23 de dezembro de 2008

Matetic


Nome: EQ - Corralillo
Safra: 2007 - 2006
País: Chile
Região: Valle San Antonio
Produtor: Matetic
Site: http://www.matetic.cl/
Importador: a

Uvas/Corte: Sauvignon Blanc 100% ; Malbec 12%, Merlot 80% e Cabernet Franc 8%
Teor alcoólico: 14,5% - 14,5%
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Bodega Matetic, em San Antonio, Chile
Quando foi comprado: 5 de dezembro de 2008
Degustado em: 5 de dezembro de 2008
Onde bebeu: Bodega Matetic, em San Antonio, Chile
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
EQ: This grand Sauvignon Blanc is characterized by hints of tropical fruits that are released subtlety in the bouquet highlighting the complexity of the wine. In the mouth, in addition to the fruit, it is possible to find spices and very subtle notes of minerals and smoke. The acidity gives the wine a fresh balance and harmonizes with the soft sweetness of the fruit, giving the wine great structure, balance and a long finish.

Corralillo: This blend has a deep red color with intense aromas of cherry marmalade, strawberries, spices, leather and chocolate. In the mouth it illustrates its distinct components: the Merlot contributes red fruits, while the Cabernet Franc provides the spices, soft leathery notes and its full body, the Malbec lends the dried fruits and sweetness and the Pinot Noir intensifies the complexity of the blend. Finally the oak marries perfectly with the wine giving it its great character and elegance.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Logo depois da Casa Marin, seguimos para a Matetic, um projeto bem diferente. E também interessante. Claudio soube escolher muito bem os nossos passeios. Fomos recebidos por um moço de vinte e poucos anos, que estava lá especialmente para isso. Chegamos um pouco cedo e o ‘espetáculo’ ainda não estava preparado. Depois que ele organizou tudo, lá fomos nós olhar do alto da bela casa os intermináveis vinhedos. Não lembro quantos hectares eram, mas lembro são uma pequena parte dos 9 mil hectares que pertencem à família dona da Matetic. A vinícola é uma paixão, como disse o nosso guia. Ele nos explicou que tudo é feito da forma mais ecológica possível. Os vinhos são biodinâmicos. Em tudo lá procura-se seguir a idéia de respeito à natureza, aos elementos naturais. Um exemplo engraçado é como eles fazem para tirar os fungos das parreiras. Colocam galinhas para comer os insetos e pequenos predadores. Achei bem divertida essa idéia e perguntei como faziam para pegar as galinhas no final do trabalho. Ele respondeu que galinhas só andam para frente e basta esperá-las no final da parreira. Passeamos pelo belo prédio, vimos as barricas e seguimos para a degustação. Claudio falará mais dos vinhos. Gostei mais do branco do que do tinto, que me pareceu ainda estar muito jovem e nada pronto para se beber. Depois da degustação, fomos à lojinha. Claudio comprou um vinho e um boné, que foi bem útil nos dias seguintes, de muito sol em Santiago. É uma visita interessante e bonita. Depois dali seguimos para Valparaíso e para Viña del Mar. Ah, faltou dizer, cada visita custa 7 mil pesos.
Nota: -

Comentário do Claudio
Rótulo:
Muito bem feito e equilibrado, assim como toda a vinícola.
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: A poucos quilômetros da Casa Marin, se encontra a Matetic. A distância entre elas é pequena, mas as diferenças são enormes. A começar pelo tamanho da propriedade, a Matetic se estende por cerca de 9.000 hectares com 90 de vinhedos orgânicos. A segunda diferença é que os proprietários da Matetic são pessoas ligadas à indústria pesqueira, agrícola e de cimento no Chile. Eles não dependem do vinho para sobreviver, sendo mais que um hobby, uma paixão. A infra-estrutura e o projeto arquitetônico da vinícola são muito bem feitos. Outra diferença é o microclima: saímos com frio da Casa Marin e já na Matetic me pareceu ser um pouco mais quente. A Matetic produz o seu vinho de forma orgânica, buscando princípios de equilíbrio entre os elementos da natureza. Da sede, se tem uma bela vista para os vinhedos. O passeio é bastante interessante e bonito. Seguimos para a degustação dos vinhos. Iniciamos pelo EQ Sauvignon Blanc. Mais um excelente vinho chileno desta cepa branca. Como tínhamos acabado de degustar o Sauvignon Blanc da Casa Marin, foi interessante tentar fazer uma comparação. O EQ é muito fresco, vibrante com ótima acidez, refrescante e além de tudo rico no paladar. Um ótimo vinho, que acompanharia muito bem pratos leves de frutos do mar. Passamos para o tinto de uma linha inferior que a EQ, o Corralillo Malbec-Merlot. Este é um vinho mais potente, com mais corpo e presença. Porém, ainda muito jovem, com notas de couro e defumado, taninos muito vivos, vinho colava na boca. Com mais alguns anos e um bom prato de comida será uma boa opção de tinto com um corte diferente para vinhos chilenos. Foi uma ótima visita que também recomendo para quem for para a região. De lá, cruzamos Casablanca em direção à Valparaíso e Viña del Mar.
Nota: 93,0 - 88.0 +

Nenhum comentário: