30 de janeiro de 2007

Conde de Valdemar Crianza 2001




















Nome: Conde de Valdemar
Safra: 2001
País: Espanha
Região: Rioja - Oyon vale de Ocon
Produtor: Bodegas Valdemar SA
Site: http://www.familiamartinezbujanda.com/Home.aspx

Uvas/Corte: Tempranillo 90%, Mazuelo 10%
Teor alcoólico: 13%
Preço: 10 euros
Onde foi comprado: Barcelona, Espanha
Quando foi comprado: 27 de julho de 2005
Degustado em: 27 de janeiro de 2007
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Queijos Gouda e Gruyere, Cogumelos, pães e Pasta de Manjericão
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Acidez Total: 5.40 gr/lt. tartárica
Fecha de vendimia: 1ª semana de Octubre
Envejecimiento: 18 meses en barrica de roble Americano y Francés.
Ficha de Cata:
Vista: De color rojo cereza oscuro, con tonos violáceos. Limpio y brillante. Con muy buena capa de color.
Aroma: Intenso y profundo. Con notas a frutas maduras bien integradas con la madera, que le aporta agradables tonos especiados.
Boca: En boca es carnoso y sabroso, con un excelente equilibrio tánico y una larga persistencia.
Maridaje: Acompaña muy bien a la caza, asados, carnes rojas, y es perfecto con una tabla de quesos curados y embutidos.
Temperatura de servicio: 16/18º C.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Tom cereja, mas com toques de laranja nas bordas.
Exame olfativo: Eu não estava sentindo muitos cheiros nesse dia, nem mesmo aqueles meio bizarros que costumo sentir, mas quando o Claudio falou sobre chocolate, o que senti não foi exatamente cheiro de chocolate em barra, mas do chocolate em pó quando misturado em uma massa de bolo pronta para ser colocada na fôrma. Depois disso, nada mais de cheiros, infelizmente - comecei a gostar disso, mas meu nariz nem sempre está disposto a me ajudar.
Exame gustativo: Claudio se esqueceu de dizer que o vinho combinou muito com o queijo gouda... então, eu digo... apesar de gouda não ser o meu queijo preferido. O sabor é muito bom, sedoso. O que veio à minha cabeça ao bebê-lo foi o prazer de, num dia frio, ser envolvida por um cobertor quentinho. É essa sensação de aconchego, de conforto, que este vinho desperta. Vale a pena provar mais uma vez e creio que faremos isso no futuro. Tempranillo é uma das uvas que mais me agradam, junto com Malbec, Pinot Noir e Cabernet Franc. Meus conhecimentos são mínimos, mas aos poucos vou sabendo o que gosto mais. A combinação de velinhas que fizemos na varanda contribuiu para que o vinho ficasse melhor ainda. :)
Nota: 93.0

Comentário do Claudio
Exame visual:
Tom de cereja puxando para o telha.
Exame olfativo: Rico em seu nariz. Início puxando para o chocolate e a baunilha. Passando para madeira úmida, cogumelos. Muito agradável.
Exame gustativo: Vinho bem estruturado. Sedoso e redondo. Com forte sabor da uva em seu primeiro impacto e final macio. Carnudo e muito bem equilibrado. Vinho pronto para beber. Foi decantado por 1:30h antes de ser degustado. Poderia ter sido decantado por mais tempo. Servido a cerca de 18º. Os 18 meses de envelhecimento em barril dá excelente estrutura a este vinho. Um vinho envolvente. Recomendo.
Nota: 91.0 +

Grandjó Douro 2003




















Nome:
Grandjó
Safra: 2003
País: Portugal
Região: Douro
Produtor: Real Companhia Velha
Site: www.realcompanhiavelha.pt

Uvas/Corte: Tinta Roriz, Tinta Barroca, Touriga Francesa, Touriga Nacional
Teor alcoólico: 13%
Preço: R$ 22,00
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 23 de janeiro de 2007
Degustado em: 23 de janeiro de 2007
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Pizza 4 queijos
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Dotado de uma bela cor violeta, aromas de especiarias e frutos maduros, apresenta-se redondo, muito macio e com ligeiras impressões a madeira que afinam este elegante vinho do Douro.
Um longo final completa a agradável prova deste vinho impressionante.
Servido entre os 16º e 18º, é o acompanhamento ideal para bifes grelhados ou no churrasco.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Cor rubi, meio azulada.
Exame olfativo: Cheiros esquisitos, ou, digamos, incomuns, é comigo mesma. Desta vez, senti um cheiro que me lembrou o Super Cesa, um supermercado que existe lá em Vacaria. É, na verdade, uma mistura entre cheiro de mercearia, padaria, café torrado. Tudo junto. Depois de mais frio e depois de aberto por um tempo, achei que o vinho tivesse passado para a parte de limpeza do mesmo Super Cesa, mas aí o Claudio, mais sofisticado, sugeriu um cheiro 'floral'. É, bem mais apropriado.
Exame gustativo: A permanência não é muito longa. Logo após engolir, o gosto permanece na parte de trás da boca e espalha-se pela língua. Eu não soube dizer de cara se gostei ou não do vinho, mas pode-se afirmar que é um vinho honesto para o preço dele. Não é um vinho que eu compraria de novo, mas não quer dizer que seja ruim, apenas não me agradou a ponto de repeti-lo. Deve ser aberto bem antes de ser bebido e servido na temperatura recomendada pelo fabricante, uns 18 graus.
Nota: 83.0

