14 de abril de 2014

Galetinho com um Merlot na Serra Gaúcha - Dom Eliziario 2007

Nome: Don Eliziario Reserva 110 anos 
Safra: 2007
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Dom Eliziario
Importador: -

Uvas/Corte: Merlot
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Canta Maria, em Bento Gonçalves
Quando foi comprado: -
Degustado em: 21 de janeiro de 2014
Onde Bebeu: Canta Maria, em Bento Gonçalves
Harmonizado com: Rodízio italiano
Com quem: Claudio, Rafaela, Alexandre e Vanessa

Comentário do Produtor
Vinho de cor violácea e aroma frutado lembrando frutas vermelhas. O paladar é equilibrado com retrogosto agradável. Perfeito para acompanhar carnes vermelhas e massas com molhos condimentados. A temperatura recomendada de servir é de 15º a 18ªC.

Impressões da Rafaela
Quando combinamos a viagem ao Vale dos Vinhedos com o Alexandre e a Vanessa, tínhamos apenas uma certeza: comeríamos galetos! Passamos meses sonhando com isso. Na primeira noite no Vale fomos direto para o Canta Maria. Estava tudo delicioso, como esperado. A comilança foi acompanhada por este vinho desconhecido para todos. Vinho simples, mas gostoso. Não poderia ter acompanhado melhor os galetinhos. Este foi o dia em que chegamos. Alexandre e Vanessa foram nos buscar na rodoviária. Depois de deixarmos as malas no hotel, seguimos para a Tramontina, em Carlos Barbosa. Além das sonhadas panelas, acabamos achando lá as cadeiras para nossa varanda. Fazia mais de cinco anos que planejávamos trocar os móveis da varanda, mas nunca havíamos encontrado algo que realmente gostássemos. Batemos o olho, provamos, pegamos a opinião da Van e do Alê e fechamos a compra. Em seguida, fomos provar queijos do outro lado da rua. Ali quem comprou para valer foi a turma do Diário de Baco. :)  


Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: 
Exame olfativo:
Exame gustativo: Sabe aquele vinho que você escolhe sem nunca ter ouvido falar nada a respeito dele? Ao chegarmos a Bento Gonçalves, encontramos os amigos Vanessa e Alexandre para passarmos alguns dias juntos na região. Nesta noite fomos jantar no restaurante Canta Maria, um clássico da região para comermos um bom galeto e típica culinária italiana. No Canta Maria você encontra um loja com boa oferta de diversos vinhos brasileiros. Eu e Alexandre resolvemos escolher um vinho desconhecido para acompanhar o jantar. Assim chegamos neste Merlot que se mostrou muito agradável. Vinho bem feito, com tudo no lugar, correto e que agradou. Não é um super vinho, mas é aquele vinho ideal para acompanhar um jantar e que funcionou muito bem com o galeto e as massas do restaurante, foi uma boa pedida.

10 de abril de 2014

Almoço em Caxias do Sul com o Leopoldina Premium Chardonnay da CasaValduga

Nome: Leopoldina Premium 
Safra: 2013
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Valduga
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente nos oferecido pela madrinha Véra
Onde foi comprado: Tumelero Bebidas
Quando foi comprado: -
Degustado em: 21 de janeiro de 2014
Onde Bebeu: Casa da mardrinha Véra, em Caxias do Sul
Harmonizado com: Almoço especial preparado pela madrinha para nos receber
Com quem: Claudio, Rafaela e Véra

Comentário do Produtor

Visão: Coloração amarelo palha, límpido e brilhante.
Olfato: Surpreendente fineza e intensidade nos aromas, destacando notas de frutas tropicais e frescas, como maçã, pera e abacaxi.
Paladar: Pleno, com bom ataque de boca e muito frescor, apresenta equilíbrio e untuosidade. Final de boca é persistente, com retrogosto frutado.

Impressões da Rafaela
Depois de passarmos uns dias em Vacaria, nosso plano era viajar direto para Bento Gonçalves, onde nos encontraríamos com a Van e o Alê. No fim de semana, nos encontramos com o padrinho e a madrinha, que contou à madrinha Véra que estávamos na área. Ela não perdoaria se não passássemos em sua casa nova em Caxias do Sul. Combinamos então um almoço para a terça-feira. Como o apartamento fica perto da rodoviária, não poderia dar mais certo. Para acompanhar a ótima salada com cebolas e os bifes com molho madeira ("sei que você não come carne, mas estando no Rio Grande do Sul, achei que este era o melhor prato para fazer"). Estava tudo delicioso. Para completar, a madrinha comprou este ótimo vinho branco para nos esperar. Acertou em tudo! Obrigada, madrinha, e até a próxima. 


Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: 
Exame olfativo:
Exame gustativo: Depois de passar uns dias em Vacaria, seguimos viagem para a região dos Vale dos Vinhedos para passar uns dias por ali com os amigos Alexandre e Vanessa. No caminho, paramos em Caxias do Sul e almoçamos na casa da madrinha da Rafaela. Fomos muito bem recebidos, com um almoço delicioso e este vinho branco da Casa Valduga. Já fazia um tempinho que não bebia um chardonnay deles e este da Linha Premium foi uma boa surpresa. Se mostrou um vinho sem exageros, leves notas frutadas, sem excesso de madeira, bem feito e saboroso. Um vinho todo correto, fácil de se beber e foi muito bem no dia de calor que fazia em Caxias. Gostei. Do almoço, seguimos para a rodoviária para pegar o ônibus para Bento Gonçalves.

Churrasco com Aracuri Brut 2011

Nome: Aracuri Brut
Safra: 2011
País: Brasil
Região: Muitos Capões
Produtor: Aracuri Vinhos Finos
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay 100%
Teor alcoólico: 11,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 23,90
Onde foi comprado: Supermercado Bortolon, em Vacaria
Quando foi comprado: Setembro de 2013
Degustado em: 20 de janeiro de 2014
Onde Bebeu: Casa da Mãe, em Vacaria
Harmonizado com: Churrasco
Com quem: Claudio, Rafaela, Luci, Cássio, Janayna, Isabelle, Júlia e Maria Victória

Comentário do Produtor

Perfil Sensorial: espumante elegante e refrescante de perlage fina e abundante. No aroma destacam-se as notas de damasco, raspas de limão e pão fresco. O paladar é envolvente e cremoso com acidez cativante.

Impressões da Rafaela
No dia anterior, havíamos feito um churrasco em casa. Como sobrou muito de tudo, resolvemos fazer um segundo churrasco na segunda-feira. Claudio assumiu a churrasqueira. Para acompanhar, resolvemos abrir este espumante comprado dias atrás. Foi perfeito com o churrasco. Ainda mais que estava um dia superquente. Este foi nosso último dia em Vacaria antes de viajarmos para o Vale dos Vinhedos. 


Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Já provamos alguns vinhos da Aracuri e o resultado em taça 
sempre foi muito positivo. Já acompanhamos os vinhos há algum tempo, mas não tínhamos provado ainda o espumante. Estava muito curioso e como estávamos na região, compramos uma garrafa para experimentar. Fiquei com a tarefa de preparar o churrasco, que foi muito bem escoltado pelo espumante safrado. Fácil de beber e de se gostar, este espumante feito com 100% Chardonnay, mostrou boa acidez, boa cremosidade em boca e muito equilíbrio. Fez sucesso durante nosso churrasco e a garrafa foi rápido. Mais um bom produto da Aracuri com ótimo preço, vale provar.

9 de abril de 2014

Pizza com Pinot Noir dos Campos de Cima da Serra: Família Lemos de Almeida 2012

Nome: Família Lemos de Almeida
Safra: 2012
País: Brasil
Região: Muitos Capões, nos Campos de Cima da Serra
Produtor: Vinícola Fazenda Santa Rita
Importador: -

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 13,3%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: R$ 50
Onde foi comprado: Bendita Pizzeria, em Vacaria/RS
Quando foi comprado: -
Degustado em:  18 de janeiro de 2013
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Bendita Pizzeria, em Vacaria/RS
Com quem: Claudio, Rafaela, Luci, Janayna, Cássio, Julia, Isabelle e Maria Victória


Comentário do Produtor
-


Impressões da Rafaela

A razão de nossa viagem a Vacaria foi o batizado da Maria Victória, que ocorreu neste sábado. À noite, fomos todos comer pizza em um local que gostei bastante quando fui com a mãe meses atrás. Pedimos um dos vinhos da Família Lemos. Na hora de servir, a garçonete ao invés de pegar o que pedimos, trouxe, aberto, este outro, que já havíamos provado semanas antes e era o dobro do preço. Como já estava aberto e sabíamos que talvez ela tivesse que pagar pela garrafa aberta, acabamos provando novamente. Ainda bem que ele é bem bom!

