29 de outubro de 2007

Luigi Bosca - Malbec D.O.C. 2004




Nome: Malbec D.O.C.
Safra: 2004
País: Argentina
Região: La Linda, Vistalba, Luján de Cuyo, Mendoza
Produtor: Bodegas y Viñedos Leoncio Arizu
Site: http://www.luigibosca.com.ar/

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 14,5%
Preço: R$ 70,00
Onde foi comprado: Salitre, Leblon, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 26 de outubro de 2007
Degustado em: 26 de outubro de 2007
Onde bebeu: Salitre, Leblon, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Escalopes de Filet com Risoto de queijo.
Com quem: Claudio, Miguel, Paula, Ricardo e Raquel

Comentário do Produtor
Presenta un profundo color violáceo y aromas a cerezas, y ciruelas maduras. Es especiado, con notas de moka y blackberries, con una elegante dulzura. Mantiene un delicado perfume y una elegante estructura.

Comentário do Claudio
Rótulo:
Bela e pesada garrafa. O rótulo consegue aliar perfeitamente sofisticação, modernidade e elegância. Transmite exatamente o que o vinho é. Belo design.

Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Segundo vinho da noite. Para a alegria do Miguel, escolhi este Malbec, que havia sido indicado pelo pessoal da loja Espírito do Vinho. Para os fãs de um bom Malbec argentino esta garrafa é a pedida exata. É um vinho moderno, muito bem estruturado, que passou 14 meses em barrica. Madeira presente, mas sem excessos. Belo ataque inicial, que envolve sua língua e preeche a boca. Taninos firmes. Vinho suporta mais algum tempo em garrafa e tende a ficar ainda melhor. Álcool perfeitamente integrado. Bom final com longa e agradável permanência. Vinho bastante superior ao Malbec Reserva (já comentado aqui no blog) deste mesmo produtor. Um vinho moderno e bastante agradável, característico Malbec argentino.
Nota: 90.0+

Heredad de Aduna 2005 - Rioja



Nome: Heredad de Aduna
Safra: 2005
País: Espanha
Região: Rioja
Produtor: Bodegas Heredad de Aduna
Site: http://www.heredadaduna.com/

Uvas/Corte: Tempranillo 95%, Viura 5%
Teor alcoólico: 13%
Preço: R$ 38,00
Onde foi comprado: Salitre no Leblon, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 26 de outubro de 2007
Degustado em: 26 de outubro de 2007
Onde bebeu: Salitre no Leblon, Rio de Janeiro
Harmonizado com: Escalopes de filet com risoto de queijo
Com quem: Claudio, Miguel, Paula, Ricardo e Raquel

Comentário do Produtor
Es un vino eleborado según el método tradicional de maceración carbónica, utilizando la variedad de uva Temprenillo. Nuestros viñedos situados en Samaniego tienen una edad media de mas de tres décadas.

Comentário do Claudio
Rótulo:
Simples e tradicional, usa um brasão como elemento principal. Não é atraente.
Exame visual: Rubi vivo.
Exame olfativo: Nariz rico. Não foi observado com atenção.
Exame gustativo: Combinei um happy hour com o Miguel no La Botella. Convocamos o Ricardo, que também topou. Chegamos ao La Botella e estava lotado. Partimos para o Salitre, no Leblon. Escolhi os vinhos da noite. Começamos com este espanhol de Rioja. Não degustei o vinho com a atenção devida. De qualquer maneira, é um tempranillo leve e agradável, sem arestas que fez bem o papel de ser o primeiro vinho da noite.
Nota: 87,0

28 de outubro de 2007

Pergunta da Semana - 36

Queremos saber das suas experiências no mundo do vinho e por isso toda quarta-feira colocaremos aqui uma pergunta nova. Participe! Le Vin au Blog agradece!

Nesta semana, uma perguntinha bem simples e fácil para todo mundo participar. Le Vin au Blog quer saber:

- Qual foi o último vinho que você degustou? Qual a sua avaliação? Recomenda?