Comentário do Claudio
Exame visual:
Tom de Rubi com toques de Cyan.
Exame olfativo: Para um vinho neste preço até que o nariz variou bastante. Inicialmente, passou por um cheiro de madeira, coisas guardadas; depois de um tempo aberto, para cheiro de floral; terminando em pimentões verdes.
Exame gustativo: Muitos vinhos degustados aqui são vinhos para consumo diário. Este Douro é um deles. Às vezes, ao comprar um vinho de valor mais barato, você consegue algumas boas surpresas, várias decepções e, na maioria das vezes, vinhos apenas corretos para se beber durante a semana, sem problema se sobrar um pouco na garrafa. Este vinho se encaixa nesta situação. Acidez um pouco em excesso e leve toque de madeira ao fundo.
Nota: 82.0

23 de janeiro de 2007

Oreades - Tempranillo 2003




















Nome:
Oreades
Safra: 2003
País: Espanha
Região: Navarra - Corella
Produtor: Viñedos del Camino Real,S.A.

Uvas/Corte: Tempranillo 100%
Teor alcoólico: 12,5%
Preço: R$ 17,00
Onde foi comprado: Supermercado Zona Sul, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 16 de janeiro de 2007
Degustado em: 16 de janeiro de 2007
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Massa
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário da Rafaela
Exame visual: -
Exame olfativo: Forte cheiro de palha de aço. É, podem acreditar. Depois disso, não senti cheiro de mais nada.
Exame gustativo: O tal cheiro de palha de aço acaba meio que tirando a vontade de beber o vinho. Em algumas horas, parece que você está bebendo num daqueles copos de alumínio, o qual acabou de ser lavado com um bombril. Tentando abstrair esse pequeno detalhe, o vinho não é nada complexo, fraca acidez e combinou bem com a massa que o Claudio fez com molho de tomate.
Nota: 80.0

Comentário do Claudio
Exame visual:
Rubi límpido.
Exame olfativo: Cheiro de palha de aço no primeiro ataque que depois é suavizado.
Exame gustativo: O vinho jovem. Paladar não tão agradával. Pouco equilibrado. Apenas um vinho de mesa.
Nota: 80.0

14 de janeiro de 2007

Château Tour De Pressac Saint-Emilion Grand Cru 2002




















Nome: Château Tour De Pressac
Safra: 2002
País: França
Região: St. Etienne de Lisse - Saint-Emilion - Bordeaux
Produtor: J F et D Quenin
Site: www.globalwinespirits.com/QUENIN

Uvas/Corte: Merlot 75%, Cabernet Franc 20%, Cabernet Sauvignon 4%, Pressac (Malbec) 1% Teor alcoólico: 13%
Onde foi comprado: Paris
Quando foi comprado: Agosto de 2005
Degustado em: 13 de janeiro de 2007
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Pizza 4 queijos
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário da Rafaela
Exame visual: Um belo tom bordô.
Exame olfativo: Como se sabe já, meu nariz parece perder suas funções quando inserido dentro de uma taça de vinho, mas desta vez senti alguns cheiros - não digo nada quanto à coerência... Comecei sentindo cheiro de batata cozinha. É, estranho, eu sei. Depois, evoluiu para legumes cozidos. Num momento de surpresa, senti cheiro de ameixa, e fiquei superfeliz, pois esses caras que vivem fazendo isso normalmente identificam cheiros de frutas... Mais adiante, senti odor de cravo, e liguei o cheiro aos sagús que minha mãe faz. Desse ponto em diante, meu nariz parou de funcionar novamente...
Exame gustativo: O vinho é bastante agradável. Claudio deu algumas explicações sobre a complexidade, as variações no gosto e afins, e concordei que o vinho era de alto nível. Eu não senti a acidez em todos os momentos, dependia muito do que eu estava comendo. E os taninos, termo que ainda não estou bem certa do significado, me provocaram uma leve "cãibra" nos primeiros goles. Depois, ficaram mais amenos. O vinho é bom, mas deve ser bebido junto com muita água, pois provoca uma secura na boca. Além disso, água sempre ajuda na recuperação do organismo e evita mal-estar posterior. Eu deveria ter lembrado disso ontem....
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Exame visual:
Bordô levemente escuro.
Exame olfativo: Vinho passou por especiarias, legumes cozidos, ameixa, um pouco de caramelo e madeira e leve toque de frutas.
Exame gustativo: O vinho foi decantado por 3 horas antes de ser degustado. Vinho para se beber acompanhado de comida. Vinho interessante pela sua leve complexidade e variação de sabores durante a degustação. Ficou mais agradável em uma temperatura de 18º. Vinho intenso e que pede água. Grande variação desde o primeiro contato na boca até sua grande permanência. Acidez presente. Vinho com característica do Velho Mundo. Ganhou medalha de Prata no Concurso Mundial de Bruxelas em 2004.
Nota: 90.0

