30 de abril de 2007

Reserva Miolo Merlot 2004


















Nome:
Reserva Miolo
Safra: 2004
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Vinícola Miolo
Site: www.miolo.com.br

Uvas/Corte: Merlot 100%,
Teor alcoólico: 13.5%
Preço: R$ 24,00
Onde foi comprado: Taças na Pizzaria "Sabor e Lenha" em Barra Mansa
Quando foi comprado: 21 de abril de 2007
Degustado em: 21 de abril de 2007
Onde bebeu: Pizzaria "Sabor e Lenha" em Barra Mansa
Harmonizado com: Pizza Marguerita
Com quem: Claudio e Rafaela


Comentário Produtor
Vinho encorpado e harmônico, de coloração intensa e aveludado ao paladar. Apresenta evolução em madeira (carvalho) e bouquet bastante complexo. É elaborado com uvas cultivadas no Vale dos Vinhedos, recebendo selo de indicação de procedência. Bem encorpado, com bom volume de boca. Aparecem bem os taninos doces, que deixam a sensação de veludo. Ótima persistência no retrogosto.

Comentário da Rafaela

Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo:
Nota: -

Comentário do Claudio
Exame visual:
rubi intenso
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Vinho leve, agradável sem ser muito complexo. Estávamos comendo uma pizza em Barra Mansa e deu vontade de um vinho para acompanhar. Este era o vinho servido em taça no restaurante. Cumpriu sua função.
Nota: 83.0

29 de abril de 2007

San Pedro de Yacochuya 2004




















Nome:
San Pedro de Yacochuya
Safra: 2004
País: Argentina
Região: Cafayate, Salta
Produtor: Bodega San Pedro de Yacochuya
Site: www.yacachuya.com

Uvas/Corte: Malbec 85%, Cabernet Sauvignon 15%
Teor alcoólico: 15.6%
Preço: R$ 78,00
Onde foi comprado: Grand Cru pelo Miguel
Quando foi comprado: -
Degustado em: 20 de abril de 2007
Onde bebeu: Casa do Miguel
Harmonizado com: Quiche de cebola, queijos, pães, patê.
Com quem: Claudio, Rafaela, Marcelo, Carol, Miguel e Paula

Comentário Produtor
Este corte ofrece admirablemente complejidad y riqueza. Frutas rojas a la nariz y gran estructura en boca, con taninos suaves. Es un vino muy bien balanceado. Se puede guardar 2-3 años.

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Este foi o terceiro vinho da noite. Não por esse motivo, mas também por isso, não consegui mais guardar as sensações provocadas por ele. Eu bebi deste apenas uma tacinha.
Nota: -

Comentário do Claudio
Exame visual:
Violeta escuro e denso. Dos três vinhos da noite, era o de cor mais escura. Pela cor descobrimos que era o Argentino na prova às cegas.
Exame olfativo: Rico em aromas.
Exame gustativo: Fechamos a noite com este Argentino assinado por Michel Roland. Novamente mudamos de estilo sem deixar cair a qualidade do vinho. Boa estrutura, bom corpo, taninos redondos e adocicados. Açúcar presente, levemente aveludado e um final longo. Um bom exemplo de um vinho trabalhado estilo "new world". 15,6% de álcool totalmente integrado com fruta na boca. Um vinho muito bom que certamente irá agradar a muitas pessoas. Talvez eu não seja um grande fã do estilo novo mundo (fruta+álcool) ou ainda não tenha bebido um que realmente me entusiamasse de verdade por isso minha nota não seja maior. Mas o fato é que foi uma noite muito agradável com 3 bons vinhos e junto com grandes amigos. Vamos repetir em breve.
Nota: 87.0+

28 de abril de 2007

Pergunta da Semana - 10

Além de dividir nossas degustações, também queremos saber das suas experiências no mundo do vinho. Para estimular o bate-papo, toda semana colocaremos aqui uma pergunta. Participe! Le Vin au Blog agradece!

Nesta semana, Le Vin au Blog quer saber:

- Como passamos a analisar os rótulos dos vinhos - afinal, nossa equipe conta com um designer -, queremos saber se você é influenciado pelo rótulo na hora de escolher um vinho. Você já teve alguma surpresa, do tipo: rótulo muito feio e vinho maravilhoso... ou o contrário. Qual o rótulo mais bonito que você já viu? E o mais incomum? Já comprou algum vinho apenas pelo rótulo?