Argento - Cabernet Sauvignon 2006



Nome: Argento
Safra: 2006
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Bodegas Esmeralda
Site: http://www.argentowine.com


Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 13,4%
Preço: R$ 13,86
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 23 de outubro de 2007
Degustado em: 24 de outubro de 2007
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Fusili Primavera
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Our Argento Cabernet Sauvignon comes from the Medrano region, an excellent area for Cabernet cultivation. The wine shows a dark ruby red colour with a concentrated nose of fresh cherries and a touch of eucalyptus. The ripe plum and red currant flavours are meshed with shades of spice and cedar from oak ageing and transforms into a long, lingering finish characterized by ripe, sweet tannins.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Algo frutado, meio adocicado.
Exame gustativo: Sinceramente, eu gostei mais dos outros Argentos que provei - Malbec, Bonarda e Shiraz. Este, porém, não é ruim. Ele estava com bastante álcool ainda e um tanto quente. Depois de resfriado, mudou para melhor. Já aprendemos que a temperatura certa faz toda a diferença.
Nota: 86.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
O conhecido rótulo do Argento. Acho que é uma identidade visual bem resolvida, que agrega valor ao vinho. Garrafa fina e alta.
Exame visual: Violeta vivo.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Aproveitamos a promoção da semana e compramos mais um vinho da linha Argento. Desta vez, foi um Cabernet. Este foi o mais frutado dos três que já bebemos. Assim como os outros, é uma boa escolha para o dia-a-dia pelo ótimo preço e por ser um vinho muito bem feito. Este vinho estava mais vivo que os outros e melhorou depois de um tempo aberto e quando baixamos um pouco a temperatura. Um Cabernet de estilo mais frutado. Acho que se comparado com os outros, podemos esperar um pouco mais para beber este Cabernet. Tende a melhorar.
Nota: 86.0+

Finca Flichman - Cabernet Sauvignon 2004



Nome: Finca Flichman
Safra: 2004
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Vinícola Finca Flichman
Site: http://www.fincaflichman.com.ar


Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Preço: R$ 17,00 - minidecanter
Onde foi comprado: Pizzaria Fiametta de Botafogo, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 23 de outubro de 2007
Degustado em: 23 de outubro de 2007
Onde bebeu: Pizzaria Fiametta de Botafogo, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Pizza Quatro Queijos e Marguerita
Com quem: Claudio, Rafaela e Dorva

Comentário do Produtor
Vinho argentino fino tinto seco, elaborado a partir de uvas viníferas Cabernet Sauvignon. Apresenta cor vermelha intensa, aroma de frutas maduras e sabor surpreendente, suave e harmonioso, característico do seu varietal. Graduação alcoólica 13,5% vol - 750ml (vidro). Vinho importado da Argentina.

Comentário do Claudio
Rótulo:
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Fomos buscar o Dorva no aeroporto, pois ele iria dormir aqui em casa para seguir para Florianópolis no dia seguinte. Ele veio de Madrid e trouxe duas belas garrafas de tintos para nós. Todos estavam com fome e resolvemos ir comer uma pizza na Fiametta. Lá são servidos alguns vinhos em pequenos decanters, uma quantidade de três taças aproximadamente. Resolvemos escolher este Cabernet de um grande e conhecido produtor argentino. Não analisamos o vinho com cuidado. Acho que pela fome, nossa atenção ficou na pizaa. De qualquer forma, se mostrou um vinho bem agradável, correto e que cumpriu muito bem a função daquela noite. Um bom vinho para o seu dia-a-dia.
Nota: 86.0

24 de outubro de 2007

Pergunta da Semana - 35

Queremos saber das suas experiências no mundo do vinho e por isso toda quarta-feira colocaremos aqui uma pergunta nova. Participe! Le Vin au Blog agradece!

Nesta semana, Le Vin au Blog quer saber:

- Existe algum vinho que você gostaria muito de provar? Existe alguma uva que você ainda não provou ou algum vinho de uma região ou país que você queira muito degustar? Nós, por exemplo, planejamos viajar para o Chile e um dos nossos planos lá é comprar um Almaviva ou um Don Melchor. Você também tem algum desejo deste tipo? Qual vinho ou tipo de vinho acha que ‘precisa’ degustar?