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Na noite de sábado, fomos comer uma pizza em Vacaria. Solicitei a carta de vinhos do restaurante e achei muito interessante ver os vinhos da região presentes na carta. Já tínhamos observado isto em um outro restaurante por lá. Acho muito bacana quando se valoriza os produtos locais. Este é um bom caminho para os vinhos da região dos Campos de Cima da Serra construírem uma marca forte. Se os novos produtores deste novo terroir brasileiro trabalharem em conjunto, vão conseguir um boa projeção no cenário nacional. Dito isto, escolhemos um Pinot Noir da Fazenda Santa Rita. Nossa ideia era provar uma garrafa do Pinot Noir da linha mais básica, porém acabamos bebendo novamente o bom Família Lemos de Almeida. Por engano a garçonete abriu esta garrafa que mais uma vez mostrou qualidade. Um bom produto feito com uma matéria-prima muito interessante e que com mais algum tempo de garrafa vai deixar a madeira mais integrada. Foi bem com nossa pizza.

Encontro com amigos queridos em Vacaria

Nome: Reservado
Safra: 2012
País: Chile
Região: -
Produtor: Concha & Toro
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 17 de janeiro de 2013
Onde Bebeu: Casa do Cuco e da Ju, em Vacaria
Harmonizado com: Salmão com acompanhamentos deliciosos
Com quem: Claudio, Rafaela, Cuco e Juliana

Comentário do Produtor
-

Impressões da Rafaela
Em quase todas as vezes em que vou a Vacaria me encontro com a Ju, minha amiga desde 1990. É sempre muito bom. Mesmo que fiquemos meses sem nos vermos, sempre temos muitos assuntos, que não cabem nas poucas horas de que dispomos. Sempre fica faltando contar mais alguma coisa, escutar mais um história. Desta vez, o encontro foi com a presença do Claudio e do Cuco. Ju preparou um jantar muito especial. Comer bem é algo garantido na casa deles. Tomara que voltemos a nos ver em breve.

Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Em uma noite muito agradável em Vacaria, fomos muito bem recebidos pelos amigos Ju e Cuco. Eles nos prepararam um belo jantar, acompanhado por bom papo. Para acompanhar, bebemos um Reservado Cabernet Sauvignon e uma taça do Merlot da Fazenda Santa Rita.

7 de abril de 2014

Degustação dos vinhos da novata Fazenda Santa Rita em Vacaria


Visita à loja da Fazenda Santa Rita, nova vinícola da região dos Campos de Cima da Serra, comandada por Agamenon Lemos de Almeida. Degustação das linhas Fazenda Santa Rita e Lemos de Almeida. 17 de janeiro de 2014, em Vacaria.

Impressões da Rafaela
Quando planejamos a viagem a Vacaria, já sabíamos que iríamos conhecer a loja da Vinícola Fazenda Santa Rita. A mãe havia feito bastante propaganda - inclusive nos dando um vinho de presente de natal - e na rádio local de pouco em pouco há anúncios. Fomos muito bem recebidos na loja, onde olhamos todos os produtos (além dos vinhos próprios, há produtos de beleza à base de uva e alguns acessórios) e fizemos uma degustação. Gostamos de todos os vinhos, há para vários gostos, desde aquele para um dia de festa ou uma tarde quente de verão até outro para jantares mais elaborados. Fiquei bastante feliz com a qualidade dos produtos e também por perceber que a cidade aos poucos está acordando para este mercado. Já existem na cidade algumas bons produtores, mas ainda não tinha visto uma loja dedicada ao tema, especialmente dedicada a uma vinícola. 


Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: 
Exame olfativo:
Exame gustativo: É muito interessante observar o surgimento de uma nova vinícola. Mais uma novo projeto da promissora região dos Campos de Cima da Serra. Em nossa última visita à Vacaria, fomos conhecer a simpática loja da Fazenda Santa Rita e tivemos a oportunidade de provar todos primeiros vinhos que eles produziram. São seis rótulos diferentes, sendo dois da linha Família Lemos de Almeida, linha com passagem em madeira por um tempo maior, e 4 rótulos da linha Fazenda Santa Rita. Nesta primeira safra os vinhos foram vinificados na vinícola Viapiana. O mais interessante nestas primeiras safras é observar o potencial que cada cepa pode apresentar na região. Videira nova, método de vinificação ainda sendo conhecido, mas os vinhos já apresentaram boas qualidades. O Pinot Noir se mostrou já mais consistente. Tanto a linha com maior passagem por madeira quanto a outra mostraram uma boa fruta vermelha com leves notas de defumados e boa acidez. O Família Lemos de Almeida precisa de um pouco mais de tempo em garrafa para deixar a madeira mais integrada. Temos uma garrafa aqui que vamos esperar um pouco para abrir e ver a sua evolução. Os vinhos brancos também me agradaram: Tanto o Chardonnay quanto o Sauvignon Blanc mostraram notas minerais e elegância. Bom potencial que deixa a curiosidade de como estes vinhos vão evoluir com mais algumas safras. Vamos acompanhando a evolução e informamos aqui no blog. Vale ficar de olho.

2 de abril de 2014

Depois de um dia de trabalho, hambúrguer com um belo tinto sul africano

Nome: Catharina
Safra: 2006
País: África do Sul
Região: -
Produtor: Steenberg Vineyards
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido pelo Deco
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 14 de janeiro de 2014
Onde Bebeu: General Prime Burguer
Harmonizado com: Hambúrguer
Com quem: Claudio, Gilberto e Déco

Comentário do Produtor
The blend is made up of the best barrels chosen from the best blocks in the cellar after 15 months. Once the blend is made up it returns to barrel for a further 5 months before bottling. Each cultivar is vinified separately in a traditional red winemaking style before going to barrel to age. On average the grapes were harvested at a sugar level of 23-25°B. The juice was fermented on the skins for 7 – 10 days allowing the temperature in the tank to peak at 30°C. Air was incorporated during pump-overs which occurred 3 times per day. After pressing the wine was transferred to new French oak barrels for malolatic fermentation and maturation. It then underwent a light egg white fining once blended and before being bottled.

Comentário do Claudio

Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Passei o dia em reunião em São Paulo, desde cedo trabalhando na capital paulista. Depois da última reunião, o amigo e blogueiro Déco Rossi me ligou e combinamos de nos encontrar. Como tínhamos pouco tempo, pois seguiríamos ainda aquela noite para Itu, resolvemos comer um hambúrguer no shopping onde estávamos. O Déco chegou e trouxe uma garrafa de um vinho tinto com ele. Um vinho sul-africano que eu não conhecia. Já com oito anos de vida, o vinho mostrou ser de muita qualidade, estilo elegante, mais velho mundo, taninos finos, boa complexidade e bastante envolvente. Foi uma bela surpresa para mim. Infelizmente não deu tempo de beber a garrafa toda, ficou aquele gostinho de quero mais. Foi para a lista de vinhos que merecem ser provado com calma. Obrigado, Déco!

31 de março de 2014

Muitos vinhos no encontro com Adolfo Lona na Confraria Carioca


Encontro ocorrido na Confraria Carioca na companhia de Adolfo Lona, Alain Ingles, Pedro Hermeto, Duda Zagari e Claudio no dia 13 de janeiro. 
Todas as vezes que o mestre Adolfo Lona vem ao Rio, marcamos um encontro que sempre é acompanhado por um bom papo, bons vinhos e espumantes. Desta vez, o Duda nos recebeu na ótima Confraria Carioca, loja de vinhos e winebar que fica no shopping Casa & Gourmet de Botafogo. Foi uma noite mais do que agradável entre alguns bons vinhos degustados. Provamos diversos vinhos: espumantes do Adolfo Lona, um riesling da Alsácia, o Kuentz-Bas, um ótimo branco italiano, o I Frati - Cá dei Frati, passamos para um vinho branco da Borgonha, o Saint-Aubin do Hubert Lamy e um Champagne R. Pouillon. Mas a grande estrela da noite ficou para o final: um vinho da região de Juraçon, sudoeste da França, o memorável Les Jardins de Babylone safra 2007, do grande produtor Didier Dagueneau. Um vinho de uma complexidade incrível, de extrema qualidade e já candidato a um dos melhores vinhos degustados no ano. Quem nunca provou este vinho, vale a experiência. Um grande final para uma noite muito agradável.