Cartuxa Tinto Colheita 2001




















Nome:
Cartuxa
Safra: 2001
País: Portugal
Região: Évora, Alentejo
Produtor: Fundação Eugênio de Almeida
Site: www.cartuxa.pt

Uvas/Corte:
Aragonez, Trincadeira, Alfrocheiro, Tinta Caiada, Castelão e Moreto.
Teor alcoólico: 13.5%
Preço: R$ 70,00
Onde foi comprado: Levado pelo Marcelo
Quando foi comprado: 20 de abril de 2007
Degustado em: 20 de abril de 2007
Onde bebeu: Casa do Miguel e da Paula
Harmonizado com: Quiche de cebola, queijos, pães, patê.

Com quem: Claudio, Rafaela, Marcelo, Carol, Miguel e Paula

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Odor de mau hálito e coisas piores.
Exame gustativo: Apesar do cheiro terrível, que todas as meninas detestaram, o vinho é agradável. Não foi o meu preferido da noite, mas não dá para dizer que era ruim.
Nota: 86.0

Comentário do Claudio
Exame visual:
Rubi intenso.
Exame olfativo: Logo ao abrir, surgiram toques de couro.
Exame gustativo: Este foi o segundo vinho da noite. Cartuxa é um vinho muito conhecido em Portugal e fácil de se encontrar aqui no Brasil, um vinho tradicional. Paladar bem ao estilo alentejano que estava bastante agradável. Este corte de diversas uvas portuguesas foi um bom contraponto ao 100% Cabernet que bebemos antes, mantendo o mesmo nível de qualidade da noite. Fácil de beber e que se comportou bem com queijos e pães da noite. Este Cartuxa seria um vinho mais interessante se o seu preço fosse um pouco menor.
Nota: 87.0+

24 de abril de 2007

Carmen - Cabernet Sauvignon 2004




















Nome:
Carmen
Safra: 2004
País: Chile
Região: Valle del Rapel
Produtor: Viña Carmen

Site: www.carmen.com

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 13.5%
Preço: R$ 42,00
Onde foi comprado: Alipão, loja de vinhos na rua D. Mariana
Quando foi comprado: 20 de abril de 2007
Degustado em: 20 de abril de 2007
Onde bebeu: Casa do Miguel
Harmonizado com: Quiche de cebola, queijos, pães, patê.
Com quem: Claudio, Rafaela, Marcelo, Carol, Miguel e Paula

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Dos três vinhos que degustamos naquela noite na casa do Miguel e da Paula foi o que mais me agradou. "E olha que você não simpatizava tanto com cabernets", me diz o Claudio ao ler a primeira frase. Pois é, eu não sou mesmo uma apreciadora de cabernets, mas gostei bastante desse. Achei que combinou bem com os queijinhos, a pastinha e os pães do Talho Capixaba. Como não lembro de mais características desse e dos outros vinhos que provamos na última sexta-feira, vou falar sobre o encontro em si. Fazia algum tempo que planejávamos reunir a parte da turma do Claudio que aprecia um vinho. Os meninos - Claudio, Marcelo e Miguel - resolveram marcar para sexta. Carol se empolgou e resolveu fazer não só um quiche de cebola como um prato com mussarela de búfala, ambos muito bons. Paulinha que nem gosta muito de cebola comeu dois pedaços! Só faltou uma coisa: encontrar o Rafael, que foi dormir mais cedo naquela noite. Fica para a próxima. Quem sabe ele vem nos visitar na residência Giordano+Werneck. :)
Nota: 88.0

Comentário do Claudio
Exame visual:
Violeta escuro.
Exame olfativo: Clássico nariz de Cabernet Sauvignon. Vegetais e "sweet socks". Na prova às cegas descobrimos de primeira que este era o Cabernet
Exame gustativo: Este foi o primeiro dos três vinhos que bebemos nesta noite (vejas os próximos posts sobre os outro dois vinhos). Combinamos de nos encontrar na casa do Miguel e cada um levaria um vinho. Escolhi este Carmen pois tinha degustado uma meia garrafa com o Miguel e tinha nos deixado uma boa impressão. Abrimos bem a noite com ele. É um belo Cabernet que achei até um pouco melhor nesta garrafa. Boa estrutura, bom corpo, fruta na medida, taninos suaves. Vinho bem agradável e sem arestas. Bom início com um vinho mais clássico de uma ótima noite.
Nota: 88.0+

22 de abril de 2007

Pergunta da Semana - 9

Além de dividir nossas degustações, também queremos saber das suas experiências no mundo do vinho. Para estimular o bate-papo, toda semana colocaremos aqui uma pergunta. Participe! Le Vin au Blog agradece!

