18 de dezembro de 2008

Almaviva 2006


Nome: Almaviva
Safra: 2006
País: Chile
Região: Puente Alto, Santiago
Produtor: Almaviva Winery (Concha y Toro - Baron Philippe de Rothschild)
Site: http://www.almavivawinery.com/
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon: 63%, Carmenère: 26%, Cabernet Franc: 9%, Merlot: 2%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: -
Numeração da garrafa: -
Preço: tacinha incluída na visita a Bodega, que custa 15 mil pesos
Onde foi comprado: Bodega Almaviva, em Santiago, no Chile
Quando foi comprado: 4 de dezembro de 2008
Degustado em: 4 de dezembro de 2008
Onde bebeu: Bodega Almaviva, no Chile
Harmonizado com: -
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Intense ruby red, The nose reveals stable, frank aromas of ripe cassis, plum and blackberries, associated to mineral hints and fine notes of vanilla, coffee, grilled orange zest, tobacco and cacao. The mouth shows outstanding balance, great acidity, a firm tannic structure, and exceptional persistence. A brilliant wine, elegant, constant and precise in its character, showing a palate of class, with persistent and refined tannins.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Desde que comecei a me interessar um pouco por vinhos e passei a visitar lojas especializadas, toda vez que me deparava com uma garrafa de Almaviva, sempre dizia ao Claudio que precisávamos comprar uma. Só que comprar uma garrafa de Almaviva no Brasil é quase um atentado à razão. É um dos vinhos mais caros que se encontra na maioria das lojas. Ao marcar a viagem ao Chile, nosso Artero já estava bem gordinho e pensamos que comprar um Almaviva era uma boa maneira de investir nossas economias de 2008. Assim ficou decidido. Pensamos também que seria uma boa dar uma passadinha na vinícola. Fiz alguns contatos por e-mail. A agenda deles estava cheia, mas acharam uma brechinha. Só que quando chegamos à vinícola, nos disseram que não havia uma reserva. Conferi depois e enviei a confirmação na sexta anterior... Claudio argumentou com uma senhora do marketing, que marca as visitas, e depois de alguns minutos apareceu uma moça simpática para nos atender. Ela nos mostrou os vinhedos, a bela construção onde é realizado o processo de vinificação e onde as barricas são armazenadas. O motivo de não quererem nos receber naquele dia era por ser um dia de manutenção. Segundo a moça que nos atendeu, tudo tem que estar perfeito para receber os visitantes. Bom, não estava feio naquele dia, apenas um pouco bagunçado. Depois de caminharmos pelo prédio, fomos à – esperada – degustação. Posso estar deslumbrada, mas o Almaviva merece todos os créditos. O vinho que bebemos ainda não estava ‘pronto’, mas já se mostrava muito bom. Rico em aromas, com um sabor delicioso. Imagina daqui a alguns anos. Falamos sobre o preço absurdo do Brasil. Depois de provar uma tacinha, resolvemos comprar uma garrafa. Provamos o 2006, mas o que tinha para vender na vinícola era o da safra 2002. Agora, nos resta esperar alguns anos mais para ver como estará.
Como chegar: Tomar o metrô da linha azul e ir até a última estação, Plaza de Puento Alto. De lá, na pracinha, pegar um táxi. Pagamos menos de quatro mil pesos para ir. O mesmo taxista nos buscou e a corrida de volta custou outros quatro mil pesos. Se estiver no centro, é bom sair com quase uma hora de antecedência. A visita custou 15 mil pesos cada um.
Nota: 94.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Já é um ícone dos grandes vinhos.
Exame visual: Belo tom rubi.
Exame olfativo: Algo muito marcante na visita foi o delicioso bouquet que dominava todo o ambiente da "segunda" sala, onde estavam os barris de carvalho. Imagine uma taça com um vinho de bouquet complexo e envolvente. Isto foi o que sentimos quando entramos no recinto.
Exame gustativo: Nada como começar o dia com uma tacinha de Almaviva logo pela manhã! Depois de fazermos uma visita pela belíssima vinícola e conhecer detalhes da produção deste ícone do mundo do vinho, fomos degustar uma pequena taça do Almaviva 2006. Alguns críticos, como o chileno Patrício Tapia, estão classificando como um dos melhores Almavivas já produzidos e o melhor vinho tinto do Chile deste ano. No paladar deste 2006, você encontra tudo aquilo que pode esperar de um grande vinho: excepcional estrutura, equilíbrio e elegância, aliada a boa potência de fruta. Complexidade e um final longo e agradável. Porém, o diferencial deste vinho apenas virá com alguns bons anos na garrafa. O vinho que degustamos mostra que ele tem um longo trajeto dentro da garrafa. Claramente ainda muito jovem para um vinho deste porte: é um pecado abrir uma garrafa desta sem ele ter passado ao menos uns 5-10 anos evoluindo, mas foi uma experiência excelente nesta primeira vinícola que conhecemos no Chile. Temos uma Almaviva 2002 descansando em nossa adega para ser degustado em um dia especial. A quem for a Santiago, recomendo visitar a Almaviva.
Nota: 91.0-95.0

5 comentários:

Anônimo disse...

Que inveja!!! Parabéns. A sua viagem foi para o meu carrinho de desejos. De fato, o vinho é fantástico. Na verdade eu nunca fui além dele. Já provei do 2001 e 2002. Mas com os preços do Brasil, fica difícil repetir a experiência com frequencia. Mas sem dúvida é um vinho merecedor de homenagens com a que vocês fizeram. Impressiona no nariz e na boca encanta.
Parabéns pelo blog e pela viagem.
Sds.,
Paulo Collier

Nosso Vinho disse...

Muito legal. Almaviva é um dos meus preferidos. visitem o Nosso Vinho e vejam seu post.

http://nossovinho.com/?p=28

Agora experimentem também o Carmin Peumo.

http://nossovinho.com/?p=35

Abraços
Paulo Queiroz

Alexandre (Diário de Baco) disse...

meus amigos...

agora eu senti uma "inveja boa", se é que ela existe! ;o)

o Chile é demais mesmo...

abraços para vcs!
Alexandre

João Filipe Clemente disse...

Grande privilégio meuas amigos, beber na fonte não é para qualquer um! Neste ano tive a oportunidade de participar de uma vertical destes vinhos, ainda não escrevi sobre isso, e são realmente excepcionais.

Le Vin au Blog disse...

Paulo, Obrigado pelos comentários. Siga acompanhando o blog que vamos postar mais sobre a viagem.

Paulo, visitamos sempre o Nosso Vinho. Vou dar uma olhada no Almaviva.

Alexandre...sentimos a mesma "inveja" quando vimos seus post sobre o Chile. :)

João. Tenho curiosidade para saber qual deles você mais gostou. Ficarei de olho no Falando de Vinhos.

Abs.,