24 de março de 2014

Almoço no peruano Lima com um Cour-Cheverny

Nome: Domaine de Montcy
Safra: 2008
País: França
Região: Cour-Cheverny
Produtor: Domaine de Montcy
Importador: -

Uvas/Corte: Romorantin
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente oferecido pelo Duda Zagari
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 12 de janeiro de 2014
Onde Bebeu: Lima, em Botafogo
Harmonizado com: Comidas peruanas saborosas, cebiches
Com quem: Claudio, Rafaela, Rômulo Lobo, Duda e namorada, Deco, Fábio, Gabí (com Bento na barriga) e Camila

Comentário do Produtor
AOC Cour Cheverny, des vins blancs produits à partir d'un cépage ancien, unique et très rare, le Romorantin. Ce dernier existe uniquement dans cette appellation et dans cette région de France et permet de produire des vins blancs secs ou moelleux très riches ayant un potentiel de garde supérieur à 10 ans.

Impressões da Rafaela
Fazia meses que o Claudio estava querendo ir conhecer o Lima, restobar aberto há um ano em Botafogo. Não deveríamos ter esperado tanto. A comida é maravilhosa. Mesmo eu que não gosto de peixe cru - e os cebiches são o carro-chefe ali -, adorei tudo que já provei, inclusive o pisco sour de morango. Foi um almoço animado, especialmente pelo bom humor do Rômulo Lobo, autor do blog Goles e Dicas, que conhecemos naquele dia. Foi um começo de tarde animado, especialmente o final quando tive um ataque de riso ao descobrir que a querida Gabí havia passado o almoço inteiro sentada em cima de uma bandeja sem reclamar. Quando o Deco voltou ao Rio no carnaval, fomos lá de novo.



Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: O amigo e blogueiro Deco Rossi veio passar o final de semana no Rio e, antes de voltar para São Paulo, marcou um almoço no restaurante peruano Lima. Deco convidou algumas pessoas e, assim, se formou um divertido almoço de domingo. O Duda gentilmente levou esta garrafa de um vinho branco feito de uma uva que eu não conhecia, a Romorantin. Boa surpresa este vinho do Loire, já com 6 anos de vida: boa acidez, notas minerais e bastante agradável em boca. Foi bem com o ceviche do ótimo Lima. Neste almoço, tive a oportunidade de conhecer pessoalmente o Rômulo autor do blog Goles e Dicas.

23 de março de 2014

Tem suco no blog: 23 - Ecocitrus


Suco de uva integral Ecocitrus
Suco de uva tinto integral (sem adição de açúcar, sem conservantes, não contém glúten)
Ecocitrus, Montenegro/RS
Supermercado Guanabara
120kcal em cada 200ml

Cor intensa, roxa, bem fechada.
Sem uma doçura que chame a atenção. Ideal para quem não suporta suco de uva muito doce. Destaca-se mesmo é o gosto da uva. Pareceu-nos bastante rústico. Gostamos muito.
Recomendamos.

11 de março de 2014

Empanadas cariocas preparadas para um amigo argentino

Nome: Orus
Safra: 2013
País: Brasil
Região: Garibaldi
Produtor: Adolfo Lona
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay, pinot noir
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente nos oferecido pelo casal Lona
Quando foi comprado: -
Degustado em: 10 de janeiro de 2014
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Empanadas caseiras
Com quem: Claudio, Rafaela, Adolfo, Silvia, Deco, Camila e Alain

Comentário do Produtor
-

Impressões da Rafaela
O Claudio tem uma ideias esquisitas às vezes. Onde já se viu se oferecer para fazer empanadas justamente para um casal de argentinos? Argentinos de Mendoza ainda por cima. Com uma receita que já havíamos feito anos atrás, passamos sete horas na cozinha produzindo pouco mais de 100 empanadas. Inicialmente, seríamos seis, mas lá pelo meio da semana descobrimos que o Deco viria ao Rio e também participaria da pequena reunião. No final, acabou dando tudo certo. Para o meu gosto, as empanadas ficaram boas e combinaram muito bem com o Orus trazido pelo seu Adolfo Lona. O espumante também foi muito bem com a saladinha caprese que preparamos. Ficamos muito felizes por receber pessoas que gostamos tanto. Que venham outros encontros!


Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Quando ficamos sabendo que o nosso amigo Adolfo Lona viria ao Rio, o convidamos para vir aqui em casa comer algumas empanadas que iríamos preparar.  Dito e feito, convidamos um argentino para provar empanadas cariocas. E para acompanhar as empanadas o Adolfo nos trouxe um dos melhores espumantes feito em nosso país, o Orus. Além do Orus, bebemos também outros espumantes feitos pelo próprio Adolfo. Os amigos Deco Rossi e Alain Ingles também vieram provar as empanadas. Abrimos o vinho tinto feito pelo Deco em parceria com a Susana Balbo. O Alain trouxe outras garrafas de vinhos franceses para provarmos além de um excelente Champagne, o Les Beaudiers - Lahert Freres, muito peculiar e complexo, um rosé feito de Pinot Meunier de vinhas velhas. Um Champagne que vale provar. Foi uma noite divertida e agradável. Acho que o Adolfo Lona gostou das nossas empanadas... não estavam nota 10, mas acho que foram aprovadas. E o Orus, como sempre, incrível!

Monte do Pintor - 2009 / Casa Silva Coléccion

Nome: Monte do Pintor / Casa Silva Coléccion
Safra: 2009 / 2011
País: Portugal / Chile
Região: Alentejo / Angostura
Produtor: Sociedade Agrícola da Sossega / Casa Silva
Importador: - / Vinhos do Mundo

Uvas/Corte: Aragonês, trincadeira e castelão / Cabernet Sauvignon
Teor alcoólico: 14.5% / 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: em torno de R$ 70 cada um
Onde foi comprado: Alessandro e Frederico, em Ipanema
Quando foi comprado: 11 de janeiro de 2014
Degustado em: 11 de janeiro de 2014
Onde Bebeu: Alessandro e Frederico, em Ipanema
Harmonizado com: Empanadas caseiras
Com quem: Claudio, Rafaela, Miguel, Paula, Marcelo, Carol, Lucas, Ricardo, Raquel, Tito, Mario, Ana, Maria Claudia e Carlinhos

Comentário do Produtor
-

Impressões da Rafaela
Se tem algo que é certo todos os anos, isto é a comemoração do aniversário do Miguel. Ainda bem, pois é uma das oportunidades cada vez mais raras de encontrarmos todos os amigos de faculdade do Claudio. Antes era mais fácil, mas as agendas têm ficado cada vez mais cheias e complicadas. Nos últimos anos, os encontros estão cada vez mais difíceis de serem marcados, o que eu lamento muito. Talvez a vida seja assim mesmo. Uma pena. Este encontro estava bem animado, uma mesa grande, comidas saborosas. Eu não me lembrava da pizza do Alessandro e Frederico ser tão boa, mas estava especial nesta noite. Ingredientes de qualidade, realmente muito gostosa. Os vinhos foram bebidos somente por mim, Miguel e Marcelo. Maria Claudia depois tomou uma tacinha. Harmonizaram muito bem com o clima da noite e com as comidas. Tomara que saiam outros encontros ao longo do ano.

10 de março de 2014

Primogénito 2009, um Pinot Noir da Patagônia

Nome: Primogénito
Safra: 2009
País: Argentina
Região: Patagônia
Produtor: Bodega Pattriati
Importador: -

Uvas/Corte: Pinot noir 100%
Teor alcoólico: 13,9%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: US$ 19,50 
Onde foi comprado: Free Shop em Buenos Aires
Quando foi comprado: Dezembro de 2012
Degustado em: 4 de janeiro de 2014
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Massa com molho de tomates caseiro
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Color rojo rubí, brillante, con tonos suaves y atractivos. Una elegante nariz con notas florales como violetas y fruta fresca como cerezas y guindas. Las notas tostadas y la vainilla aportadas por su crianza en roble, están muy bien integradas. Vino balanceado con taninos amables, buena estructura y larga persistencia.