Nesta semana, Le Vin au Blog quer saber:

- Você já fez algum curso de degustação?

20 de abril de 2007

Santa Julia Syrah Malbec 2005












Nome: Santa Julia

Safra: 2005
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Família Zuccardi

Uvas/Corte:
Syrah 70%, Malbec 30%
Teor alcoólico: 13,5%
Preço: R$ 18,00
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 14 de abril de 2007
Onde bebeu: Casa da Raquel
Harmonizado com: Pizza do Domino's
Com quem: Claudio, Rafaela, Mario, Marie e Raquel

Comentário do Claudio
Exame visual:
-
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Bebemos este vinho antes de assistir filmes na casa da Raquel. não o analisamos. O vinho foi gentilmente levado pelo Mario e acompanhou bem a pizza. Já tínhamos bebido este mesmo vinho no aniversário do Mário.
Nota: -

18 de abril de 2007

Casa Marguery Malbec 2004




















Nome:
Casa Marguery
Safra: 2004
País: Argentina
Região: La Consulta, Departamento de San Carlos, Mendoza
Produtor: Casa Vinícola Família Marguery
Site: www.marguerywines.com

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 14,9%
Preço: R$ 69,00
Onde foi comprado: La Botella, em Ipanema, Rio
Quando foi comprado: 13 de abril de 2007
Degustado em: 13 de abril de 2007
Onde bebeu: La Botella
Harmonizado com: Sanduíches e massa
Com quem: Claudio, Rafaela, Miguel e Paula

Comentário do Produtor

Color rojo profundo de intensos tonos violetas. En la nariz se presenta complejo, encuentro frutos rojos rojos como ciruelas y guindas, algo de pimienta negra y cassis. En boca es concentrado pero a la vez redondo, de gran dulzura tánica. El carácter varietal aparece tanto en el color como en los aromas y en el sabor.

Comentário da Rafaela

Exame visual: Superescuro. Demais, até para um malbec.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Malbecs argentinos são sempre bem-vindos, mesmo quando são um tanto quanto 'fabricados'. Esse era um ótimo exemplo de vinho trabalhado em excesso, ficou perfeitinho de mais. Apesar de tudo isso, eu gostei, mas achei ele muito caro pelo que ofereceu. Melhor gastar com outras produções.
Nota: 86.0

Comentário do Claudio
Exame visual:
Roxo escuro, opaco e intenso. Um dos vinhos de cor mais escura que degustamos.
Exame olfativo: Não analisamos corretamente, mas deu para perceber que este vinho tinha um buquet sutil e com complexidade, sem, contudo, ser forte.
Exame gustativo: Vinho trabalhado e com fortes traços e estilo de "novo mundo". Enquanto bebíamos o Cono Sur, o vinho ficou aberto respirando e climatizando. A primeira forte impressão é em relação à textura: é um vinho espesso, licoroso de bom corpo e boa estrutura. Taninos firmes. Doce. Gradação alcoólica alta, porém integrado ao vinho. Na boca sabor de fruta/geléia concentrada, compota forte. Para o meu paladar foi onde este vinho pecou. Frutado em excesso, acima do limite, o que mostra uma interferência do homem na produção deste vinho. O sabor se torna um pouco "fake". Como disse o Miguel, é um malbec que não lembra malbec. Talvez com um prato mais forte de carne este vinho ficasse melhor. Paula e Rafaela gostaram, acredito pelo fato desta estrutura doce do vinho. Seu estilo vai agradar muita gente, principalmente que gosta de vinhos "new world".
Nota: 87.0

14 de abril de 2007

Pergunta da Semana - 8

Além de dividir nossas degustações, também queremos saber das suas experiências no mundo do vinho. Para estimular o bate-papo, toda semana colocaremos aqui uma pergunta. Participe! Le Vin au Blog agradece!

Nesta semana, Le Vin au Blog pergunta:

- Os malbecs são presença constante aqui no Le Vin au Blog. Por gostarmos tanto, queremos saber qual o melhor malbec argentino que você já degustou?