17 de outubro de 2007

Terranova Reserve - Cabernet Sauvignon/Shiraz 2006* #cbe



* Este vinho foi o vinho degustado neste mês pela Confraria Brasileira de Enoblogs. A dinâmica da confraria é a seguinte: todo mês é escolhido um vinho para ser degustado por todos. No primeiro dia do mês seguinte são postados os comentários. Se você quiser participar da Confraria também, deixe um comentário. Neste mês tivemos novas adesões: Colheita de Vinhos e Le Vin Quotidien (que passará a publicar no próximo mês).

Nome: Terranova Reserve
Safra: 2006
País: Brasil
Região: Vale do São Francisco
Produtor: Miolo Wine Group
Site: http://www.miolo.com.br

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 50%, Shiraz 50%
Teor alcoólico: 13%
Preço: R$ 14,00
Onde foi comprado: Alipão, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: agosto de 2007
Degustado em: 19 de outubro de 2007
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Penne com queijo ao forno
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Este vinho de guarda é um corte harmônico de 50% de Cabernet Sauvignon, que confere estrutura e robustez e 50% de Shiraz, que lhe confere complexidade e vivacidade. Um vinho bem estruturado que pode envelhecer por mais alguns anos. Apresenta alta intensidade de cor e uma tonalidade de vermelho rubi e púrpura. Bem encorpado, ótimo volume de boca. Elaborado e engarrafado na origem, com uvas do Vale do Rio São Francisco. Servir em uma temperatura média entre 15 e 18ºC e decantá-lo por uma hora antes de servir fará com que os aromas frutados fiquem mais evidentes e amaciará o paladar.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Bordô mais escuro.
Exame olfativo: Cheiro metalizado, com um quê de morando. Álcool tão forte que parece que vai embebedar apenas com o cheiro. Claudio diz que tem cheiro de minério de ferro, mas para mim é mais cheiro de metal mesmo, bombril.
Exame gustativo: Adstringente, melhorou depois de ficar na temperatura certa, mas assim mesmo é um vinho quente, que provoca uma queimação na boca. Achei meio ácido, parece ferir as mucosas da boca. Não senti presença de taninos. Corpo fraco para médio. Complexidade média. Lágrimas finas. Apesar da queimação, deixa um gosto bom na boca, tem boa permanência. Não sei se gostaria de degustá-lo novamente, provavelmente não.
Nota: 85.0

Comentário do Claudio
Rótulo: Este é o novo rótulo da linha Terranova. Visivelmente houve uma tentativa de valorizar e deixar o produto mais "premium" com o uso do preto e do dourado. Talvez uma tentativa de se aproximar do estilo dos rótulos dos vinhos Rio Sol.
Exame visual: Tom de bordô, indo para o grená.
Exame olfativo: Nariz com características minerais, com leve fruta madura ao fundo. Álcool um pouco presente.
Exame gustativo: Este é o segundo vinho que bebemos do Vale do São Francisco para a Confraria dos Enoblogs. Diferente do Rio Sol, degustado anteriormente, este Miolo mostrou um pouco mais de força e presença de uva. Vinho jovem e vivo que poderá estar melhor com um ano a mais na garrafa. Início com certa adstringência e com o sabor da Shiraz se fazendo mais presente. Acidez presente e um leve amargor mais para o final. Razoável permanência com final agradável e novamente o sabor de Shiraz prevaleceu. Lágrimas rápidas na taça. Com este vinho, pode-se perceber uma evolução nos vinhos do Vale do São Francisco. Achei uma boa opção para o dia-a-dia pelo bom preço.
Nota: 86.0

Gran Feudo Crianza 2003*




* Este post trata sobre a segunda harmonização que fizemos em parceria com outro blog - o Gourmandise, dos amigos Marcel e Nina. Nesta segunda edição alguns outros blogs atenderam ao nosso convite e resolveram participar: espressa-mente, Le Vin Quotidien, Após o último fracasso das esperanças radicais e o amigo Gerson. Depois do sucesso da primeira harmonização resolvemos preparar esta segunda edição. Indicamos um vinho que tinha a uva Tempranillo como base e o Gourmandise ficou com a tarefa de escolher o prato. O resultado você pode conferir abaixo e aproveitamos para comvidar para a terceira edição.

