Le Vin au Blog (levinaublog@gmail.com) ou para o Gourmandise (ninocamori@hotmail.com), que lhe enviaremos a receita e a indicação do café.

O resultado da harmonização será publicado no dia 11 de agosto nos blogs participantes. Se você quer participar, mas não tem um blog, não tem problema, pode usar os nossos para publicar seus comentários.

Esperamos pelo seu e-mail.
Le Vin au Blog & Gourmandise + espressa-mente!