Cono Sur Pinot Noir 2006




















Nome:
Cono Sur
Safra: 2006
País: Chile
Região: Rapel Valey
Produtor: Viña Cono Sur
Site: www.conosur.com

Uvas/Corte:
Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 14%
Preço: R$ 39,00
Onde foi comprado: La Botella
Quando foi comprado: 13 de abril de 2007
Degustado em: 13 de abril de 2007
Onde bebeu: La Botella
Harmonizado com: Sanduíches e massa
Com quem: Claudio, Rafaela, Miguel e Paula

Comentário do Produtor

De un vivaz y fresco color rojo-morado, este es un pinot noir voluptuoso lleno de ricas notas frutales a guinda, frambuesa, ciruela y frutilla -¡una fiesta de frutos rojos!- subrayadas por la sutil presencia del ahumado. Otras notas añaden flores -violetas- y una recatada cualidad terrosa. Equilibrado y de un estilo propio del nuevo mundo, se trata de un vino con personalidad y clase. Sexy, puro y simple, muestra un marcado perfil varietal, que se manifiesta en una aproximación joven y refrescante.

Comentário da Rafaela

Exame visual: -
Exame olfativo: Pimenta
Exame gustativo: Vinho leve, agradável, nada complexo, sem presença de taninos fortes. Estava um pouco quente no início, mas depois nos acostumamos com isso. Achei que harmonizou bem com a massa que escolhi. Falando nisso. Recomendo aquela massinha para quem for beber um vinho no La Botella. Ela é bastante simples, mas parece superfresca e é supergostosa. O molho de tomate é delicioso.
Nota: 86.0

Comentário do Claudio
Exame visual:
Típica cor de Pinot Noir - cereja claro puxando para o amarelo.
Exame olfativo: Abrimos a garrafa e iniciamos a degustação. Por isso, de início, não sentimos praticamente cheiro algum. O vinho só foi se abrir quando já estávamos no final da garrafa. Alguma fruta apareceu mas não tinha o perfume e o floral típicos de um Pinot Noir. Não foi possível analisar corretamente.
Exame gustativo: Este vinho deveria ter sido aberto com pelo menos uma hora antes de degustar. Como não fizemos isso, o vinho "queimou " a boca de início. A temperatura deveria estar um pouco mais baixa como lembrou a Paula. De qualquer forma é um Pinot agradável, bem estruturado, elegante, sem grande complexidade e que com o passar do tempo mostrou ser fácil de beber. Este Pinot era da safra 2006. Acho que seria interessante ver o resultado deste vinho daqui a um ano, acredito que tende a evoluir mesmo não sendo um vinho de guarda. Combinou bem com a noite e a conversa agradável com o Miguel e a Paula. Cumpriu bem o papel de ser o primeiro vinho da noite. Seria mais atraente se o preço fosse um pouco menor, mas mesmo assim vale provar.
Nota: 87.0

13 de abril de 2007

Santa Fé de Arraiolos 2005




















Nome:
Santa Fé de Arraiolos
Safra: 2005
País: Portugal
Região: Arraiolos, Alentejo
Produtor: Bacalhôa Vinhos de Portugal
Site: www.bacalhoa.com


Uvas/Corte: Aragonez, Trincadeira, Alicante Bouschet
Teor alcoólico: 14%
Preço: R$ 18,00
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul
Quando foi comprado: março de 2007
Degustado em: 12 de abril de 2007
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Risotto de açafrão com cogumelos e queijos
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Produzido na Herdade das Ânforas em Arraiolos com uvas selecionadas das castas Aragonez, Trincadeira e Alicante Bouschet. A prova apresenta uma personalidade Alentejana bem definida: cor carregada, rico em aromas e sabores de compotas de frutos vermelhos, enche e pendura na boca com grande suavidade. Ideal para ser consumido desde já, poderá envelhecer em garrafa nos próximos dois anos. Temperatura ideal de serviço 14-16º.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Bonita cor bordô.
Exame olfativo: Aromas doces, em algum momento identifiquei morangos.
Exame gustativo: Eu não estava levando muita fé neste vinho. Sei que é uma razão tola, mas eu não havia simpatizado com o rótulo. O vinho é honesto, pelo preço que foi pago. Agradável. Eu achei um pouco ácido no final, mas ele foi melhorando com o tempo. Ele foi decantado por mais de uma hora, se não me engano. Não é vinho para ser repetido, mas ele faz bem o papel de acompanhar um risotto despretensioso numa noite de sexta-feira.
Nota: 84.0