Nome: Gran Feudo Crianza
Safra: 2003
País: Espanha
Região: Navarra
Produtor: Bodegas Julián Chivite
Site: http://www.chivite.com

Uvas/Corte: Tempranillo 70%, Garnacha 25% e Cabernet Sauvignon 5%
Teor alcoólico: 12,5%
Preço: R$ 36,82
Onde foi comprado: Mistral, no representante do Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 11 de outubro de 2007
Degustado em: 17 de outubro de 2007
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Costelinhas de porco com molho barbecue e legumes salteados no alho
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Gran Feudo tinto es elaborado a partir de una cuidadosa selección de uvas Tempranillo, Garnacha tinta y Cabernet Sauvignon de nuestros propios viñedos. Se realiza un estrujado ligero y fermentación controlada. La crianza en barricas de roble americano y francés, durante un mínimo de 12 meses y su posterior maduración en botella le hace adquirir las mejores características de un vino de crianza, complementando los nobles aromas de su juventud. Color: Limpio y brillante color rojo cereza de media intensidad con suaves tonos teja.
Aroma: Muy buena intensidad con tonos de frutas negras y buena madera de crianza bien ensamblada sobre un fondo especiado, muy armonioso.
Paladar: Con muy buena estructura, sabroso y equilibrado, amplio en matices afrutados y especiados. Al final suave y agradable con tonos tostados y recuerdos confitados.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Cor rubí, com as bordas telha.
Exame olfativo: Tem um que de mercearia, tipo quando você entra em um supermercado que mói café, faz pão ali mesmo. Lembra-me o Super Cesa, lá de Vacaria.
Exame gustativo: Não gostei muito deste vinho, não. Achei-o desequilibrado. Feito para ser bebido com uma comida. De outra maneira, fica difícil agüentar beber pouco mais de meia taça. Claudio disse que o vinho é "quente". Na minha linguagem, eu diria que ele provoca uma ardência na boca, que não é nada legal. São 12,5% de graduação alcoólica, mas que parecem mais. O cheiro de álcool permaneceu quase até o fim, apesar de termos decantado por quase uma hora.
Nota: 85.0

Harmonização: Em relação à outra harmonização que fizemos, posso dizer que achei os resultados da primeira melhor. Nesta, acho que o vinho não conseguiu se igualar aos sabores da comida, que estava deliciosa. O gosto que ficava após o vinho passar pela boca era o doce do molho barbecue.

Comentário do Claudio
Rótulo:
Um rótulo simples, que tem a assinatura do produtor em destaque. Isto é um recurso interessante, que passa a idéia de proximidade, de ser um vinho autoral.
Exame visual: Tom de rubi variando nas bordas. Límpido.
Exame olfativo: Álcool presente. Um pouco de ameixa, leve toque de frutas vermelhas, algo perfumado no final.
Exame gustativo: Este vinho é considerado um "best buy". Porém, ele não chegou a empolgar. É um vinho simples, que estava com um amargor em seu final. O vinho estava arisco, um pouco quente, com taninos vivos. O detalhe curioso que achei foi o paladar indo muito para o sabor da Cabernet Sauvignon, mesmo com apenas 5% desta uva em sua composição. Acho que as boas características da Tempranillo não apareceram. É um vinho pouco encorpado, que melhorou com o prato. Leve toque de madeira no início, quase imperceptível, e álcool um pouco presente mesmo com apenas 12,5%. Final era agradável. Esperava um pouco mais. Na taça, poucas lágrimas e finas.
Nota: 85.0+
Nota do vinho harmonizado com a comida: 86.0+

Harmonização: Gostei muito do prato. Este foi uma das melhores receitas de molho barbecue que provei. Muito equilibrado e que casou bem com a Costelinha. Deixamos menos tempo no forno que o recomendado, porém ficou no ponto, com a carne bem macia. Acho que coloquei um pouco de alho demais nos legumas, mas que também estavam agradáveis. O vinho melhorou com o prato. Acho que os paladares do prato e do viho eram complementares. Porém, como o vinho tinha menos potência que o esperado, principalmente em seu final, o sabor adocicado e delicioso do molho ganhou do vinho. Faltou um pouco de força ao vinho. De qualquer forma, foi um ótimo jantar e curtimos bastante prepará-lo, além da integração entre os Blogs. Não deixe de ler a receita no Gourmandise e ver os comentários dos outros participantes.

14 de outubro de 2007

Newen - Pinot Noir 2006



Nome: Newen
Safra: 2006
País: Argentina
Região: Neuquén, Patagônia
Produtor: Bodega Del Fin del Mundo
Site: http://www.bodegadelfindelmundo.com/

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 14%
Preço: R$ 35,00
Onde foi comprado: La Botella, em Ipanema, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 11 de outubro de 2007
Degustado em: 11 de outubro de 2007
Onde bebeu: La Botella, em Ipanema, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Queijos de cabra, brie, camembert e gouda
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Color rojo rubi intenso. Aroma a frutos rojos cerezas y guinadas, con un toque de vanilla. Frutado, intenso, de cuerpo medio, con taninos suaves y largo final de boca.
Comentário da Rafaela
Exame visual: Magenta, com um pouco de cyan, segundo o Claudio.
Exame olfativo: Aroma de champanhe, se isso é possível. O cheiro era muito docinho e lembrava algum espumante que já provamos. Sei que sou exagerada, mas se estivesse em uma degustação às cegas e tomando a bebida em um copo qualquer, poderia dizer que era um espumante.
Exame gustativo: Fazia um tempão que não íamos ao La Botella. Pelo que lembro desde o dia do lançamento do Harry Potter 7, em julho. Achei que seria um bom programa pré-feriado. Valeu a pena, estava agradável como sempre. Decidimos que escolheríamos um vinho modesto. Gostei da escolha do Claudio. Gosto agradável desde o início, apesar de eu tê-lo achado meío ácido, mas depois foi melhorando bem. Presença leve de taninos. Tinha um bom retrogosto, mas ficava "queimando" um pouco no início de cada gole.
Nota: 86.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Moderno e bonito. Utiliza um corte diferente e os "lagartos" são interessantes. Gosto do estilo.
Exame visual: Transparente e límpido, típico Pinot.
Exame olfativo: Doce e frutado. Bastante agradável.
Exame gustativo: Resolvemos ir no La Botella, uma loja de vinhos em Ipanema que gostamos muito. Escolhemos este Pinot Noir para experimentar. Já havia bebido um Cabernet deste mesmo produtor. É um vinho agradável e correto. Início quente, mas com algum tempo aberto, o vinho abre e cresce bastante, ficando mais doce e redondo. Vinho ainda jovem e com frescor. Seu final estava um pouco quente, com uma leve permanência.
Nota: 87.0

RAR Reserva de Família - 2003



Nome: RAR
Safra: 2003
País: Brasil
Região: Campos de Cima da Serra, Muitos Capões, RS
Produtor: Miolo Wine Group
Site: http://www.miolo.com.br


Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 60%, Merlot 40%
Teor alcoólico: 13%
Preço: R$ 49,50
Onde foi comprado: Loja Tumelero, em Caxias do Sul. Nos foi presenteado pela mãe da Rafaela
Quando foi comprado: 18 de agosto de 2007
Degustado em: 09 de outubro de 2007
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Bruschettas e queijos
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
RAR é fruto de um sonho do Sr. Raul A. Randon, que sempre teve vontade de produzir seu próprio vinho. Primeiro, ele implantou mudas certificadas e cultivou seus vinhedos na Região de Campos de Cima da Serra. Depois, passou para a Família Miolo a responsabilidade de elaborar o seu vinho. O resultado você pode degustar. Quem conhece a história do Sr. Randon já sabe que é mais um produto de sucesso. O RAR é um vinho de guarda, com estrutura para suportar vários anos de envelhecimento, potente, de corpo intenso com taninos presentes e maduros. Elaborado com uvas cabernet sauvignon e merlot, cultivadas nos vinhedos do empresário Raul Anselmo Randon, localizados na Região dos Campos de Cima da Serra, no RS. A altitude de 1.000 metros proporciona um clima frio, que faz com que haja grandes diferenças de temperatura entre o dia e a noite, propiciando uma maturação lenta das uvas com alta concentração de cor e taninos.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Tem uma cor conhecida de cabernet sauvignon, bordô.
Exame olfativo: Nenhum cheiro em especial.
Exame gustativo: Como apreciadora dos queijos do seu Randon, tinha altas expectativas em relação a este vinho, mas confesso que fiquei meio decepcionada. Talvez porque ele tenda para o lado dos vinhos mais austeros, mas acho que nem foi exatamente por isso. De início, ele se mostra um pouco ácido demais. Na segunda taça, na temperatura correta, melhora um pouco, mas ainda continua tendo um final estranho, classificado pelo Claudio como sendo de vinhos mais barato. Presença discreta de taninos, não é muito encorpado, mas não chega a ser levinho como um dos últimos pinots que bebemos. Não é complexo. Primeiro, provamos com bruschettas e ele foi melhor do que com o queijo do próprio seu RAR - que, aliás, tempos atrás escrevi que era Raul Antônio Randon, quando na verdade o nome verdadeiro do seu RAR é Raul Anselmo Randon. Scusi! O vinho, apesar do final estranho, deixa um gosto bom na boca. Adoraria recomendá-lo, mas não sei se vale realmente a pena. Pelo menos essa safra. Os vinhos RAR são produzidos em Muitos Capões, um lugarzinho minúsculo no interior do Rio Grande do Sul, onde meu avô materno morou a maior parte da vida. E onde, um dia, Claudio e eu teremos nossa pequena bodega.
Nota: 86.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Assim como o queijo RAR, o rótulo deste vinho não é atraente. Precisa de um redesenho.A imagem principal é a do logotipo RAR, que está com um desenho pesado e antigo.
Exame visual: Tom bordô escuro. Típico de Cabernet.
Exame olfativo: Pimentão verde, lembra alguns Bordeaux.
Exame gustativo: Um vinho austero e que foi melhorando com o tempo. Possui corpo médio e o álcool está bem integrado. Acho que o maior problema deste vinho está em seu final. Ele é um pouco amargo de início e depois simplesmente desaparece, o que é realmente muito estranho. O sabor da uva é presente, leve toque de madeira. Já li a respeito da safra 2004, que recebeu crítica melhor que a deste 2003. Tenho curiosidade de acompanhar como este vinho vai se comportar nas safras futuras. Acredito que exista um potencial. Não reagiu muito bem com as comidas, deixou o vinho um pouco quente. Funcionou melhor com um pedaço de salame que comemos. Na taça, lágrimas lentas e grossas.
Nota: 85.0

Pergunta da Semana - 34

Queremos saber das suas experiências no mundo do vinho e por isso toda quarta-feira colocaremos aqui uma pergunta nova. Participe! Le Vin au Blog agradece!

Nesta semana, Le Vin au Blog quer saber:

- Você tem taças especiais para degustar os seus vinhos? Costuma beber sempre na mesma ou varia de acordo com o tipo de uva? Você acha que a taça influencia no sabor dos vinhos?

8 de outubro de 2007

Costagaia Rosso IGT Duca di Castelmonte - 2004



Nome: Costagaia Rosso IGT
Safra: 2004
País: Itália
Região: Sicília
Produtor: Carlo Pellegrino
Site: http://www.carlopellegrino.it/