Impressões da Rafaela
Nesses dias de sensação térmica beirando os 50ºC, percebe-se ainda mais a importância de o vinho ser servido na temperatura certa. Este vinho estava guardado fora da adega, apresentando uma temperatura bem alta. Melhorou consideravelmente depois que o resfriamos. De qualquer forma, ao bebê-lo, fiquei me perguntando por que alguns vinhos são tão sem graça. Este é um vinho correto, não tem nada de errado, mas também nada que desperte interesse. Há vinhos que são agradáveis justamente por não brigar com a comida, por acompanharem a refeição sem sobressaltos. Este, porém, é tão apagado, que você se questiona do porquê de o estar ingerindo. É para ser bebido realmente sem compromisso. Neste dia fizemos um passeio pela Barra da Tijuca em busca de móveis novos para nossa varanda. Infelizmente ainda não encontramos as cadeiras de nossos sonhos.  

Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: 
Exame olfativo:
Exame gustativo: Comprei este vinho no freeshop do aeroporto de Buenos Aires quando estivemos por lá em 2012. Escolhi esta garrafa pelo simples fato de não conhecer este produtor. Um Pinot bem ao estilo novo mundo. As primeiras notas em boca mostram um vinho de boa intensidade com notas que lembram tabaco e algo tostado. Depois de um início promissor, com o tempo em taça. o vinho mudou, e surgiu um amargor no final de boca. Sem final é curto e foi perdendo a intensidade com o tempo. Não é um vinho ruim, mas ficou devendo dizer a que veio.

9 de março de 2014

Herdade do Esporão V - Verdelho 2012, nosso presente do amigo-secreto da Wine

Nome: V
Safra: 2012
País: Portugal
Região: Alentejo
Produtor: Herdade do Esporão
Importador: -

Uvas/Corte: Verdelho
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Amigo-oculto da Wine.com.br
Quando foi comprado: -
Degustado em: 31 de dezembro de 2013
Onde Bebeu: Casa de Regina Helena
Harmonizado com: Ceia de Ano Novo
Com quem: Claudio, Rafaela, Luci, Regina Helena, Mauro e Marcela

Comentário do Produtor

Colour: Crystal clear, pale straw with green hues.Aroma: Vibrant grassy aroma with tropical and citric fruit notes of lime and grapefruit.Palate: The palate is fresh and elegant with mineral notes and a clean acid finish which is long and persistent.

Impressões da Rafaela
Escolhemos este vinho para o último jantar do ano e ele foi muito bem com os pratos preparados pela mãe do Claudio. É um vinho descomplicado, gostoso. Foi uma ótima escolha do Alexandre e da Vanessa que nos enviaram este vinho e mais outro como presente no amigo-secreto realizado pela Wine.com.br. Achamos a ideia muito interessante e ficamos muito felizes com os nossos presentes. 

Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: No final do ano passado, a Wine, loja virual de vinhos, fez uma ação promocional muito bacana, um amigo-secreto entre blogueiros de vinho. Eles selecionaram alguns blogs, fizeram um sorteio e disponibilizaram um valor em compras no site. Você selecionava o vinho ou vinhos e eles faziam a entrega do presente. Quem nos tirou no amigo-secreto foi o blog Diário de Baco, dos amigos Alexandre e Vanessa. Recebemos dois vinhos e um deles foi este branco português, que abrimos na noite do dia 31 de dezembro. Nunca tinha provado este vinho da Herdade do Esporão, tradicional vinícola portuguesa. Um vinho branco de bom corpo e certa estrutura, acidez presente que deixava o conjunto muito interessante e acompanhou bem o jantar. Um vinho agradável de bom final. Gostei.

7 de março de 2014

Novidade dos Campos de Cima da Serra: Família Lemos de Almeida Pinot Noir 2012

Nome: Família Lemos de Almeida
Safra: 2012
País: Brasil
Região: Muitos Capões, nos Campos de Cima da Serra
Produtor: Vinícola Fazenda Santa Rita
Importador: -

Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 13,3%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Presenteado por Luci ao Claudio
Onde foi comprado: Loja da vinícola em Vacaria/RS
Quando foi comprado: -
Degustado em:  27 de dezembro de 2013
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizzas caseiras
Com quem: Claudio, Rafaela e Luci

Comentário do Produtor
-

Impressões da Rafaela

Depois do ótimo Aracuri que provamos dias atrás, mais um bom vinho da minha região no Rio Grande do Sul. Este vinho foi trazido pela mãe para o Claudio. Ela ficou muito animada quando ouviu a propaganda no rádio, pois seria um presente diferente - ainda mais que já provamos quase tudo que é feito na região. O vinho apresenta aromas que remetem à cereja. É bastante leve, mas tem sabor marcante. Nesta noite, combinamos o vinho com pizzas feitas pelo Claudio. As pizzas estavam ótimas, especialmente porque Claudio usou uma nova farinha, 00, com moagem mais fina. Neste dia, a mãe e eu visitamos o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar. Um dia cheio que terminou muito bem com as pizzas caseiras e o vinho de Muitos Capões. 

Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: Leve grená
Exame olfativo: Notas de embutido com alguma fruta.
Exame gustativo: Quem nos acompanha aqui no blog, sabe que sempre ficamos de olho nos vinhos que vêm sendo produzidos na região dos Campos de Cima da Serra, terra da Rafaela. Comentamos aqui o surgimento de alguns produtores, como Aracuri e Sozo. Mais uma vez, em primeira mão, provamos um vinho de um novo produtor daquela área, a Vinícola Fazenda Santa Rita. Provamos este pinot noir, que é um dos vinhos top da vinícola. Esta foi a primeira safra vinificada na vinícola Viapiana, em Flores da Cunha. O vinho foi uma boa surpresa, especialmente por ser a primeira vinificação. A uva mostrou boas qualidades. Em boca, fruta firme, boa intensidade, notas de cereja e de embutidos/defumados. O vinho passou por barricas francesas por 12 meses. A madeira se mostrou um pouco desintegrada. Comprei uma outra garrafa para ver sua evolução. Acredito que deva crescer, e a madeira ficar mais integrada ao conjunto. É um pinot que vai dar o que falar daqui a alguns anos, pois me pareceu uma boa matéria-prima. Falta agora descobrir os detalhes da vinificação, coisa que só o tempo vai dizer. Provamos todos os outros vinhos desta vinícola (seis diferentes rótulos) e, em breve, postaremos nossos comentários. Bom começo.
Nota: -

6 de março de 2014

Os vinhos do almoço de Natal

Nome: Casa Silva Collection / Santa Cristina
Safra: 2013 / 2012
País: Chile / Itália
Região: Vale de Colchágua / Toscana
Produtor: Casa Silva / Antinori
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay / Sangiovese 60% e Merlot 40%
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Oferecidos pela Claudine
Quando foi comprado: -
Degustado em: 25 de dezembro de 2013
Onde Bebeu: Casa de Regina Helena
Harmonizado com: Comidas natalinas
Com quem: Claudio, Rafaela, Luci, Regina Helena, Mauro, Marcela, Claudine, Roberto, Sonia, Renato, Lurdinha e Luis Fernando

Comentário do Produtor
-

Impressões da Rafaela
Passamos a noite de Natal na casa do Mauro e da Marcela e o almoço ficou marcado na casa da mãe do Claudio. A comida estava ótima como sempre. Como não bebi na noite anterior, resolvi provar o vinho branco no almoço. Ele foi bem com as pastinhas de entrada e depois com os pratos especiais preparados para o almoço. Depois da comilança, fomos dar uma caminhada por Copacabana com a mãe antes de voltarmos para casa. O clima estava ótimo. 


Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Colocando as postagens em dia aqui no blog, dois vinhos que bebemos no almoço de Natal, vinhos que foram escolhidos pela Claudine. Começamos com um chardonnay da tradicional vinícola chilena Casa Silva. Na verdade provamos duas safras diferentes deste mesmo vinho. Foi bem com o calor do dia, com notas amanteigadas e leve doçura. Um chardonnay que vai agradar. Na sequência, passamos para um tinto básico dos Antinori, o Santa Cristina. Vinho fácil de se achar e de se beber. Bem feito, notas frutadas presentes, um vinho jovem e versátil, combina com diversas comidas. Foi um ótimo almoço de Natal.