Comentário do Claudio
Exame visual:
Rubi brilhante, bela cor.
Exame olfativo: Cheiro bem frutado (compota) e doce no seu final. Ao fundo, aparecia o álcool bem de leve. Bastante agradável.
Exame gustativo: Um ótimo vinho para você ter em casa e beber no seu dia-a-dia. Um vinho jovem, agradável e que apresentou bastante fruta na boca. Não é complexo, não apresentou grande estrutura de taninos, seu final é curto, mas apesar disso é um vinho elegante, bem feito, que vai agradar. Pelo preço, vale ter uma garrafa em casa e abrir sem compromisso. Vale seguir a indicação do produtor que sugere servir a uma temperatura de 14-16º. Não harmonizou tão bem com o risotto de açafrão, elevou a acidez um pouco do final. Fizemos um teste com queijo gouda e se comportou bem melhor. Tinge um pouco os dentes. Boa compra nesta faixa de preço, pronto para beber.
Nota: 86.0

11 de abril de 2007

Pergunta da Semana - 7

Além de dividir nossas degustações, também queremos saber das suas experiências no mundo do vinho. Para estimular o bate-papo, toda semana colocaremos aqui uma pergunta. Participe! Le Vin au Blog agradece!

Nesta semana, Le Vin au Blog quer saber:

- Qual a sua loja preferida para comprar vinhos? Por quê?

10 de abril de 2007

Norton Malbec D.O.C. 2004



















Nome: Norton Malbec D.O.C.
Safra: 2004
País: Argentina
Região: Lujas de Cuyo, Mendoza
Produtor: Bodega Norton
Site: www.norton.com.ar

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Onde foi comprado: Deu la Deu, loja de vinhos em Copacabana - presente de Páscoa de Regina Helena
Quando foi comprado: 07 de abril de 2007
Degustado em: 09 de abril de 2007
Onde bebeu: em casa - foram abertas 2 garrafas do mesmo vinho
Harmonizado com: Queijos, bruschettas
Com quem: Claudio, Rafaela, Felipe e Jade

Comentário do Produtor
La distinción D.O.C., (Denominación de Origen Controlada),certifica que las uvas que lo originan sólo provienende Luján de Cuyo, una de las regiones más notablespara la elaboración de vinos de Argentina,y que cuenta con un especial proceso de añejamientoen barricas de Roble Francés y botella.

Intenso rojo violáceo. Aromas dulces a frutos rojos y pimienta negra. Excelente entrada en boca, taninos amables, vino largo y aterciopelado final.

Comentário da Rafaela
Não analisei esse Norton da forma como costumamos fazer quando sentamos na nossa varanda para beber um vinho, mas não há motivo para lamentos. Pelo contrário, foi uma das noites mais agradáveis passadas na varanda e a razão disso foi a presença da Jade e do Felipe, amigos lá de Florianópolis que passeiam pelo Rio nesta semana. Fazia meses que eu não os via e foi ótimo recebê-los aqui em casa. Também foi ótimo ver rostos conhecidos. Por mais que eu já conheça várias pessoas no Rio, os amigos de Florianópolis ainda me são mais familiares.

Comentário do Claudio
Exame visual:
violeta
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Mesmo com duas garrafas abertas deste vinho não fizemos a análise dele. Ficou apenas a percepção de ser um vinho bem agradável que cumpriu bem a função de acompanhar as comidas e a conversa com nossos convidados. Vale fazer uma nova prova. Já degustei este mesmo vinho de safras anteriores. É, sem dúvidas, uma boa relação custo/benefício.
Nota: -

6 de abril de 2007

Château Les Grands Cèdres de Sipian 2001- Médoc




















Nome:
Château Les Grands Cèdres de Sipian
Safra: 2001
País: França
Região: Médoc, Bordeaux
Produtor: Bernard & Frédéric Méhaye
Site: -


Uvas/Corte:
Cabernet Sauvignon 50%, Merlot 45%, Petit Verdot 5%
Teor alcoólico: 12,5%
Preço: 7 euros - preço na França
Onde foi comprado: Na simpática loja de vinhos em Montmartre (Cave des Abbesses 43 - r Abbesses), Paris, indicada pela Marie
Quando foi comprado: agosto de 2005
Degustado em: 05 de abril de 2007
Onde bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizza margherita e calabresa - Observações sobre a pizza, encomendada na Home Pizza. Foi a segunda vez que pedidos pizza em casa. Na primeira, escolhemos a da Kilograma, que era boa, mas ficou melhor mesmo no dia seguinte. Esta da Home Pizza não era ruim, mas era bem mais simples, para ser pedida somente quando outras estiverem de folga. Ainda não encontrei uma pizzaria equivalente à Juca Pato, de Florianópolis, mas sigo procurando.
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário da Rafaela