Uvas/Corte: Nero D'Avola, Nerello Mascalese e Frappato
Teor alcoólico: 12%
Preço: R$ 49,50
Onde foi comprado: Pomodorino, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 7 de outubro de 2007
Degustado em: 7 de outubro de 2007
Onde bebeu: Pomodorino, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Massa com molho de tomate fresco, com berinjela e manjericão e massa com molho de whisky e pedaços de salmão
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário Produtor
Cor: vermelho rubi com leves reflexos violáceos, límpido e vivaz. Aroma: denota frutas vermelhas com nuances de caramelo. Corpo: médio. Sabor: taninos marcantes, leve e harmônico.
Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Lembro apenas que gostei deste vinho, achei-o leve e agradável, mas mais não consigo me recordar. Estávamos em um restaurante italiano, por isso resolvemos escolher um vinho da mesma nacionalidade. Nós havíamos ido a este restaurante no dia do meu aniversário. Ganhamos naquela noite um cupom de desconto e ficamos bem empolgados para usá-lo de novo, mas de maneira mais modesta. Foi bom igual. Escolhemos um vinho mais simples e pratos mais baratos, mas não menos gostosos. As massas são feitas pelo próprio restaurante, assim como os deliciosos pães do couvert. O vinho harmonizou muito bem com o meu prato de massa com molho de tomate, berinjela e manjericão, mas achei que o Claudio, novamente, escolheu o melhor prato. Dá próxima vez, ele vai escolher os dois...
Nota: 86.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
Pouco atraente e desequilibrado.
Exame visual: Violeta.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Gosto bastante de vinhos italianos, contudo os preços dos vinhos italianos por aqui são pouco atraentes. Voltamos ao restaurante Pomodorino, que possui uma carta de vinhos grande, com diversas opções de vinhos italianos e com preços razoáveis para restaurante. Escolhemos este vinho da Sicília sem ter nenhuma referência sobre ele. Nunca tínhamos bebido vinhos das uvas Nero D'Avola, Nerello Mascalese e Frappato. Mostrou-se um vinho bem gostoso e atraente. Mesmo sendo simples, é um vinho equilibrado e com final interessante. Vinho para se beber com comida. Despertou o interesse por conhecer outros vinhos da região da Sicília. Uma boa escolha.
Nota: 87.0

Gourmandise e Le Vin au Blog convidam para o 2º jantar harmonizado.

Gourmandise e Le Vin au Blog realizam a segunda edição do jantar harmonizado entre blogs. Se você gosta de cozinhar e de beber vinhos, participe com a gente. Deixe uma mensagem com seu e-mail em um dos blogs ou envie um e-mail para levinaublog@gmail.com e/ou ninocamori@hotmail.com , para receber o nome do vinho escolhido e a receita. Os comentários sobre a harmonização serão publicados no dia 20 de outubro.

A primeira harmonização aconteceu em setembro, quando o vinho Pascual Toso foi harmonizado com Steak au Poivre Vert. O resultado foi ótimo e ficamos empolgados para repetir a experiência. Gourmandise e Le Vin au Blog publicaram comentários em seus respectivos endereços eletrônicos. Se você tiver um blog, poderá fazer o mesmo. Se não tiver, não tem problema, pode usar nossos blogs para contar como foi.

Esperamos pelo seu e-mail.
Abraços.

7 de outubro de 2007

Pergunta da Semana - 33

Queremos saber das suas experiências no mundo do vinho e por isso toda quarta-feira colocaremos aqui uma pergunta nova. Participe! Le Vin au Blog agradece!

Nesta semana, Le Vin au Blog quer saber:

- Você costuma degustar vinhos brancos? Qual a sua uva branca preferida? Qual a proporção entre vinhos brancos e vinhos tintos nas sua degustações? Lembra de algum vinho branco que tenha sido marcante?

Argento - Shiraz 2006



Nome: Argento
Safra: 2006
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Bodegas Esmeralda
Site: http://www.argentowine.com


Uvas/Corte: Shiraz 100%
Teor alcoólico: 13%
Preço: Gentilmente oferecido pelo Mauro
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: -
Degustado em: 5 de outubro de 2007
Onde bebeu: Na casa do Mauro e da Marcela
Harmonizado com: Pizzas.
Com quem: Claudio, Rafaela, Angela, José Carlos, Marcela e Mauro.