29 de janeiro de 2014

Tem suco no blog: 22 - Perini Branco

Suco de uva branca integral Perini
Suco de uva integral (sem adição de açúcar, sem adição de água)
Vinícola Perini, Flores da Cunha/RS
300ml, R$ 4,90 (Cadeg)
Uvas Moscato 100%
141kcal em cada 200ml

Já havíamos provado o suco tinto da Perini e gostado muito quando vimos esta garrafa de suco de uvas brancas na Cadeg. Decidimos comprá-la para saber se o suco branco era tão bom quanto o tinto. Consideramos muito mais doce do que estamos acostumados a encontrar nos tintos, mas com sabor agradável e uma acidez elevadíssima. Chegamos à conclusão de que o suco lembra um vinho branco, só que sem o álcool. Talvez este tenha sido o suco que mais nos trouxe lembranças de um vinho. Este suco deve agradar quem gosta de bebidas doces.
Recomendamos. 

10 de janeiro de 2014

Verão, amigos, vinhos e música: harmonização perfeita #winebar #winesofargentina

Não sei bem se foi o céu azul, a companhia animada dos amigos ou os vinhos refrescantes, mas repentinamente meus pensamentos foram invadidos por lembranças de uma viagem realizada muitos e muitos anos atrás. Enquanto lá o cenário era emoldurado pelas águas do Mediterrâneo, por aqui a combinação não poderia ser melhor: a Praia de Ipanema em um final de tarde de verão.
O calor havia sido determinante na hora de escolhermos as bebidas para nossa festa de despedida. Para harmonizar com versões variadas de frutos do mar, diferentes vinhos refrescantes. Apostamos nos argentinos, influenciados por um amigo recém-chegado de um tour por Mendoza e pela Patagônia, superempolgado com o que havia provado por lá. Escolhidos os vinhos, definimos o menu e preparamos um play list – planejando ativar todos os sentidos.



Enquanto os amigos iam chegando, abrimos o primeiro dos vinhos selecionados para a noite, o Postales del Fin del Mundo. Ainda nos primeiros acordes de Já sei namorar, dos Tribalistas, percorri o terraço com um olhar. Logo encontrei o sorriso de cumplicidade que procurava.

Aquela música divertida, com a cara do verão e resultado de um encontro de amigos, harmonizava não apenas com a leveza e o frescor do vinho – que geladinho ficou ainda melhor –, e o clima de descontração, mas fazia parte de nossa história. Afinal, acabou sendo a música mais tocada no período em que nossas vidas passaram por uma grande virada, com mudanças de interesses, de ritmo e até de profissão.

O desdobramento de tudo isso não poderia ter sido melhor. Nesta semana, embarcamos para a Argentina, para um período de estudos. Assim, cercada por Claude e nossos pequenos, senti uma alegria enorme ao propor um brinde. A bebida, o Bianchi Extra Brut, parecia ter sido feita sob medida para aquele momento, assim como a música que começou a tocar – Our day will come, interpretada por Amy Winehouse.

O espumante e a música casaram com a perfeição daquele começo de noite à beira-mar. Havia a elegância marcante tanto do vinho quanto da voz de Amy, mas mais que isso, ambos nos remetiam a tudo que havíamos vivido até ali desde o primeiro encontro: um romance envolvente, bastante complexo de início, mas com um toque adocicado para arrematar.

Ainda com a taça levantada, desejei que a energia desta despedida nos acompanhasse na nova viagem.
– Que a Argentina nos ofereça muitas boas histórias para contar!

***
Este post foi inspirado na iniciativa da Wines of Argentina, que enviou dois diferentes vinhos a blogueiros, propondo aos participantes que cada bebida fosse harmonizada com uma música pré-selecionada pelo blogueiro de vinho e músico Maurício Tagliari – seleção Wines of Argentina.
A apresentação do concurso cultural foi realizada via Winebar, canal pelo qual serão anunciados os três vencedores às 20h da próxima quinta-feira, 16 de janeiro.

Os vinhos recebidos pelo Le Vin au Blog foram:

Postales del Fin del Mundo
– Sauvignon Blanc e Semillón, 2012
Bodega del Fin del Mundo, Patagônia - Argentina
Importado por Mr. Man
13%
Uma boa surpresa este corte de cepas brancas. Um vinho de ótima acidez, com notas cítricas e algo levemente mineral. Fácil de se beber, a garrafa acaba rapidamente. Ótimo para beber de forma descontraída, gelado no nosso verão.

Bianchi Extra Brut – 2006
Casa Bianchi, Mendoza
Importado por Mr. Man
12,6%
Chardonnay e Pinot Noir
Espumante com sete anos de vida (a idade do Le Vin au Blog), elegante e envolvente, com boa complexidade, notas de amêndoas, acidez controlada e um final longo e com interessantes notas adocicadas. Um belo espumante.

As músicas escolhidas pelo Le Vin au Blog foram, respectivamente:

Já sei namorar - Tribalistas
Our day will come - Amy Winehouse

7 de janeiro de 2014

Um branco do Loire marcante: Clos de Coulaine 2010 - Savennières


Nome: Clos de Coulaine
Safra: 2010
País: França
Região: Savennières, Loire
Produtor: Château Pierre Bise
Importador: -

Uvas/Corte: Chenin Blanc 100%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Cave des Abesses, em Paris
Quando foi comprado: Agosto de 2013
Degustado em:  23 de dezembro de 2013
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Baguette Guerin, queijos e frios
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
-

Impressões da Rafaela
Gostamos muito de sair para jantar, mas neste dia como tínhamos vários queijos em casa, decidimos apenas comprar uma baguette no Guerin - quando fui comprar uns macarrons para a Marcela. Neste dia passamos o dia na cozinha, preparando vários pratos tanto para o jantar quanto para o almoço de Natal. Minha mãe chegaria no dia seguinte. Então também demos uma organizada na casa. Na noite anterior, havíamos ido a Santa Teresa comemorar o aniversário da Marie em um lugar bem legal chamado Cafecito. Gostei muitíssimo deste vinho. Fazia tempo que não provava um vinho branco tão bom. Vale a compra para quem for a Paris. Aliás, como o Claudio comentou nesta noite, todos os vinhos que compramos nesta loja em Montmartre foram excelentes.

Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: Dourado firme e intenso.
Exame olfativo: Uma mistura de mel, amêndoas, algo de torrefação. Boa complexidade, excelente nariz.
Exame gustativo: Em nossa última viagem à França, acabei bebendo mais vinhos brancos que tintos. Vinhos muito interessantes e marcantes. Trouxemos algumas garrafas de vinho branco, esta inclusive. Comprei este vinho em uma loja em Montmartre, Cave des Abesses. Uma loja que não é grande, mas tem uma seleção excelente de vinhos. Já provei vários vinhos comprados lá e sempre de ótima qualidade. Foi assim com este vinho do Loire, dica do vendedor da loja quando perguntei sobre brancos do Loire. Um vinho de muita personalidade feito da uva Chenin Blanc. Bom corpo, muita presença em boca, quase licoroso e oxidado. Vinho que tem estrutura para acompanhar um prato com mais peso. Final de boca muito marcante, com algo de caramelo, um vinho bem característico da cepa. Um belo vinho, mais um grande branco francês que encanta.
Nota: 91.0

6 de janeiro de 2014

Aracuri Collector - Cabernet Sauvignon 2009 e Spy Mountain - Pinot Noir 2011

Nome: Aracuri Collector / Spy Mountain
Safra: 2009 / 2011
País: Brasil / Nova Zelândia
Região: 
Campos de Cima da Serra / Malborough
Produtor: Aracuri Vinhos Finos / Johnson Estate Winery
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon / Pinot Noir
Teor alcoólico: 12,5% / 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente nos presenteado por Aliprandini & Meyer / Nos presenteado pelo Wagner
Quando foi comprado: -
Degustado em: 20 de dezembro de 2013
Onde Bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Acepipes
Com quem: Claudio, Rafaela e Wagner

Comentário do Produtor
Aracuri - Perfil Sensorial: aromas complexos e elegantes, destacando-se cassis e ameixa, com notas de pimenta preta, que se repetem no paladar. Vinho estruturado com taninos macios e acidez equilibrada. Harmonização: carnes vermelhas, de ovelha e caça; molhos encorpados; queijos com sabor intenso. Temperatura de serviço: 18 °C

Impressões da Rafaela
Estávamos no supermercado escolhendo o que seria nosso jantar, quando Claudio recebeu a ligação de que o Wagner estava no Galeão, recém-chegado da Nova Zelândia. Ele estava apenas de passagem pelo Rio e queria aproveitar para deixar umas garrafas de vinho que trouxe para serem bebidas com os amigos. Claudio o chamou para vir aqui para casa. Colocamos mais algumas coisas no carrinho e preparamos uma mesa com queijos e frios para esperá-lo. O plano era abrirmos este brasileiro e um argentino, mas Wagner tirou da mala um pinot noir neozelandês e disse que queria que provássemos. A diferença entre os dois vinhos foi gritante. Enquanto o primeiro era mais encorpado e elegante, o segundo parecia um vinho para festas, ligeiro, ideal para ser bebido bem geladinho. 


Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual:
Exame olfativo:
Exame gustativo: Uma visita de surpresa. Meu amigo Wagner, que tinha acabado de chegar ao Galeão direto da Nova Zelândia. Ele iria passar apenas uma noite no Rio e logo no dia seguinte seguiria para Vitória. Estávamos no supermercado, compramos alguns queijos e afins para comermos. Wagner trouxe alguns vinhos da Nova Zelândia, que queria deixar aqui para aliviar o peso da bagagem. Como ele já está morando há alguns anos fora do Brasil, resolvi abrir um vinho brasileiro para provarmos. Mais precisamente um vinho da região da Rafaela, Campos de Cima da Serra. O vinho escolhido foi o excelente Collector da Vinícola Aracuri. Desde o início da vinícola, acompanhamos e provamos diferentes vinhos. Atualmente, a enóloga responsável é a Paula Schenato, que vem fazendo um bom trabalho por lá. Este Cabernet Sauvignon é muito interessante, bom corpo, muito elegante, boa presença em boca e bom final. Vinho comportado no álcool, o que o deixa ainda mais agradável. Quem ainda não conhece, vale conhecer não só este vinho, como toda a linha da vinícola. Depois do vinho brasileiro, o Wagner resolveu abrir um Pinot Noir que ele trouxe, vinho jovem e muito frutado, um Pinot descompromissado. Foi uma noite agradável, planejada em cima da hora.

Tem suco no blog: 21 - Embrapa

Suco de uva integral Embrapa, Linha Orlikowski
Suco de uva integral (sem adição de açúcar, sem adição de água)
Embrapa Uva e Vinho, Bento Gonçalves/RS
Ganhamos da Milena
Uvas Concord Clone 30, Isabel Precoce e BRS Violeta, variedades desenvolvidas e validadas pelo Programa de Melhoramento Genético da Embrapa Uva e Vinho.
141kcal em cada 200ml

Milena veio comer pizza conosco em uma de suas vindas ao Rio e nos trouxe este suco de presente. O suco faz parte dos produtos pesquisados e feitos pela Embrapa Vinho e Uva no Rio Grande do Sul. Ficamos bem impressionados com o suco, que tem densidade média, não é doce em excesso, sem amargor no final e que passa a sensação de ser puro e natural. Notamos que na garrafa não há informação sobre o uso de conservantes. Gostamos muito. Obrigada, Milena.
Recomendamos. 

5 de janeiro de 2014

Jantar após o Winebar


No dia 16 de dezembro, estava em São Paulo a trabalho. Por acaso seria o dia de mais uma transmissão do Winebar. Entrei em contato com o Alexandre e fui acompanhar a transmissão in loco. Nesta edição do Winebar foi lançada uma promoção muito bacana em parceria com a Wines of Argentina. Foram enviados para 30 bloguieros e jornalistas diferentes vinhos argentinos (aqui recebemos um espumante e um branco). O blogueiro e músico Maurício Tagliari preparaou um set list com mais de 100 músicas de diferentes estilos. A missão dos blogueiros e jornalistas é criar uma harmonização entre uma das músicas com os vinhos enviados. Os blogueiros e jornalista tem até o dia 10 de janeiro para publicarem as harmonizações com as devidas justificativas. O prêmio será uma viagem para a Argentina.

A transmissão do Winebar foi realizada nos estúdios de gravação da YB Music e além do Daniel Perches e do Maurício estava presente também o enólogo da Zorzal e músico argentino Juan Pablo Michelini. Depois da transmissão saímos para jantar e o local escolhido foi o ICI Bistro do shopping JK. Lá o Juan queria provar algum vinho brasileiro e o escolhido foi o espumante brut da Angheben. Feito pelo método tradicional o espumante se mostrou muito fresco e leve, fácil de se beber e muito agradável. Não conhecia e fiquei com vontade de provar novamente. o Juan também aprovou. Para acompanhar comemos ótimos hamburguers.

Noite agradável com a oportunidade de rever alguns amigos.

Tem suco no blog: 20 - Jota Pê

Suco de uva integral Jota Pê
Suco de uva tinto integral (sem conservantes, sem adição de açúcar, 100% natural)
Vinícola Perini, Flores da Cunha/RS
1,5l, R$ 10 (Cadeg)
Uvas bordô e isabel
140kcal em cada 200ml

Compramos este suco por um ótimo preço na Cadeg. Como recebemos a visita da mãe da Rafaela e ela adora sucos, decidimos abri-lo para o café da manhã. Ótima escolha, suco levinho, menos denso que os sucos a que estamos acostumados. Acreditamos que as crianças devam gostar bastante deste suco, que é docinho na medida certa. Uma boa relação qualidade-preço. A vinícola Perini poderia melhorar a programação visual do rótulo.
Recomendamos. 

4 de janeiro de 2014

Reservado Concha & Toro - Cabernet Sauvignon 2012

Nome: Reservado
Safra: 2012
País: Chile
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Concha & Toro
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 100%
Teor alcoólico: -
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Otto, na Tijuca, no Rio
Quando foi comprado: Novembro de 2013
Degustado em: 14 de dezembro de 2013
Onde Bebeu: Otto, na Tijuca, no Rio
Harmonizado com: Acepipes
Com quem: Rafaela, Ana Rosa, Angela, Antonio, Tatiana, Neusa, Oscar e Rodrigo

Comentário do Produtor
-

Impressões da Rafaela
Já há alguns anos que fazemos um amigo-secreto entre os colegas do mestrado. Muitas vezes, temos a participação de agregados. O grupo é pequeno, então volta e meia tiramos as mesmas pessoas ano após ano. É o meu caso com a Angela. Já tirei ela duas vezes e ela me tirou em um ano. O bom deste amigo-secreto é que não importa quem tiremos, sempre ficamos felizes, pois são pessoas das quais gostamos muito. Desta vez, o encontro foi na Tijuca, por sugestão da Neusa. Fomos a uma das filiais do Otto, restaurante com inspiração alemão. Começamos, como sempre, bem cedo, antes de todas as mesas serem ocupadas. Foi muito legal. Pena que o Claudio não pôde ir desta vez. Angela escolheu este vinho para acompanhar nossa noite. Estava ótimo, o que reforça meu pensamento de que às vezes o contexto e o ambiente influenciam consideravelmente o quanto vamos gostar de um vinho. 

Salton Gerações Antonio Domenico Salton #winebar

Nome: Salton Gerações Antonio Domenico Salton
Safra: 2013
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Vinícola Salton
Importador: -

Uvas/Corte: Pinot noir 50% e chardonnay 50%
Teor alcoólico: 12,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Nos presenteado pelo Winebar
Quando foi comprado: Novembro de 2013
Degustado em: 14 de dezembro de 2013
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa com molho de tomates caseiros
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Coloração amarelo ouro, com grande desenvolvimento de finas borbulhas, com geração de correta formação de espuma. Aromas complexos que lembram: cevada tostada, pão torrado, mel, nozes, baunilha, avelã, café. Paladar cremoso com excelente acidez cítrica.

Impressões da Rafaela
Espumante muito gostoso, fácil de beber, agradável em qualquer companhia. Neste dia, como sairíamos à noite, resolvemos fazer um almoço especial. Aprendemos faz algumas semanas a fazer um ótimo molho de tomate. Agora, vivemos a massa e a pizza. :) Este foi o dia de irmos à festa Acordar, amor! para a comemoração dos aniversários da Raquel, da Carol e da Mariazinha. A festa foi bastante animada e com uma trilha muito boa. 

Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual:
Exame olfativo:
Exame gustativo: Terceira vez que bebe este espumante. Nas outras duas vezes bebemos este vinho na companhia de diversos amigos e nesta situação nem sempre conseguimos parar e analisar o espumante com calma. Recebemos esta garrafa para mais uma edição do Winebar e assim conseguimos provar com calma este interessante espumante. É um espumante de bastante complexidade, devido aos 3 anos de contato com as leveduras. É um espumante de boa cremosidade, acidez na medida, um bom espumante que pode crescer ainda mais com mais algum tempo de garrafa. Um produto de uma série especial que homenageia um dos fundadores da centenária vinícola. Quem procura um espumante mais intenso e complexo, este pode ser uma boa pedida.