Exame visual: Tom amarronzado.
Exame olfativo: Cheiro de vinho francês. Falando assim talvez pareça muito pobre o comentário, mas a verdade é que senti muitos cheiros, mas não consegui classificá-los. Havia vários aromas, mas difíceis demais para meu narizinho.
Exame gustativo: Gosto terroso, intenso, retrogosto mediano, permanência curta, mas um bom vinho, apesar de eu ser muito mais os vinhos do novo mundo. Segundo o Claudio, é normal 'iniciantes' como eu ficarem com um pé atrás com vinhos de Bordeaux. Sei que isso é meio ridículo. Afinal, dizem, os melhores vinhos são os deles. Bom, eu ainda estou aprendendo e não tenho vergonha nenhuma de dizer que sou muito mais um malbec - 'produzido' - argentino. Mesmo porque, assim com meu 'amigo' 'Gary' ("Confie no seu próprio paladar") - cada um deve escolher o que mais lhe agrada.
Nota: 86.0

Comentário do Claudio
Exame visual:
Cereja puxando fortemente para o marron. Cor bem peculiar.
Exame olfativo: Clássico nariz de Bordeaux. Pimentão verde, aspargos, terra, especiarias. Leve variação.
Exame gustativo: Assim como no nariz, o paladar também é clássico dos vinhos de Bordeaux. Um Medoc mais austero, de taninos bem firmes, um vinho ideal para acompanhar uma boa refeição. Decantamos por 1 hora e foi servido a uma temperatura de 18º. A rolha estava infiltrada o que nos deixou com medo do vinho não estar bom mas isto não aconteceu. As características de vinho do velho mundo não estavam alteradas. Vinho com bom corpo, que de certa forma enche a boca, com gosto final que lembra tabaco, chocolate e couro. Leve permanência com um retrogosto com outros sabores. Deixou os dentes escuros. Um bom vinho.
Nota: 88.0+

4 de abril de 2007

Barbera D'Alba Batasiolo 2004




















Nome:
Barbera D'Alba
Safra: 2004
País: Itália
Região: Piemonte
Produtor: Beni di Batasiolo
Site: www.batasiolo.com

Uvas/Corte: Barbera 100%,
Teor alcoólico: 13,5%
Onde foi comprado: Restaurante Margutta, em Ipanema, Rio
Quando foi comprado: 01 de abril de 2007
Degustado em: 01 de abril de 2007
Onde bebeu: Restaurante Margutta - aniversário de 80 anos do tio Roberto
Harmonizado com: Pratos de massa do restaurante, nosso prato foi um penne com cogumelos e frutos do mar feito no cartoccio.
Com quem: Claudio, Rafaela, Claudine, Roberto, Marcus, Mauro, Marcela, Luis Fernando, Tânia, Lurdinha, Carminha, Regina...

Comentário da Rafaela
Meu comentário é mais emocional que analítico. O clima do aniversário do tio Roberto estava muito agradável. O lugar era bem bacana, a companhia mais ainda. Aproveitamos cada momento. O vinho harmonizou muito bem com o prato de massa deliciosa que provamos. Já chegamos à conclusão, há tempos, que o ambiente, o clima e a ocasião também são fatores importantes para a aprovação de um vinho. O vinho era de qualidade, mas ficou melhor ainda naquele momento.

Comentário do Claudio
Exame visual:
Grená.
Exame olfativo: Lembrou-me cheiro de fazenda, de terra, levemente adocicado em seu final.
Exame gustativo: Vinho interessante com características de "velho mundo". Levemente seco no seu começo. Vale uma nova degustação da uva Barbera. Harmonizou perfeitamente com o clima agradável que estava no almoço. Estávamos comemorando em família os 80 anos do tio Roberto. Pedimos também um vinho branco: Trio Chardonnay – Pinot Grigio – Pinot Blanc, que apenas provei. Acho que todos gostaram dos vinhos escolhidos.
Nota: 87.0