Comentário do Produtor
Our Argento Bonarda is sourced from the Rivadavia area of eastern Mendoza where the warm sunny climate produces extraordinary Bonarda grapes. With a deep reddish purple colour, this wine has an explosive nose of fresh raspberries with light floral notes. Ripe red berry fruit flavours are meshed with a touch of violet and lead into a soft, round finish.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Jaboticaba.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Em poucos dias, esta é a segunda vez que provamos um Argento. Desta vez, um Shiraz, mas não tão diferente do Bonarda. Bom igual. Apesar de eu ter gostado um pouquinho mais do Bonarda. O jantar foi bem agradável na casa da Marcela e do Mauro. Ângela quase se acabou de tanto rir. Nós estávamos felizes, pois havíamos acabado de ganhar duas belas taças, que foram estreadas lá mesmo. Só não deu para ficar mais, porque aula às 8 da manhã de sábado é algo que requer muitas horas prévias de sono. :)
Nota: 87.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
O conhecido rótulo do Argento. Acho que é uma identidade visual bem resolvida, que agrega valor ao vinho. Garrafa fina e alta.
Exame visual: Vinho escuro.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Segundo vinho da noite. Saímos de um Pinot Noir para um Shiraz. Estilos diferentes. Mauro comprou este vinho depois de ler o post sobre o Argento Bonarda e escolheu o Shiraz para provarmos juntos. Assim como o Bonarda bebido anteriormente, este Argento é uma ótima compra pelo seu preço. O mesmo perfil do Bonarda: bem estruturado, um pouco mais de fruta presente e uma adstringência menor. Vinho ainda jovem, mas que você já pode degustar. É uma escolha certa para o seu dia-a-dia. Dificilmente você encontrará vinhos nesta faixa de preço como o Argento.
Nota: 86.0+

Viña Mar Reserva - Pinot Noir 2005



Nome: Viña Mar Reserva
Safra: 2005
País: Chile
Região: Casablanca Valley
Produtor: Viña Mar
Site: http://www.vinamar.cl/


Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 14.5%
Preço: Gentilmente oferecido pelo Mauro
Onde foi comprado: Delícias do Mundo, Copacabana, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 5 de outubro de 2007
Degustado em: 5 de outubro de 2007
Onde bebeu: Na casa do Mauro e da Marcela
Harmonizado com: Pizzas Cogumelos e Portuguesa
Com quem: Claudio, Rafaela, Ângela, José Carlos, Marcela e Mauro

Comentário do Produtor
Color: Rojo violeta brillante con matiz rubí.
Aroma: Intenso, con notas florales como violetas, fresco, frutal, cereza roja, frutilla y suaves toques de humo y moka.
Sabor: Cuerpo medio, fino, complejo, de fruta roja madura, granos de café, de taninos suaves y redondos, con un típico retrogusto a humo.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Bem clarinho, translúcido.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Leve, gostoso, mas não foi analisado de forma adequada. Harmonizou bem com a pizza de cogumelos.
Nota: 85.0

Comentário do Claudio
Rótulo:
O rótulo não é o forte desta garrafa. Dividido em duas pequenas partes, a maoir em dourado, com uma ilustração de um barco e com as informações sobre o vinho. O texto está com uma distribuição ruim e com tamanhos de fontes equivocados. Na segunda parte do rótulo, entra o logotipo do produtos. Não é uma garrafa atraente.
Exame visual: Alaranjado e transparente. Típico de Pinot Noir.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Primeiro vinho da noite degustado nas taças que tínhamos acabado de ganhar. Não fizemos uma análise criteriosa, porém é um vinho agradável. Um Pinot sem arestas, bem equilibrado, álcool integrado mesmo com seus 14,5%. Vinho produzido no Vale Casablanca, conhecido por seus vinhos brancos. Uma boa opção de um Pinot chileno bem feito.
Nota: 86.0+

1 de outubro de 2007

Pergunta da semana - 32

Queremos saber das suas experiências no mundo do vinho e por isso toda quarta-feira colocaremos aqui uma pergunta nova. Participe! Le Vin au Blog agradece!

Nesta semana, Le Vin au Blog quer saber:

- Quando e como você começou a se interessar por vinhos? Foi influenciado por alguém? Lembra-se das primeiras garrafas degustadas? Algum vinho em especial marcou o início de seu interesse?