13 de janeiro de 2007

Andeluna - Malbec 2004


















Nome: Andeluna
Safra: 2004
País: Argentina
Região: Valle de Uco - Mendoza
Produtor: Família Reina
Site: www.andeluna.com

Uvas/Corte: Malbec 100%
Teor alcoólico: 14.2%
Preço: R$ 44,00
Onde foi comprado: Casa do Porto, no Shopping da Gávea, Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 10 de janeiro de 2007
Degustado em: 10 de janeiro de 2007
Onde bebeu: Casa do Porto, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Carpaccio de carne e torradas

Comentário Produtor:
Gran intensidad y tintes violáceos. De aromas a frutas y flores diversas, con notas de dulce de leche, vainilla y chocolate provenientes de su paso por barricas de roble.Un vino que ingresa en boca con la dulzura típica del varietal. Equilibrado, de cuerpo y gran estructura, con presencia de taninos.

Comentário do Claudio
Exame visual: Vinho de coloração escura.
Exame olfativo: Aroma agradável.
Exame gustativo: Vinho encorpado, característico Malbec do Novo Mundo.
Nota: 87.0

7 de janeiro de 2007

120 - Cabernet Sauvignon 2005





















Nome: 120
Safra: 2005
País: Chile
Região: Valle Central
Produtor: Santa Rita
Site: www.santarita.com

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Preço: R$ 15,00 (garrafa de 375ml)
Onde foi comprado: Grand Cru, no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 29 de dezembro de 2006
Degustado em: 6 de janeiro de 2007
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Quiche de cebola
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário Produtor:
Our ruby red 120 Cabernet Sauvignon is elegant and balanced. Its fruity aroma is dominated by berries, cloves and vanilla while on the palate it delivers a fine concentration of flavor, suggesting juicy ripe fruit, plums, earth notes and leather

Comentário Rafaela
Exame visual: Bonita cor. Para mim, um bordô claro.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Permanência impressionante. Vinho muito bom, harmonizou muito bem com os últimos dos nossos quiches de cebola feitos em casa.
Nota: 89.0

Comentário Claudio
Exame visual: Violeta espesso e carnudo. Bonita cor.
Exame olfativo: Aroma com um grau de complexidade, especiarias, frutas escuras, madeira úmida.
Exame gustativo: Vinho redondo e encorpado, destaca-se pela excelente permanência. Um Cabernet bastante agradável.
Nota: 88.0

Copa Real Plata - Tempranillo 2004




















Nome: Copa Real Plata
Safra: 2004
País: Espanha
Região: Tierra de Castilla
Produtor: Cosecheros y Criadores, S.A.

Uvas/Corte: Tempranillo 100%
Teor alcoólico: 13%
Preço: R$ 30,00
Onde foi comprado: La Botella, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 5 de janeiro de 2007
Degustado em: 5 de janeiro de 2007
Onde bebeu: La Botella, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Torradinhas, queijos brie, de cabra, emental e camembert
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do produtor:
Gostoso tinto de Tempranillo que permanece apenas 3 meses em barricas de carvalho americano para realçar o seu caráter jovial. No nariz tem ligeiras notas de madeira sobre aromas de fruta madura. No palato é equilibrado, de média estrutura e redondo.