3 de janeiro de 2014

Castiglioni Chianti 2010

Nome: Castiglioni 
Safra: 2010
País: Itália
Região: Chianti
Produtor: Frescobaldi
Importador: Ravin

Uvas/Corte: Sangiovese
Teor alcoólico: 13%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Nos presenteado pelo Déco Rossi
Quando foi comprado: -
Degustado em: 11 de novembro de 2013
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Massa com molho caseiro de tomates
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Thanks to its outstanding local climate, Chianti Castiglioni mirrors perfectly the qualities of its local growing area. Smooth-textured and eminently fruity, it displays a fine clean-edged structure.

Impressões da Rafaela
Desde ontem chove no Rio. Hoje o dia foi meio tenso, um colega não conseguiu ir trabalhar, nossa faxineira não veio por causa de alagamentos e engarrafamentos. Lá pelo meio da tarde pensei em fazer uma comidinha gostosa em casa, abrir um vinho, aproveitar o clima meio invernal do Rio neste dia. O vinho foi escolhido em uma das caixas do Deco que estão aqui em nossa sala. Frescobaldi é um nome que passou a fazer parte da minha vida desde julho passado, quando estivemos na Toscana. Bom vinho, bem gostoso. Ele apresenta comportamentos diferentes de acordo com o que se está comendo. Vale provar. 


Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: Grená vivo.
Exame olfativo:
Exame gustativo: Primeira vez que provamos este vinho foi durante a visita que fizemos à vinícola na Toscana. É um bom Chianti, e como tal, um bom companheiro para nossa massa com molho caseiro. O interessante desta garrafa que ele mudou muito em taça. Início mostrou uma fruta vermelha fresca. Depois de um tempo em taça ele mudou, fruta se fechou um pouco e o vinho se mostrou com taninos mais vivos. Final de boca bem característico de Sangiovesse, com algo que lembra vinhos mais velhos, notas mais rústicas. Um bom vinho que nos foi presenteado pelo amigo Deco Rossi.

Casas del Toqui - Cabernet Sauvignon 2011

Nome: Casas del Toqui
Safra: 2011
País: Chile
Região: Central Valley
Produtor: Casas del Toqui
Importador: -

Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon
Teor alcoólico: 13,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Wine
Quando foi comprado: -
Degustado em: 8 de dezembro de 2013
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizzas caseiras
Com quem: Claudio e Rafaela

Comentário do Produtor
Brillante rojo rubí con tintes violáceos, En nariz presenta notas especiadas, con frutos rojos. Fácil de beber, con taninos suaves y redondos, buen final.

Impressões da Rafaela
Depois de dois anos de quase uma tortura psicológica, resolvi me dar este fim de semana de cabeça livre. Não que eu não tenha tido férias neste meio tempo, mas a tensão por ter que encontrar uma questão de pesquisa me atormenta desde o começo de 2012. Como na última sexta-feira concluí finalmente as disciplinas que tinha que cumprir, a partir de agora vou poder efetivamente me dedicar à pesquisa. Por isso, antes de me embrenhar neste nova aventura, por assim dizer, resolvi me dar dois dias e meio de descanso real, sem pensar no que está por vir, apenas comemorando o que já passou. Na sexta, fui ao cinema. No sábado e no domingo, me dei o direito de caminhar livremente pela cidade. Fomos à feira orgânica aqui perto de casa, almoçamos em Copacabana, depois fomos visitar a mãe do Claudio... Além disso, aproveitei para colocar algumas coisinhas em ordem aqui em casa, o que sempre me deixa bem feliz. Quanto ao vinho, foi uma ótima surpresa. Acho que foi porque eu estava totalmente relaxada, mas ao beber este vinho, em me lembrei da sensação que vivo ao viajar, quando sou invadida por uma onda de felicidade.  


Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: Rubi claro e vivo
Exame olfativo: Lembra bem as características de um Cabernet chileno.
Exame gustativo: Esta meia garrafa eu comprei em uma leva de meias garrafas na Wine. Já tinha provada este vinho há muito tempo em uma feira, mas não lembrava mais dele. O vinho se mostrou uma boa compra. É um típico Cabernet chileno, vinho de entrada da vinícola. Mesmo sendo um vinho básico, ele é muito bem feito. Aquele tipo de vinho bom para se ter em casa para abrir em um dia de semana. Em boca apresenta boas notas de frutas vermelhas, taninos bem polidos, muito equilibrado. Um vinho para ser bebido jovem, muito agradável e de ótimo custo-benefício.  Ou seja, um vinho descomplicado, que foi muito bem com nossa pizza. Lamentamos ser apenas uma meia garrafa. Vale provar.

2 de janeiro de 2014

Salton Prosecco Brut 2013

Nome: Salton Prosecco Brut
Safra: 2013
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos
Produtor: Vinícola Salton
Importador: -

Uvas/Corte: Prosecco
Teor alcoólico: 11,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Nos presenteado pelo Winebar
Quando foi comprado: Novembro de 2013
Degustado em: 2 de dezembro de 2013
Onde Bebeu: Em casa
Harmonizado com: Pizzas caseiras
Com quem: Claudio, Rafaela, Milena, Marie e Ivan

Comentário do Produtor
Brilhante com coloração claro esverdeada, perlage abundante de finas borbulhas e excelente formação de espuma. Perfume agradável de flores e frutas, como pera, maçã verde e pêssego. Possui sabor fresco, equilibrado e cremoso.

Impressões da Rafaela
Depois do adorável fim de semana em Campinas, os encontros com amigos tiveram continuidade já na segunda-feira, quando recebemos Milena, Marie e Ivan para uma rodada de pizzas. Claudio começou a fazer as pizzas logo cedo e quando Marie e Ivan chegaram, a primeira já estava pronta. O começo da noite foi meio apressado, mas depois acalmamos. Abrimos este prosecco nos enviado pelo projeto Winebar, desenvolvido pelos amigos blogueiros Alexandre Frias do Diário de Baco e Daniel Perches do Vinhos de Corte, para começar e depois seguimos baixando nosso estoque de Casa Valduga Blush. Por ter um perfil mais adocicado, este prosecco me agrada bastante. Gostamos muito de receber amigos em casa e tomara que encontros como este se repitam em 2014. 


Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual:
Exame olfativo:
Exame gustativo: Este Salton Prosecco nos foi enviado para mais uma degustação do Winebar. Confesso que tenho um certo preconceito com Proseccos. Por um bom tempo, Prosecco virou sinônimo de espumante de casamento ou de festinhas do tipo. O problema é que nem sempre o Prosecco servido era de boa qualidade. Acabei deixando de lado um pouco os Proseccos na hora de escolher um espumante em alguma situação. Quando provei esta garrafa da Salton, tive uma boa impressão. É um espumante feito pelo método Charmat, com leves e delicadas notas adocicadas no paladar, leve e fresco, muito fácil de beber. Um espumante bem feito, que deve ser bebido jovem e que vai bem com comidas leves e ideal para festas também. Bem feito. Cheguei a vê-lo aqui no Rio por cerca de R$ 19, um ótimo preço para um espumante descomplicado e que foi bem com a nossa pizza.
Nota: -

Privilégio: experimentar estrogonofe feito por um especialista

Vinhos: Salton Gerações Antônio Domenico Salton Edição Limitada / Verus / Estival / Miolo Cuvée Giuseppe / Storia / Bacalhôa Moscatel de Setúbal
Degustados em: 30 de novembro de 2013
Onde Bebeu: Winehouse ou Residência Presidencial em Campinas
Harmonizado com: Estrogonofe de frango com arroz e batata palha
Com quem: Claudio, Rafaela, Alexandre, Vanessa, Baco, Cris, Val, Daniel, Tati, Anna e Emerson

Impressões da Rafaela
Já no sábado, começamos a pensar no que fazer no domingo, qual seria o melhor lugar para um almoço. Depois de várias sugestões, não sei como se deu, mas ficou decidido que faríamos algo novamente na casa da Van e do Alê. Emerson começou a fazer uma enquete para saber o que cozinharia, pois não havia dúvida de que ele seria o responsável pelo cardápio do almoço. Chegou-se a duas opções: pato ou estrogonofe. A maioria votou na segunda opção. Como eu sou a chata que não gosta muito de carne vermelha, o estrogonofe foi de frango. Foi o melhor que já comi na vida! Ainda bem que o Claudio aprendeu e logo repetiremos a receita aqui em casa. Muito obrigada, amigos, por tudo!

Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Nosso último dia em Campinas, em mais um almoço com os amigos, o chef Emerson preparou um legítimo estrogonofe. Mais uma vez foi uma tarde de muitos vinhos. Começamos com o Salton Gerações, espumante bastante complexo. Partimos para uma sequência de 2 vinhos brancos muito diferentes e interessantes, primeiro Verus, um vinho da Eslovênia, feito da uva Furmint, vinho de ótima qualidade, uma boa surpresa para mim. Depois um branco uruguaio da Viñedo de Los Vientos, o Estival. Outro ótimo vinho, diferente e interessante. Comprei uma garrafa dele para provar com calma. Partimos para dois tintos brasileiros: o Cuvée Giuseppe e o Storia. Dois ótimos vinhos, o Cuvée um pouco fechado, precisando de mais tempo em taça e o Storia me agradou muito, um vinho com taninos redondos, muito bem feito. Para fechar, um Moscatel de Setúbal. Um grande almoço e um ótimo final de semana!
Nota: -

1 de janeiro de 2014

Churrasco com os amigos em Campinas

Nome: Salton Prosecco Brut / Cave Geisse / R. Pouillon & Fils / Soalheiro Primeiras Vinhas / Casa Valduga Villa-Lobos / Chateau St. Michelle Cold Creek / Vistalba Corte B / Angelica Zapata / Juan Carrau / Viña Progresso / Afincado Tardio
Safra: 2013 / - / 2003/ 2011 / 2005 / 2008 / 2009 / 2006 / 2010 / 2009 / 2008
País: Brasil / França / Brasil / Portugal / Brasil / Estados Unidos / Argentina / Argentina / Uruguai / Uruguai / Argentina
Região: Bento Gonçalves / Champagne / região do Vinho Verde / Vale dos Vinhedos / Columbia Valley / Mendoza / Mendoza / Montevideo / Rio de la Plata / Mendoza
Produtor: Salton / R. Pouillon / Cave Geisse / VinuSoalheirus / Vale dos Vinhedos / Chateau Ste. Michelle / Vistalba / Catena Zapata / Bodegas Carrau / Viña Progresso / Terrazas
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay / Chardonnay / Alvarinho / Cabernet Sauvignon / Cabernet Sauvignon / - / Malbec / Tannat / Tannat / Petit Manseng
Teor alcoólico: 11,5% / 12% / 12,5% / 13% / 14% / 15% / 15,2% / 14% / 13% / 13,5% / 14,2%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 30 de novembro de 2013
Onde Bebeu: Wine House ou Residência Presidencial em Campinas
Harmonizado com: Churrasco
Com quem: Claudio, Rafaela, Alexandre, Vanessa, Baco, Cris, Val, Daniel, Tati, Anna e Emerson

Comentário do Produtor
-

Impressões da Rafaela
Este foi um dia animado, que começou com café da manhã em um ótimo e belo lugar de Campinas, seguiu com pastel na feira e teve seu ápice com um churrasco na residência dos amigos Alexandre e Vanessa. Sempre ficamos muito felizes quando reencontramos as pessoas queridas de Campinas que conhecemos pelo Le Vin au Blog. A tarde foi bem animada, com muitas garrafas sendo abertas, mas devo dizer que nem todas chegaram à mesa das meninas. Tomara que em 2014 tenhamos muitas oportunidades para nos revermos, seja aqui no Rio, seja em qualquer outra região do mundo. Dos vinhos que provei, gostei muito do norte-americano Chateau St. Michelle Cold Creek.

Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Nosso segundo evento em Campinas foi um churrasco com a presença dos amigos que fizemos por lá. Foi um churrasco especial: além da oportunidade de rever os amigos provamos vários vinhos e comemos carnes especiais da 
Beef Passion. Começamos com 3 espumantes: uma boa surpresa com o agradável Salton Prosecco, provamos mais uma vez o Cave Geisse 2003 e esta garrafa estava em excelente condição e a fase das borbulhas foi fechada com uma agradável Champagne. O Daniel levou uma garrafa Magnum do excelente Vinho Verde Soalheiro, o detalhe que a garrafa parecia uma bala de canhão. Partimos para uma sequência de 6 vinhos tintos, com vinhos do Brasil, Uruguai, Argentina e Estado Unidos. Para finilizar tudo isto ainda pintou uma garrafa de um vinho de sobremesa argentino. Foi sem dúvida uma tarde muito agradável e que temos que repetir mais vezes em 2014!
Nota: -

Nosso primeiro jantar na residência presidencial

Nome: Vollereaux Brut / Palazzo del Vignola
Safra: - / 2010
País: França / Itália
Região: Champagne / Toscana
Produtor: Vollereaux / Fattoria La Gigliola
Importador: -

Uvas/Corte: Chardonnay / Sangiovese
Teor alcoólico: 12% / 12,5%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: -
Onde foi comprado: Gentilmente oferecidos por Vanessa e Alexandre
Quando foi comprado: -
Degustado em: 29 de novembro de 2013
Onde Bebeu: Wine House ou Residência Presidencial
Harmonizado com: Antipasti e massa ao azeite e trufas
Com quem: Claudio, Rafaela, Alexandre e Vanessa, além do Baco

Comentário do Produtor
-

Impressões da Rafaela
Campinas nos recebeu com sol, mas não demorou para cair a maior chuva de todos os tempos. Quando chegamos à casa nova e linda da Vanessa e do Alexandre tudo estava às escuras. O jantar delicioso foi à luz de velas. As boas conversas são movidos a um jeito totalmente diferente de energia e a falta de luz não fez a menor diferença na qualidade do encontro.

Comentário do Claudio
Rótulo: 
-
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Finalmente chegou o dia de conhecermos a nova casa dos amigos Vanessa e Alexandre em Campinas. Já tínhamos programado esta viagem há algum tempo. Logo depois de chegarmos, desabou a maior chuva e deixou boa parte da cidade às escuras. Assim, o delicioso jantar que a Vanessa preparou foi à luz de velas. Começamos com a gostosa Champagne Vollereaux, já comentada aqui no blog. Depois, o Alexandre resolveu abrir um dos vinhos preferidos dele, um Chianti. O escolhido foi um Chianti feito para a marca de carros Lamborghini, que foi muito bem com nosso jantar mais que especial. O fim de semana estava só começando.

31 de dezembro de 2013

Boas Festas!


Lilliano Chianti Classico 2010

Nome: Lilliano Chianti Classico
Safra: 2010
País: Itália
Região: Chianti, Castellina in Chianti
Produtor: Tenuta di Lilliano
Importador: -

Uvas/Corte: Sangiovese 80%, Canaiolo 10%, Colorino e merlot 10%
Teor alcoólico: 14%
Rolha: Cortiça
Numeração da garrafa: -
Preço: Gentilmente nos presenteado pelo Helton
Onde foi comprado: -
Quando foi comprado: -
Degustado em: 28 de novembro de 2013
Onde bebeu: Em casa, no Rio
Harmonizado com: Pizzas caseiras
Com quem: Claudio, Rafaela e Helton

Comentário do Produtor
Vintage Chianti Classico is aged for at least one year in stainless steel and medium-sized barrels; ageing in the bottle: 2/3.

Impressões da Rafaela
Dando continuidade à temporada de pizzas caseiras, recebemos nosso amigo Helton, que estava na cidade para um curso. Como sempre, a conversa foi muito animada, e este vinho, trazido pelo Helton, estava muito bom, nos fez relembrar nossa viagem de férias à Toscana. Que saudade! Antes de abrirmos o chianti, começamos a noite com um Casa Valduga Blush.

Comentário do Claudio
Rótulo: -
Exame visual: -
Exame olfativo: -
Exame gustativo: Mais uma noite em que fizemos pizzas aqui em casa. Desta vez, na companhia de nosso amigo Helton, que gentilmente nos trouxe uma garrafa de vinho. A escolha dele não poderia ter sido melhor.... Chianti e pizza formam um belo par. O Lilliano é um vinho jovem, de boa fruta, fácil de se beber, que casou perfeitamente com nossa pizza e, principalmente, com o papo agradável daquela noite. Que em 2014 possamos repetir encontros como este e de preferência com Chiantis para lembrarmos de nossa passagem pela Toscana.