Comentário Rafaela
Exame visual: Rubi.
Exame olfativo: Mesmo que o Claudio não tenha concordado, senti cheiro de remédio. Fiquei feliz, pois meu olfato normalmente está desligado.
Exame gustativo: Senti os taninos muito suavemente. A permanência deste vinho é impressionante.
Nota: 87.0

Comentário Claudio
Exame visual: Rubi escuro.
Exame olfativo: Madeira, tabaco.
Exame gustativo: Vinho com corpo médio e toque amadeirado. Lembra alguns vinhos argentinos em sua estrutura. Taninos e acidez agradáveis. Um Tempranillo que cumpre bem a sua função.
Nota: 86.0

6 de janeiro de 2007

Reserva Miolo - Pinot Noir 2005





















Nome: Reserva Miolo
Safra: 2005
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Vinícola Miolo
Site: http://www.miolo.com.br/

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 12%
Onde foi comprado: Na Miolo, em Bento Gonçalves, com 375ml, presente da Rosana
Quando foi comprado: Novembro de 2006
Degustado em: 4 de janeiro de 2007
Onde bebeu: Em casa, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Pizza de mussarela e cogumelos
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário Produtor:
Degustação: O Pinot Noir é um vinho jovem, que já pode ser bebido ou pode ser armazenado para aprimorar mais seu bouquet com o envelhecimento.
Cor: Apresenta uma intensidade de cor média, com tonalidades de vermelho-rubi e reflexos âmbar.
Aroma: Boa intensidade, bastante delicado e fino.
Descritores do Aroma: - Café - Caramelo - Chocolate - Coco Queimado - Ameixa Seca - Morango - Pinhão - Fruta-do-Conde
Sabor: Vinho de corpo médio que apresenta inicialmente uma sensação agradável e aveludada na boca. Num segundo momento, aparecem taninos delicados e equilibrados, deixando uma longa sensação de "finesse".
Enólogo: Adriano Miolo


Comentário Rafaela
Exame visual: Cor vermelha com toques roxos.
Exame olfativo: Cheiro frutado, mesmo que meu nariz ainda não consiga definir quais frutas.
Exame gustativo: Não é nem por ser bairrista, mas o vinho é muito bom. É fácil de ser encontrado e o preço é bastante acessível.
Nota: 89.0

Comentário Claudio
Exame visual: Límpido, cor bordô brilhante.
Exame olfativo: Aroma doce e muito frutado.
Exame gustativo: Vinho jovem e frutado. Equilibrado e bastante agradável. Uma ótima opção nacional para o dia-a-dia. E boa opção de Pinot Noir, oriunda de uma das melhores safras do país.
Nota: 85.0

3 de janeiro de 2007

Chateau Fradin Première Côtes de Blaye 2002





















Nome: Chateau Fradin
Safra: 2002
País: França
Região: Côtes de Blaye - Bordeaux
Produtor: A Berson

Uvas/Corte: Merlot 65%, Cabernet Sauvignon 30%, Malbec 5%
Teor alcoólico: 12.5%
Onde foi comprado: França
Quando foi comprado: 2003
Degustado em: 31 de dezembro de 2006
Onde bebeu: Casa de Regina Helena, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Lombo de porco, farofa, arroz com legumes e saladas
Com quem: Claudio, Rafaela, Regina, Marcela e Mauro

Observação: A rolha estava infiltrada, o que tirou as condições ideais para consumo. O vinho mostrava potencial, porém perdeu todas as suas características, impossibilitando a avaliação.

Panarroz 2004




















Nome: Panarroz
Safra: 2004
País: Espanha
Região: Jumilla
Produtor: Bodegas Olivares
Site: www.bodegasolivares.com

Uvas/Corte: Monastrell 42%, Garnacha 38% e Syrah 20%
Teor alcoólico: 13.5%
Preço: R$ 35,00
Onde foi comprado: Grand Cru - Jardim Botânico, no Rio de Janeiro
Quando foi comprado: 29 de Dezembro de 2006
Degustado em: 31 de dezembro de 2006
Onde bebeu: Casa Regina Helena, no Rio de Janeiro
Harmonizado com: Lombo de porco, farofa, arroz com legumes e saladas
Com quem: Claudio, Rafaela, Regina, Marcela e Mauro

Comentário da Revista Gula: Mediterrâneo por excelência. Cor retinta, carnudo, notas codimentadas sobre um frutado cheio e rico. Notas terrosas bem colocadas, tons achocolatados, fruta a cassis, cerejas e amoras. Redondo e opulento, pronto a beber, excelente vinho por preço muito acessível.

Comentário da Rafaela
Exame visual: Cor forte, mas não chega a ser um telha, fica mais para o vermelho escuro, quase bordô.
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Eu nunca havia provado esta uva até o dia em que fomos à Grand Cru. Gostei da mistura com as outras duas, que, para mim, também são novidade. Ele não é muito complexo. Fácil de beber e fácil de gostar.
Nota: 89.0

Comentário do Claudio
Exame visual:
Rubi intenso, tendendo ao bordô.
Exame olfativo: Frutas vermelhas, tabaco, notas de chocolate e pimenta.
Exame gustativo: Vinho jovem e pronto para beber por não passar em carvalho. O corte das uvas proporciona um vinho bem agradável, redondo. Acidez e taninos bem equilibrados. Exelente custo x benefício. 90 pontos Robert Parker.
Nota: 88.0+